Category Archives: Histórias de Almanaque

O glorioso baralho de cartas

Em Inglaterra, nos tempos em que reinava Jorge III, numa igreja de Glasgow, o soldado Ricardo Middleton, foi surpreendido olhando para um baralho de cartas espalhado à sua frente, em vez de ler a Bíblia, como faziam os seus camaradas.

O soldado Ricardo Middleton glorificou o baralho de cartas

A curiosidade do criado de Tasso

O criado de Torcato Tasso cismava em saber o que o seu amo fazia enquanto fechado no quarto por longas horas esquecidas. Fabricaria moeda falsa? Elaborava planos para uma conspiração? Seriam ignominiosas feitiçarias?

O poeta italiano Torcato Tasso (1544-1595)

O espírito suicida dos soldados japoneses

No decurso da Segunda Guerra Mundial, uma força norte-americana conquistou da ilha de Saipan, no Oceano Pacífico, no dia 7 de Julho de 1944, deparando-se com uma determinada resistência dos defensores japoneses, que, no limite, não aceitando a derrota, preferiam suicidar-se.

Soldados japoneses em carga banzai

O deus Pan e a origem do pânico

Filho de Hermes, de Penélope ou de Mercúrio (dentre as variadas versões), Pan é o deus mais feio da mitologia. Considerado o deus dos pastores, é vulgarmente representado com pés de cabra e pernas peludas e tortas, para além de orelhas esguias e cornos a enfeitar-lhe a cabeça.

O deus Pan

A origem de decote feminino

O uso de roupa feminina que mostra parte dos seios terá tido origem, segundo reza uma lenda antiga, na atitude das mulheres de uma tribo franca face à debilidade dos homens no campo de batalha.

O direito ao decote deve-se à coragem das mulheres sicambas

Conselho de advogado

Um advogado, convencido de que um seu cliente estava inocente da vil acusação de ter furtado um relógio, defendeu-o eloquentemente na barra do tribunal.

O larápio foi absolvido pelo tribunal

Uma pseudociência chamada Frenologia

A Frenologia tentou provar que a capacidade intelectual e o carácter moral das pessoas são revelados pela forma do seu crânio. Mas os axiomas da Frenologia geraram viva e ampla polémica entre os cientistas.

Frenologia – uma ciência do imaginário

João de Áustria perante o castelo de Alegrete

Juan José de Áustria, conhecido em português por João de Áustria, era filho bastardo de Filipe IV de Espanha (Filipe III de Portugal), e foi por este encarregado de por termo à conjura que a fidalguia lusitana armou em 1640.

D. João de Áustria

Anedotas jesuíticas

O anticlericalismo centrou-se muito na critica à Companhia de Jesus, com manifestações contrárias e esta ordem religiosa que se expressaram de diferentes formas, incluindo o chiste anedótico. Porém o anedotário jesuítico também contém piadas que traduzem a perspicácia dos membros da ordem fundada por Inácio de Loyola.

A Companhia de Jesus no Brasil

O bom geógrafo

No porto de Lisboa, em pleno século XVIII, houve uma ordem para que os navios procedentes do porto espanhol de Cádis fizessem quarentena, em consequência da febre amarela que ali se havia manifestado.

A distância entre Cádis e Barcelona

Brito Camacho e o leitor de «A Luta»

Nas horas longas da revolução republicana, que triunfou no dia 5 de Outubro de 1910, os principais conjurados civis reuniram na redacção do jornal A Luta (Lucta na grafia da época), dirigido por Brito Camacho.

O jornal de Brito Camacho – edição de 5 de Outubro de 1910

Afonso Costa e a revolução republicana

Afonso Costa foi um chefe republicano que esteve na primeira linha da revolução que eclodiu em Lisboa e implantou a República no dia 5 de Outubro de 1910.

Afonso Costa

Comandantes com diferentes temperamentos

Os imperadores Frederico II e Napoleão Bonaparte viveram em épocas diferentes e também muito díspares foram os seus temperamentos enquanto comandantes militares. Frederico tratava com rudeza os soldados do império prussiano e Napoleão era condescendente com os militares do exército imperial francês.

