Tag Archives: antónio alves fernandes

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Apontamentos de terras do Sabugal

Já há muito que não percorria as Terras de Ribacoa, onde estão as minhas origens, as minhas raízes de raiano. Nesta Quaresma passar uns dias por aqueles territórios foi como um “retiro”, uma ida para o deserto. Comungo das ideias do meu amigo de viagem, José Maria Reino: “entrar nestas terras é algo mágico que entra pela minha vida dentro. Estas gentes, estes ares, estas paisagens, fazem parte do nosso ADN.”

Sabugal

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Eremita e poeta

Decorre a efeméride dos quatrocentos anos da morte de Frei Agostinho da Cruz, um poeta clássico e eremita. Este poeta arrábido escreveu elegias, éclogas, endechas e sonetos.

Placa alusiva a Frei Agostinho da Cruz em Setúbal

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Por Terras do Padre José Miguel

Amanheci cedo para uma viagem que há dias estava acertada, uma passagem por Terras de Missão do Padre Zé Miguel, natural do Soito (Sabugal), e muitos anos Pároco no Meimão (Penamacor).

Padre José Miguel

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Cinquenta anos de criação literária

Estas linhas são uma simples e modesta homenagem a um escritor português, com grande obra publicada, embora muitas vezes injustamente esquecido. Estou a referir-me a Manuel da Silva Ramos, nascido em 1947 na Covilhã. Estudou Direito na Universidade de Lisboa e na “primavera marcelista” exilou-se em França, de onde só regressou em 1997.

Lançamento do livro “Os Três Seios de Novélia”na Biblioteca Eugénio de Andrade no Fundão

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Por aqui não há rede!

Nos meus tempos de criança, concretamente na minha aldeia raiana, as únicas redes que existiam, para além da pesca no Rio Côa e ribeiras afluentes, eram os chamados “contrabandistas”, passando mais tarde aos “passadores” de clandestinos para França e de algumas capoeiras com medo das raposas matreiras.

Bismula antiga – ainda longe do tempo das redes de telemóvel e de Internet

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Aldeias do Xisto

Nos últimos dias de Janeiro fui ao Museu de Arte Popular, em Lisboa, visitar uma exposição sobre as Aldeias do Xisto, patrocinada por diversas entidades. À entrada uma funcionária de Sarnadas (Castelo Branco) recebeu-me com enorme simpatia, atitude igual para todos os outros visitantes.

Aldeias do Xisto no Museu de Arte Popular

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Paróco de aldeia e professor

Uma das vantagens com quem podemos contar quando escrevemos um texto, ou quando falamos ou mesmo descrevemos atividades de pessoas reconhecidas, nos mais diversos setores, é pertencemos à mesma região onde nascemos, crescemos, mas também aos conhecimentos pessoais, que vamos ganhando ao longo da vida.

Padre Paulo Gomes da Costa Afonso (1934-2019)

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

A Paz

«A Paz é a Família a conversar»; José Maria Fernandes in «Pater Familias» de Ezequiel Alves Fernandes (Pág. 174).

Papa Francisco apelou à Paz

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

A terra do meu sacristão

A vida tem acontecimentos que não sabemos explicar. Os crentes dizem que tem graça divina. Os não crentes fundamentam no mero acaso. Mas o facto é que o meu Sacristão, de menino, tem-me acompanhado ao longo da vida, apesar de já ter falecido há duas décadas. E o meu olhar inocente nunca me faria acreditar que um dia, décadas mais tarde, iria à sua Aldeia Natal – Bismula – no concelho do Sabugal.

José Maria Fernandes, sacristão da Igreja de Santa Maria da Graça, a atual Sé da Diocese de Setúbal - Capeia Arraiana

José Maria Fernandes, sacristão da Igreja de Santa Maria da Graça, actual Sé da Diocese de Setúbal

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Fundão – a Igreja está mais pobre

As Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição chegaram ao Fundão em 1899. Durante mais de um século desempenharam nesta cidade relevantes serviços, principalmente na área da saúde como enfermeiras. Com os parcos meios disponíveis faziam autênticos milagres no Hospital da Misericórdia. Também prestavam assistência a mais de uma vintena de pessoas com a doença da tuberculose.

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Um saudoso amigo: Joaquim Silva Nogueira

Já passou um ano, mas ainda estás presente no nosso quotidiano. Recordo a tua serenidade que até me fazia esquecer a doença que te atormentava. Aliás, nem tu próprio a ela te referias ou te lamentavas.

A saudade quando é vivida torna-nos presentes

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Fundão – Espaço Biblos

Através das redes sociais tive conhecimento de que iria ser inaugurado o Espaço Biblos, na Rua do Serrão nº5, na Zona Histórica, não muito longe do Museu Arqueológico da cidade.

Manuel da Silva Ramos e Mário Fernandes no Espaço Biblos

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

O regresso…

Um dos valores da cidadania é sermos gratos para quem profissionalmente ou voluntariamente se lembra das nossas fragilidades, das nossas necessidades físicas e psicológicas ou até morais.

