Category Archives: Do Côa ao Noémi

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Atendimento prioritário

Quando é preciso fazer uma lei para que uma pessoa com dificuldades de locomoção ou outro tipo de restrição física seja atendida antes dos restantes cidadãos, o que está mal não é a lei é a sociedade que não devia precisar de tal lei.

O símbolo reflete a prioridade entre os prioritários

O símbolo reflete a prioridade entre os prioritários

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Poldras Pontões e Pontes (7)

:: :: O Pontão de Porto de Ovelha :: :: – Este pontão é o maior pontão do Côa e provavelmente um dos maiores do país. Hoje, o pontão continua a existir no mesmo local mas o seu uso diminuiu com a construção de uma nova ponte a montante.

Pontão de Porto de Ovelha – margem esquerda – montante para jusante

Pontão de Porto de Ovelha – margem esquerda – montante para jusante

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Valorizar o Interior

Depois de muitos anos em sentido contrário, parece que finalmente se percebeu que o país é suficientemente largo e abrange também zonas a que é usual chamar interior. Parece que agora se começou a olhar apara este território, como uma oportunidade.

O abandono do interior provoca degradação das aldeias

O abandono do interior provoca degradação das aldeias

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Os grisalhos

Grisalho será um cidadão que, tendo trabalhado uma vida, está agora a usufruir de uma pensão que pagou ao longo dela com os seus descontos. Peste grisalha será a doença que é provocada na segurança social pelos grisalhos que cada vez vivem mais.

Mãos: dum jovem / dum grisalho

Mãos: dum jovem / dum grisalho

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Por Email

Comunicar por carta é lento e caro. Comunicar por email é rápido e barato. Quem sempre recebeu cartas durante a vida, dificilmente conseguirá receber emails. Mas tem direito a continuar a receber cartas.

185-1

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Isenção de IMI para os partidos

Quando se isenta alguém do pagamento de um imposto, tem de existir a garantia que esse alguém, de uma qualquer forma compensa a sociedade por ter deixado de pagar aquele tributo.

Imposto Municipal sobre Imóveis - IMI

Imposto Municipal sobre Imóveis – IMI

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Responsabilidade Política

Ter como consequência apenas a responsabilidade politica sempre que um politico toma uma qualquer decisão é pouco. A responsabilidade por danos financeiros resultantes dessas decisões deveriam igualmente pertencer-lhes.

183-1

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Poldras Pontões e Pontes (6)

:: :: A Ponte da Cerdeira :: :: – De todas as travessias do Noémi, esta é a mais importante de todas para as populações da zona. Foi talvez por ela existir que o Comboio teve na Cerdeira a maior estação entre a Guarda e Vilar Formoso.

Ponte da Cerdeira vista de Montante para jusante

Ponte da Cerdeira vista de Montante para jusante

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Assiduidade dos Deputados

Não queremos que os deputados que elegemos sejam simples funcionários com horas de entrada e saída rígidas. Mas que diabo!… Queremos que estejam presentes quando a nossa vontade tem de ser expressa pela discussão e pelo seu voto.

Controlo da assiduidade

Controlo da assiduidade

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Poldras Pontões e Pontes (5)

:: :: A Ponte do Engenho :: :: – As pontes ferroviárias de granito são obras de arte com uma imponência directamente proporcional ao esforço que o granito exigiu para ser trabalhado. A sua beleza tem uma dimensão idêntica à do barroco donde cada elemento foi cortado.

Ponte do Engenho sobre o Noémi

Ponte do Engenho sobre o Noémi

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Financiamento dos Partidos Políticos

Se os custos da nossa democracia passam por financiar os partidos políticos então os partidos devem desempenhar o papel de esclarecimento do público que os financia. Por o financiamento indexado ao IAS parece-me perfeitamente desajustado.

Todos os partidos que elegem deputados são financiados

Todos os partidos que elegem deputados são financiados

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Poldras, Pontões e Pontes (4)

:: :: A Ponte de FERRO :: :: – Pelo menos entre a Guarda e Vilar Formoso todos sabem e muitos conhecem a Ponte de Ferro. O que alguns desconhecem é que esta ponte afinal é de Alvenaria de Granito e por isso pedra. De qualquer modo é uma obra de arte imponente.

 Vista parcial da ponte ferroviária sobre o Côa – (Ponte de ferro)


Vista parcial da ponte ferroviária sobre o Côa – (Ponte de ferro)

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

A estabilidade das regras

Ninguém investe quando as regras que regem a sociedade e o investimento estão a mudar permanentemente. Quem muda as regras é responsável pelo não investimento e tem nome: Os políticos que nós elegemos.