Napoleão Bonaparte

A esperteza de um doido

Certo domingo, ao sair da missa das onze, padre Zacarias atravessava o adro por entre os seus fregueses descobertos, quando um homem, por todos considerado alienado, lhe tomou o passo e lhe disparou uma pergunta.

Todos os Domingos são Santos?

Nomes árabes

Como se sabe, os árabes dominaram a Península Ibéria durante largos séculos. Aqui viveram e conviveram, e das suas tradições ficaram alguns factos curiosos que foram estudados por historiadores, como foi o caso dos nomes que davam às mulheres.

Mulheres árabes

O imperador Domiciano

O imperador romano Domiciano foi, sem dúvida, um dos maiores perseguidores da religião cristã nascente e um dos tiranos que mais envergonham a púrpura dos Césares.

Domiciano

Pigmeus – a verdade e o mito

Pigmeu é a designação de alguém cuja altura média é invulgarmente baixa. Há povos pigmeus, sendo os mais famosos os Mbuti, onde os homens adultos crescem, em média, a menos de 150 centímetros de altura.

Pigmeus africanos com um explorador europeu

Os nomes de Deus

Em todas as línguas, os nomes de Deus significam alguma das suas infinitas perfeições, sejam a bondade, a grandeza, a sabedoria ou a omnipotência divina.

Os nomes de Deus significam grandeza, sabedoria e intangibilidade

A fama do vinho português em Inglaterra

No século XVIII, sendo o vinho francês protegido em Inglaterra por um tratado comercial, um bom apreciador de vinhos veio a terreiro denunciar o erro daquele acto, por prejudicar o vinho português, o único que deixava os seus bebedores de excelente e belo humor.

Vinho português

Jonathan Swift e o camponês

Conta-se que Jonathan Swift, o célebre autor do livro As Viagens de Gulliver, indo uma ocasião de jornada, chegou a uma estalagem onde pensou em pernoitar.

Jonathan Swift

O padre e o regedor da freguesia

Há muitos anos, numa aldeia do interior de Portugal, certo eclesiástico pregava no púlpito, quando dirigiu um singular apelo aos paroquianos. Na mesma aldeia, o regedor escreveu um ofício muito curioso ao administrador concelhio.

Episódios passados numa aldeia antiga

Os amigos de Petrarca

O escritor e poeta italiano do século XIV, Francesco Petrarca, considerado o fundador do humanismo e o criador do soneto, dedicava-se por inteiro ao estudo. Não lhe restando tempo para a convivialidade pública, muitos pensavam que ele não tinha um único amigo.

Francesco Petrarca

O mancebo romano

Avisaram um dia o imperador romano César Augusto de que em Roma se achava um mancebo em tudo parecido com ele, o que fez com que o imperador ordenasse que o trouxessem à sua presença.

César Augusto

O calendário muçulmano

Os seguidores de Maomé começaram a contar o primeiro ano da sua era numa sexta-feira, dia 16 de Julho – corria o ano 622 da era cristã. Deram-lhe o nome de Hedsjera, palavra árabe que significa fuga ou perseguição, em evocação da data em que Maomé saiu fugitivo de Meca para se refugiar em Medina.

Calendário Islâmico

O calendário jacobino

Com o objetivo de alterar profundamente a organização social, foi criado o calendário da Revolução Francesa, um símbolo de uma nova era que se iniciava. O novo calendário, baseado no ciclo da natureza, tinha características marcadamente anticlericais, daí ser também designado por calendário jacobino.

O Calendário Revolucionário

A festa do Ó

Antigamente designava-se por Ó o beberete, merenda ou convite, que se dava nas catedrais, colegiadas e mosteiros, em cada um dos sete dias antes do Natal, principiando nas primeiras vésperas da festa da Expectação que também foi chamada festa do Ó. Daqui nasceria a festa da Senhora do Ó.

