Tag Archives: almanaque

Onde está a frente de batalha

Em pleno ardor da Revolução Russa de 1917, hordas de operários, soldados e camponeses que formaram a «Guarda Vermelha», saíram de Petrogrado para defrontarem os «contra-revolucionários», comandados por Kerensky, que queriam por cobro à revolução bolchevique.

Rússia (1917): soldados, marinheiros e operários marcharam juntos pela revolução

O enterro dos suicidas

O suicido tem sido ao longo dos tempos um acto reprovado pela religião, pelos costumes e até pelas leis, pelo que havia práticas arreigadas que demostravam essa repulsão social.

O suicídio como mal social

O abandono de S. João Baptista de Ajudá

A Fortaleza de São João Baptista de Ajudá, localizada na cidade de Ouidah, na costa ocidental africana, na actual República do Benim, foi abandonada pelos portugueses em condições humilhantes, em 1961, o que levou o regime a isolar o último administrador daquela minúscula possessão colonial.

São João Baptista de Ajudá é hoje um museu

A última execução em Coimbra

A última execução da pena de morte em Coimbra aconteceu em 29 de Julho de 1839, data em que foi enforcado no areal do Mondego o homicida José da Costa Casimiro. A abolição da pena capital para todos os crimes civis aconteceria em 1867.

José Casimiro foi enforcado no areal do Mondego

A hospedaria do Pirão

Em 5 de Setembro de 1835 foi publicado no jornal Artilheiro, do Porto, um curioso anúncio dando conta da abertura, em Coimbra, de uma hospedaria especialmente vocacionada para alojar estudantes.

Coimbra antiga

A morte do juiz de Midões

Tinha poiso no antigo concelho de Midões, hoje integrado no de Tábua, o célebre João Brandão, que à frente de um bando armado praticou, ou mandou praticar, imensos crimes nos tempos seguintes à guerra entre miguelistas e liberais. Um deles foi o assassinato do juiz daquela comarca.

A antiga vila de Midões

A Inquisição em Espanha

Segundo o historiador espanhol Juan Antonio Llorente, a inquisição durou em Espanha de 1481 a 1820. Neste tempo (339 anos), são assustadores os números dos condenados e executados nos autos de fé.

A acção do Tribunal do Santo Ofício em Espanha foi uma verdadeira calamidade

O respeito pela velhice

Os cabelos brancos, núncios de uma idade avançada, têm sido respeitados em todos os tempos. Há vários exemplos desse apreço pelos mais velhos na história dos povos.

O respeito pelos idosos vem do fundo da história da humanidade

Safanões e cacetadas

É bem conhecida a frase do ditador António Salazar referente aos maus-tratos ministrados pela polícia aos presos políticos, classificando-os como «uns safanões dados a tempo». Mas aos «safanões» juntar-se-iam mais tarde as «cacetadas», como método necessário e benfazejo.

António de Oliveira Salazar

As mulheres emparedadas

Entre os séculos XII e XV houve uma prática na Europa, fruto de uma visão extrema dos preceitos religiosos, que levou a que muitas mulheres se auto-enclausurassem em pequenas celas, designando-se essas mulheres por emparedadas.

Emparedada

As tendas do grão-vizir

Os judeus de Constantinopla disputavam com os muçulmanos a perfeição das suas religiões. Falando-se a respeito do paraíso, os judeus não tinham pejo em afirmar peremptoriamente que eles seriam os únicos que nele haviam de entrar.

Constantinopla

A aflição do criado do juiz de Midões

O salteador João Brandão, conhecido pelo Terror das Beiras, perseguiu um homem do povo que lhe fizera uma afronta, valendo a acção do seu irmão Roque Brandão, que interveio e livrou o homem de um atroz martírio.

João Brandão, o «Terror das Beiras»

As regências de Portugal

A regência é o governo temporário quando há impedimento de um monarca, ou porque seja demasiado jovem, esteja ausente ou incapacitado, ou haja interregno. Em Portugal a história registou pelo menos dez regências individuais ou colectivas.

