Category Archives: TMG – Guarda

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Filme sobre a Capeia foi exibido no TMG

Na noite de quarta-feira, dia 19 de Julho, a Câmara Municipal do Sabugal levou o documentário sobre a Capeia Arraiana ao Teatro Municipal da Guarda (TMG), depois de ter sido exibido em várias freguesias da raia sabugalense.

Após o filme houve debate com o público

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Lloyd Cole no Teatro Municipal da Guarda

No dia 16 de Setembro, sexta-feira, pelas 21:30, o cantor britânico Lloyd Cole vai actuar no palco do Grande Auditório do Teatro Municipal da Guarda.

Lloyd Cole

Lloyd Cole

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

B.Riddim no palco do TMG

No auditório do Teatro Municipal da Guarda (TMG) vai ser apresentado no dia 29 de Janeiro, pelas 21h30, o último trabalho de Luís Sequeira, conhecido no universo musical pelo nome artístico de B.Riddim.

B.Riddim

B.Riddim

Turismo Centro Portugal - Capeia Arraiana

JiTT foi lançada na cidade da Guarda

A aplicação móvel JiTT (Just in Time Turist) conta aos turistas a história das cidades. Foi apresentada no dia 3 de Fevereiro, no Café Concerto do Teatro Municipal da Guarda por Pedro Machado (Turismo Centro de Portugal), Rui Castro (empresa iClio) e Álvaro Amaro, presidente da Câmara Municipal da Guarda.

Apresentação do JiTT no TMG - Teatro Municipal da Guarda - Rui Castro - Álvaro Amaro - Pedro Machado - Capeia Arraiana

Apresentação do JiTT no TMG – Teatro Municipal da Guarda – Rui Castro – Álvaro Amaro – Pedro Machado (foto: D.R.)

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Miguel Araújo no TMG

No sábado, dia 17 de Janeiro, o Teatro Municipal da Guarda (TMG) apresenta no Grande Auditório, às 21h30, Miguel Araújo, um dos artistas mais completos da nova geração e que é hoje considerado um dos grandes nomes da música portuguesa, destacando-se como compositor, letrista, cantor e músico.

Miguel Araújo

Miguel Araújo

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Bruno Nogueira e Manuela Azevedo no TMG

No próximo dia 6 de Dezembro (sábado), o Teatro Municipal da Guarda (TMG) apresenta no Grande Auditório o espectáculo «Deixem o Pimba em Paz» com o humorista Bruno Nogueira e a cantora (vocalista dos Clã) Manuela Azevedo.

TMG recebe Bruno Nogueira e Manuela Azevedo

TMG recebe Bruno Nogueira e Manuela Azevedo

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Simone de Oliveira no aniversário da Guarda

No dia do 815º Aniversário da Cidade da Guarda, a 27 de novembro (quinta-feira), Simone de Oliveira atua no Grande Auditório do Teatro Municipal da Guarda (TMG), às 21h30. A cantora, um dos nomes maiores da música portuguesa dos últimos 50 anos, será acompanhada em palco pelo pianista Nuno Feist, num espectáculo intimista onde serão apresentados os temas mais marcantes da sua carreira.

Simone de Oliveira vai actuar no TMG

Simone de Oliveira vai actuar no TMG

GNR - © Capeia Arraiana

GNR realiza tertúlias temáticas

O Comando Territorial da Guarda da GNR vai organizar um ciclo de quatro Tertúlias, no âmbito das comemorações do centenário da chegada de uma força dessa corporação à cidade, que designou por «Serões na Guarda».

Cartaz da iniciativa

Cartaz da iniciativa

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Pedro Burmester no TMG

O primeiro grande espectáculo da nova temporada do Teatro Municipal da Guarda (TMG) é já no sábado, dia 13 de setembro, com «Burmester.Pasolini. Bach.», um cine-concerto que homenageia o cineasta Pier Paolo Pasolini e que terá como intérprete ao piano Pedro Burmester, com obras de Johann Sebastian Bach. O cine-concerto terá lugar no Grande Auditório do TMG, às 21h30.

O pianista Pedro Burmester

O pianista Pedro Burmester

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Dead Combo no TMG

Os Dead Combo trazem «A bunch of meninos», o seu mais recente trabalho musical, ao Teatro Municipal da Guarda (TMG) no dia 12 de julho (sábado). A enigmática dupla de músicos portugueses, constituída por Tó Tips (guitarra) e Pedro Gonçalves (contrabaixo, melódica e guitarra), apresenta-se às 21h30 no Grande Auditório.

