Tag Archives: Confrarias

Confraria Bucho Raiano - Capeia Arraiana (orelha)

Confraria do Bucho esteve em Tondela

A Confraria do Bucho Raiano, do Sabugal, esteve no passado sábado, 6 de Outubro, no VIII Capítulo da Confraria dos Carolos e Papas de Milho, de Tondela.

Os confrades Francisco e Rosa Santos em Tondela

Confraria Bucho Raiano - Capeia Arraiana (orelha)

Capítulo de 2018 da Confraria do Bucho Raiano

O IX Capítulo da Confraria do Bucho Raiano, ocorrido no dia 10 de Fevereiro, juntou à mesa 210 pessoas, no restaurante Casa da Esquila, no Casteleiro. Antecedendo o almoço, realizou-se a sessão solene no Auditório Municipal, no Sabugal, onde foram entronizados os novos confrades e foi prestada homenagem ao confrade recentemente falecido Manuel Leal Freire. Este ano vieram ao Sabugal 20 confrarias gastronómicas e enófilas.
Veja a galeria de fotos captadas pelo confrade Daniel Salgueira

O bucho veio à mesa em cama de grelos e acompanhado por enchidos

Confraria Bucho Raiano - Capeia Arraiana (orelha)

Confrarias no funeral de Manuel Leal Freire

Realizou-se hoje, dia 25 de Janeiro, no Porto, o funeral do poeta e escritor Manuel Leal Freire, natural da Bismula. Na cerimónia participaram representantes da Confraria do Bucho Raiano, do Sabugal, e de outras confrarias gastronómicas.

Manuel Leal Freire era Grão Mestre da Confraria do Queijo Serra da Estrela

Confraria Bucho Raiano - Capeia Arraiana (orelha)

Confrarias rendidas a Manuel Leal Freire

O Capítulo da Confraria do Queijo Serra da Estrela, realizado no dia 11 de Março em Oliveira do Hospital, ficou marcado pela presença inesperada do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que visitou a maior feira do queijo do país, e pela homenagem ao escritor, poeta e Grão-Mestre da Confraria anfitriã, Manuel Leal Freire. Foram 44 as confrarias presentes, entre elas a Confraria do Bucho Raiano, do Sabugal, cujo Chanceler falou sobre o bismulense Manuel leal Freire enquanto homem do povo.

Manuel Leal Freire homenageado em Oliveira do Hospital

Manuel Leal Freire homenageado em Oliveira do Hospital

Confraria Bucho Raiano - Capeia Arraiana (orelha)

Confrades do Bucho estiveram em Bucelas

A Confraria do Bucho Raiano, do Sabugal, fez-se representar no VIII Capítulo da Confraria do Arinto de Bucelas, onde se realizou a cerimónia de entronização de novos confrades e se divulgou o excelente vinho arinto.

Uma confreira e dois confrades representaram o Bucho Raiano

Uma confreira e dois confrades representaram o Bucho Raiano

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

As Confrarias

Ser confrade é ser membro de uma associação a que vulgarmente se chama confraria. As confrarias, principalmente as gastronómicas, destinam-se a divulgar e defender produtos gastronómicos com características únicas.

As duas confrarias raianas: a do Bucho e a dos Aromas e Sabores

As duas confrarias raianas: a do Bucho e a dos Aromas e Sabores

Confraria Bucho Raiano - Capeia Arraiana (orelha)

Soito acolheu 17 confrarias nacionais

Para além da Confraria anfitriã e da Federação, estiveram no Soito 17 outras Confrarias vindas de todo o país para participaram no VII Capítulo do Bucho Raiano.

Representantes da Confraria Enogastronómica Sabores do Botaréu, de Águeda

Representantes da Confraria Enogastronómica Sabores do Botaréu, de Águeda

Confraria Bucho Raiano - Capeia Arraiana (orelha)

Confraria do Bucho Raiano esteve em Avintes

Quatro confrades do Bucho Raiano estiveram no XIX Capítulo da Confraria da Broa de Avintes, realizado na tarde de 27 de Junho, sábado.

