Tag Archives: almanaque

Condecorações republicanas

Nos tempos em que a monarquia estava em crise e era fortemente contestada, um convicto republicano, favorecido em bens de fortuna, lembrou-se de ridicularizar os títulos que faziam parte das oligarquias monárquicas, distribuindo-os democraticamente pelos seus criados.

Condecorações e títulos nobiliárquicos

As pontes do diabo

Existem pontes cuja arrojada construção, sobre abomináveis desfiladeiros, leva a pensar que foram obra do Anjo das Trevas, ou que contaram, pelo menos, com a sua preciosa ajuda. A mais afamada ponte do Diabo está na Suíça, mas Portugal também tem uma travessia com esse apodo.

Ponte sobre o rio Reuss na Suiça

As batalhas da guerra franco-prussiana

A sanguinolenta guerra que opôs a França à Prússia em 1870, ficou marcada por grandes e duras batalhas, que fizeram história pela mortalidade que causaram e pela respeitabilidade que impuseram aos dois monarcas na hora da capitulação.

Avanço prussiano na batalha de Gravelotte

O glorioso baralho de cartas

Em Inglaterra, nos tempos em que reinava Jorge III, numa igreja de Glasgow, o soldado Ricardo Middleton, foi surpreendido olhando para um baralho de cartas espalhado à sua frente, em vez de ler a Bíblia, como faziam os seus camaradas.

O soldado Ricardo Middleton glorificou o baralho de cartas

A curiosidade do criado de Tasso

O criado de Torcato Tasso cismava em saber o que o seu amo fazia enquanto fechado no quarto por longas horas esquecidas. Fabricaria moeda falsa? Elaborava planos para uma conspiração? Seriam ignominiosas feitiçarias?

O poeta italiano Torcato Tasso (1544-1595)

O espírito suicida dos soldados japoneses

No decurso da Segunda Guerra Mundial, uma força norte-americana conquistou da ilha de Saipan, no Oceano Pacífico, no dia 7 de Julho de 1944, deparando-se com uma determinada resistência dos defensores japoneses, que, no limite, não aceitando a derrota, preferiam suicidar-se.

Soldados japoneses em carga banzai

O deus Pan e a origem do pânico

Filho de Hermes, de Penélope ou de Mercúrio (dentre as variadas versões), Pan é o deus mais feio da mitologia. Considerado o deus dos pastores, é vulgarmente representado com pés de cabra e pernas peludas e tortas, para além de orelhas esguias e cornos a enfeitar-lhe a cabeça.

O deus Pan

A origem de decote feminino

O uso de roupa feminina que mostra parte dos seios terá tido origem, segundo reza uma lenda antiga, na atitude das mulheres de uma tribo franca face à debilidade dos homens no campo de batalha.

O direito ao decote deve-se à coragem das mulheres sicambas

Conselho de advogado

Um advogado, convencido de que um seu cliente estava inocente da vil acusação de ter furtado um relógio, defendeu-o eloquentemente na barra do tribunal.

O larápio foi absolvido pelo tribunal

O imperador Domiciano

O imperador romano Domiciano foi, sem dúvida, um dos maiores perseguidores da religião cristã nascente e um dos tiranos que mais envergonham a púrpura dos Césares.

Domiciano

Pigmeus – a verdade e o mito

Pigmeu é a designação de alguém cuja altura média é invulgarmente baixa. Há povos pigmeus, sendo os mais famosos os Mbuti, onde os homens adultos crescem, em média, a menos de 150 centímetros de altura.

Pigmeus africanos com um explorador europeu

Os nomes de Deus

Em todas as línguas, os nomes de Deus significam alguma das suas infinitas perfeições, sejam a bondade, a grandeza, a sabedoria ou a omnipotência divina.

Os nomes de Deus significam grandeza, sabedoria e intangibilidade

Jonathan Swift e o camponês

Conta-se que Jonathan Swift, o célebre autor do livro As Viagens de Gulliver, indo uma ocasião de jornada, chegou a uma estalagem onde pensou em pernoitar.

