Tag Archives: feira franca

Sabugal - © Capeia Arraiana (orelha)

Feira Franca no Largo do Castelo do Sabugal

A Feira Franca do Largo do Castelo do Sabugal realiza-se todos os meses no último domingo. Edição da jornalista Sara Castro e imagem de Miguel Almeida da Redacção da LocalVisãoTv (Guarda).

LocalVisãoTv - © Capeia Arraiana

LocalVisãoTv - © Capeia Arraiana
Autoria: LocalVisãoTV posted with Galeria de Vídeos Capeia Arraiana

jcl

Feira Franca no Largo do Castelo do Sabugal

A Feira Franca no Largo do Castelo do Sabugal «acontece» no último domingo de cada mês. Até ao final do ano está marcada para os dias 31 de Outubro, 28 de Novembro e 26 de Dezembro.

Feira Franca - Largo do Castelo do Sabugal

jcl

Feira Franca no Largo do Castelo do Sabugal

A Feira Franca no Largo do Castelo do Sabugal «acontece» no último domingo de cada mês. Excepcionalmente em Julho está marcada para este sábado, 31 de Julho, entre as 9 e as 19 horas. As duas próximas edições podem ser visitadas nos domingos, respectivamente, dias 29 de Agosto e 26 de Setembro. A organização é da responsabilidade da Casa do Castelo e conta com o apoio da Câmara Municipal do Sabugal, do Capeia Arraiana, da Rádio Caria e da LocalVisãoTv.

Feira Franca - Largo Castelo Sabugal - Casa do Castelo

jcl

Feira Franca no Largo do Castelo do Sabugal

A Feira Franca que decorre todos os meses no último domingo do mês no Largo do Castelo do Sabugal está marcada, nestes tempos natalícios, para o dia 27. Participe na iniciativa recuperada pelos responsáveis da «Casa do Castelo» e do CyberCafé «O Bardo».

Feira Franca

Feira Franca no Largo do Castelo do Sabugal

O Largo do Castelo será mais uma vez o local onde decorrerá a Feira Franca, a realizar na cidade do Sabugal, no próximo dia 29 de Novembro de 2009.

Feira Franca no Largo do Castelo do Sabugal

«A primeira menção duma feira portuguesa vem registada no Foral de Castelo Mendo de 1229 que se realizava três vezes no ano, durante oito dias de cada vez. Todos os que a ela concorressem, tanto nacionais como estrangeiros, teriam segurança contra qualquer responsabilidade civil ou criminal que pesasse sobre eles. Entre os privilégios que mais favoreceram o desenvolvimento das feiras portuguesas há que mencionar o que isentava os feirantes do pagamento de direitos fiscais, nomeadamente portagens, a que se dava o nome de feiras francas.»
«A partir do reinado de D. Afonso III (1248-1279) multiplica-se o número das feiras e ampliam-se as garantias e os privilégios jurídicos concedidos aos feirantes. O fomento do comércio interno por meio da instituição de feiras, teve como consequência o aumento populacional de determinadas zonas pouco povoadas, para além de engrandecer os rendimentos da coroa.»
Agora que já sabe, fica desde já o convite para uma possível visita à Feira Franca do Sabugal, onde poderá encontrar alguns produtos do concelho, nomeadamente, produtos artesanais, enchidos, queijos, produtos agrícolas, velharias e antiguidades.
Esta é uma iniciativa da Casa do Castelo e do Bar «O Bardo».
jcl (com CMS)

Feira Franca no Largo do Castelo do Sabugal

GALERIA DE IMAGENS – 30-8-2009
.
Fotos Cláudia Bispo – Clique nas imagens para ampliar

Feira Franca no Sabugal – LocalVisãoTv

A reportagem televisiva sobre a Feira Franca do Largo do Castelo do Sabugal tem a assinatura da LocalVisãoTv um dos Media Partners da iniciativa da «Casa do Castelo», do CyberCafé «O Bardo» e do Município do Sabugal. A ideia de revitalizar o Largo do Castelo foi um enorme êxito e está aprovadíssima. A partir de agora – no último domingo de cada mês – visite e participe na Feira Franca do Sabugal.

[vodpod id=ExternalVideo.867645&w=425&h=350&fv=]

Feira Franca animou o castelo do Sabugal

Candeeiros, panelas de ferro, potes de barro, campainhas, ferramentas e muitos livros antigos, foi o que mais se viu no domingo, dia 30 de Agosto, no Sabugal por ocasião da reedição da feira franca da vila instituída por D. Dinis.