FPCG - Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas - © Capeia Arraiana

Novos órgãos sociais da FPCG tomaram posse

Os novos órgãos sociais da FPCG-Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, que tinham sido eleitos no Congresso de Vila Nova de Poiares, tomaram posse no passado sábado, 5 de Janeiro, em Tentúgal. A Confraria do Bucho Raiano, representada pelo grão-mestre Joaquim Leal, ocupa o lugar de vice-presidente do Conselho Directivo.

FPCG - Confraria Bucho Raiano - Tomada posse em Tentúgal

Confraria Bucho Raiano - Capeia Arraiana (orelha)

Bucho Raiano na Confraria da Marmelada (1)

A Confraria do Bucho Raiano do Sabugal marcou presença no segundo Grande Capítulo da Confraria da Marmelada de Odivelas que se realizou este sábado, 24 de Novembro, no Mosteiro de São Dinis e São Bernardo.

A cerimónia de entronização de novos confrades realizou-se este sábado, dia 24 de Novembro, em Odivelas, com a presença de muitas pessoas ligadas ao poder local e empresarial, bem como diversas confrarias gastronómicas vindas de todo o país, entre as quais ao do Bucho Raiano, que ali esteve representada por seis confrades.

Lição de História de Máxima Vaz da Igreja do ConventoPelas 11 horas, após a concentração dos convidados, iniciou-se uma visita ao Mosteiro de São Dinis e São Bernardo. A cicerone foi a Professora Máxima Vaz, natural da Abitureira, freguesia de Vila do Touro, Sabugal, e residente em Odivelas. Doutorada em História é uma das mais importantes individualidades odivelenses e condecorada por entidades como o Rotary Clube de Odivelas ou a Confraria da Marmelada. A Junta de Freguesia de Odivelas atribuiu-lhe o nome de uma rua e a Câmara Municipal fez o mesmo em relação a uma escola básica do concelho.
A historiadora que conhece como ninguém, ou como muito poucos, a história do Reinado de D. Dinis, cativou a audiência pela forma clarividente com que exibiu o seu extenso saber, sempre doseado com um humor bem oportuno. Começou por mostrar o átrio da Rainha Santa, a cozinha velha do mosteiro, os claustros, a sala do capítulo, tendo a aula de história e a visita acabado na igreja do Mosteiro, junto ao túmulo do Rei Dom Dinis.
Máxima Vaz explicou o papel de D. Dinis em Odivelas, onde mandou erigir o mosteiro alegando fazê-lo em resultado de uma promessa que fizera quando no momento em quue foi atacado por um urso quando andava a caçar. Admiradora da figura histórica do Rei Lavrador, explicou ainda o seu papel relevante na consolidação das fronteiras do país, no desenvolvimento da economia e a sua habilidade na política e diplomacia do reino perante os demais monarcas europeus.
Maria Máxima Vaz concluiu a sua viagem «dinisina» afirmando que «Odivelas deve a sua existência a D. Dinis porque se não tivesse sido este Rei esta Terra não teria passado da vulgaridade, não teria tido história alguma».

Confrades do Bucho Raiano em OdivelasA cerimónia de entronização dos novos confrades aconteceu na sala do capítulo do convento, que estava repleta de pessoas, entre convidados e assistentes.
Na cerimónia foram entronizados 22 novos confrades, que prestaram juramento e receberam as insígnias, entre os quais José Carlos Lages, vice-chanceler da Confraria do Bucho Raiano, que residindo em Odivelas quis pertencer à confraria local.
À cerimónia de entronização seguiu-se o almoço no refeitório do Instituto.
A representar a Confraria do Bucho Raiano estiveram, para além do vice-chanceler, o grão-mestre Joaquim Silva Leal, o chanceler Paulo Leitão Batista, o almoxarife Paulo Terras Saraiva, e ainda as confreiras Delfina Leal e Ana Paula Sousa.
plb

FPCG - Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas - © Capeia Arraiana

O Bucho na Federação das Confrarias

Dando continuidade à candidatura à Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas (FPCG), a lista que integra a Confraria do Bucho Raiano apresentou-se publicamente ontem, dia 26 de Setembro, no Porto, no Solar dos Condes de Resende.

