Tag Archives: bispo

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

D. Manuel Moiteiro é o novo bispo de Aveiro

O Papa Francisco nomeou D. António Manuel Moiteiro Ramos para Bispo de Aveiro, sucedendo a D. António Francisco, que havia sido designado bispo do Porto no início do ano. D. Manuel Moiteiro é natural da Aldeia de João Pires, concelho de Penamacor e distrito de Castelo Branco, na diocese da Guarda e exercia desde há dois anos as funções de Bispo Auxiliar da arquidiocese de Braga.

D. António Moiteiro com o papa Francisco

D. António Moiteiro com o Papa Francisco

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Jornada arciprestal no Sabugal

A Diocese da Guarda começou no passado domingo, dia 27 de Janeiro, uma nova fase na vivência do Ano da Fé. Convocados por D. Manuel Felício, Bispo da Guarda, os quinze arciprestados começaram a organizar as Jornadas Arciprestais para a profissão solene da fé. Coube ao arciprestado do Sabugal inaugurar esta vivência comunitária com uma concentração que decorreu no Pavilhão Municipal e que reuniu centenas de sabugalenses.

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Bispo da Guarda faz balanço de oito anos na Diocese

O bispo D. Manuel Felício assinalou os oito anos à frente da Diocese da Guarda com balanço pastoral do trabalho realizado. No documento o prelado pede mais atenção para os doentes e idosos sugerindo a criação de grupos de «visitadores».

Padre de Penamacor nomeado Bispo Auxiliar

O Padre António Manuel Moiteiro Ramos, natural da freguesia de Aldeia de João Pires, no concelho de Penamacor, e actual pároco da Sé e de São Vicente, na cidade da Guarda, foi nomeado Bispo Auxiliar de Braga pelo Papa Bento XVI nomeou como bispo auxiliar da Arquidiocese de Braga o padre António Manuel Moiteiro Ramos, pároco da Sé e de São Vicente, na cidade da Guarda.

Bispo António Manuel Moiteiro Ramos - Aldeia João Pires - Penamacor - Bispo Auxiliar BragaEstá marcada para o dia 12 de Agosto, na Sé da Guarda, a ordenação Episcopal de D. António Manuel Moiteiro Ramos, com o título de Cabarsussi. Será ordenado pelo Cardeal D. José Saraiva Martins, sendo consagrantes o Bispo da Guarda, D. Manuel da Rocha Felício e o Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga.
O Padre António Manuel Moiteiro Ramos nasceu a 17 de Maio de 1956, na freguesia de Aldeia de João Pires, concelho de Penamacor e distrito de Castelo Branco, na diocese da Guarda.
Frequentou os Seminários Diocesanos do Fundão e da Guarda, sendo ordenado sacerdote a 8 de Abril de 1982 e nomeado Vigário Paroquial das paróquias de São Vicente e de São Miguel da Guarda. Em 1987 foi nomeado pároco, como membro de uma equipa sacerdotal, das paróquias de São Miguel da Guarda, Alvendre, Avelãs de Ambom, Rocamondo e Vila Franca do Deão e, em 1996, assume o cargo de Director Espiritual do Seminário Maior da Guarda, acumulando, ao mesmo tempo, com a assistência pastoral às paróquias de João Antão, Santa Ana d’Azinha e Panoias. Em 2006, e também como membro de uma equipa sacerdotal, foi nomeado pároco da Sé e de São Vicente, na cidade da Guarda.
Para além da paroquialidade exerceu, ao longo destes 30 anos de sacerdote, outros serviços na diocese da Guarda, tais como o de Responsável pelos Departamentos de Catequese da Infância e Adolescência e do Ensino da Igreja nas Escolas e, actualmente, o de Director do Secretariado Diocesano da Educação Cristã, Coordenador da Pastoral, Assistente Diocesano das Conferências Vicentinas, Membro do Conselho Presbiteral, do Conselho Episcopal e do de Pastoral.
Em 3 de Setembro de 2005 foi nomeado Assistente Geral da Liga dos Servos de Jesus, uma Associação Pública de Fiéis, fundada, em 1924, pelo bispo auxiliar da diocese da Guarda, o Servo de Deus D. João de Oliveira Matos, tendo, no momento actual, 23 comunidades em Portugal e uma em Angola e, em 2006, Vice-Postulador do Processo de Beatificação e Canonização do Servo de Deus.
Entre 1984-1986 fez a licenciatura em Teologia, com especialidade em catequética, no Instituto Superior de Teologia San Dâmaso, em Madrid, filiado na Universidade Pontifícia de Salamanca e, nos anos 1994-1996, frequentou as aulas no Instituto Superior de Pastoral, em Madrid, concluindo o doutoramento em Teologia Pastoral, em 1997, com a tese «Os catecismos portugueses da infância e adolescência de 1953-1993». Desde 1987 foi professor de catequética no Seminário Maior da Guarda e, actualmente, é professor de teologia pastoral no Instituto Superior de Teologia Beiras e Douro, com sede em Viseu.
De entre as várias publicações do autor destacamos as que se dedicam à catequese e à formação de catequistas:
1991 – Membro da equipa que elaborou os catecismos do Programa Nacional de Catequese Jesus gosta de Mim (1º ano) e Estou com Jesus (2º ano).
1998 – Guia de leitura do Directório Geral de Catequese.
1998 – Os catecismos portugueses da infância e adolescência de 1953-1993.
2003 – A catequese na diocese da Guarda.
2006 – Procuramos o rosto de Deus e Celebramos o encontro com Cristo.
Pe. Hélder Lopes

Mensagem de Quaresma do Bispo da Guarda

Mensagem para a Quaresma de D. Manuel Felício, bispo da Guarda. Reportagem da redacção da LocalVisãoTv da Guarda.

