Tag Archives: josé fernandes

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Revitalizar o interior – As comunicações

As comunicações são hoje uma necessidade como qualquer outra das anteriormente consideradas primárias. Na divisão territorial feita entre os operadores para cada um garantir num determinado território comunicações 4G, o todo não é igual à soma das partes.

Comunicações – rede móvel

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Os Carris e as Bitolas

A Ferrovia, nos últimos anos tem sido o parente pobre dos investimentos públicos feitos nesta área. As infraestruturas rodoviárias que se fizeram no país, por opção politica, relegaram o Comboio para segundo plano. Mas parece que as coisas estão a mudar.

Estação da Cerdeira

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Revitalizar o Interior – Turismo

«O interior não é uma zona pobre – está pobre». Alguém, há pouco tempo, produziu esta afirmação que só podemos corroborá-la.

Passadiços junto aos rios

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Revitalizar o Interior

Se queremos que o interior possa vir a ser mais parecido com o litoral então temos de dar ao interior um tratamento de choque para tentar recuperar o que durante décadas foi sendo perdido. Fazer crescer os rendimentos dos residentes é uma forma de aumentar os residentes.

Incentivar o turismo rural

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Crónicas do Gervásio – a dívida e o rating

Para o Gervásio, que nada entendia de economia, há muito que conhecia a dificuldade em obter dinheiro quando dele precisava e o não tinha. Há muito que conhecia os efeito de estar em boa/má conta perante quem podia emprestar. Afinal já naquela altura havia rating.

A dívida e o rating

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

A dívida e o ratting

A imagem abaixo, publicada no expresso de 23 de Setembro do ano findo, pretende reproduzir a nova classificação que foi atribuída à dívida portuguesa por uma agência de ratting.

Dívida portuguesa sai do lixo

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

O papel, o digital, as pessoas

Preservar o conhecimento em papel ou noutro suporte físico de idêntica natureza é ainda uma das formas mais fiáveis de o preservar. Complementado com o digital democratiza-se o conhecimento. O conhecimento vivo, as pessoas, ainda não conseguimos preservar.

Destruição de livros pelo fogo

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

A idade da reforma

Quando a idade normal para os trabalhadores poderem aposentar-se normalmente aumentou para os 66 anos e 4 meses, faria sentido que a idade obrigatória de aposentação passasse, pelo menos para os 75 anos.

A idade máxima para a reforma merece reflexão

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Justiça e Independência

Os juízes são independentes nas decisões que tomam. Os juízes não podem ser responsabilizados pelas decisões que tomam. Esta desresponsabilização tem de ter limites.

A Justiça deve colocar o interesse público acima de tudo

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

A lei da Paridade

Quando somos confrontados com leis como esta, estamos na verdade longe de sermos um país em que os dois géneros (homens e mulheres) têm iguais direitos. Custa-me a perceber como algumas mulheres ficam satisfeitas e defendem este tipo de abordagem dum problema que a sociedade efectivamente tem.

Igualdade sim, paridade não

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Os incêndios combatem-se no inverno

A frase, dita assim, parece descabida e desajeitada mas, se pensarmos um bocadinho, verificamos que faz todo o sentido. Foi proferida pela última vez que a ouvi, pelo actual Primeiro Ministro.

Limpeza das matas

Ciclismo - Capeia Arraiana

Sabugal na Volta a Portugal do Futuro

Terminou no domingo, dia 2, a 25ª Volta Portugal do Futuro, com a vitória na prova do jovem ciclista José Fernandes, natural de Évora. A quarta e última etapa começou no Sabugal e terminou em Alcains, mas a terceira etapa terminara no dia 1 no centro da cidade do Sabugal, com a vitória de Cyril Barthe.

A vitória de Cyril Barthe no Sabugal

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Atendimento prioritário

Quando é preciso fazer uma lei para que uma pessoa com dificuldades de locomoção ou outro tipo de restrição física seja atendida antes dos restantes cidadãos, o que está mal não é a lei é a sociedade que não devia precisar de tal lei.

O símbolo reflete a prioridade entre os prioritários

O símbolo reflete a prioridade entre os prioritários

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Poldras Pontões e Pontes (7)

:: :: O Pontão de Porto de Ovelha :: :: – Este pontão é o maior pontão do Côa e provavelmente um dos maiores do país. Hoje, o pontão continua a existir no mesmo local mas o seu uso diminuiu com a construção de uma nova ponte a montante.