Os Dead Combo

Os Dead Combo

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

«Água de Neve» de Nuno de Montemor no TMG

Numa produção do Teatro Municipal da Guarda (TMG) com a colaboração da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço (BMEL) e integrada no ciclo dedicado ao escritor Nuno de Montemor estreia no dia 22 de maio a oficina/espectáculo «Água de Neve».

O livro «Água de Neve» de Nuno de Montemor

O livro «Água de Neve» de Nuno de Montemor

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

«A Cantiga é uma Arma» no TMG

De 15 a 17 de Abril, o Teatro Municipal da Guarda (TMG) promove através do seu Serviço Educativo a oficina «A Cantiga é uma Arma», sobre o 25 de Abril e o canto de intervenção, orientada pelo músico César Prata.

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Programação do TMG entre Abril e Julho de 2014

A programação do TMG-Teatro Municipal da Guardar entre Abril e Julho foi pensada para todos os públicos. Os 40 anos do 25 de Abril tem destaque especial. Reportagem da jornalista Paula Pinto com imagem e edição de Diogo Reis da redacção da Guarda da LocalVisãoTv.

LocalVisãoTv - © Capeia Arraiana

ca2013_localvisaotv_550x15
Autoria: LocalVisãoTV posted with Galeria de Vídeos Capeia Arraiana

:: ::
jcl

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Gisela João vai actuar no TMG

Um espectáculo da fadista Gisela João é um dos destaques da programação do Teatro Municipal da Guarda (TMG) para os primeiros três meses deste ano, segundo o que foi anunciado na sexta-feira, dia 10 de Janeiro, pelo novo programador cultural, Victor Afonso, que assumiu a função após a demissão do director artístico Américo Rodrigues.

Gisela João

Gisela João

Américo Rodrigues - Guarda - Capeia Arraiana

Américo Rodrigues foi demitido de director do TMG

O director artístico do TMG-Teatro Municipal da Guarda, Américo Rodrigues, foi demitido pelo actual presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro. O agora ex-director foi o responsável pela programação do TMG desde 2005.

Apresentação do livro de Américo Rodrigues na Fábrica de Braça de Prata em Lisboa - Abril de 2009 - Capeia Arraiana

Apresentação do livro de Américo Rodrigues na Fábrica de Braça de Prata em Lisboa – Abril de 2009

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Comédia com «Os improváveis» no TMG

O Teatro Municipal da Guarda (TMG) apresenta no próximo dia 2 de Novembro, sábado, o espectáculo de humor e improviso “Os improváveis”. Um espectáculo hilariante onde tudo pode acontecer: não há guiões nem cenas pré-ensaiadas, o conteúdo é totalmente original e improvisado, criado com genialidade em tempo real. O público participa ao longo de todo o espectáculo de forma activa, dando sugestões de locais, personagens, profissões e situações para os actores improvisarem. O público pede e eles fazem. Cada espectáculo é único e irrepetível!

«Os Improváveis» no TMG

«Os Improváveis» no TMG

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Companhia Nacional de Bailado no TMG

O Teatro Municipal da Guarda (TMG) apresenta no próximo dia 26 de Outubro, sábado, a Companhia Nacional de Bailado que repõe três peças da incontornável bailarina e coreógrafa belga Anne Teresa De Keersmaeker no Grande Auditório pelas 21h30.

Companhia Nacional de Bailado

Companhia Nacional de Bailado

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

«Barriga da baleia» no TMG

No sábado, dia 19 de Outubro, o TMG apresenta o espectáculo «Barriga da baleia», de António Jorge Gonçalves. Trata-se de uma actividade integrada na iniciativa Famílias ao Teatro e que será apresentada em duas sessões na Caixa de Palco do Grande Auditório: às 11h00 e às 16h00. O espectáculo é para maiores de 4 anos.