D. João, príncipe do Brasil, foi regente durante 24 anos, até se tornar rei D. João VI

Condecorações republicanas

Nos tempos em que a monarquia estava em crise e era fortemente contestada, um convicto republicano, favorecido em bens de fortuna, lembrou-se de ridicularizar os títulos que faziam parte das oligarquias monárquicas, distribuindo-os democraticamente pelos seus criados.

Condecorações e títulos nobiliárquicos

As pontes do diabo

Existem pontes cuja arrojada construção, sobre abomináveis desfiladeiros, leva a pensar que foram obra do Anjo das Trevas, ou que contaram, pelo menos, com a sua preciosa ajuda. A mais afamada ponte do Diabo está na Suíça, mas Portugal também tem uma travessia com esse apodo.

Ponte sobre o rio Reuss na Suiça

As batalhas da guerra franco-prussiana

A sanguinolenta guerra que opôs a França à Prússia em 1870, ficou marcada por grandes e duras batalhas, que fizeram história pela mortalidade que causaram e pela respeitabilidade que impuseram aos dois monarcas na hora da capitulação.

Avanço prussiano na batalha de Gravelotte

O glorioso baralho de cartas

Em Inglaterra, nos tempos em que reinava Jorge III, numa igreja de Glasgow, o soldado Ricardo Middleton, foi surpreendido olhando para um baralho de cartas espalhado à sua frente, em vez de ler a Bíblia, como faziam os seus camaradas.

O soldado Ricardo Middleton glorificou o baralho de cartas

A curiosidade do criado de Tasso

O criado de Torcato Tasso cismava em saber o que o seu amo fazia enquanto fechado no quarto por longas horas esquecidas. Fabricaria moeda falsa? Elaborava planos para uma conspiração? Seriam ignominiosas feitiçarias?

O poeta italiano Torcato Tasso (1544-1595)

O espírito suicida dos soldados japoneses

No decurso da Segunda Guerra Mundial, uma força norte-americana conquistou da ilha de Saipan, no Oceano Pacífico, no dia 7 de Julho de 1944, deparando-se com uma determinada resistência dos defensores japoneses, que, no limite, não aceitando a derrota, preferiam suicidar-se.

Soldados japoneses em carga banzai

O deus Pan e a origem do pânico

Filho de Hermes, de Penélope ou de Mercúrio (dentre as variadas versões), Pan é o deus mais feio da mitologia. Considerado o deus dos pastores, é vulgarmente representado com pés de cabra e pernas peludas e tortas, para além de orelhas esguias e cornos a enfeitar-lhe a cabeça.

O deus Pan

A origem de decote feminino

O uso de roupa feminina que mostra parte dos seios terá tido origem, segundo reza uma lenda antiga, na atitude das mulheres de uma tribo franca face à debilidade dos homens no campo de batalha.

O direito ao decote deve-se à coragem das mulheres sicambas

Conselho de advogado

Um advogado, convencido de que um seu cliente estava inocente da vil acusação de ter furtado um relógio, defendeu-o eloquentemente na barra do tribunal.

O larápio foi absolvido pelo tribunal

O imperador Domiciano

O imperador romano Domiciano foi, sem dúvida, um dos maiores perseguidores da religião cristã nascente e um dos tiranos que mais envergonham a púrpura dos Césares.

Domiciano

Pigmeus – a verdade e o mito

Pigmeu é a designação de alguém cuja altura média é invulgarmente baixa. Há povos pigmeus, sendo os mais famosos os Mbuti, onde os homens adultos crescem, em média, a menos de 150 centímetros de altura.

Pigmeus africanos com um explorador europeu

Os nomes de Deus

Em todas as línguas, os nomes de Deus significam alguma das suas infinitas perfeições, sejam a bondade, a grandeza, a sabedoria ou a omnipotência divina.

Os nomes de Deus significam grandeza, sabedoria e intangibilidade

Jonathan Swift e o camponês

Conta-se que Jonathan Swift, o célebre autor do livro As Viagens de Gulliver, indo uma ocasião de jornada, chegou a uma estalagem onde pensou em pernoitar.

