Tag Archives: antónio alves fernandes

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Percursos vergilianos

Numa tarde de Sábado de Aleluias concretizei um velho sonho: visitar os territórios serranos de Vergílio Ferreira, um dos meus Escritores Portugueses preferidos. Como nem sempre é fácil compreender completamente a sua escrita, contei com um cicerone – amigo, companheiro e Missionário de São João Batista -, o Padre Jacob, que me guiou por Nabais, Nabainhos e Melo, localidades no Concelho de Gouveia.

A Casa da Vila Josephine, onde cresceu Vergílio Ferreira entre tias (os pais estavam ausentes nos Estados Unidos)

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

História de Nossa Senhora do Círculo

Numa ocasional conversa em Condeixa-a-Nova, a Professora Maria da Conceição Viais, Senhora muito culta e cantora de Música Sacra, contou-me uma história que recolhi nestes breves apontamentos.

Capela de Nossa Senhora do Círculo

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

D. António dos Santos – um bispo simples

Quando parte alguém que estimamos e respeitamos é um pouco de nós a partir. Assim acontece com D. António dos Santos, Bispo Emérito da Diocese da Guarda.

Há 35 anos D. António dos Santos iniciou as funções de bispo da Guarda - Efemérides - Capeia Arraiana

D. António dos Santos (1932 – 2018)

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Bismula – a minha aldeia

Em outros tempos, na minha Aldeia, na minha infância, quando a noite caía, as ruas quase se esvaziavam, e só os jovens adultos eram autorizados a percorrer a escuridão, enquanto lá longe, na cidade da Guarda, um clarão de luzinhas acendia e depois apagava-se.

Bismula – amoreiras e seus muros seculares, um património desaparecido

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

Num andarilho de memórias

Esta semana fui até Condeixa visitar o meu irmão António Alves Fernandes. Uma viagem bem diferente daquela que ambos temos vindo a fazer ao longo desta vida em comum. Efetivamente, o local onde fui recebido, levou-me à interioridade e ao facto de que nada somos e nada seremos.

Legenda

Encontro com a família Fernandes

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Fundão – cerejeiras em flor

Há quem afirme que foram os Jesuítas do Colégio São Fiel de Louriçal do Campo a levar as sementes das cerejeiras para a Colina de Kudan, perto de Tóquio. De acordo com a tradição imperial, aquele lugar é onde moram os espíritos dos soldados que morreram na Primeira Guerra Mundial, na defesa do Japão.

Cerejeiras em flor – um espectáculo deslumbrante e mágico

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Momentos de reflexão

A unidade Santa Cristina, pela Enfermeira Chefe, informou-nos que o Sector da Pastoral da Saúde, convida a todos a participarem nos momentos de reflexão, na Capela das Irmãos Hospitaleiras, sobre a Quaresma.

Viver a Quaresma do princípio ao fim

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

A partida

Estava-se em Abril de 1968. Recebi a Guia de Marcha para Penamacor, 1ª Companhia Disciplinar. Não sabia que a terra de Ribeiro Sanches, médico militar, tinha aquela Unidade Militar, junto à fronteira com terras castelhanas. Solicitei um quartel em Lisboa e suas periferias e recambiaram-me para a fronteira.

Partida para a Guiné

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Recordações docentes

Em Outubro de 1956, terminados os estudos, fui nomeado pelo meu saudoso Pai para acompanhar na minha terra vinte adultos, a fim de os preparar para a quarta classe.

Sala de aulas

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Bismula – in memoriam Dr. Manuel Leal Freire

O meu parente, conterrâneo e amigo era natural da Bismula, nascido em 1928, filho de um Pai guarda-fiscal e de uma Mãe doméstica. Vivia paredes meias com a casa dos meus pais, na Relva, numa bonita habitação em granito.