Espectáculo «Barriga da Baleia»

Espectáculo «Barriga da Baleia»

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

«O guardador de rebanhos» no TMG

«O Guardador de rebanhos [um secreto teatro]» é a 20ª produção do Projéc~ e estreia no Teatro Municipal da Guarda (TMG) na próxima quinta-feira, dia 10 de Outubro. Trata-se de uma encenação de Fernando Marques a partir do texto de Alberto Caeiro com a interpretação do actor André Gago. A peça ficará em cena até dia 12 (sábado) com sessões no Pequeno Auditório às 21h30. Está também prevista uma sessão aberta às escolas marcada para sexta, dia 11, às 14h30.
_DSC5863

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

TMG abre temporada com «Prometeu»

O espectáculo multimédia «Prometeu», da companhia portuguesa LaFontana – Formas Animadas, é o primeiro espectáculo da nova temporada do Teatro Municipal da Guarda (TMG), que sobe ao palco do Pequeno Auditório, no sábado, dia 14 de Setembro, pelas 21h30.

Espectáculo «Prometeu»

Espectáculo «Prometeu»

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Exposição de Alberto Carneiro no TMG

A nova temporada do Teatro Municipal da Guarda (TMG) arranca a 7 de Setembro (sábado), às 17 horas, com a inauguração na Galeria de Arte da exposição «Meu corpo vegetal» do «escultor da natureza» Alberto Carneiro. A exposição ficará patente até 27 de Outubro.

Alberto Carneiro

Alberto Carneiro

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Nova temporada do TMG

Entre Setembro e Dezembro de 2012, o Tatro Municipal da Guarda (TMG) apresenta dezenas de espectáculos e actividades culturais que vão da música às artes plásticas, da dança ao teatro e do cinema às tertúlias. A nova temporada arranca da melhor forma, a 7 de Setembro, com a inauguração na Galeria de Arte da exposição «Meu corpo vegetal» do «escultor da natureza» Alberto Carneiro, numa parceria com os Artistas Unidos. Seguem-se-lhe dezenas de iniciativas.

Os Diolinda vão ao TMG na nova temporada

Os Diolinda vão ao TMG na nova temporada

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Tertúlia com candidatos à Câmara da Guarda

No dia 11 de Julho, a tertúlia do Teatro Municipal da Guarda (TMG) «Café a Meias» vai ter como convidados os candidatos à Câmara Municipal da Guarda nas eleições autárquicas.

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

The Gift actuam no TMG

Os The Gift actuam na próxima sexta-feira, dia 28 de Junho, pelas 21h30 no Teatro Municipal da Guarda (TMG). A banda traz as suas mais recentes criações ao palco do Grande Auditório com «Primavera/Explode».

The Gift

The Gift

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Adriana Calcanhotto actua no TMG

A cantora e compositora Adriana Calcanhotto actua no Teatro Municipal da Guarda (TMG) no próximo dia 27 de Abril, sábado, onde apresentará o seu novo espectáculo, «Olhos de Onda». Sozinha em palco com o seu inseparável violão, a cantora brasileira actua no Grande Auditório, pelas 21h30. O concerto comemora o 8º aniversário do TMG.

Adriana Calcanhotto com o inseparável violão

Adriana Calcanhotto com o inseparável violão

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

TMG recria folhetim de rádio

«Simplesmente Maria», é o folhetim de rádio que vai ao palco do Teatro Municipal da Guarda (TMG), que também apresenta proximamente um filme de Michael Haneke e uma exposição de pintura de Ambrósio Ferreira, bem como uma conversa com o político e homem de cultura Ruben de Carvalho.

O folhetim de rádio em palco

O folhetim de rádio em palco

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Filme de Joaquim Sapinho no TMG

O Pequeno Auditório do Teatro Municipal da Guarda (TMG) exibe no dia 20 de Março, quarta-feira, pelas 21h30 o filme «Deste Lado da Ressurreição», de Joaquim Sapinho, produzida pela Rosa Filmes. «Deste Lado da Ressurreição» é a mais recente longa-metragem do realizador Joaquim Sapinho, natural do Sabugal.

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Mais de 65 mil passaram pelo TMG em 2012

Durante o ano de 2012, o número de espectadores, utilizadores e frequentadores do TMG – Teatro Municipal da Guarda/Culturguarda ultrapassou os 65 mil.

Guarda volta a julgar o Galo do Entrudo

A cidade da Guarda apresenta no dia 11 de Fevereiro uma nova edição do espectáculo «Julgamento e Morte do Galo do Entrudo», que se iniciará pelas 21h30 no Jardim José de Lemos e dali seguirá para a Praça Luís de Camões, no centro histórico da cidade.