Local Visão Tv - Guarda
[vodpod id=Video.5690492&w=425&h=350&fv=]

jcl

Paço episcopal da Guarda pronto em Janeiro

D. Manuel Felício, bispo da Guarda, anunciou em carta enviada aos padres da diocese que a entrega definitiva da obra do paço episcopal, após ano e meio de trabalhos, está marcada para o próximo dia 21 de Janeiro.

D. Manuel Felício - Guarda«Dentro das limitações que naturalmente a crise impõe, estamos contentes com a colaboração que nos tem vindo em donativos», adiantou D. Manuel Felício.
O paço episcopal, designação frequentemente dada à residência do bispo diocesano, ocupa uma casa solarenga do século XVIII, construída nos limites da cidade de então, doada pelos condes de S. João de Areias à diocese da Guarda.
Depois de um século de uso sem grandes transformações, está agora numa intervenção de fundo para cúria diocesana (zona de atendimento, gabinetes, salão e salas de reuniões, arquivo vivo, casa de máquinas, garagens e arrumos).
As novas obras abrangeram ainda uma capela, salas de recepção e audiências, a secretaria episcopal, área de habitação e casa da comunidade religiosa de apoio ao bispo diocesano, biblioteca e arquivos.
Devido à realização das obras, a residência do bispo e a cúria, conjunto de pessoas e instituições ao serviço do governo da diocese, têm funcionado, provisoriamente, no antigo colégio de S. José.
jcl (com agência Ecclesia)

Mensagem de Natal do Bispo da Guarda

Mensagem de Natal de D. Manuel Felício, bispo da diocese da Guarda. Edição da Redacção da LocalVisãoTv (Guarda).

Local Visão Tv - Guarda
[vodpod id=Video.5170631&w=425&h=350&fv=]

jcl

Comemorações da República no Sabugal

A Implantação da República foi comemorada com pompa e circunstância no concelho do Sabugal. A organização dos eventos esteve a cargo da Comissão presidida pelo professor Adérito Tavares. Reportagem da jornalista Sara Castro com imagem de Sérgio Caetano da redacção da LocalVisãoTv (Guarda).

Local Visão Tv - Guarda
[vodpod id=Video.4816502&w=425&h=350&fv=]

jcl

Entronização do Bucho Raiano

Teresa Duarte ReisA Entronização do Bucho Raiano foi um Acto Solene digno de registo e que não se apaga facilmente da memória dos assistentes, especialmente daqueles que nunca tinham assistido a uma sessão semelhante. Aproveito para recordar as palavras do Sr. Bispo da Guarda. Sempre a seu jeito e a sorrir lembrou que a raiz da palavra (confraria, confrade…) nos indica que somos irmãos e como tal nos devemos comportar. Apelou à boa relação, em que a fraternidade é um valor fundamental na vida das pessoas. Está de parabéns a organização, pela maneira como tudo correu e faço de bom grado o meu registo, que prometo, terá mais do que o Primeiro Capítulo.

O 1.º Capítulo de Sua Excelência o Bucho Raiano

A música surpreende
O auditório vai-se enchendo
Confrades tomam lugar
Para o momento solene
Fotos e flashes crescendo.

O Zé Lages não pára
Pois há muito que fazer
Uns que requerem o traje
Outros não têm boina
Tudo se vai resolver!

Conhecem bem a Talinha
A «guardiã» do Castelo?!
Sempre de flash em punho
Muito airosa no seu traje
E sorriso muito belo.

E a Banda da Bendada
Tantos anos comemora!
Continua seu ritmar
A cerimónia começa
Abrem o pano – é agora.

O Presidente Robalo
Elogia parcerias
Felicita a ocorrência
E acolhe de bom agrado
As outras Confrarias.

Grão-mestre, Chanceler e Mesa
Cada um em seu momento
Usa de oportunas palavras
Mantém um digno porte
Tal como exigia o evento.

A Lição de Sapiência
De tão douto escritor
Faz-nos «peregrinar pela infância
De meninos que também fomos»
E o diz com tal calor!

Sentimos com ele o perigo
Da desertificação
Mas também das linguagens
Que nada têm a ver
Com a nossa ambição.

Ambição de sermos povo
E terra de gente sã
Preservarmos o que vale
E também os bons registos
Desta região beirã.

No almoço do D. Dinis
As luzes vão-se apagando
Entra Sua Excelência
O Bucho Raiano, em pose,
Pela sala desfilando.

Desta festa de sabores
O que deixo para final?
Que o desfile de Confrarias
Conferiu um ar solene
Às ruas do Sabugal.

«O Cheiro das Palavras», opinião de Teresa Duarte Reis
netitas19@gmail.com

Jovens da Diocese da Guarda no Sabugal

O Dia Diocesano da Juventude vai decorrer este ano no dia 17 de Abril na cidade do Sabugal.