Pontão de Porto de Ovelha – margem esquerda – montante para jusante

Pontão de Porto de Ovelha – margem esquerda – montante para jusante

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Valorizar o Interior

Depois de muitos anos em sentido contrário, parece que finalmente se percebeu que o país é suficientemente largo e abrange também zonas a que é usual chamar interior. Parece que agora se começou a olhar apara este território, como uma oportunidade.

O abandono do interior provoca degradação das aldeias

O abandono do interior provoca degradação das aldeias

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Os grisalhos

Grisalho será um cidadão que, tendo trabalhado uma vida, está agora a usufruir de uma pensão que pagou ao longo dela com os seus descontos. Peste grisalha será a doença que é provocada na segurança social pelos grisalhos que cada vez vivem mais.

Mãos: dum jovem / dum grisalho

Mãos: dum jovem / dum grisalho

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Por Email

Comunicar por carta é lento e caro. Comunicar por email é rápido e barato. Quem sempre recebeu cartas durante a vida, dificilmente conseguirá receber emails. Mas tem direito a continuar a receber cartas.

185-1

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Isenção de IMI para os partidos

Quando se isenta alguém do pagamento de um imposto, tem de existir a garantia que esse alguém, de uma qualquer forma compensa a sociedade por ter deixado de pagar aquele tributo.

Imposto Municipal sobre Imóveis - IMI

Imposto Municipal sobre Imóveis – IMI

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Responsabilidade Política

Ter como consequência apenas a responsabilidade politica sempre que um politico toma uma qualquer decisão é pouco. A responsabilidade por danos financeiros resultantes dessas decisões deveriam igualmente pertencer-lhes.

183-1

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Poldras Pontões e Pontes (6)

:: :: A Ponte da Cerdeira :: :: – De todas as travessias do Noémi, esta é a mais importante de todas para as populações da zona. Foi talvez por ela existir que o Comboio teve na Cerdeira a maior estação entre a Guarda e Vilar Formoso.

Ponte da Cerdeira vista de Montante para jusante

Ponte da Cerdeira vista de Montante para jusante

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Assiduidade dos Deputados

Não queremos que os deputados que elegemos sejam simples funcionários com horas de entrada e saída rígidas. Mas que diabo!… Queremos que estejam presentes quando a nossa vontade tem de ser expressa pela discussão e pelo seu voto.

Controlo da assiduidade

Controlo da assiduidade

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Poldras Pontões e Pontes (5)

:: :: A Ponte do Engenho :: :: – As pontes ferroviárias de granito são obras de arte com uma imponência directamente proporcional ao esforço que o granito exigiu para ser trabalhado. A sua beleza tem uma dimensão idêntica à do barroco donde cada elemento foi cortado.

Ponte do Engenho sobre o Noémi

Ponte do Engenho sobre o Noémi

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Financiamento dos Partidos Políticos

Se os custos da nossa democracia passam por financiar os partidos políticos então os partidos devem desempenhar o papel de esclarecimento do público que os financia. Por o financiamento indexado ao IAS parece-me perfeitamente desajustado.

Todos os partidos que elegem deputados são financiados

Todos os partidos que elegem deputados são financiados

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Poldras, Pontões e Pontes (4)

:: :: A Ponte de FERRO :: :: – Pelo menos entre a Guarda e Vilar Formoso todos sabem e muitos conhecem a Ponte de Ferro. O que alguns desconhecem é que esta ponte afinal é de Alvenaria de Granito e por isso pedra. De qualquer modo é uma obra de arte imponente.

 Vista parcial da ponte ferroviária sobre o Côa – (Ponte de ferro)


Vista parcial da ponte ferroviária sobre o Côa – (Ponte de ferro)

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

A estabilidade das regras

Ninguém investe quando as regras que regem a sociedade e o investimento estão a mudar permanentemente. Quem muda as regras é responsável pelo não investimento e tem nome: Os políticos que nós elegemos.

Apoio parlamentar ao Governo

Apoio parlamentar ao Governo

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Poldras, Pontões e Pontes (3)

:: :: As Chancas do Malhadil em Pailobo :: :: – Nalguns locais chamam-lhe chancas, noutros poldras noutros ainda passadiços, mas tenham o nome que tiverem, são as construções mais rudimentares que o homem fez para atravessar os nossos rios. Apenas permitiam a travessia a pé, e com alguma habilidade.

As chancas, poldras ou passadiços

As chancas, poldras ou passadiços

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

A Constitucionalidade das coisas

às vezes a linguagem utilizada pelos nossos Magistrados Judiciais é muito fechada para que a generalidade das pessoas a possa entender. E isso é um defeito. Todos a deviam poder entender sem tradutor. Experimentem ler o acórdão que abaixo refiro no link.