A lista «Ousar Crescer» pretendeu, segundo a candidata à presidência, Olga Cavaleiro, mostrar que quer fazer diferente, apostando na aproximação aos que acreditam nas potencialidades do movimento confraternal gastronómico português.
O orador convidado foi o Dr Domingos Silva, que sugeriu algumas ideias para o futuro da federação e defendeu a «coesão» como princípio estruturante da actividade das confrarias.
A lista candidata à FPCG é assim constituída:
Conselho Directivo
Presidência: Confraria da Doçaria da Doçaria Conventual de Tentúgal
Vice-Presidências: Confraria do Bucho Raiano, Confraria do Queijo Serra da Estrela, Confraria dos Ovos Moles de Aveiro, Confraria Gastronómica da Madeira, Confraria do Bucho de Arganil, Confraria da Maçã Portuguesa.
Suplentes: Confraria As Sainhas e Confraria do Bodo.
Mesa do Congresso e Conselho Geral
Presidência: Confraria das Almas Santas da Areosa e do Leitão
Vice-Presidências: Confraria Gastronómica dos Gastrónomos dos Açores e Confraria do Cabrito e da Serra do Caramulo.
Secretários: Confraria do Moliceiro e Confraria dos Gastrónomos da Região de Lafões
Suplentes: Confraria Gastronómica O Rabelo e Confraria Gastronómica da Carne Barrosã
Conselho Fiscal
Presidência: Real Confraria do Maranho.
Relatores: Confraria Gastronómica do Ribatejo e Confraria do Bolo de Ançã.
Suplentes: Confraria da Broa de avança e Confraria das Papas de São Miguel.
A Confraria do Bucho Raiano esteve representada na cerimónia de apresentação da candidatura pelo Grão-Mestre, Joaquim Leal, e pelos confrades Francisco Santos e Rosa Santos.
plb

Município Trancoso - Capeia Arraiana

Confrarias das Beiras reúnem em Trancoso

A histórica cidade de Trancoso ganhou mais colorido este sábado, 22 de Setembro, com a realização do I Encontro das Confrarias das Beiras, iniciativa da Confraria das Sardinhas Doces de Trancoso com apoio da Câmara Municipal e empresa municipal Trancoso Eventos.

Confraria do Bucho representa o Sabugal no país

Durante o corrente ano de 2011 a Confraria do Bucho Raiano levou o nome do Sabugal e da sua gastronomia de norte a sul do País, garantindo a representação em feiras, encontros e capítulos confrádicos. Inserindo-se nessa dinâmica de afirmação da nossa tradição gastronómica, um novo encontro de confrades e amigos da Raia está marcado para o dia 12 de Novembro, para o almoço de bucho que se realiza em Lisboa, na Churrasqueira do Campo Grande.