DPJGTerá início pelas 9 horas e 30 minutos em quatro pontos da cidade. Os jovens provenientes das quatro zonas pastorais da Diocese, acolhidos nos quatro locais de acolhimento, caminharão depois para o centro desta localidade, concentrando-se no «Largo da Fonte». Aí decorrerá a «Apresentação de Grupos». Os diferentes grupos de jovens são convidados a apresentar-se aos outros jovens presentes. Em palco e com a duração máxima de 10 minutos, cada grupo inscrito pode dar-se a conhecer através de uma canção, encenação, teatro, poesia, ou projecção multimédia, tendo presente o tema da proposta pastoral do DPJG deste ano: «Segue-me.»
Na ocasião, os jovens poderão também deixar a sua marca nesta cidade raiana através da pintura de um mural.
A Eucaristia, ponto alto desta celebração diocesana e juvenil, será presidida pelo Senhor Bispo, D. Manuel Felício, no anfiteatro do Castelo das «cinco quinas», pelas 12 horas. Se o tempo não o permitir, será celebrada na Igreja Paroquial.
A tarde será preenchida com o Festival Diocesano da Canção Juvenil de Mensagem 2010 que decorrerá no salão da Junta de Freguesia com início às 15 horas. Este Festival apurará o representante da Diocese da Guarda ao Festival Nacional com o mesmo nome. As canções, a enviar até dia 27 de Março, devem estar enquadradas no tema proposto pelo papa Bento XVI para as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ) de 2011, a realizar em Madrid: «Enraizados e fundados em Cristo, firmes na fé» (Col 2,7). A segunda parte do Festival Diocesano contará com a presença do grupo de música de inspiração católica, a banda «JM»(Jovens em Movimento), naturais de Avanca (Aveiro), banda revelação da terceira edição do Festival JOTA, que venceu também o Festival Nacional da Canção de Mensagem, em 2006.

Mais informações sobre a Jornada Diocesana da Juventude. Aqui.
jcl (com Pe. Jorge Castela)

D. Manuel Clemente recebe Prémio Pessoa

Um Bispo do Futuro. Um rosto da Igreja em Portugal. É motivo de júbilo para o autor desta carta, a notícia de que o Prémio Pessoa, fora este ano atribuído pelo júri do semanário «Expresso» ao bom amigo e antigo Bispo titular de Pinhel, D. Manuel José Macário do Nascimento Clemente, que tive a honra de conhecer há bem uns trinta anos, e com quem mantive, por sua abertura de espírito, frequentes contactos.

Pinharanda Gomes - Carta DominicalAinda não há muito que tivera a gentileza de prefaciar a nossa Antologia Documental sobre a extinta Diocese de Pinhel, a par de outras gentilezas.
Um tanto alheado do mundo dos prémios, dizem-me que este Prémio Pessoa é de alto significado e que se destina a distinguir personalidades / obras de mérito humanístico e universal, sendo esta a primeira vez que cabe a um bispo e notável pensador.
Nascido em Torres Vedras (1948), ordenado prebístero (1979), nomeado bispo titular de Pinhel (1999) e bispo auxiliar de Lisboa (Janeiro 2000), é, desde 25 de Março de 2007, bispo do Porto, sucedendo a D. Armindo Lopes Coelho.
Muitos sentimos vê-lo colocado fora de Lisboa, onde sempre vivera e trabalhara, mas a missão obriga. Doutorado em teologia histórica (1992), tem desempenhado diversas funções no âmbito da Conferência Episcopal Portuguesa, sobretudo como promotor da Comissão de Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais do Episcopado Português.
Foi vice-reitor dos Seminários dos Olivais e professor na Universidade Católica. Para além de tudo – e muito teve de trabalhar como bispo responsável pelo Oeste do Patriarcado, com todas as freguesias, desde Mafra a Alcobaça – ainda dispôs de ânimo para investigar e publicar, quer em publicações científicas (Boletim de Trabalhos Históricos, Laikos e Lusitânia Sacra, etc.) quer em livros.
Desde logo na sua tese intitulada «Nas Origens do Apostulado Contemporâneo em Portugal. A Sociedade Católica» (1843-1853), e, mais recentemente, dois voluminhos de ensaios e reflexões de história sagrada portuguesa (melhor: da religiosidade portuguesa) e do diálogo Igreja / Mundo: «Portugal e os Portugueses» (2008) e «1810-1910-2010» (2009).
Simplicidade peculiar aos sábios, o Prémio Pessoa honra-o e reflecte a luz na Igreja de que é pastor.
Parabéns, e votos de à maior glória de Deus.
«Carta Dominical», opinião de Pinharanda Gomes

pinharandagomes@gmail.com

Bispo da Guarda pede medidas para a Delphi

O bispo da Diocese da Guarda, D. Manuel da Rocha Felício, considera que o Governo tarda a anunciar «medidas concretas» para apoiar os futuros desempregados da Delphi na criação do próprio emprego.