Local Visão Tv - © Capeia Arraiana (orelha)

Jorge Barreto Xavier fala de cultura na Guarda

O secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, falou sobre o futuro das estruturas culturais no concelho da Guarda com especial destaque para o TMG. A nova legislação sobre as empresas municipais e respectivas incidências nos projectos culturais foi um dos temas em debate. Reportagem da jornalista Paulo Pinto da redacção da Guarda da LocalVisãoTv.

A Casa Incendiada - Américo Rodrigues

Américo Rodrigues apresenta livro em Lisboa

O escritor guardense, Américo Rodrigues, dá a conhecer em Lisboa a sua mais recente obra intitulada «A Casa Incendiada». A apresentação está a cargo de Manuel Poppe e o encontro com os «desterrados» na capital está marcado para a Galeria e Livraria «Fabula Urbis».

«Linhas de Wellington» no TMG

O filme português «Linhas de Wellington», realizado pela chilena Valeria Sarmiento, é a sugestão cinéfila do Teatro Municipal da Guarda TMG para a próxima terça-feira, dia 30 de Outubro. O filme passa às 21h30 no Pequeno Auditório.

Trata-se de uma reconstituição do ambiente histórico das invasões francesas protagonizada por John Malkovich, IsabelleHuppert, Nuno Lopes e Soraia Chaves. Parte das filmagens desta longa metragem decorreram no distrito da Guarda, mais precisamente em Folgosinho.
Sobre a história, tudo começa em 27 de Setembro de 1810, quando as tropas francesas comandadas pelo marechal Massena, são derrotadas na Serra do Buçaco pelo exército anglo-português do general Wellington. Apesar da vitória, portugueses e ingleses retiram-se a marchas forçadas diante do inimigo, numericamente superior, com o objectivo de o atrair a Torres Vedras, onde Wellington fez construir linhas fortificadas dificilmente transponíveis. Simultaneamente, o comando anglo-português organiza a evacuação de todo o território compreendido entre o campo de batalha e as linhas de Torres Vedras, numa gigantesca operação de terra queimada, que tolhe aos franceses toda a possibilidade de aprovisionamento local. É este o pano de fundo das aventuras de uma plêiade de personagens de todas as condições sociais – soldados e civis; homens, mulheres e crianças; jovens e velhos – arrancados à rotina quotidiana pela guerra e lançados por montes e vales, entre povoações em ruína, florestas calcinadas, culturas devastadas.

Estreia da trilogia de curtas musicadas
A 3 de Novembro, o TMG apresenta em estreia absoluta «Cine-concerto 2 [trilogia de curtas-metragens com música ao vivo]». Três filmes vão ser musicados ao vivo, no Pequeno Auditório, às 21h30: «A Propósito de Nice», de Jean Vigo será musicado por Miguel Cordeiro; «The Blacksmith» de Buster Keaton terá a paisagem sonora de César Prata e «Überfall» de Ernö Metzner será musicado por Luís Rolo. Os três são músicos da Guarda.
Sobre as curtas e os músicos, «A Propósito de Nice» é considerada pelos cinéfilos como uma espécie de «sinfonia de uma cidade», a curta constituiu um marco na história do documentário e catapultou o seu realizador, Jean Vigo para o panteão dos grandes cineastas da primeira metade do século XX. Miguel Cordeiro, é o músico que vai dar som a esta curta. Estudou piano e Jazz no Taller de Música de Barcelona e na escola do Hot Club Portugal. Concluiu em 2011 o mestrado de «composição para cinema e audiovisuais».Actualmente dedica-se à composição de música para imagem.
Já «The Blacksmith» é curta-metragem de excelência artística de Buster Keaton, «o cómico que nunca ri», num exemplo de extraordinária capacidade humorística sem recurso a uma única palavra. Esta curta vai ser musicada por César Prata, o músico dos sete instrumentos e mentor de vários projectos musicais como Chuchurumel, Assobio ou as Canções do Ceguinho. O músico já compôs também para teatro e cinema.
E a finalizar a noite, «Überfall», considerada uma das grandes obras vanguardistas do cinema mudo alemão; um filme de grande poder visual e que será musicado ao vivo por Luís Rolo, músico dado a sonoridades electrónicas que já integrou projectos como Dual Tone (com António Louro), um projecto que misturava a electrónica com o hip-hop.