O «convite» do Ó deu lugar ao culto de Nossa Senhora do Ó

A simbologia da mão

Uma mão branca era, nos tempos antigos, símbolo de inocência; uma mão vermelha simbolizava a força do guerreiro; uma mão calosa indicava vulgaridade.

As mãos podem ter uma forte simbologia

Os pretendentes de Penélope

Quem já leu a Odisseia de Homero sabe que Ulisses deixou a sua mulher Penélope esperando pelo seu regresso da campanha de Tróia. A delonga foi, porém, tão prolongada que muitos deram Ulisses por morto e a bela Penélope por viúva.

Penélope foi fiel a Ulisses

A nefasta varejadura das oliveiras

Desde a antiguidade que tem sido condenado o uso bárbaro de varejar as oliveiras. Propõem os entendidos que a apanha da azeitona se faça à mão, utilizando escadas e tesouras, ou usando canas flexíveis, tudo de modo a poupar os ramos tenros da árvore.

Apanha da azeitona

As histórias do marechal de Villars

O marechal Claude Louis Hector de Villars foi um militar notável, cujo nome ficou na história de França, não apenas pelas glórias nos campos de batalha, mas também pelos muitos episódios rocambolescos que se dizem ter acontecido na sua longa vida.

Marechal de Villars

A sátira de Simónides sobre as mulheres

As mulheres têm tido detratores em todos os tempos, mas há quem atribua a Simónides, poeta lírico nascido na ilha de Ceos, na Antiga Grécia, a rábula de maior mau gosto sobre a condição feminina.

Para Simónides o carácter das mulheres depende dos seus elementos de origem

Beber em convívio

Beber em boa companhia, acompanhando um saboroso petisco ou uma lauta refeição, é coisa muito comum. Mas há quem defenda que a virtude de uma refeição é proporcionar um momento de farta beberagem entre os que se juntam ao redor da mesa.

Os Bêbados – de José Malhoa

A espada do Papa Júlio II

O papa Júlio II (pontífice de 1503 a 1513) incumbiu Miguel Ângelo de lhe fundir a estátua, pretendendo ficar para a posteridade com uma espada segura na mão esquerda.

O Papa Júlio II

As alucinações do general Ramires

Na altura da Segunda Guerra Mundial o governo de Portugal temeu que houvesse uma invasão dos Açores, atendendo à localização estratégica do arquipélago, no Atlântico, a meio caminho entre a Europa e a América do Norte. Face a isso, reforçou o dispositivo militar que estava a cargo do general Ramires, então comandante em chefe das forças que guarneciam as ilhas.

Açores

A mudança do baú

Conta-se num velho almanaque de 1870 que, uma vez, em Lisboa, um inquilino quis mudar de domicílio, passando de Alfama para Santa Isabel. Dentre a pouca mobília que possuía contava-se um velho e carunchoso baú.

Um velho baú

A louca paixão do general Bannier

John Bannier (1601-1641) foi um general sueco, herói da Guerra dos Trinta Anos, que também ficou conhecido pela fogosa paixão que teve pelas suas mulheres. Morreu novo e, conta-se, foi a felicidade que o matou.

O general Bannier combateu na Guerra dos 30 Anos

A lição do jovem tenente

John Jervis, conhecido por Lord Saint-Vincent (1735-1823), almirante inglês, era de uma exigência diabólica em matéria de serviço, sendo temido por todos os oficiais que iam a despacho. Mas um jovem tenente soube ripostar às suas duras imposições.

O Almirante inglês Saint-Vincent

Os bons conselhos de Pitágoras

Pitágoras não foi apenas um filósofo e matemático. Este grego jónico, nascido na ilha de Samos, foi também um moralista, que deixou conselhos práticos, decorrentes do que ele próprio aprendeu com a vida.

Pitágoras (582 – 497 a.C.)

A equação do tempo

Alguns almanaques antigos continham informação sobre a precisão das horas, minutos e segundos em cada dia do ano, estabelecendo as diferenças entre o tempo verdadeiro e o tempo uniforme, a que se chamava Equação do Tempo.

A tábua da equação no ano1871.