D. Manuel Felício, Bispo da GuardaA crescente preocupação do prelado foi dada a conhecer pela Lusa e surgiu em resultado no anúncio desta semana da Delphi, que anunciou que irá despedir 300 trabalhadores até 31 de Dezembro e mais 200 até ao final do primeiro trimestre de 2010.
Segundo o prelado, alguns dos 500 desempregados «não vão ser opção de outras empresas porque têm uma idade avançada», daí que seja necessário ajudá-los, «porventura a fabricarem emprego para si próprios e para mais alguém».
«Há instrumentos em que temos ouvido falar, nomeadamente dizendo que todos os cidadãos têm direito ao crédito. Isto é bom dizê-lo, mas é preciso pô-lo em prática», disse ainda D. Manuel da Rocha Felício.
«Há também instrumentos legais que regulamentam o microcrédito, mas nós não vemos isso aplicado. Precisamos de gente no terreno que nos ensine», acrescentou.
O bispo afirmou ainda que o Governo já devia, pelo menos, ter dado indicação de um conjunto de medidas que permitisse superar esta crise, que não pára nos 500 que vão ficar sem emprego. «Ela [a crise] vai continuar, porque, se não pomos cobro à situação, as empresas vão desactivando uma a uma e não vem nenhuma ocupar o lugar delas», alertou.
Entretanto, a Associação Comercial da Guarda (ACG), também se manifestou, considerando que os despedimentos na fábrica Delphi irão afectar o comércio da Guarda e da região. Paulo Manuel, presidente da ACG, preocupa-se particularmente com a zona da Guarda-Gare, onde a empresa se localiza, tendo em conta que o comércio ali existente é sobretudo de proximidade e a quebra na circulação de pessoas no dia-a-dia, irá afectar toda a oferta comercial instalada.
plb

Assaltada a igreja de Vale das Éguas

A igreja matriz de Vale das Éguas, no concelho do Sabugal, foi assaltada na passada quinta-feira, 18 de Setembro. Os larápios roubaram as imagens em madeira de São José e de Nossa Senhora do Rosário e uma gargantilha de ouro da imagem da padroeira, Santa Luzia.

Igreja de Vale das ÉguasO roubo ocorreu durante a madrugada e foi detectado pelas 8 horas da manhã de quinta-feira, 18 de Setembro, quando a mordoma, Deolinda Vaz, chegou à igreja e deparou-se com «a porta um pouco aberta». Quando entrou apercebeu-se que «Santa Luzia estava fora do seu altar e da falta das imagens de São José e de Nossa Senhora do Rosário».
Domingos Laiginha, responsável pela Comissão da Igreja e Fernando Proença, presidente da Junta de Freguesia de Vale das Éguas, alertaram as autoridades tendo comparecido a GNR de Vilar Formoso e da Miuzela e cinco elementos da Polícia Judiciária da Guarda que recolheram impressões digitais.
O Capeia Arraiana esteve em contacto com o presidente da Associação dos Amigos de Vale das Éguas, Quim Laiginha, que nos confirmou a ocorrência acrescentando que os habitantes da aldeia, maioritariamente idosos, ficaram «muito perturbados e preocupados com este acto de vandalismo ocorrido dentro de um espaço religioso».
«A população está atenta a indivíduos estranhos à freguesia mas Santa Luzia tem muitos devotos e agora com a praia fluvial temos visitantes mesmo de fora do concelho o que dificulta um pouco a vigilância», disse-nos ainda o presidente da Associação terminando com a convicção de que «eles sabiam ao que vinham».

A Diocese da Guarda, por iniciativa de D. Manuel Felício, iniciou há algum tempo um inventário sobre o património religioso existente nas paróquias. Importa acelerá-lo e concluí-lo antes que os ladrões de arte sacra se antecipem e poupem esse trabalho aos técnicos.
jcl

Lar de Aldeia do Bispo comemora 25 anos (2)

GALERIA DE IMAGENS – 14-8-2008
Fotos Capeia Arraiana – Clique nas imagens para ampliar

Lar de Aldeia do Bispo comemora 25 anos (1)

O Lar de Santo Antão, em Aldeia do Bispo, concelho do Sabugal, comemorou 25 anos ao serviço da população no dia 14 de Agosto. As comemorações das bodas de prata contaram com a presença de individualidades religiosas, políticas e cerca de três centenas de pessoas que se quiseram associar à data festiva.