Jonathan Swift

O padre e o regedor da freguesia

Há muitos anos, numa aldeia do interior de Portugal, certo eclesiástico pregava no púlpito, quando dirigiu um singular apelo aos paroquianos. Na mesma aldeia, o regedor escreveu um ofício muito curioso ao administrador concelhio.

Episódios passados numa aldeia antiga

O mancebo romano

Avisaram um dia o imperador romano César Augusto de que em Roma se achava um mancebo em tudo parecido com ele, o que fez com que o imperador ordenasse que o trouxessem à sua presença.

César Augusto

O calendário muçulmano

Os seguidores de Maomé começaram a contar o primeiro ano da sua era numa sexta-feira, dia 16 de Julho – corria o ano 622 da era cristã. Deram-lhe o nome de Hedsjera, palavra árabe que significa fuga ou perseguição, em evocação da data em que Maomé saiu fugitivo de Meca para se refugiar em Medina.

Calendário Islâmico

O calendário jacobino

Com o objetivo de alterar profundamente a organização social, foi criado o calendário da Revolução Francesa, um símbolo de uma nova era que se iniciava. O novo calendário, baseado no ciclo da natureza, tinha características marcadamente anticlericais, daí ser também designado por calendário jacobino.

O Calendário Revolucionário

A simbologia da mão

Uma mão branca era, nos tempos antigos, símbolo de inocência; uma mão vermelha simbolizava a força do guerreiro; uma mão calosa indicava vulgaridade.

As mãos podem ter uma forte simbologia

As histórias do marechal de Villars

O marechal Claude Louis Hector de Villars foi um militar notável, cujo nome ficou na história de França, não apenas pelas glórias nos campos de batalha, mas também pelos muitos episódios rocambolescos que se dizem ter acontecido na sua longa vida.

Marechal de Villars

A espada do Papa Júlio II

O papa Júlio II (pontífice de 1503 a 1513) incumbiu Miguel Ângelo de lhe fundir a estátua, pretendendo ficar para a posteridade com uma espada segura na mão esquerda.

O Papa Júlio II

As alucinações do general Ramires

Na altura da Segunda Guerra Mundial o governo de Portugal temeu que houvesse uma invasão dos Açores, atendendo à localização estratégica do arquipélago, no Atlântico, a meio caminho entre a Europa e a América do Norte. Face a isso, reforçou o dispositivo militar que estava a cargo do general Ramires, então comandante em chefe das forças que guarneciam as ilhas.

Açores

A mudança do baú

Conta-se num velho almanaque de 1870 que, uma vez, em Lisboa, um inquilino quis mudar de domicílio, passando de Alfama para Santa Isabel. Dentre a pouca mobília que possuía contava-se um velho e carunchoso baú.

Um velho baú

A lição do jovem tenente

John Jervis, conhecido por Lord Saint-Vincent (1735-1823), almirante inglês, era de uma exigência diabólica em matéria de serviço, sendo temido por todos os oficiais que iam a despacho. Mas um jovem tenente soube ripostar às suas duras imposições.

O Almirante inglês Saint-Vincent

Os bons conselhos de Pitágoras

Pitágoras não foi apenas um filósofo e matemático. Este grego jónico, nascido na ilha de Samos, foi também um moralista, que deixou conselhos práticos, decorrentes do que ele próprio aprendeu com a vida.

Pitágoras (582 – 497 a.C.)

A equação do tempo

Alguns almanaques antigos continham informação sobre a precisão das horas, minutos e segundos em cada dia do ano, estabelecendo as diferenças entre o tempo verdadeiro e o tempo uniforme, a que se chamava Equação do Tempo.

A tábua da equação no ano1871.

O Intruja a Gente

Após a implantação da República apareceu em Portugal, entre outros, o jornal «O Intransigente», que empolgava os valores republicanos. Mas o dito periódico ganhou ferozes adversários que, para o desprestigiarem industriavam os ardinas a apreguá-lo como «O Intruja a Gente».

