Tag Archives: covilhã

Covilhã - Capeia Arraiana

Pintura Escutista no Reservatório do Refugio

O Núcleo da Covilhã da Fraternidade Nuno Alvares, conjuntamente com a Escola Secundária Campos Melo e a empresa municipal Águas da Covilhã, levaram a cabo um projecto inovador de pintar um reservatório de água enquadrado num espírito de arte urbana, aproveitado o Dia Mundial do Ambiente, celebrado a 5 de Junho.

Os alunos posam frente ao trabalho executado

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Bloco de notas hospitalares

Acordo internado numa unidade hospitalar, sem ouvido nem achado, com um fardamento novo, uma pulseira branca (não das electrónicas), número de processo clínico, nome e idade. Horas antes, nem um “amén” ou “item missa este” ouvi na Sagrada Eucaristia da Missa Dominical.

Não falta material técnico: máquinas para medirem o ritmo cardíaco, rampas de oxigénio, aspiradores e muitos fios e tubos

Não falta material técnico: máquinas para medirem o ritmo cardíaco, rampas de oxigénio, aspiradores e muitos fios e tubos

Joaquim Salatra – 12 de Outubro de 1942

Os dias passados a caminho do tribunal e da polícia do Tourel. O maldoso irmão António. Pesada recordação da morte do pai na Covilhã em tempos de dificuldades.

Salatra recorda a morte do pai na Covilhã

Salatra recorda a morte do pai na Covilhã

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Covilhã – debate e reflexão sobre escutismo

No Café Literário, junto à Igreja de São Francisco na Covilhã, decorreu uma tertúlia escutista organizada pelo Núcleo da Fraternidade Nuno Álvares local, com o apoio do Município covilhanense, sendo orador convidado Francisco Alves Monteiro, um beirão natural da Bismula (Sabugal), dirigente escutista da Região de Setúbal, com cinquenta e três anos de atividades no movimento e autor do Livro «História do Escutismo em Setúbal e na Região».

Francisco Monteiro falou sobre o movimento escutista

Francisco Monteiro falou sobre o movimento escutista

Outubro - 2015 - Efemérides - Capeia Arraiana

Efemérides 2015 – 20 de Outubro

:: :: EFEMÉRIDES 2015 :: 20 DE OUTUBRO :: :: O Capeia Arraiana publica diariamente as efemérides mais relevantes de cada data… Hoje destacamos a elevação da Covilhã a cidade, em 1870.

A Covilhã foi elevada a cidade há 145 anos

A Covilhã foi elevada a cidade há 145 anos

Câmara Municipal Sabugal - © Capeia Arraiana

Câmara do Sabugal dá tolerância de ponto

A Câmara Municipal do Sabugal e as restantes 14 câmaras que integram a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela decidiram dar tolerância de ponto no dia de Carnaval.

Edifício da Câmara Municipal do Sabugal

Edifício da Câmara Municipal do Sabugal

Parabéns Covilhã

Teresa Duarte Reis - O Cheiro das Palavras - Capeia ArraianaA Covilhã fez 140 anos da sua elevação a cidade, pelo Decreto de D. Luís de 1870. Uma cidade que cresceu, desde a criação dos seus rebanhos, passando pela água das ribeiras até ao fio e ao têxtil, uma cidade lutadora, onde tantos operários deram o seu braço, para que o gemido dos teares fizesse dela a «Manchester Portuguesa». O passado é uma página dourada da história mas o presente mostra nova página de livros no braço ou capa ao ombro, onde muitos jovens dão vida a uma carreira diferente mas igualmente digna. Permitam-me que deixe aqui a minha homenagem a esta cidade beirã.

COVILHÃ – A NOVA FACE

Onde os teares bateram
Onde a sirene tocou
As filas de operários
Entrando e saindo…
Há novo habitar
De livros no braço
Ou capa ao ombro.

É um virar de página
Estratégias, mudar
De lutas, futuros…

É um abrir, renovar
Há novos projectos
Num trocar de valores
De sons, de teares
Esvaecidos no tempo
De cortejos humanos
Que acordavam alvoradas
Sirenes para o almoço
Que já não tocam.