175-1

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Poldras, Pontões e Pontes (2)

:: :: O PONTÃO DE PAILOBO :: :: – As pontes unem as margens dos rios para permitir que quem mora dum lado possa deslocar-se ao outro. São sempre um símbolo de união. Unem o que os rios tentam separar.

O pontão de Pailobo

O pontão de Pailobo

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Sócrates pede subvenção vitalícia

Faz como eu digo e não como eu faço. Na guerra podem ser usadas todas as armas, mesmo as que, em tempo de paz, nunca sairiam das bainhas. Acusados na praça pública podem e devem defender-se também na mesma arena.

173-1

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Pontes, Pontões e Poldras (1)

“A ponte é uma passagem… para a outra margem” e “A ponte é a união de duas margens”, são duas frases que podem definir uma ponte, um pontão ou mesmo umas poldras.

Ponte sobre a Ribeira de Aguiar em F.C. Rodrigo

Ponte sobre a Ribeira de Aguiar em F.C. Rodrigo

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Subvenções dos políticos

Lista das subvenções. Depois de um vergonhoso processo, finalmente foi divulgada a lista das subvenções atribuídas até 12 de Agosto de 2016. Como podemos ter ainda pessoas que acham que as subvenções deviam ser secretas?

Parlamento – A maior parte dos subvencionados passou por aqui

Parlamento – A maior parte dos subvencionados passou por aqui

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Crónicas do Gervásio – A pesca furtiva

Apanhar peixes no rio para comer, mesmo que os métodos não fossem os mais ortodoxos era uma prática relativamente tolerada. Embora nessa altura a palavra sustentabilidade ainda não fizesse parte do vocabulário do Gervásio, ele e os seus amigos eram praticantes, pois sabiam que, se estragassem as condições do rio, teriam menos peixe no próximo ano.

Flor do Budle (Embude) – Planta com raízes tóxicas

Flor do Budle (Embude) – Planta com raízes tóxicas

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Rendimento Básico Incondicional (RBI)

Receber mensalmente um valor pago pelo Estado sem que isso seja o resultado do trabalho é algo a que não estamos habituados. O RBI é exactamente isso. Receber, mesmo sem trabalhar, não me soa bem.

169 - 1

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Subvenções vitalícias secretas?

Já é suficientemente mau existirem subvenções vitalícias atribuídas nas condições lamentáveis que todos conhecemos e muitos criticamos. Agora os seus valores e titulares serem considerados secretos, parece-me um exagero e uma nítida afronta à generalidade dos cidadãos.

168 - 1

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Ensino público/privado

A dicotomia Público/Privado sempre existiu nas diferentes áreas, em toda a sociedade portuguesa. Ensino particular a ser pago pelo Estado, que tem o dever de garantir o ensino publico, em zonas onde exista público, é que não tinha até agora havido.

Universo do ensino

Universo do ensino

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Crónicas do Gervásio – A Pesca

A caça e a pesca, mesmo furtivas e utilizando métodos nem sempre legais, sempre foi uma actividade que todos exerciam. É que, no tempo do Gervásio, comer peixe fresco na sua terra, só se fosse apanhado no Noémi ou no Côa. Por isso, apanhava-se da forma que cada um podia.

Uma boga pescada no rio

Uma boga pescada no rio

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Para quem Escrevemos?

Escrevemos para quem nos lê. Escrever sem destinatário definido é como disparar para o meio de um bando de perdizes. Só por sorte acertamos numa. É por isso que devemos escrever com o leitor em mente pois ele é a razão da nossa escrita.

O hábito de escrever cartas foi ultrapassado pela tecnologia

O hábito de escrever cartas foi ultrapassado pela tecnologia

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Leis por medida

Fatos por medida, ficam bem a quem os faz e a quem os usa. Leis por medida ficam mal a quem as faz e sabem bem a quem as utiliza. Leis à medida em democracia são o que de pior a democracia permite.

Um fato por medida, assenta que nem uma luva

Um fato por medida, assenta que nem uma luva

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Por que escrevemos? Como escrevemos?

Escrevemos sempre a pensar que alguém nos lê. Quando escrevemos temos em mente um leitor com quem conversaríamos se não estivesse-mos a escrever. O retorno desse leitor imaginário é o motor da nossa escrita.

E se escrevêssemos como falamos?

E se escrevêssemos como falamos?

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Abandonar animais é crime

Abandonar animais é crime – Não sejamos criminosos. As pessoas, enquanto seres humanos racionais gostam e têm necessidade de conviver com animais domésticos. Abandoná-los das mais diferentes formas e nos mais variados lugares é um crime.

Cão abandonado

Cão abandonado