A última representação da confraria do Bucho Raiano aconteceu no passado sábado, dia 5 de Novembro, na Covilhã, no primeiro Capítulo da Confraria da Pastinaca e do Pastel de Molho. O confrade Joaquim Reis, garantiu a presença oficial da confraria sabugalense nesse evento, dando continuidade a uma série de deslocações onde o bucho se afirmou como uma iguaria que pretende estar a par com outros sabores de excelência da tradição gastronómica portuguesa.
Do dia 29 de Outubro tínhamos ido até Manteigas, onde se realizou o capítulo anual da Confraria da Feijoca, em cujo acto o Grão-Mestre Joaquim Silva Leal se encarregou de representar o Sabugal e a gastronomia raiana.
No dia 23 de Outubro a Confraria do Bucho foi Madrinha da novel Confraria do Cão da Serra da Estrela, também com sede no concelho do Sabugal, em Sortelha, à sombra de cujas muralhas se realizou o Capítulo de Entronização.
Nos dias 7 e 8 de Outubro a chancelaria da Confraria foi até à Figueira da Foz, em cujo Casino se realizou o IV Congresso Nacional das Confrarias Gastronómicas. No jantar de gala, realizado no dia 8, a Confraria do Bucho esteve entre as nomeadas para o prémio «Confraria do Ano», o mesmo sucedendo com o blogue Capeia Arraiana, igualmente nomeado para o prémio «Comunicação Social», tendo em conta o seu papel na divulgação da gastronomia portuguesa.
A 24 e 25 de Setembro a Confraria esteve na Feira Medieval realizada em Sortelha, com uma banca de exposição de enchidos raianos, no âmbito da iniciativa da Câmara Municipal designada «Muralhas com História». A presença da associação deu um reconhecido contributo para a divulgação do bucho e demais enchidos como produtos gastronómicos de qualidade do concelho do Sabugal.
No dia 12 de Setembro o bucho raiano foi até Vila Nova de Poiares, participando no X Capítulo da Confraria da Chanfana, onde estabeleceu relações muito profícuas com as dezenas de outras confrarias aí presentes (mais de 80) e assinou um protocolo com a confraria local no sentido de dar as mãos na divulgação por todo o país do bucho e da chanfana enquanto pratos representativos da boa gastronomia nacional.
No Sabugal, no dia 12 de Agosto, a Confraria do Bucho esteve presente, por proposta da Câmara Municipal, no programa Verão Total, transmitido em directo pela RTP a partir do Sabugal, por ocasião da realização da etapa Sabugal-Guarda da Volta a Portugal em Bicicleta. Para além das intervenções do Grão-Mestre, do Chanceler e do Almoxarife, a confraria exibiu perante as câmaras de televisão um bucho confeccionado e pronto a servir, assim como um conjunto de outros enchidos produzidos no concelho do Sabugal, nomeadamente na cidade sede de concelho e na Rebolosa, por produtores locais que defendem e respeitam as tradições.
A Mostra de Sabores Tradicionais, realizada em Coimbra, nos dias 2 e 3 de Julho, contou também com a presença da Confraria do Bucho. Pese embora não tenha montando banca para servir petiscos e refeições, dadas algumas dificuldades logísticas inultrapassáveis, a Confraria esteve no evento com as demais 34 confrarias de todo o país que ali se deslocaram a pedido da Federação Nacional que reúne estas agremiações que se esforçam por divulgar os nossos sabores tradicionais.
Na tarde quente do dia 25 de Junho, a Confraria do Bucho foi até Avintes, no norte de Portugal, participando no XV Capítulo da Confraria da Broa de Avintes, uma das mais antigas do movimento confrádico nacional. Proporcionou-se o encontro com o amigo do Sabugal e grande divulgador da gastronomia nacional, Paulo Sá Machado, que para além de grande dinamizador e promotor da broa de Avintes é também confrade da Confraria sabugalense.
Em Maio o confrade Tenreira Martins levou o bucho do Sabugal até Bruxelas, na Bélgica, onde o deu a degustar a dois portugueses ilustres aí temporariamente residentes, o Professor Carvalho Rodrigues e o General Pina Monteiro, que tendo-o apreciado, passarão a ser «embaixadores» do bucho raiano, assim contribuindo para a sua afirmação e divulgação.