As chaminés fumegantes
Apagaram fumaças
Vielas que se alargam
Em rotundas e praças
Casas velhas
Que desfazem contos
Lendas de outrora
Onde se esconderam fantasmas.

E veio nova hora
De erguer outros muros
De fabricar projectos
Não de fim, mas de mudança.

E fazem história…
O pregão do Leal dos jornais
A chaminé do Mestre Abílio
O Montalto e a «placa».
O Pelourinho só de nome
Também já perdera o coreto!

É a alma da Covilhã
Que muda «O rosto e o resto»
Que toma novos valores
Urbaniza, desafoga
Abre outros horizontes
E se entrega
Num caminho de esperança.

Não renega o seu passado
Vive-se agora outro sabor
Recordar, mas não parar
De progredir, concretizar
Num presente para a história
Dos seus avós nos seus netos!

«O Cheiro das Palavras», poesia de Teresa Duarte Reis
netitas19@gmail.com

Special Olympics Portugal na Covilhã

«Quero vencer mas se não conseguir deixem-me enfrentar o desafio corajosamente.» Reportagem da jornalista Dina Vaz com imagem de Cátia Gaudêncio da Redacção da LocalVisãoTv (Covilhã).

Local Visão Tv - Guarda
[vodpod id=Video.4794610&w=425&h=350&fv=]

jcl

Luís Athouguia apresenta «Onirismos» na Covilhã

Uma exposição do artista Luís Athouguia denominada «Onirismos – outras aventuras surreais» estará patente ao público a partir de sábado, 30 de Agosto, na Tinturaria, o novo espaço cultural da cidade da Covilhã.

Luis AthouguiaA Câmara Municipal da Covilhã apresenta a exposição «Onirismos – outras aventuras surreais» de Luís Athouguia. São pinturas de forte impacto visual, representativas da linha de produção actual de Luís Athouguia. O artista é um criador que domina intensamente o rigor do espaço, considerando-o como um todo, onde o tempo não importa, onde as moléculas que formam a trama pictórica, as formas que são matéria, massa, densidade, são susceptíveis de transformação pela energia, e indo para além da realidade física, fazem com que se abram outras dimensões que se reflectem e ampliam na sua pintura.
A sua produção pictórica elege a sensualidade cromática, a íntima percepção da forma, o onirismo e transcendência como tema e conceito, viajando com a força da luz, desintegrando-se e voltando a integrar-se, impactando numa dimensão nova, sugestiva, plena de matizes e leituras infinitas, que se move num trajecto de genuína inovação.
Luís Athouguia é natural de Cascais, diplomado pelo IADE, Instituto Superior de Design, em Lisboa, participou em relevantes Exposições Internacionais, Bienais de Arte, encontros de Arte Postal e integrou diversos grupos multi-disciplinares e plurinacionais de Artistas. Desde 1983 realizou mais de duas centenas de exposições (59 individuais) em Portugal e Espanha. Está representado em museus, instituições e importantes colecções nacionais e estrangeiras e foi premiado em certames de Arte nacionais e internacionais.
A exposição «Onirismos – outras aventuras surreais» do artista Luís Athouguia estará aberta ao público na Tinturaria do Centro de Exposições da Covilhã, no Rossio do Rato, de 30 de Agosto a 21 de Setembro, de terça a sexta-feira das 10 às 20 horas e ao sábado das 14 às 20 horas.

Trata-se de um mostra que merece ser vista, descodificada e fruída com todo o empenho e sentido crítico.
jcl

Paul recebe segunda edição do «Festival J»

Nos próximos dias 25, 26 e 27 de Julho, largas centenas de jovens de todo o país acorrerão à vila do Paúl, no concelho da Covilhã, para celebrar a música jovem de inspiração cristã.