Museu Romano POROS, em Sicó

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Santa Bebiana

O nosso Povo sempre teve propensão para misturar as festividades religiosas com as profanas. Nos tempos actuais, em muitas localidades, as festas religiosas são em grande parte feiras e mercados.

Santa Bebiana em Caria (imagem de Local visão TV)

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

No dia em que fizer 72 anos!

Efetivamente um dos mistérios de viver é precisamente o morrer. Mas acredito que possa viver o dia de aniversário dos meus futuros 72 anos. E porquê este ano assim tão marcante? Porque no passado dia 9 de novembro, o meu amigo e irmão escuteiro, celebrou essa efeméride, renascido das cinzas e, esperemos, pronto para mais uma longa caminhada nesta vida. Que Deus te conserve irmão António!

António Alves Fernandes - Capeia Arraiana

António Alves Fernandes

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Catequese

A catequese é um tema que sempre me preocupou como simples cidadão, independentemente das convicções religiosas que cada um tem. Em todas as religiões há catequese, ensinamento da fé, evitando a ignorância e o analfabetismo. Há pessoas que se dizem muito cultas em matérias profanas, de grandes currículos escolares, mas em termos religiosos são de uma pobreza extrema.

Catequese

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Um professor nas minas

O nosso Homem nasceu a 22 de Junho de 1935 na Aldeia da Ponte (Sabugal), filho de pais bismulenses: Manuel Mendes e Luísa Alves Vaz. A mãe era doméstica e o pai guarda-fiscal, colocado no Posto fronteiriço em Aldeia da Ponte, onde nasceram também as irmãs Maria Adelaide, Faustina, Trindade e Inês Alves Mendes. O seu Irmão, Joaquim Alves Mendes, nasceu na Freineda (Almeida), aldeia bem conhecida nacional e internacionalmente, onde se acantonaram as tropas luso-inglesas contra os invasores franceses.

António Mendes foi professor nas Minas da Panasqueira

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Cores outonais

O ciclo das estações existentes na natureza tem o seu encanto e beleza. A maioria escolhe a Primavera. Sem deixar de a admirar, não posso esquecer o Outono, vestindo as árvores, antes da hibernação, com as suas múltiplas cores na folhagem.

Outono na Serra da Gardunha

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Guarda – exposição “Activ-Art”

No âmbito da celebração da VI Semana Aberta de Maria Josefa Récio e do Dia Mundial da Saúde Mental, as Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus de São Bento Menni da Guarda, promoveram uma Exposição de Trabalhos do Programa “Projetar-te, num dos últimos andares do Centro Comercial La Vie.

Activ-Art na Guarda

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Caminhadas…

Caminha-se… Caminha-se por vários espaços, onde se aprende sociologia, psicologia, temáticas urbanas rurais e patrimoniais. Cruza-se com pessoas com passos lentos, mais acelerados, com velocidades não controláveis, na labuta diária do pão de cada dia, de pequenos empresários e agriculturas familiares.

Ponte de Sequeiros


António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Fui à Santa Luzia

Há anos prometi que um dia iria à festa de Santa Luzia, no Castelejo. Agora, em Setembro de 2018, concretizo esse desejo antigo.

Procissão da festa de Santa Luzia

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Fundão – Amália, a mal amada…

Nos tempos do Estado Novo, as três «modalidades» para entreter o Zé Povinho eram Fátima, Fado e Futebol. Em relação ao mundo do Fado, as artistas eram do povo, da gleba, das Beiras, e não evitavam que fossem conotadas com o mal, o pecado, o maligno, pelo menos aos olhos do regime. Longe estavam os tempos em que o Fado seria considerado pela Unesco como Património da Humanidade, longe os tempos do Fado para inglês ouvir.

Amália Rodrigues era filha de fundanenses

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Um meteorologista voluntário

O «Padre Latinhas», nasceu no Souto da Casa (Fundão) e residiu nos actuais escritórios da Rodoviária no Fundão, numas quintas onde se situa a Escola Secundária João Franco, o Pavilhão Gimnodesportivo, a DRABI (Associação Regional da Agricultura da Beira Interior), o Parque Verde Fundanense.

Souto da Casa, aldeia onde nasceu Virgílio Costa Oliveira – padre, professor e meteorologista

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Bismula – toponímia

Há muito tempo que as nossas aldeias começaram a sinalizar as suas ruas, largos, praças e becos, de acordo com as suas tradições, costumes, religiosidades, profissões, edifícios e pessoas ilustres. A minha aldeia é das poucas excepções que, no seu mapa toponímico, não tem uma figura destacável.

Bismula – campanário da igreja matriz

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Guerra – estadia

Parti em rendição individual em fins de Outubro/1968, regressei em Dezembro/1970, vinte e sete meses de estadia na Guerra na Guiné-Bissau.

Militares num dos rios da Guiné no decurso de uma operação

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Parque fluvial em Porto de Vacas

Há anos que não percorria este território: “no curso do Rio Zêzere, este local é dos mais bonitos” – são as palavras do Joaquim Lourenço, emigrante, alfaiate e residente em Porto de Vacas (Pampilhosa da Serra).