Noiserv em concerto
Na quarta, dia 31 de Outubro, o projecto Noiserv, de David Santos, volta ao TMG, desta vez ao Pequeno Auditório. O concerto está marcado para as 21h30.
Noiserv tem vindo a afirmar-se como um dos mais criativos e estimulantes, de entre os surgidos em Portugal na última década. O seu percurso tem sido marcado pela criação de peças musicais de um minimalismo capaz de atingir cada individuo na sua intimidade, relembrando-lhe vivências, momentos e memórias intrincadas entre a realidade e o sonho, e por concertos de elevadíssima intensidade, nos quais o público é suspenso a partir de uma teia sonora, criada por um vasto leque de instrumentos inusuais.
Criado em meados de 2005, Noiserv ganhou forma quando David Santos decide gravar algumas ideias numa demo, meses mais tarde esses 3 temas são editados on line, na netlabel Merzbau. Já em 2008 Noiserv edita o seu primeiro longa-duração, “One Hundred Miles from Thoughtlessness”, disco incrivelmente bem recebido pelo público, pela imprensa e crítica, e que actualmente esgotou a sua terceira edição.
Logo a seguir ao concerto de Noiserv o TMG promove no CC uma Noite Mexicana inspirada no Dia de Los Muertos.

Dia de los Muertos [Noite mexicana]
A tradicional festa mexicana dedicada aos defuntos, o «Dia de Los Muertos» serve de pretexto para uma Noite Mexicana no Café Concerto (CC), na próxima quarta-feira, dia 31 de Outubro, logo a seguir ao concerto de Noiserv no Pequeno Auditório do Teatro Municipal da Guarda.
O TMG vai exibir no CC várias curtas-metragens de animação inspiradas no Dia de Los Muertos:
«Viva Calaca 1» de Ritxi Ostáriz, «The Skeleton Dance» de Ub Iwerks, «Hasta los Huesos» de René Castillo, «Viva Calaca 2» de Ritxi Ostáriz e «Skeleton Frolic» de Ub Iwerks. Pela noite dentro haverá preços especiais para as bebidas mexicanas: Mescal, Tequila, Margarita e Cerveja Corona, sempre ao som de música Mexicana. Serão ainda sorteados pelo público presente três vouchers; cada um deles dará acesso a três espectáculos do TMG, a saber: o teatro “Édipo” pela Companhia do Chapitô, o espectáculo transdisciplinar «Pi_add(a)forte» e o concerto da jovem fadista Cuca Roseta.
Tudo boas razões para sair de casa e aproveitar a véspera de feriado no Teatro Municipal da Guarda!

A Música de «Abztraqt Sir Q» no CC
No próximo dia 2 de Novembro (sexta), a Quarta Parede – Associação de Artes Performativas da Covilhã e o TMG apresentam no Café Concerto o espectáculo de música «Abztraqt Sir Q».
«Abztraqt Sir Q» são um grupo de músicos cujos destinos se cruzaram no Extremo Oriente. Auto intitulam-se: «Andy Newman, o baterista pedante. Egon Crippa, o baixista esquivo. Dichma Rahma, a vocalista inconstante. Peter Shuy, o guitarrista neurótico». Fechados no seu próprio mundo, o Xing Palace Place e o seu magnífico jardim, desconstroem canções e deixam-se embalar pela cacofonia. Inventam-se dialectos, reinventa-se a ortografia, subverte-se a fonética, recusam-se as convenções. Não procuram o óbvio mas acabam por encontrá-lo.
O concerto está marcado para as 22h00 e tem entrada livre.
plb (com TMG)

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

TMG celebra o Dia Mundial da Música

O Teatro Municipal da Guarda (TMG) assinala o Dia Mundial da Música (segunda-feira, 1 de Outubro) com pompa, circunstância e, sobretudo, com muita originalidade. Todos (ou quase todos) os espaços dos edifícios do TMG serão palco de concertos mais ou menos intimistas, interpretados por músicos guardenses.

Nawal: das ilhas Comores à Guarda

Na próxima sexta-feira, dia 14 de Setembro, e numa estreia em Portugal, a cantora, compositora e multi-instrumentista Nawal, oriunda das ilhas Comores actua no Pequeno Auditório do Teatro Municipal da Guarda (TMG), pelas 21h30.