Festival J do Paul (Covilhã)Depois do êxito da iniciativa em 2007, todos pediram uma segunda edição do festival, pelo que o Departamento Diocesano da Pastoral Juvenil da Guarda e a Banda Católica da diocese, a Banda Jota, aceitaram o desafio. As expectativas para a edição deste ano são ainda maiores.
Esperam-se três dias intensos, com a actuação de várias bandas. Algumas repetem a passagem pela ermida de Nossa Senhora das Dores. É o caso da anfitriã, a Banda Jota, que promete apresentar um concerto cheio de novidades. Também repetirá a banda de D. José, «El Cura Rockero», que vem de Espanha apresentar o novo álbum, a banda «Viviré», do padre João Paulo Vaz, a banda dos Kyrios, a banda «Lc 15, 7», dos Terceira Margem que também prometem novidades, e a banda da Claudine Pinheiro que apresenta pela primeira vez ao público o seu novo CD, um CD composto, quase na totalidade, de originais, alguns cantados recentemente num breve recital na Igreja do Sabugal.
Porém, o Cartaz também está cheio de novidades, como os Simplus, Bea, Sopro de Vida e Coração Profético, bandas de que se esperam concertos que apresentem novas sugestões no âmbito da música religiosa jovem.
O jovem padre Hélder Lopes, que vem prestando serviço religioso no Sabugal, é um dos organizadores do Festival, pelo que se espera que muitos jovens sabugaleneses se desloquem ao Paúl para participarem no grandioso encontro juvenil.
plb

Covilhã quer ser capital europeia da cultura

O presidente da Câmara da Covilhã, Carlos Pinto, anunciou que a sua cidade ambiciona vir a ser Capital Europeia da Cultura, justificando a iniciativa com rico património que a cidade serrana possui.

Covilhã tem patrimónioA ideia está apenas embrionária, mas o autarca covilhanense parece apostado em conferir protagonismo à Covilhã. Conseguir levar a cidade serrana a capital da cultura seria um feito notável para a região. Mesmo o simples facto de surgir a formalização de uma candidatura, é já de si uma iniciativa que dará projecção à cidade.
A Capital Europeia da Cultura é uma iniciativa da União Europeia que visa promover uma cidade europeia durante um ano no que se refere à sua vida e desenvolvimento cultural.
Esta iniciativa teve início em 1985, por proposta da Grécia, passando a ser nomeada uma cidade em cada ano, por ordem alfabética dos Estados Membros. Na altura a iniciativa foi chamada Cidade Europeia da Cultura.
Em 1996 a iniciativa foi alargada a outros países da Europa não pertencentes à União Europeia desde que respeitassem os princípios da democracia e do pluralismo. Nas novas regras passou a fazer-se a alternância entre países membros e outros países, assim a alternância entre capitais e cidades de província. Em 1999 decide-se mudar o nome da iniciativa de Cidade Europeia da Cultura para Capital Europeia da Cultura.
A primeira cidade que acolheu a iniciativa foi Atenas. Em 1994 foi a vez de Lisboa ser Capital Europeia da Cultura. Em 2001 tal privilegio coube ao Porto.
Este ano cabe a vez a Luxemburgo e Sibiu, na Roménia. Em 2008 serão Liverpool, no Reino Unido, e Stavanger, na Noruega. Em 2009 será então a vez de Linz, na Áustria, e Vilnius, capital da Lituânia.
Guimarães é candidata a Capital Europeia da Cultura em 2012, contando com o apoio do governo português. Resta saber para quando haverá uma vaga para a Covilhã, dada a luta renhida das cidades europeias em conseguirem protagonismo.
plb

Universidade da Covilhã sem dinheiro em 2008

Os custos de funcionamento para 2008 na Universidade da Beira Interior (UBI) são muito superiores à transferência prevista pelo Orçamento de Estado (OE).

Manuel Santos Silva (reitor da Universidade da Beira Interior)O reitor da UBI na Covilhã, Manuel Santos Silva, alertou para a insuficiência das verbas atribuídas pelo OE para 2008 à sua universidade.
«Para o próximo ano as nossas despesas só com pessoal ascendem a 25 milhões de euros e a transferência prevista no Orçamento é de 19,8 milhões. A lei do financiamento do ensino superior para instituições sediadas no Interior deveria ter uma descriminação positiva pois somos um importante apoio à coesão nacional», defendeu Manuel Santos Silva em declarações ao Jornal de Notícias.
«Nós temos custos acrescidos por estarmos longe dos grandes centros urbanos mas cumprimos um papel fundamental fixando as populações jovens. As únicas cidades onde há vitalidade no Interior são as que têm ensino superior», alertou ainda o reitor.
jcl