Apoio parlamentar ao Governo

Apoio parlamentar ao Governo

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Poldras, Pontões e Pontes (3)

:: :: As Chancas do Malhadil em Pailobo :: :: – Nalguns locais chamam-lhe chancas, noutros poldras noutros ainda passadiços, mas tenham o nome que tiverem, são as construções mais rudimentares que o homem fez para atravessar os nossos rios. Apenas permitiam a travessia a pé, e com alguma habilidade.

As chancas, poldras ou passadiços

As chancas, poldras ou passadiços

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

A Constitucionalidade das coisas

às vezes a linguagem utilizada pelos nossos Magistrados Judiciais é muito fechada para que a generalidade das pessoas a possa entender. E isso é um defeito. Todos a deviam poder entender sem tradutor. Experimentem ler o acórdão que abaixo refiro no link.

175-1

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Poldras, Pontões e Pontes (2)

:: :: O PONTÃO DE PAILOBO :: :: – As pontes unem as margens dos rios para permitir que quem mora dum lado possa deslocar-se ao outro. São sempre um símbolo de união. Unem o que os rios tentam separar.

O pontão de Pailobo

O pontão de Pailobo

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Sócrates pede subvenção vitalícia

Faz como eu digo e não como eu faço. Na guerra podem ser usadas todas as armas, mesmo as que, em tempo de paz, nunca sairiam das bainhas. Acusados na praça pública podem e devem defender-se também na mesma arena.

173-1

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Pontes, Pontões e Poldras (1)

“A ponte é uma passagem… para a outra margem” e “A ponte é a união de duas margens”, são duas frases que podem definir uma ponte, um pontão ou mesmo umas poldras.

Ponte sobre a Ribeira de Aguiar em F.C. Rodrigo

Ponte sobre a Ribeira de Aguiar em F.C. Rodrigo

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Subvenções dos políticos

Lista das subvenções. Depois de um vergonhoso processo, finalmente foi divulgada a lista das subvenções atribuídas até 12 de Agosto de 2016. Como podemos ter ainda pessoas que acham que as subvenções deviam ser secretas?

Parlamento – A maior parte dos subvencionados passou por aqui

Parlamento – A maior parte dos subvencionados passou por aqui

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Crónicas do Gervásio – A pesca furtiva

Apanhar peixes no rio para comer, mesmo que os métodos não fossem os mais ortodoxos era uma prática relativamente tolerada. Embora nessa altura a palavra sustentabilidade ainda não fizesse parte do vocabulário do Gervásio, ele e os seus amigos eram praticantes, pois sabiam que, se estragassem as condições do rio, teriam menos peixe no próximo ano.

Flor do Budle (Embude) – Planta com raízes tóxicas

Flor do Budle (Embude) – Planta com raízes tóxicas

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Rendimento Básico Incondicional (RBI)

Receber mensalmente um valor pago pelo Estado sem que isso seja o resultado do trabalho é algo a que não estamos habituados. O RBI é exactamente isso. Receber, mesmo sem trabalhar, não me soa bem.

169 - 1

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Subvenções vitalícias secretas?

Já é suficientemente mau existirem subvenções vitalícias atribuídas nas condições lamentáveis que todos conhecemos e muitos criticamos. Agora os seus valores e titulares serem considerados secretos, parece-me um exagero e uma nítida afronta à generalidade dos cidadãos.

168 - 1

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Ensino público/privado

A dicotomia Público/Privado sempre existiu nas diferentes áreas, em toda a sociedade portuguesa. Ensino particular a ser pago pelo Estado, que tem o dever de garantir o ensino publico, em zonas onde exista público, é que não tinha até agora havido.

Universo do ensino

Universo do ensino

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Crónicas do Gervásio – A Pesca

A caça e a pesca, mesmo furtivas e utilizando métodos nem sempre legais, sempre foi uma actividade que todos exerciam. É que, no tempo do Gervásio, comer peixe fresco na sua terra, só se fosse apanhado no Noémi ou no Côa. Por isso, apanhava-se da forma que cada um podia.

Uma boga pescada no rio

Uma boga pescada no rio

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Para quem Escrevemos?

Escrevemos para quem nos lê. Escrever sem destinatário definido é como disparar para o meio de um bando de perdizes. Só por sorte acertamos numa. É por isso que devemos escrever com o leitor em mente pois ele é a razão da nossa escrita.

O hábito de escrever cartas foi ultrapassado pela tecnologia

O hábito de escrever cartas foi ultrapassado pela tecnologia

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Leis por medida

Fatos por medida, ficam bem a quem os faz e a quem os usa. Leis por medida ficam mal a quem as faz e sabem bem a quem as utiliza. Leis à medida em democracia são o que de pior a democracia permite.