O Parque Fluvial que é um espaço ao serviço de todos

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Moinhos

Na complementaridade do Ciclo do Pão, hoje escrevo sobre moinhos. No Concelho do Sabugal, nas margens das ribeiras, e principalmente do Rio Côa, existiam muitos, de salientar na Rapoula e Valongo do Côa. Em outras paragens do País chamam-lhe azenhas.

Moinho no Marenhol

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Emigrantes

Em Outubro de 1958 fui frequentar a Escola Apostólica de Cristo Rei em Gouveia, uma casa dirigida por Padres Alemães. Quando nas férias do Natal regressei à minha Aldeia – Bismula (Sabugal), dei conta que já não estavam algumas pessoas. Naqueles tempos, sabia-se que a dor ou alegria do vizinho era também nossa.

Entrada em Espanha nas Batocas

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Um cidadão de corpo inteiro

Parente e Amigo de longa data, sempre presente desde a minha infância. A Mãe, uma Bismulense, Natividade dos Anjos Valente, apaixonou-se por Domingos Mateus, natural da Redondinha (Cerdeira do Côa), e ali constituíram família.

Bismula na década de 1960 – cortejo de oferendas

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Os Avós

Se há dias comemorativos repletos de significado, um deles é o Dia dos Avós, aqueles que são pais duas vezes e que são de uma importância vital na sociedade dos nossos dias.

Os avós são pilares de apoio e berços de tantos filhos…

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Sardinhas e outros peixes

Tenho na memória, que na minha aldeia arraiana, Bismula (Sabugal), o primeiro peixe que saboreei foi a sardinha. Naqueles tempos difíceis uma sardinha dava para três irmãos. Actualmente, vendidas aos preços dos Santos Populares, os pobres nem lhes tocam, é só cheirá-las…

Nos Santos Populares, a sardinha é a rainha da festa

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

A casa da minha avó

Todos os seres humanos têm duas avós e dois avôs, maternos e paternos. Pessoalmente só conheci a minha avó paterna, Maria Luísa Fernandes, as outras faleceram antes de eu nascer.

Bismula – concelho do Sabugal

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Desporto e religião

Na Ilha da Madeira, no Bairro de Santo António (Largo da Achada – Camacha), pela mão dos ingleses, realizou-se em 1875, em território português, o primeiro jogo de futebol.

Ronaldo – O Celestial

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

O meu dia onomástico

Não me recordo, na minha aldeia, de existirem tradições na festividade de Santo António. Nas aldeias vizinhas, aí sim, havia capelas, imagens, festejos, procissões em honra daquele santo alfacinha, ficando a conhecer bem a sua história em tempos posteriores.

Santo António

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

As barragens

Em pouco tempo de nascença, a gatinhar pelos campos da minha aldeia – Bismula (Sabugal) -, acompanhado pelos meus Pais, iniciei os primeiros contactos com barragens (armazenamento de águas), sem no entanto as saber localizar ou nomear.

Açude do rio Côa, na Rapoula

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

As crianças

Conheci há tempos a Matilde, poderia chamar-lhe fada, tal é o condão mágico desta criança que nasceu no seio de uma Família de solidariedades, de fraternidades, de hospitalidades, de valores cristãos, sociais e humanos. Uma Família ligada ao Escutismo: pais, tios, filhos, primos e até os avós. Uma Família culta.

As nossas crianças são um tesouro sagrado

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Histórias de médicos… invulgares

Tarde de fins de maio, com um ambiente natural calorento, nuvens como castelos a ameaçar pequenas trovoadas, o para-raios atento, vento ainda suave a invadir os nossos espaços físicos e psicológicos. Sentado a uma comprida mesa, cercado de livros de diversas temáticas, afastado das teclas do computador, olho a cúpula de uma capela, o campanário arquitectado e indicador de Serviço em Missão.

Um médico ouve uma história e acrescenta outra

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

A Universidade de Salamanca e o Fundão

A Universidade de Salamanca faz neste mês de maio oitocentos anos de existência. Estava-se no século XIII, quando na Capital dos reinos de Castela e Leão se fundaram os Estudos Universitários. É a quarta universidade do espaço europeu. As mais antigas são Oxford em Inglaterra, Paris em França e Bolonha em Itália.

Universidade de Salamanca

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Encontros Cinematográficos: remar contra a maré

Num tempo que teima em desaparecer, ainda subsiste um vento desta Gardunha florida, agora de encontros numa tela de cinema.

Povo que Canta na Igreja de Aldeia de Joanes

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Abril escaldante

Antes do 25 de Abril de 1974, os senhores capitães andavam por Óbidos, Évora Monte, Lisboa, a discutir o Decreto-lei de Marcelo Caetano, que obrigava os Oficiais Milicianos, no final de seis meses em Mafra, no CPC (Curso Preparatório de Capitães), a comandar companhias no Ultramar, enquanto os senhores da Academia Militar passavam anos sem atingir tão honrosa hierarquia militar. O triunfo do 25 de Abril de 1974 não se pode dissociar historicamente deste descontentamento militar, aliado ao descontentamento popular.

Quem mandava era a Junta de Salvação Nacional, composta por militares superiores