Feira Franca Sabugal

O dia esteve abrasador, mas isso não impediu que dezenas de feirantes e centenas de potenciais compradores fossem até ao largo do Castelo do Sabugal, onde se instalou a feira, que sobretudo dispunham antiguidades e peças de artesanato.
Natália Bispo, da Casa do Castelo, e Joaquim Tomé, do cyber café O Bardo, que organizaram o evento, estavam satisfeitos: «Claro que podia estar mais gente, mas não foi mau para uma primeira edição», disse-nos Natália Bispo, que na sua casa-museu andava numa fona recepcionando visitantes e servindo refeições.
Manuel Poppe, na sua coluna dominical do Jornal de Notícias, enalteceu precisamente esta iniciativa, saída da carolice de dois sabugalenses, cujos projectos vão muito além do simples comércio. As suas casas são sobretudo pontos de apoio ao turista que demanda o Sabugal para visitar o famoso castelo de cinco quinas.
A um ponto o forte incêndio que lavrava mato para as bandas o Casteleiro, expelindo uma imensidade de fumo, cobriu a roda do sol e a tarde tornou-se ainda mais quente e abafadiça. Mesmo assim, com redobrado sofrimento de comerciantes e visitantes, a feira franca manteve-se pelo dia fora. Talvez fosse diminuto o valor das transacções, e pouco tenha lucrado quem ali foi feirar, mas a iniciativa, que teve o apoio da Câmara Municipal e da Associação de Desenvolvimento do Sabugal, marcou pontos. Ela demonstrou que é sobretudo com iniciativas de animação que a parte velha do Sabugal se volta a revigorar, atraindo gente.
Vale a pena transcrever a sugestiva e elucidativa crónica de Manuel Poppe:
«Hoje, no Sabugal, raia beirã, há Feira Franca! Vendem-se enchidos, queijos, velharias e antiguidades, antigos instrumentos do trabalho dos campos. Oferece-se alegria, tão rara no Portugal cabisbaixo! A festa acontece à sombra da Torre de Menagem dum Castelo, que brilha com “a nitidez de uma iluminura de cancioneiro ou livro de horas”, diz o Guia de Portugal.
É um grito de amor à terra e protesto do Interior abandonado. Quem luta pelo que não quer ver abastardado e atraiçoado? Esta Feira tem atrás o amor e a coragem de Natália Bispo, da “Casa do Castelo”, e de Joaquim Tomé, de “O Bardo”. Natália recuperou um edifício em ruínas, seguindo a traça original e trazendo à luz uma bela ara romana e vestígios da cultura judaica; defende a culinária local em singelo restaurante; impõe artesanato e literatura. Joaquim criou um Cyber Café e ligou o nobre Sabugal ao Universo, abriu uma galeria de arte, promoveu exposições de pintura, escultura e concertos musicais.
E, bem a propósito, um entusiástico aceno ao “tremendo” livro de Manuel Leal Freire, sabugalense de Bismula, “Trovas de Escárnio em Vernáculo” (Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto). Se não falhar a Feira Franca, encontra-o; mas pode procurá-lo por aí: o homem e o livro. E como diverte lê-lo e relê-lo! Afasta as nossas justificadas tristezas neste tempo cinzento, em que é urgente reinventar a esperança»
plb

Feira Franca no Largo do Castelo do Sabugal

Vai decorrer no dia 30 de Agosto, domingo, no Largo do Castelo a primeira edição da Feira Franca no Sabugal. O visitante pode encontrar produtos de produção artesanal tais como enchidos, queijos e produtos agrícolas de produção local, sendo que nesta região Transcudana, se produzem as melhores carnes da Ibéria. Basta lembrar o cabrito e o queijo de cabra da Serra de Malcata e o rio Côa que, com as suas águas puras, permite a criação da afamada truta do Côa. Podem-se, também, encontrar na Feira Franca do Sabugal velharias e antiguidades oriundas de diversas colecções privadas e artefactos antigos do trabalho dos campos oriundos de particulares que os comerciam livremente.

O Sabugal é uma cidade Arraiana (de fronteira), que pertenceu ao reino de Leão. Com o tratado de Alcañices assinado pelo Rei de Castela e Leão, D. Fernando IV, e pelo rei de Portugal D. Dinis a 12 de Setembro de 1297, o Sabugal passa a pertencer ao Reino de Portugal. Foi então que D. Dinis confirmou a importância da Feira Franca do Sabugal, no local onde então existia uma das mais importantes Judiarias desta região da Ibéria.
«D. Dinis que conjuntamente com a rainha D. Isabel e seus filhos, D. Afonso e D. Constança, dá ao Sabugal e todo o seu termo todo o foro e bons costumes para sempre. Dá uma feira geral…»
Na voragem evolucionista do Séc. XX e, com a emigração da segunda metade do Século, perdeu-se esta secular tradição que agora se recupera.
Esta região Transcudana esta situada num dos principais eixos de comunicação da Ibéria, daí que as trocas com España sejam uma constante. Estas intensas trocas comerciais deram origem a uma comunidade que, contra os decretos institucionais, as mantiveram com o contrabando de mercadorias ignorando as fronteiras impostas pelos diversos regimes até à recente integração Europeia na União.
A recuperação desta antiquíssima Feira Franca do Sabugal, pretende restabelecer as trocas comerciais de carácter popular entre estes povos da Ibéria artificialmente divididos pelas linha (Raia) que as politicas emanadas dos poderes centrais definiam. Na verdade nunca estas «Raias» conseguiram impedir o convívio e trocas comerciais na região.
A recuperação das tradicionais trocas entre as populações locais, proporciona ao visitante oriundo de ambientes citadinos uma experiência rica de novas sensações e oportunidades. Os produtos da terra e das actividades agrícolas em paralelo com as antiguidades proporcionam uma autentica viagem pela história e uma oportunidade de comerciar autênticas relíquias.
A Feira Franca do Sabugal realiza-se dia 30 de Agosto, à sombra da Torre de Menagem do Castelo Medieval, dentro da antiga Judiaria do Sabugal.

A organização encontra-se a cargo do Município do Sabugal, da Casa do Castelo (Artesanato e Antiguidades) e do Cyber Café «O BARDO».

Media partners: «Capeia Arraiana», «Rádio Caria» e «LocalVisãoTv».
jcl