Um fato por medida, assenta que nem uma luva

Um fato por medida, assenta que nem uma luva

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Por que escrevemos? Como escrevemos?

Escrevemos sempre a pensar que alguém nos lê. Quando escrevemos temos em mente um leitor com quem conversaríamos se não estivesse-mos a escrever. O retorno desse leitor imaginário é o motor da nossa escrita.

E se escrevêssemos como falamos?

E se escrevêssemos como falamos?

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Abandonar animais é crime

Abandonar animais é crime – Não sejamos criminosos. As pessoas, enquanto seres humanos racionais gostam e têm necessidade de conviver com animais domésticos. Abandoná-los das mais diferentes formas e nos mais variados lugares é um crime.

Cão abandonado

Cão abandonado

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

As infracções de trânsito

Quando infringimos regras gerais da sociedade devemos ser sancionados. O processo de sancionar deve ser claro, fiável e perceptível a todos, principalmente aos infractores quando estes têm já uma idade avançada.

Uma infracção

Uma infracção

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

As Confrarias

Ser confrade é ser membro de uma associação a que vulgarmente se chama confraria. As confrarias, principalmente as gastronómicas, destinam-se a divulgar e defender produtos gastronómicos com características únicas.

As duas confrarias raianas: a do Bucho e a dos Aromas e Sabores

As duas confrarias raianas: a do Bucho e a dos Aromas e Sabores

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

O interesse público

Em todas as sociedades, e a nossa não é excepção, sempre existiu e continuará a existir a dicotomia interesse público e interesse privado. Ambos são legítimos mas por norma há uma prevalência do público quando em confronto.

Dois interesses que estão presentes na sociedade

Dois interesses que estão presentes na sociedade

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Por que escrevemos?

Escrevemos quando queremos comunicar alguma coisa. A comunicação através da escrita tem um carácter duradouro que a comunicação oral não pode ter. Por isso, escrevemos ou “teclamos” para comunicar o que de boca não conseguimos dizer com a mesma abrangência.

Escrevendo ou «teclando»

Escrevendo ou «teclando»

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

As Comunicações

Comunicar começou por ser uma necessidade entre as pessoas para poderem entender-se através da fala. Continuou sendo uma necessidade quando as pessoas precisaram de transmitir informação à distância. É hoje uma necessidade quando, usando as redes, precisamos de aceder à informação.

Antenas da rede móvel

Antenas da rede móvel

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Animais Domésticos – Eutanásia

As pessoas, enquanto seres humanos racionais gostam e têm necessidade de conviver com animais domésticos. E quando os animais, pela sua idade, ou doença perdem as capacidades mínimas para poderem dignamente viver será que se justifica mantê-los? Não.

O Lord

O Lord

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

A aplicação de pesticidas – Novas regras

Depois de uma entrada de leão, o Ministério da Agricultura teve de meter a viola no saco e fazer que devia ter feito quando publicou aquela lei. Pesticidas de uso não profissional não obrigam a acção de formação prévia para a sua aplicação.

O uso de equipamento de protecção é obrigatório

O uso de equipamento de protecção é obrigatório

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Crónicas do Gervásio – Noites de Sueca

Nalgumas noites de inverno, que são maiores do que as de verão, o Gervásio e os seus companheiros mais próximos, juntavam-se para jogar à sueca. Por norma jogavam na casa de um deles, mas a maior parte das vezes o assunto era resolvido na casa do Ti Tavares.

Apontamento de controle do jogo

Apontamento de controle do jogo

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Produtividade Público/Privado

Já por varias vezes falámos de produtividade. Produtividade é um conceito que pretende representar a relação entre os custos dos recursos usados e os produtos produzidos.

153 - 1

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Crónicas do Gervásio – A caça

No tempo do Gervásio, embora a caça fosse uma actividade reservada aos caçadores profissionais, a verdade é que todos ou quase todos num momento qualquer acabavam por caçar utilizando métodos não tradicionais.

O Caçador

O Caçador

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Pensões de Reforma – outra vez

Várias vezes temos dedicado várias páginas à sempre actual questão das pensões. Falamos delas quando o Governo as quer reduzir; Falamos delas quando se diz que o sistema não é sustentável e falamos também quando nos dizem que as regras que produzem para as reduzir, são apenas para nós e não para quem faz as regras.

As subvenções pagas aos políticos

As subvenções pagas aos políticos

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Brasão, Selo e Bandeira (13)

:: :: BISMULA :: :: – O brasão da Bismula reflete a geografia do local. O carvalho, limitado por dois cursos de água faz transparecer a reprodução de uma localidade situada entre as Ribeiras da Nave e de Alfaiates – A Bismula.

Igreja matriz da Bismula

Igreja matriz da Bismula