Manuel Leal Freire apresentou, na Bismula, o livro «Pater Familias»

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Um nome…

Sabe-se que o nome “Fernandes” tem origem na palavra “Fernando”. Os Romanos com o nome de Fernando registavam todos seus descendentes com o apelido de Fernandes. Assim, etimologicamente, Fernandes significa “filho de Fernando”, “filho do homem ousado para atingir a paz” ou “filho do homem que ousa viajar”.

Só posso sentir-me alegre por pertencer à Família Fernandes

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Voando sobre um ninho de cucos

«De padre, médico e louco todos temos um pouco» (adágio popular).

Voando sobre um ninho de cucos

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Aldeia de Joanes – Joaquim José da Silva Nogueira

«O coração do Quim parou de bater» – é a notícia que recebo, ampliada pelas lágrimas de um coração que agora bate por ti.

Eras parente, amigo e companheiro

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

O Livro

«O Livro é a única Moral que ainda existe» – Manuel da Silva Ramos (“Jornal do Fundão”).

Começar o Novo Ano a ler mais e melhor

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

As bengalas de um Homem

“Qual é a coisa qual é ela que ao amanhecer anda com quatro pernas, ao meio dia com duas e ao entardecer com três? É o Homem”.

Mãos dadas

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Visita inesperada

Parte A, quarto 3, internamento numa clínica coimbrã. Uma cama, uma mesa, uma cadeira, uma janela, uma porta, uma casa-de-banho. Há hotéis piores.

Azulejo alicatado de José Freire

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Estadia hospitalar

Estamos no último Domingo de Outubro e os relógios durante a madrugada atrasaram uma hora. Há quem defenda que os ponteiros dos nossos relógios recuarem uma hora é pouco; deviam recuar pelo menos uma década, para emendar as muitas e diversas asneiras que se fizeram neste País que, se ainda não lhe mudaram o nome, se chama Portugal.

Hospital

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Regresso a Janeiro de Cima

Há anos que estão marcados para a última quarta-feira do mês de Outubro os encontros dos ex-bancários do ex-Banco Pinto e Sotto Mayor das agências da Covilhã e Fundão, irmanados num ideal de convivência e de recordações interpessoais.

A aldeia de xisto Janeiro de Cima

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Momentos de férias – 2ª parte

É por acaso que nos encontramos no Jardim das Amoreiras, perto do Largo do Rato em Lisboa. Ele senta-se na minha mesa e rapidamente nos descobrimos amigos de longa data, oriundos de freguesias e vivências vizinhas, nascidos quase em simultâneo.

Cristo Rei

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Momentos de férias – 1ª parte

São Pedro ainda não abriu a porta ao nosso Homem. A caminhada terrena continua, com menos forças mas sempre em frente. Descuidada a reforma agrária, o seu principal ofício consiste agora em ler os jornais diários, ou pior, sujar os dedos na triste realidade lusitana. Neste país ardido até os jornais chamuscam as mãos.

Neste Verão até os jornais chamuscam as mãos

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

O bom rebelde

“Da Bismula só recordo um palheiro e um sardão verde”, diz o nosso Homem, nascido nessa freguesia de pobreza a 8 de Dezembro de 1958, agora ao volante do seu automóvel a caminho de Setúbal. Eis-me à boleia em mais uma viagem da Vida.

João Alves Fernandes

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

A árvore generosa – Maria dos Santos Marques

Aos 90 anos, depois de ter suportado heroicamente tanto sofrimento, Maria dos Santos Marques reencontra o seu marido Manuel Bernardo Campos e o seu neto Emanuel Bernardo Fernandes para a Vida Eterna.

Maria dos Santos Marques

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Souto da Casa – um homem na guerra

«A Sorte Protege os Audazes» (Lema dos Comandos).