25 Anos do Lar de Aldeia do BispoOs 25 anos do Lar de Santo Antão do Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora dos Milagres foram comemorados com pompa e circunstância no pavilhão de festas da instituição.
As cerimónias iniciaram-se com uma missa solene presidida por D. Manuel Felício, Bispo da Diocese da Guarda, acompanhado por D. José Alves, Arcebispo de Évora, o Padre Américo Barroca, o padre Carlos Manso Fernandes, o padre João Manso Martins e mais sete sacerdotes.
Após a celebração eucarística o padre Américo Barroca iniciou a cerimónia de homenagem a diversos colaboradores do Lar dando as boas-vindas a todos e saudando especialmente os prelados da Guarda e de Évora, a Governadora Civil da Guarda, Maria do Carmo Borges, o vice-presidente da Câmara Municipal da Guarda, Manuel Corte e o provedor da Santa Casa da Misericórdia do Sabugal, José Diamantino dos Santos.
«A vivência dos grandes que fundamentam a nossa sociedade estão visíveis na palavra de Deus na Terra. Neste ano dedicado a São Paulo o Lar de Santo Antão uma instituição que apareceu para cumprir a caridade cristã comemora 25 anos de existência. Estamos aqui para nos congratularmos e, em especial, para homenagear o seu fundador, o doutor João Nabais. Muito cedo partiu para o Seminário de Évora onde se formou. Como pedagogo influenciou a renovação do ensino em Portugal mas, acima de tudo, contribuiu para a criação do Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora dos Milagres e para esta maravilhosa obra: o Lar de Santo Antão. Agora a obra cresceu, atingiu a maioridade e vive da generosidade e apoio das gentes da nossa terra. Em primeiro lugar o povo de Aldeia do Bispo, em segundo, os nossos idosos, e por último os vários organismos que apoiam o Lar», começou por dizer o Padre Américo Barroca que deixou ainda um pensamento final: «Devemos ser dignos da obra de caridade dos que nos precederam.»
Tudo começou há cerca de 30 anos atrás quando um cortejo de oferendas foi arrematado para possibilitar o arranque das obras de uma Casa que iria acolher os idosos e que foi pioneira no concelho do Sabugal. Ideia arrojada que sofreu o desdém e o escárnio de alguns mas que o tempo veio provar ser fundamental e imprescindível.
O primeiro orador foi Justo Nabais, ilustre empresário do ramo das artes gráficas, proprietário da Tipografia Diana em Évora. «O sonho tornou-se realidade. Há 28 anos não havia condições de higiene e assistência médica na nossa terra mas este Lar foi, em boa hora, o percursor de muitos que se seguiram e vieram dar qualidade de vida aos nossos idosos. Recordo o dia da inauguração com a presença de Leonardo Ribeiro de Almeida, presidente da Assembleia da República e de Teresa Costa Macedo, secretária de Estado da Família. Começamos com 12 idosos e ao fim de três meses passámos para 30. O nosso segredo é que não temos fins lucrativos e por isso não negociamos com idosos ou doentes», enfatizou Justo Nabais.
A intervenção da Governadora Civil da Guarda, Maria do Carmo Borges, ficou marcada por alguma emoção recordando que «apesar de ser da Serra casei, há 30 anos, com um homem desta terra». As memórias do passado contemplaram ainda alguns segredos como aquele de «ter ido a Navasfrias buscar um garrafão de azeite para saber como era o contrabando». Mas a vida permitiu-lhe «constatar que esta terra tem homens que dão bons exemplos como este que comemoramos hoje e que resolveu o problema de uma aldeia marcada pela emigração e com muitos idosos a viver na solidão». A responsável pelo Governo Civil da Guarda deixou ainda mais uma ideia forte: «A gratidão devia andar cada vez mais no nosso vocabulário. Devemos substituir a palavra solidariedade por fraternidade até porque aqui, neste Lar, as pessoas são tratadas com fraternidade.»
O vice-presidente da Câmara Municipal do Sabugal, Manuel Corte, aproveitou para felicitar todos os que abraçaram a causa de servir os outros através do Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora dos Milagres de Aldeia do Bispo. «Somos um concelho envelhecido e achamos que este bom exemplo de Aldeia do Bispo com instalações de óptima qualidade, quase modelares, deve servir para outras instituições particulares de solidariedade social com mais de 300 postos trabalho directos espalhados pelas freguesias», recordou o autarca.
O Bispo da Guarda, D. Manuel Felício, fechou os discursos com a força viva que as suas palavras ganham. «Não devemos só olhar para o passado. Devemos olhar para o futuro e acrescentar aos nossos gestos presentes a caridade. Devemos adaptar-nos às novas realidades e necessidades dos tempos modernos. Um centro social não é nada sem a caridade e devemos fazer o bem sem olhar a quem», alertou o prelado.
Seguiu-se a entrega de 14 medalhas às pessoas que contribuiram e contribuem para que o Lar de Santo Antão seja uma realidade com qualidade de vida para os idosos. A primeira, a título póstumo ao dr. João Nabais; a D. António dos Santos, então bispo da Guarda; ao Padre José dos Santos Baptista; a Amândio Antunes Henriques; à Irmã Emília que durante 23 anos supervisionou o Lar; a José Inácio Fernandes; a Diamantino Lourenço Amaro, homem discreto mas com grandes obras; a Helena Manso, actual directora do Lar; à Tipografia Diana, de Justo Nabais; ao Povo de Aldeia do Bispo que contribuiu com um dia de trabalho com a medalha a ser entregue à Junta de Freguesia; aos colaboradores do Lar; a título póstumo a todos os que contribuiram para o Lar; a três funcionárias com mais de 15 anos de Casa; e por fim para Isabel Maria Lourenço Sanches, a funcionária mais antiga do Lar.
Enquanto os colaboradores preparavam o pavilhão para um lanche-convívio os presentes foram convidados a visitar as funcionais instalações do Lar de Santo Antão do Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora dos Milagres de Aldeia do Bispo.
Estiveram presentes na assistência ilustres lagarteiros como José Eduardo Lucas e esposa, mestre Alcínio e muitos outros. Aqui deixamos uma saudação muito especial e carinhosa para Ana Manso que assistiu acompanhada de sua filha Rita em fase de recuperação, felizmente, do grave acidente de viação de que foi vítima.
Parabéns a quem sonhou a obra e a quem a tem conduzido por bons caminhos em benefício da qualidade de vida dos idosos da raia sabugalense.
jcl

Bispo da Guarda reorganiza sacerdotes no Sabugal

O Bispo da Guarda, D. Manuel Felício, divulgou recentemente um documento com as nomeações e colocações do padres para o serviço das 361 paróquias da Diocese da Guarda. As freguesias do concelho do Sabugal sofreram, também, mudanças na organização presbiterial com a entrada em funções efectivas do recém-ordenado padre Hélder José Tomás Lopes.