Jonathan Swift

O padre e o regedor da freguesia

Há muitos anos, numa aldeia do interior de Portugal, certo eclesiástico pregava no púlpito, quando dirigiu um singular apelo aos paroquianos. Na mesma aldeia, o regedor escreveu um ofício muito curioso ao administrador concelhio.

Episódios passados numa aldeia antiga

O mancebo romano

Avisaram um dia o imperador romano César Augusto de que em Roma se achava um mancebo em tudo parecido com ele, o que fez com que o imperador ordenasse que o trouxessem à sua presença.

César Augusto

O calendário muçulmano

Os seguidores de Maomé começaram a contar o primeiro ano da sua era numa sexta-feira, dia 16 de Julho – corria o ano 622 da era cristã. Deram-lhe o nome de Hedsjera, palavra árabe que significa fuga ou perseguição, em evocação da data em que Maomé saiu fugitivo de Meca para se refugiar em Medina.

Calendário Islâmico

O calendário jacobino

Com o objetivo de alterar profundamente a organização social, foi criado o calendário da Revolução Francesa, um símbolo de uma nova era que se iniciava. O novo calendário, baseado no ciclo da natureza, tinha características marcadamente anticlericais, daí ser também designado por calendário jacobino.

O Calendário Revolucionário

A simbologia da mão

Uma mão branca era, nos tempos antigos, símbolo de inocência; uma mão vermelha simbolizava a força do guerreiro; uma mão calosa indicava vulgaridade.

As mãos podem ter uma forte simbologia

As histórias do marechal de Villars

O marechal Claude Louis Hector de Villars foi um militar notável, cujo nome ficou na história de França, não apenas pelas glórias nos campos de batalha, mas também pelos muitos episódios rocambolescos que se dizem ter acontecido na sua longa vida.

Marechal de Villars

A espada do Papa Júlio II

O papa Júlio II (pontífice de 1503 a 1513) incumbiu Miguel Ângelo de lhe fundir a estátua, pretendendo ficar para a posteridade com uma espada segura na mão esquerda.

O Papa Júlio II

As alucinações do general Ramires

Na altura da Segunda Guerra Mundial o governo de Portugal temeu que houvesse uma invasão dos Açores, atendendo à localização estratégica do arquipélago, no Atlântico, a meio caminho entre a Europa e a América do Norte. Face a isso, reforçou o dispositivo militar que estava a cargo do general Ramires, então comandante em chefe das forças que guarneciam as ilhas.

Açores

A mudança do baú

Conta-se num velho almanaque de 1870 que, uma vez, em Lisboa, um inquilino quis mudar de domicílio, passando de Alfama para Santa Isabel. Dentre a pouca mobília que possuía contava-se um velho e carunchoso baú.

Um velho baú

A lição do jovem tenente

John Jervis, conhecido por Lord Saint-Vincent (1735-1823), almirante inglês, era de uma exigência diabólica em matéria de serviço, sendo temido por todos os oficiais que iam a despacho. Mas um jovem tenente soube ripostar às suas duras imposições.

O Almirante inglês Saint-Vincent

Os bons conselhos de Pitágoras

Pitágoras não foi apenas um filósofo e matemático. Este grego jónico, nascido na ilha de Samos, foi também um moralista, que deixou conselhos práticos, decorrentes do que ele próprio aprendeu com a vida.

Pitágoras (582 – 497 a.C.)

A equação do tempo

Alguns almanaques antigos continham informação sobre a precisão das horas, minutos e segundos em cada dia do ano, estabelecendo as diferenças entre o tempo verdadeiro e o tempo uniforme, a que se chamava Equação do Tempo.

A tábua da equação no ano1871.

O Intruja a Gente

Após a implantação da República apareceu em Portugal, entre outros, o jornal «O Intransigente», que empolgava os valores republicanos. Mas o dito periódico ganhou ferozes adversários que, para o desprestigiarem industriavam os ardinas a apreguá-lo como «O Intruja a Gente».

Machado Santos – herói republicano e fundador do jornal «O Intransigente»