António Alfredo Campos

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Guerra

Estamos em Janeiro de 1967, o nosso Homem vai para Mafra cumprir o serviço militar, interrompendo os estudos. Três meses depois passa pela Escola Prática de Artilharia, é reclassificado e, por sorte, vai frequentar o Curso da Administração Militar no Lumiar. Feito o pedido para ficar na zona de Lisboa, onde tinha toda a família, o nosso Homem é recambiado para a 1ª Companhia Disciplinar de Penamacor, para lá chegar demorou um dia entre comboio e autocarro. Chega a “peluda”, chega a guia de marcha, está a caminho da Guiné no Uíge.

Foto da rodagem de «Guerra» de José Oliveira

Casa do Concelho do Sabugal em Lisboa - © Capeia Arraiana (orelha)

O livro «O Nosso Homem»

Fernando Pinto Monteiro, ex Procurador Geral da República, actual presidente da Assembleia Geral da Casa do Concelho do Sabugal, natural de Porto de Ovelha e que viveu a infância e a juventude no Sabugal, enviou um texto escrito que foi lido na apresentação do livro de António Alves Fernandes, no passado dia 17 de Junho, em Lisboa. Publicamos essa comunicação.

Fernando Pinto Monteiro - Procurador-Geral da República - RTP - Capeia Arraiana

Fernando Pinto Monteiro

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Um escuteiro herói

Meados de Junho, um dos dias mais quentes da época. Os termómetros em Setúbal anunciam os 45 graus positivos, grande canícula. Os turistas invadem uma Igreja, lá esperam encontrar um clima mais ameno. O catolicismo é uma óptima religião no Verão, até os ateus se convertem para estarem mais fresquinhos à sombra do Senhor.

Chefe Artur Eugénio Silva Soares

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Pois é…

É de humana condição convencermo-nos que duramos para sempre. Passada a barreira dos 70 anos, se beneficiámos até à data de boa saúde, temos mesmo o descaramento de pensar: “Querem ver que a vida é mesmo porreira, que não há doença nem morte senão para os outros?”

O inesquecível Michel Giacometti

Casa do Concelho do Sabugal em Lisboa - © Capeia Arraiana (orelha)

Apresentação do livro «O Nosso Homem»

O livro de António Alves Fernandes, «O Nosso Homem», foi ontem, dia 17 de Junho, apresentado na Casa do Concelho do Sabugal em Lisboa. Intervieram Rui Pelejão, Paulo Leitão Batista e Paulo Fernandes. A sessão foi animada musicalmente por Marta Ramos e José Lopes. Apresentamos uma galeria de imagens (fotos de José Barradas) e o texto da intervenção de Paulo Leitão Batista sobre as crónicas reunidas em livro, parte delas publicadas aqui no Capeia Arraiana.

Apresentação do livro de António Alves Fernandes

Casa do Concelho do Sabugal em Lisboa - © Capeia Arraiana (orelha)

O livro de António Alves Fernandes

A Casa do Concelho do Sabugal em Lisboa foi o lugar escolhido por António Alves Fernandes para apresentar aos raianos da diáspora o seu livro «O Nosso Homem». Todos são convidados a estar presentes no evento.

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Rescaldos da Capeia em Vila Franca de Xira

O Nosso Homem, depois de uma longa paragem obrigatória por motivos de saúde, já vai recuperando as forças (graças às boas cerejas do Fundão) e acertando nas teclas do computador. Nada melhor para um convalescente do que uma Capeia Arraiana, tal como aconteceu no passado três de Junho, na linda Praça de Touros em Vila Franca de Xira, junto às águas do Tejo.

A tradição arraiana na Praça Palha Blanco em Vila Franca de Xira

Casa do Concelho do Sabugal em Lisboa - © Capeia Arraiana (orelha)

Apresentação de livro na Casa do Concelho

No próximo sábado, dia 17 de Junho, pelas 15 horas, será apresentado na Casa do Concelho do Sabugal, em Lisboa, o livro «O Nosso Homem», de António Alves Fernandes. A apresentação estará a cargo de Rui Pelejão, Paulo Fernandes e Paulo Leitão Batista, com música de Marta Ramos e de José Lopes.