Padre Américo Barroca, D. Manuel Felicio e D. José AlvesApós o falecimento no Hospital da Guarda, no dia 7 de Junho de 2007 do saudoso padre António Joaquim Sanches (Ruvina) e da «passagem à reforma» em Setembro do mesmo ano do carismático Padre António Souta (Sabugal) os serviços religiosos em algumas paróquias do concelho do Sabugal têm vindo a ser assegurados por leigos como, por exemplo, o diácono Lucas de Vale de Espinho.
Com a ordenação de dois novos padres na diocese da Guarda o Bispo da Guarda, D. Manuel Felício, entendeu redistribuir os serviços diocesanos das comunidades paroquiais.
O documento, recentemente divulgado, dá conta das seguintes alterações para o concelho do Sabugal:
«Reverendo Padre Manuel Igreja Dinis e Padre Hélder José Tomás Lopes, nomeados párocos in solidum de Sortelha, substituindo o Reverendo Padre José Pires, que, por razões de falta de saúde fica desligado das responsabilidades de Pároco desta Paróquia. Os dois sacerdotes ficam ainda responsáveis pela capelania do Colégio da Ruvina, e das paróquias de Vale das Éguas, Ruivós, Bismula, Badamalos e Vilar Maior, substituindo o Reverendo Padre Américo Real Barroca, e acumulando com Aldeia de Santo António, Rapoula do Côa e Ruvina.»
Estamos em condições de afirmar que as populações das paróquias que passam a dispôr, novamente, de sacerdote a «tempo inteiro» receberam com enorme satisfação as novas nomeações não deixando de reconhecer e louvar o serviço prestado pelo padre Américo e pelo diácono Lucas ao longo destes meses.
jcl

Cónego Mário de Almeida Gonçalves

Eis o nome de outro ilustre compatrício sabugalense: Mário de Almeida Gonçalves, nascido em Monte Novo de Pousafoles do Bispo, em 1925.

Jesué Pinharanda – Carta DominicalFeita a escola primária, foi matriculado no Seminário Menor do Fundão, em 1938, tendo recebido ordens sacras em 1950. Celebrou missa nova, neste mesmo ano na sua terra natal.
Começou por paroquiar diversas freguesias (Sé, na Guarda, Guilheiro e Sebadelhe) tendo sido ainda assistente nacional da Obra de Santa Zita.
Em tempo eleito cónego capitular, assumiu por fim o difícil encargo de Vice-Reitor do Seminário do Fundão, e principal responsável pela formação escolar e espiritual de muitas gerações que frequentaram aquele estabelecimento, do qual saíram vocações que se concretizaram e outras que procuraram outro rumo.
Personalidade e interveniente na vida cívica e religiosa do Fundão, logo que terminou o vice-reitorado, recebeu uma solene homenagem, em que se realça a biografia que lhe dedicou o antigo aluno, eng.º José Pereira Folgado, e que veio a público em 2006.
Agora, o eng.º José Pereira Folgado reuniu em volume toda a documentação relativa à sessão solene de apresentação e lançamento do livro «Cónego Mário de Almeida Gonçalves». É como que o segundo volume da biografia que dedicaram ao antigo Vice-Reitor, uma estrela nos céus das terras de Beira Coa e da diocese da Guarda. O produto da venda do livro reverte, na íntegra, para o Seminário do Fundão. Parabéns. Admirar e agradecer é uma virtude cardeal.
«Carta Dominical», opinião de Pinharanda Gomes

pinharandagomes@gmail.com

À fala com… Diácono Hélder Lopes

Estivemos à conversa com o jovem Diácono Hélder Lopes, que dentro de dias irá ser ordenado sacerdote. Falámos do seu percurso enquanto religioso, as suas expectativas futuras e as impressões com que ficou do Sabugal, a terra que desde Setembro de 2007 o acolhe enquanto auxiliar do Padre Manuel Igreja Dinis.