Machado Santos – herói republicano e fundador do jornal «O Intransigente»

Introdução do tabaco na Europa

As primeiras plantas de tabaco que chegaram à Europa vieram da ilha de Tabago, nas Antilhas, América Central. O uso de tabaco generalizou-se muito depressa, consumindo-se pela inalação de fumo e de pó, e ainda em tisanas para fins medicinais.

Plantação de tabaco

Um defensor e um opositor do tabaco

Olivier de Serres, célebre agrónomo e escritor francês do final do século XVI, foi um eminente propagador das qualidades do tabaco. Já para o inglês Peter Columbell, que viveu na mesma época, o tabaco era detestável por ser nocivo para o indivíduo e para a sociedade.

Fumando tabaco

O juramento dos mortos no antigo Egipto

O antigo Egipto havia um profundo apego à religião e à crença da vida para além da morte, sendo arreigado uso fazer acompanhar os mortos por um documento que atestava que não cometeram faltas graves durante a vida terrena.

Sarcófago egípcio

As causas do suicídio no Século XIX

Um estudo comparativo dos suicídios ocorridos em Londres e Paris, em meados do século XIX, revelou que um quarto tinha por causa penas amorosas, outro a miséria, outro as doenças precedidas de intemperança e outro as perdas no jogo ou desastres repentinos de fortuna.

Entre os jovens preferia-se a morte por suspensão

O cavalo de Júlio César

No império Romano os cavalos lusitanos gozavam de enorme reputação. Conta-se que o general e imperador Júlio César não queria para si e para a sua guarda de honra outros cavalos que não os da raça lusitana.

Júlio César ao comando das hostes romanas

Os cedros do Líbano

Não é por acaso que o cedro é o símbolo nacional do Líbano, de resto presente na própria bandeira do país – foi com a madeira daquelas árvores majestosas que o rei Salomão mandou edificar o magnífico templo de Jerusalém.

Um formoso cedro do Líbano

As ideias de Benjamim Franklin

Há quem chame a Benjamim Franklin, que foi um dos primeiros estatistas americanos, o Leonardo de Vinci dos Estados Unidos. É de facto impressionante a lista das suas espantosas actividades e invenções.

Benjamim Franklin

Os perigos do casamento (para a mulher)

O casamento entre homem e mulher foi algo que ocorreu sucessivamente em todos os tempos e na generalidade das sociedades, porém a vida conjugal tem limitações e riscos que também a tornam indesejável.

Casamento de Romanos

A agonia do general

O general Navaez estava deitado no catre sofrendo os transes da agonia. Tinha um carácter sanguinário, e tornara-se odioso pelos fuzilamentos em massa que por sua ordem foram praticados em Espanha no reinado de Isabel II.

O general espanhol Ramón María Narváez

Padres-nossos

Todos conhecem a oração cristã designada de Pai-nosso, ou Padre-nosso. Porém circulam várias versões imitativas conquanto seja rezada por estudantes, jornalistas, músicos, actores e, até, bêbados.

Reacções face ao nascimento dos filhos

Os comportamentos face ao nascimento dos filhos nas diferentes civilizações. Uma visão quantitativa da vida. Anedotas de bolso.

O nascimento de uma criança pode gerar diferentes reações

As preferências das actrizes em 1930

Nos anos 30 do século passado, o ambiente artístico (salvaguardando questões de época) era como agora, prevalecendo, para além da competência e da mestria, sinais de trivialidade. É o que ressalta de um inquérito feito às actrizes portuguesas mais notáveis daquele tempo.

Maria Clementina preferia os cigarros Abdula

Teorias populares de previsão do tempo

Muito antes de se recorrer à tecnologia para prever o tempo, as pessoas faziam-no pela observação e com base em crenças populares, evitando ser surpreendidas pelo mau tempo.

Pode prever-se o tempo observando o comportamento dos animais