O livro «O Nosso Homem»

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Aldeia de Joanes – Encontro anual da família

«O Segredo é que o Amor é forte e o momento da discussão aconselha aos esposos não acabarem o dia sem fazerem as pazes» – Papa Francisco.

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

À minha saudosa Mãe

Hoje lembro-me da minha Mãe e do milagre do meu nascimento. O parto foi difícil, ambos estivemos à beira da morte, e só Deus sabe como nos safámos. Talvez pelo Altíssimo simpatizar com o nosso palheiro ou com o nosso burrico de subsistência.

Maria da Piedade Alves Lavajo

Maria da Piedade Alves Lavajo

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

A noite do aniversário

É no coração de Lisboa, na Colectividade “Os Amigos do Minho” (local de encontro, amizade e cultura, fundado em 1954, que urge defender contra as mãos gananciosas dos hoteleiros), que decorre o maravilhoso jantar de aniversário do meu filho Mário Tiago. Numa sala acolhedora, ilustrada com fotografias dos fundadores, encontram-se rapazes e raparigas das mais diversas idades e proveniências: beirões, minhotos, ribatejanos, algarvios, lisboetas…

Encontro na associação dos Amigos do Minho

Encontro na associação dos Amigos do Minho

Hoje destacamos... - © Capeia Arraiana (orelha)

Hoje sou eu o cronista

A propósito da apresentação do livro de António Alves Fernandes, intitulado «O Nosso Homem», em 19 de Março, em Aldeia de Joanes (Fundão), publicamos um texto de António José Alçada.

A mesa na apresentação do livro de António Alves Fernandes

A mesa na apresentação do livro de António Alves Fernandes

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Viagem a Coimbra

«Mais vale um ano de Tarimba que quatro anos em Coimbra» (ditado popular).

Coimbra

Coimbra

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Bloco de notas hospitalares

Acordo internado numa unidade hospitalar, sem ouvido nem achado, com um fardamento novo, uma pulseira branca (não das electrónicas), número de processo clínico, nome e idade. Horas antes, nem um “amén” ou “item missa este” ouvi na Sagrada Eucaristia da Missa Dominical.

Não falta material técnico: máquinas para medirem o ritmo cardíaco, rampas de oxigénio, aspiradores e muitos fios e tubos

Não falta material técnico: máquinas para medirem o ritmo cardíaco, rampas de oxigénio, aspiradores e muitos fios e tubos

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Nesta Quaresma…

Nesta Quaresma – Dois irmãos escuteiros, Antónios de nome, Alçada e Bento, ajudaram um outro António, também escuteiro, que se encontrava enfermo, fazendo a sua boa ação, de acordo com os princípios de Baden Powell. Também mais um António, Leal de nome e de pessoa, como bom cireneu ajudou a levar a cruz deste pobre doente. Ainda há solidariedade.

É tempo quaresmal

É tempo quaresmal

Fundão - Capeia Arraiana

O livro de António Alves Fernandes

Casa cheia na Associação Recreativa de Aldeia de Joanes, ontem, dia 19 de Março, dia do pai, para o lançamento do livro «O Nosso Homem», do bismulense radicado na Beira Baixa, António Alves Fernandes. A obra está recheada de histórias e testemunhos de um homem de vida cheia, que também é colaborador assíduo do Capeia Arraiana. Veja uma galeria de imagens (colhidas da página do Facebook das Edições A23) da apresentação da obra literária.

O autor autografando um dos exemplares do livro

O autor autografando um dos exemplares do livro

Hoje destacamos... - © Capeia Arraiana (orelha)

Crónicas de António Alves Fernandes em livro

«O Nosso Homem» é o título do livro que reúne os escritos do bismulense António Alves Fernandes, muitos deles publicados aqui no Capeia Arraiana. A sessão de lançamento decorrerá no dia 19 de Março na Sede da ADCRAJ – Associação Desportiva Cultural e recreativa de Aldeia de Joanes (Fundão).

convite - Livro - O NOSSO HOMEM -