à fala com Cónego Hélder LopesHélder Lopes nasceu no Colmeal da Torre, concelho de Belmonte, em 27 de Junho de 1983, no seio de uma família do povo. Filho de um serralheiro e de uma operária têxtil, teve uma educação cristã, que incluiu o ingresso no Seminário Menor do Fundão, onde fortaleceu a fé e sentiu o chamamento da vocação sacerdotal. Pelo percurso, que depois incluiu a passagem pelo Seminário Maior da Guarda e pelo Instituto Superior de Teologia, sentiu momentos de dúvida e até de crise vocacional, mas tudo superou. «Hoje considero que essas crises foram bênçãos, pois quando as ultrapassei senti que a vida ficou mais bela, fiquei melhor esclarecido e a vocação saiu reforçada», afirmou-nos o jovem religioso.
No próximo domingo, dia 29 de Junho, pelas 16 horas, acontecerá a sua ordenação sacerdotal na Sé da Guarda, pela mão do prelado egitaniense D. Manuel Felício. Aguarda o momento com expectativa, mas com a necessária serenidade. «Sei que serão momentos comoventes, mas de maior exigência para mim serão as missas solenes que acontecerão a seguir à ordenação, a primeira no dia 13 de Junho, na minha terra (Colmeal da Torre), e a segunda no dia 20 no castelo do Sabugal».
Antevê que a Sé da Guarda seja pequena para acolher as inúmeras pessoas que aí acorrerão para assistirem à cerimónia. «Do Sabugal vão dois autocarros, da minha terra seguem outros dois, e irá também muita gente pelos seus próprios meios», revelou-nos, indicando que aos seus familiares e amigos se juntarão os do padre e do diácono que também serão ordenados na mesma cerimónia.
Como assistente do padre Manuel Dinis cabe-lhe auxiliar o pároco do Sabugal nas tarefas paroquiais da sede de concelho, Torre, Aldeia de Santo António, Rapoula do Côa e Ruvina. «Foi para mim uma grande surpresa ser colocado aqui no Sabugal, pois não tem sido costume a vinda de estagiários para estas terras, mas tem sido uma óptima experiência», disse.
Conheceu o Padre Dinis enquanto director espiritual no Seminário do Fundão e trabalhar com ele numa paróquia que o próprio padre agarrou pela primeira vez, foi uma tarefa muito exigente, mas também muito enriquecedora. «Vir para o Sabugal teve desde logo como aspecto positivo, o facto de entrar aqui no mesmo dia do novo pároco. Tivemos conhecimento em conjunto da realidade das paróquias, tomando o pulso da situação. Porém também houve um aspecto negativo, que foi o inevitável desconhecimento da realidade da vida paroquial». Em termos da avaliação ao trabalho desenvolvido nestes meses, considera que a adaptação foi muito boa e que se fez muito trabalho positivo para as paróquias.
Hélder Lopes destaca algum do trabalho realizado: «Desde logo a reestruturação da catequese, seguindo as indicações do Senhor Bispo, que valoriza a catequese de adultos, enquanto actividade nova para as paróquias. Os adultos é que são a base da vida cristã e esclarecer a sua fé é um dos pilares fundamentais para que os mais novos recebam bons ensinamentos no seio das famílias. Formámos 18 catequistas e lançámos as festas da catequese, dirigidas às crianças. Além do mais arranjou-se um novo espaço para a catequese, transformando a garagem da casa paroquial em três salas equipadas para actividades didácticas, e uma outra para acolhimento e reuniões.»
Noutra perspectiva o jovem diácono falou-nos das actividades dirigidas aos jovens, que no geral se encontram algo afastados da vida religiosa. Foi reactivado o agrupamento de escuteiros do Sabugal, tendo-se formado 8 dirigentes, a que se juntaram outros 3 que já tinham essa formação. «Hoje o Sabugal tem 12 dirigentes que frequentam o estágio prático e estão já inscritos 45 crianças e adolescentes para o agrupamento de escuteiros, estando reunidas as condições para que em Setembro se iniciem as actividades do grupo.»
O Diácono Lopes ficou muito surpreendido com o carácter das gentes raianas: «Não conhecia minimamente as pessoas do Sabugal, mas elas têm sido para mim uma agradável surpresa, na medida em que são muito simples e muito acolhedoras.»
Quanto ao futuro, não faz antevisões: «Desconheço onde serei colocado como padre, mas há a certeza de que serei pároco na diocese, a não ser que o Senhor Bispo decida enviar-me a estudar, o que será improvável, já que conclui agora o curso Superior de Teologia.» Tem porém a certeza de que permanecerá no sabugal até Setembro, continuando a ajudar o Padre Dinis. Além disso terá que organizar o «Festival J» de 2008, que acontecerá em Julho no Paúl. «É um grande encontro de juventude, organizado pela Pastoral Juvenil da Diocese da Guarda, estando previstas muitas actividades, desde música, oração e desportos.»
Quanto ás dificuldades dos párocos nos dias de hoje, Hélder Lopes conhece bem o problema, sentindo-o já no quotidiano enquanto auxiliar de pároco no Sabugal. «Devido à falta de padres os párocos estão sobrecarregados com o serviço litúrgico, faltando-lhes tempo para a reorganização da vida paroquial e para a dedicação a outras actividades de dinamização da vida cristã. O problema agrava-se ainda mais quando a maior parte dos padres são idosos, fazendo um imenso sacrifício para manter o essencial da vida litúrgica, mas sem forças e motivação para muito mais.»

Hélder Lopes é um jovem simpático, que rapidamente captou a atenção dos paroquianos sabugalenses. Decerto que não ficará entre nós, seguindo algures o seu rumo enquanto sacerdote. Desejarmos-lhe felicidades, assim como às comunidades cristãs que lhe caberá pastorear.
plb

Diácono Hélder Lopes vai ser ordenado sacerdote

O diácono Hélder Lopes, que tem coadjuvado o padre Manuel Igreja Dinis, no Sabugal, vai ser ordenado padre pelo Bispo da Guarda, em cerimónia a realizar na Sé da Guarda, às 16 horas do dia 29 de Junho.