No dia 15 de Maio, a Confraria do Bucho Raiano marcou presença no VI Capítulo da prestigiada Confraria Gastronómica de Almeirim, com a qual há muito se estabeleceram laços de amizade e de cooperação. A representação raiana esteve a cargo de quatro confrades, dois pertencentes à Chancelaria (José Marques e Horácio Pereira) e dois que têm colaborado nas diversas iniciativas (José Caçador e Cristiano Martins).
Ainda em Maio, no dia 7, a Confraria do Bucho foi até Trancoso, participar activamente no I Capítulo de Entronização da Confraria das Sardinhas Doces, juntando-se a outras agremiações gastronómicas vindas de vários pontos do país: Confraria da Urtiga (Fornos de Algodres), Confraria da Chanfana (Vila Nova de Poiares), Confraria da Maçã Portuguesa (Moimenta da Beira), Confraria da Panela ao Lume (Guimarães) e Confraria do Queijo Serra da Estrela (Oliveira do Hospital).
A Confraria do Bucho Raiano, participou, no dia 17 de Abril, num encontro de confrarias gastronómicas, promovido pela Confraria da Chanfana, de Vila Nova de Poiares, que é uma das mais dinâmicas do movimento confrádico português e é uma das confrarias madrinhas da Confraria do Bucho. O encontro serviu para analisar as diferentes formas de se garantir uma boa cooperação entre as associações confrádicas e como divulgar os produtos gastronómicos que cada uma representa.
No dia 16 de Abril, a Confraria do Bucho Raiano esteve representada no VIII Grande Capítulo Gastronómico da Real Confraria da Cabra Velha, em Miranda do Corvo, local onde igualmente se juntaram várias dezenas de confrarias representativas dos nossos sabores tradicionais.
Em Março a Confraria, em conjunto com a Câmara Municipal do Sabugal, apresentou a candidatura do bucho às Sete Maravilhas da Gastronomia Portuguesa, concorrendo com várias dezenas de pratos típicos na categoria prato de carne.
O II Capítulo da Confraria do Bucho Raiano decorreu no dia 5 de Março, sábado de Carnaval. A primeira parte teve lugar no Auditório Municipal do Sabugal com a cerimónia de entronização e a segunda parte no Soito com recepção na Junta de Freguesia e almoço no Restaurante «O Martins». Confrarias de todo o país vieram até ao Sabugal participar no evento, onde o confrade João Inês Vaz proferiu a oração de sapiência e onde foram entronizados 21 novos confrades e condecorados com a Ordem de Cavaleiro o Governador Civil da Guarda, Santinho Pacheco, o escritor Manuel Leal Freire e o empresário Manuel Joaquim Rito, sendo ainda distinguidos com Diplomas de Honra a Casa do Concelho do Sabugal e a redacção da Guarda da LocalVisãoTv.
Nos dias 23 e 27 de Fevereiro o concelho do Sabugal promoveu-se como destino turístico na Bolsa de Turismo de Lisboa 2011, integrado no espaço da «Turismo Serra da Estrela», com a participação da Confraria do Bucho, que para além de marcar presença possibilitou uma prova de bucho raiano.
No dia 12 de Fevereiro os confrades rumaram a Sul, à cidade de Évora, para o segundo almoço da Confraria do Bucho Raiano na Taberna Típica Quarta-Feira, propriedade do sabugalense José Dias, que nos recebeu de braços abertos e com mesa farta como é seu apanágio.
No começo do ano 2011, a 15 de Janeiro, uma vintena de confrades foram a Elvas, ao Restaurante Brasa, propriedade do confrade Daniel Salgueira, de Alfaiates, juntando-se a gente do Alentejo que degustou e apreciou a nossa iguaria gastronómica. O encontro incluiu uma visita à Adega Mayor, propriedade do comendador Rui Nabeiro.
Podemos concluir que no que já decorreu do ano de 2011, a Confraria do Bucho desenvolveu uma actividade intensíssima de divulgação do bucho e do concelho do Sabugal, cujo frenesim apenas foi possível dado o altruísmo e o interesse de alguns dos confrades que compõem a instituição sabugalense que actualmente é, sem margens para dúvidas, a grande embaixadora do concelho.
Paulo Leitão Batista (Chanceler da Confraria do Bucho Raiano)