Padre Hélder LopesA diocese da Guarda vai ter dois novos padres, e um deles é o jovem diácono que tem prestado serviço eclesiástico no Sabugal.
Helder José Tomás Lopes é natural de Colmeal da Torre, concelho de Belmonte. Tem 24 anos, mas no dia da ordenação terá já 25, pois nasceu a 27 de Junho. Estudou nos seminários diocesanos do Fundão e da Guarda e tirou o curso de Teologia no Instituto Superior de Teologia, filiado no Pólo de Viseu da Universidade Católica Portuguesa. No dia 7 de Outubro de 2007 foi colocado no Sabugal, como auxiliar do padre Manuel Dinis, que entretanto substituíra na paróquia o padre António Souta. Passados poucos dias, a 21 de Outubro, foi ordenado diácono, também na Sé da Guarda, ficando a exercer funções nas paróquias do Sabugal, Aldeia de Santo António e Rapoula do Côa.
Para além de Hélder Lopes, haverá ainda a ordenação de um novo sacerdote que passará a prestar serviço na diocese. Trata-se de Gilberto Joaquim Roque Antunes, que é natural da paróquia de Almaceda, concelho e distrito de Castelo Branco e diocese da Guarda. A cerimónia servirá também para ordenar como diácono Valter Tiago Salcedas Duarte, que é natural da paróquia de S. Pedro, concelho da Covilhã.
O bispo da Guarda, D. Manuel Felício, está especialmente feliz com as novas ordenações, dada a escassez de vocações na diocese. Os novos ministros da Igreja poderão ajudar a colmatar a falta de religiosos junto das comunidades cristãs, onde uma boa parte dos sacerdotes já são idosos. Talvez há uma décadas atrás uma ordenação sacerdotal fosse uma cerimónia banal, mas hoje qualquer ordenação comove a comunidade diocesana, devido à manifesta falta de padres nas paróquias.
plb

Governo deve apoiar mais a natalidade no Interior

O bispo de Portalegre e Castelo Branco, D. José Alves, desafia o Governo a reforçar as politicas de apoio à natalidade como medida de combate ao envelhecimento da população, em particular, no Interior do país.

D. José Alves, Bispo de Portalegre e Castelo BrancoEm declarações à Comunicação Social, D. José Alves, pediu ao Governo para melhorar as condições de apoio à natalidade das populações das regiões do Interior de Portugal e deu como exemplo o «Centro de Apoio à Vida de Portalegre» que vai ser inaugurado no dia 8 de Dezembro.
«A criação deste centro é um alerta para tentar despertar as consciências dos governantes e das populações para o preocupante envelhecimento da população que vive no Interior do nosso país», esclareceu o bispo de Portalegre e Castelo Branco.
«É um espaço pioneiro no Alentejo e vai de encontro às dificuldades das adolescentes que engravidam e ficam desapoiadas recorrendo por isso ao aborto. Vamos tentar salvar vidas humanas e contribuir para o crescimento da população», acrescentou D. José Alves, natural da Lageosa da Raia, concelho do Sabugal, responsável pela diocese de Portalegre e Castelo Branco e de quem se fala sobre uma eventual mudança para Évora.
Com um investimento superior a um milhão de euros o centro está localizado numa quinta e tem capacidade para 10 utentes com idades até aos 18 anos num regime transitório durante a gravidez e após o parto no sentido de proporcionar uma reintegração das jovens mães na sociedade.
jcl

«Laje da Lancha» – O boletim dos lagarteiros

Sob a direcção de Justo Maria Nabais e com periodicidade trimestral o «Laje da Lancha» é o boletim dos lagarteiros de Aldeia do Bispo, no concelho do Sabugal.

«Laje da Lancha», o boletim de Aldeia do BispoNão nos cansamos de relembrar: um dos papéis fundamentais do Capeia Arraiana é a promoção e divulgação das nossas gentes e das nossas terras. Em tempo de acesso à informação à distância de um clique e de comunicação universal através das várias vertentes da Internet é sempre de saudar publicações que resistem e cumprem os seus objectivos em suporte papel. É este o caso do «Laje da Lancha», o boletim da sabugalense Aldeia do Bispo com periodicidade trimestral e uma tiragem de 500 exemplares.
Fundado por João António Nabais, o boletim tem como director Justo Maria Nabais e a redacção e impressão em Évora na Tipografia Diana Litográfica do Alentejo. Com uma boa apresentação gráfica e com excelente paginação a publicação «vive» das recordações de personagens de outros tempos, das actividades recentes e da opinião dos seus colaboradores.
O número de Agosto traz excelentes artigos como o do Tonho do Enxido sobre as malhas ilustrado por uma pintura a óleo de Alcínio Vicente, um artista da terra, ou a Extinção do Posto da Guarda Fiscal de Aldeia do Bispo, pelo capitão Nabais. A reabertura das piscinas de Aldeia do Bispo tem, também, um merecido destaque.
Os vizinhos Fóios e Forcalhos também coabitam pacificamente as páginas do «Laje da Lancha» dando à estampa o que de mais relevante por lá se vai passando.
O «Laje da Lancha» é com todo o mérito uma publicação raiana de qualidade que merece o nosso destaque.
jcl