A importância das confrarias gastronómicas

A redução do Orbe Terráqueo à estrutura da chamada aldeia global colocou no vértice da visibilidade, conferindo-lhe novos e insuspeitados horizontes, as pequenas comunidades.

Manuel Leal Freire - Capeia ArraianaNo trinómio – Patria, Matria, Terra Patrum – esvaicidos os dois primeiros conceitos, um pela abolição de fronteiras, outro pela mescla de culturas, é o tempo de afirmação do terceiro.
Terra dos avoengos, porque guarda as cinzas dos nossos maiores, forneceu a madeira para o nosso berço e para o tálamo daqueles de quem directamente provimos, é carinhosamente batizada, chamando-lhe os nossos vizinhos castelhanos patria chica e nós, os de origem lusa, santa terrinha.
E Deus – que tudo faz bem feito – deu a cada um destes pequenos núcleos a área e a coesão de gostos e sentimentos que são essenciais para a implantação duma confraria gastronómica
Nenhum de nós, por mais autónomo que se julgue, pensa, e age desgarradamente. A menos que intervenha um terramoto – natural ou de retroescavadoras – só podemos caminhar por onde os nossos maiores traçaram as ruas.
A pituitária e as papilas gustativas repercutem experiências multisseculares, dificilmente adulteráveis.
As nossas mãos trazem ritos tão simples como abotoar a camisa ou empunhar o talher e os pés o de caminhar até aos lugares sacros do burgo, anunciando genuflexões
Unidade hipotalássica onde o corpo é suporte da alma e esta se move pelas linhas dos sentidos – é a pequena pátria que nos dá a dimensão exacta para todas as coisas e nos fornece aquele saber de experiências feito que caracteriza o milenar percurso da espécie.
As confrarias gastronómicas cadinham a vivência e cristalizam-na.
E à estrutura supranacional que lhes conferiu o seu grande impulsionador da Baixa Idade Media – Joao Sem Terra que era simultaneamente rei da Inglaterra, ao tempo pátria dos grandes rebanhos, e duque da gaulesa Ocitânia, então, como ainda hoje, senhora dos mais formosos vinhedos, contrapõe-se agora a dimensão da santa terrinha, limite natural das actuais confrarias. Assim o vêm entendendo os movimentos confrádicos que, louvado Deus, já cobrem a quase totalidade da Terra Portuguesa, tarefa que aliás temos de completar.
A prevenção vem do poeta
Mas, ai confrades cuidado
Ai do chão abandonado
Pois, à falta de jardineiro
Virão os outros, por fim,
Feirar no nosso jardim
Como em baldio terreiro

Todavia e bem que a muitos se afigure ser este nosso tempo o dies irae de que se queixava Torga
Apetece Cantar,
Mas Ninguém Canta
Apetece Chorar,
Mas Ninguem Chora,

Nós, confrades podemos serena mas ufanamente proclamar que as confrarias gastronómicas são um valor em alta – económica, social e moralmente…
Manuel Leal FreireEditorial da revista «Gastronomias» (nº.19/Junho/2011) da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas

Gastronomia é Património Cultural Imaterial

O propósito que estabelecemos para o ano de 2010 de evidenciar e exaltar o Património Cultural Imaterial que em boa hora foi atribuído à Gastronomia Portuguesa foi cumprido e a FPCG levou por diante um conjunto de iniciativas com o apoio de muitas confrarias.

Madalena Carrito - Presidente FPCGQuando estamos a viver com alguma ansiedade aquilo que o futuro nos reserva é também o momento de fazer uma introspecção e uma análise sobre muitos dos desafios que temos pela frente. Ao longo de todos estes anos em que dirigimos os destinos da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas (FPCG) têm sido colocadas na ordem do dia algumas questões relevantes para a defesa e para a valorização dos nossos produtos e da Gastronomia Portuguesa em geral.
Alertámos para a necessidade de estabelecer regimes de excepção para as especificidades que nos singularizam, apelámos ao consumo dos produtos endógenos criando riqueza en termos locais e regionais, realizámos um congresso onde debatemos os estrangulamentos e se apontaram estratégias, procurámos sensibilizar entidades públicas e privadas. Tinhamos razão!
A sustentabilidade do nosso país passa por um esforço e uma viragem nas práticas de todos nós, de forma a potenciar a nossa riqueza e a promover a qualidade do que se serve à mesa.
O empenho que as confrarias gastronómicas portuguesas têm demonstrado na defesa e promoção das suas especificidades próprias, são o garante de um futuro diferente e mais concertado. Estamos a viver uma época em que decididamente o trabalho das confrarias é valorizado e reconhecido. Já não se identificam estes movimentos apenas pelas refeições e desfiles, mas sim, pelo seu envolvimento em termos culturais, turísticos e sociais. E as confrarias já perceberam qual a sua função e qual o caminho que devem trilhar.
Todos os dias temos notícias de cidadãos que individualmente se destacam pelas suas posições, pelo estudo, investigação e escrita em torno da cozinha portuguesa, valorizando o potencial que esta representa e contribuindo por isso para a sua divulgação e conhecimento.
Cada vez mais os turistas que nos procuram – Portugal ocupa os primeiros lugares quando se trata de Gastronomia – são atraídos por novas experiências que conjugam um conjunto de oportunidades, nomeadamente no que se refere à identidade e ao saber fazer tradicional.
Por isso mesmo acreditamos que as propostas e as candidaturas para atribuição dos prémios que a Federação instituiu irão surgir em elevado número tornando difícil o parecer e a selecção do júri.
Queremos dar visibilidade e reconhecer o que de tão extraordinário se faz no nosso país e esperamos que as confrarias, as instituições e os cidadãos em geral se envolvam, propondo os melhores, para cada uma das áreas a distinguir.
Defender o nosso processo produtivo, valorizar a essência e as origens do nosso receituário, promover os territórios e as suas especificidades, reflectir e investigar apontando caminhos, são apenas alguns princípios do muito que temos para realizar.
Que o ano de 2011 possa ser vivido num espírito de salutar e verdadeiro humanismo.
Madalena Carrito
Presidente da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas

O bucho raiano foi rei em Lisboa (3)

O Festival das Confrarias Gastronómicas, realizado em Lisboa no fim-de-semana de 4 e 5 de Setembro, contou com a presença de inúmeras confrarias, dentre as quais a do Bucho Raiano, do Sabugal, que esteve nos três espaços disponíveis: restaurante, degustação de tapas e artesanato.

GALERIA DE IMAGENS –  4-8-2010
Fotos Capeia Arraiana –  Clique nas imagens para ampliar

jcl

VI Almoço da Confraria do Bucho Raiano (1)

GALERIA DE IMAGENS  –  13-2-2010
Fotos Capeia Arraiana  –  Direitos Reservados  –  Clique nas imagens para ampliar

VI Almoço da Confraria do Bucho Raiano (3)

GALERIA DE IMAGENS  –  13-2-2010
Fotos Capeia Arraiana  –  Direitos Reservados  –  Clique nas imagens para ampliar

Confraria Bucho Raiano - Capeia Arraiana (orelha)

Confraria do Bucho Raiano aderiu à Federação

A Confraria do Bucho Raiano do Sabugal formalizou o pedido de adesão à FPCG-Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas. Durante um ano vai o processo vai ser analisado em período probatório.

FPCG-Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas«Caros Confrades.
O Conselho Directivo da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas reunido no dia 1 de Fevereiro, em Santarém, deliberou por unanimidade a admissão provisória da Confraria do Bucho Raiano do Sabugal, pelo período de um ano, verificada a conformidade dos requisitos legais.»

Assim começa a carta assinada por Madalena Carrito, Presidente da FPCG-Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas dando conhecimento do resultado do pedido de adesão formulado pela Confraria do Bucho Raiano.
A FPCG é o órgão máximo das Confrarias Gastronómicas portuguesas e tem como filiadas 56 confrarias efectivas e oito em período probatório.
A Federação está dotada de estatutos, simbologias, regulamentos interno e de adesão, código de ética, sugestões de boas práticas e cartas gastronómicas.
Para Madalena Carrito as «cartas gastronómicas em defesa da história da nossa alimentação e na recuperação do saber fazer dos nossos antepassados são fundamentais para identificar quais os produtos, os ingredientes e as formas de confecção que ainda é possível defender e promover» apoiadas num «receituário tradicional seleccionado para vender, internacionalizar e valorizar a nossa gastronomia».
A admissão da Confraria do Bucho Raiano do Sabugal foi feita, por meio de proposta, apresentada por dois membros efectivos – Confraria da Chanfana de Vila Nova de Poiares e pela Confraria do Queijo da Serra da Estrela – no pleno gozo dos seus direitos e submetida e aprovada pelo Conselho Directivo da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas na reunião ordinária de 1 de Fevereiro de 2010.
Na cerimónia do I Capítulo de Entronização da Confraria do Bucho Raiano do Sabugal marcado para 17 de Abril a associação raiana vai ter como confrarias madrinhas a Confraria da Chanfana e a Confraria do Queijo da Serra da Estrela de que faz parte o ilustre escritor raiano Manuel Leal Freire.
Na sequência da adaptação da regulamentação da Federação e da revisão do Livro de Usanças da Confraria foram aprovados mais dois cargos na Chancelaria. Os órgãos sociais da Confraria ficam assim constituídos:

CAPÍTULO
Grão-Mestre Capitular: Joaquim Leal (Sortelha)
Capitular-Ajudante: António Manuel Bogas (Sabugal)
Capitular-Relator: António Vinhas Ricardo (Aldeia de Santo António)

MESA DE VEDORES
Vedor-Mor: José Morgado Carvalho (Soito)
Vedor-Ajudante: Paulo Cruz (Aldeia Velha)
Vedor-Relator: António Manuel Ferreira (Sabugal)

CHANCELARIA
Chanceler: Paulo Leitão Batista (Sabugal)
Vice-Chanceler: José Carlos Lages (Ruivós)
Almoxarife: Paulo Terras Saraiva (Castanheira)
Escrivão das Leis: Horácio Pereira (Sabugal)
Fiel de Usanças: José Marques (Sabugal)
Mestre de Cerimónias: Natália Bispo (Sabugal)
Porta-Estandarte: João Valente (Vilar Maior)

Para o próximo sábado, 13 de Fevereiro, está marcado o VI Almoço da Confraria do Bucho Raiano no Restaurante Robalo do Sabugal.
jcl

Confraria do Bucho Raiano elegeu corpos sociais

Reuniu no dia 27 de Janeiro a primeira Assembleia Geral da Confraria do Bucho Raiano, a qual elegeu os corpos sociais para o próximo biénio, que substituirão a Comissão Instaladora, que vem administrando a agremiação desde que a mesma foi formalmente constituída, em 6 de Maio de 2009.

Brasão da Confraria do Bucho Raiano do SabugalA Assembleia Geral, ou Capítulo, que se realizou em Lisboa, decidiu ainda mudar a sede da Confraria para o Sabugal, em local a definir, o que obrigará a uma alteração aos Estatutos, onde consta a Casa do Concelho do Sabugal em Lisboa como sede da associação.
Outro dos pontos tratados foi a apresentação de contas relativamente ao ano de 2009, que foram aprovadas pelos confrades presentes. Segundo o quadro apresentado pela Comissão Instaladora, a Confraria gastou no último ano 1.145 euros, quase na sua totalidade para pagamento dos actos notariais e demais registos ligados à constituição formal da associação.
Os corpos sociais da Confraria do Bucho Raiano do Sabugal ficaram assim constituídos:

CAPÍTULO
Grão-Mestre Capitular: Joaquim Leal (Sortelha)
Capitular-Ajudante: António Manuel Bogas (Sabugal)
Capitular-Relator: António Vinhas Ricardo (Aldeia de Santo António)

MESA DE VEDORES
Vedor: José Morgado Carvalho (Soito)
Vedor-Ajudante: Paulo Cruz (Aldeia Velha)
Vedor-Relator: António Manuel Ferreira (Sabugal)

CHANCELARIA
Chanceler: Paulo Leitão Batista (Sabugal)
Vice-Chanceler: José Carlos Lages (Ruivós)
Almoxarife: Paulo Terras Saraiva (Castanheira)
Escrivão das Leis: Horácio Pereira (Sabugal)
Fiel de Usanças: José Marques (Sabugal)
Mestre de Cerimónias: Natália Bispo (Sabugal)
Porta-Estandarte: João Valente (Vilar Maior)

Os elementos eleitos para os vários órgãos sociais tomarão posse no final do almoço anual do bucho, previsto para o Sabugal, no dia 13 de Fevereiro.
O I Capítulo de Entronização da Confraria do Bucho Raiano está marcado para o dia 17 de Abril de 2010 com a presença de representantes da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, das duas Confrarias Madrinhas (Confraria da Chanfana de Vila Nova de Poiares e Confraria do Queijo da Serra da Estrela) e de confrarias convidadas de todo o país. A cerimónia incluirá a entronização de Confrades de Honra e um grande almoço onde o bucho raiano será rei.
plb