Entre o tradicional e o contemporâneo, as composições de Nawal são uma fusão de raízes com base acústica, um reflexo do carácter diverso das Comores. A sua música tem origem Indo-Arábico-Persa e compreende polifonias Bantu e ritmos misturados com transe Sufi. Nawal canta principalmente em Comorano (Xikomor) uma língua da família suaíli, também em Francês, Inglês e Árabe.
Nawal canta para a educação e para a união dos seres humanos. Ela orgulha-se de conservar e divulgar a filosofia de seu bisavô Al Maarouf, um grande mestre Sufi, que foi inspirado pela luz do Islão, baseando-se no respeito, amor e paz.
A artista toca gambusi (alaúde tradicional, herdado do Lémen), e percussão diversificada. Contudo, Nawal prefere a voz (como os olhos, o espelho da alma) a qualquer outro instrumento.
Ao TMG Nawal vem apresentar o seu novo disco, intitulado «Embrace the Spirit».

Teatro físico no Pequeno Auditório
No sábado, dia 15 de Setembro, no âmbito da iniciativa Famílias ao Teatro, o TMG apresenta «Action Man» com Raúl Cano dos Yllana (Espanha).
Sozinho em palco, o actor irá dando vida a dezenas de personagens e situações, utilizando a mímica e o seu hábil controlo do corpo, num estilo muito próprio.
A história de Action Man relata as aventuras de um Super Agente Especial na sua última missão que se vê embrulhado numa série de situações cómicas, inspiradas no melhor humor cinematográfico, televisivo e da banda desenhada.
Raúl Cano é actor e co-autor de espectáculos da companhia espanhola Yllana como «¡Muu!», «Glub Glub», «666», «Star Trip» e «Brokers».

Vítor Pomar na Galeria de Arte
«KarmaMudra» do artista plástico Vítor Pomar é a exposição que o TMG inaugura na Galeria de Arte no próximo sábado, dia 8 de Setembro. Nesta exposição, refere o artista, é invocada «a dimensão simbólica que está presente em toda a actividade humana». A inauguração que contará com a presença de Vítor Pomar está marcada para as 18 horas.
Vítor Pomar nasceu em Lisboa em 1949. Frequentou as Escolas de Belas-Artes do Porto e Lisboa (66-69). Emigrou para a Holanda em 1970, onde frequentou a Academia Livre de Haia e a Academia de Arte de Roterdão, onde completa estudos em 1973. Ensina serigrafia na Academia Livre de Haia. Trabalhou no quadro do Regulamento dos Artistas Plásticos (BKR) em Amesterdão entre 1976 e 1985. Utiliza no seu trabalho técnicas tão variadas como a fotografia a preto e branco, o cinema experimental em 16mm e Super 8 e o vídeo.
Estabelecido em Portugal desde 1985, funda e dirige a Associação cultural Casa-Museu Álvaro de Campos em Tavira. Frequenta o curso de Gestão das Artes dirigido pelos professores Joan Jeffri da Columbia University e Jorge Calado, no Instituto Nacional de Administração, 1989.
Viveu em Lisboa entre 90 e 95, período em que se ausentou longamente em viagens de estudo na Índia do Norte, junto de alguns grandes lamas tibetanos.
Actualmente vive e trabalha em Assentiz, Rio Maior. Está representado em diversas colecções, nomeadamente: Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, Caixa Geral dos Depósitos, Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação Casa de Serralves e Ministério das Finanças.
«KarmaMudra» ficará patente até 28 de Outubro. A Entrada é livre.
A exposição pode ser visitada de terça à sexta das 16h às 19h e das 21h às 23h, aos sábados das 15h às 19h e das 21h às 23h e aos domingos das 15h às 19h. A entrada é livre.
plb (com TMG)

TMG - Teatro Municipal da Guarda - © Capeia Arraiana

Música, teatro, cinema e artes no TMG

Entre Setembro e Dezembro de 2012, o Teatro Municpal da Guarda (TMG) apresenta dezenas de espectáculos e actividades culturais que vão da música às artes plásticas, passando pelo teatro e pelo cinema.

Bruno Nogueira e Luísa Cruz no TMG

Música, teatro e muito humor vêm ao Grande Auditório do Teatro Municipal da Guarda (TMG) «Uma bizarra salada», com Bruno Nogueira, Luísa Cruz e a Orquestra Metropolitana de Lisboa.

Festival de Blues Bejar/Guarda

Vai realizar-se a quarta edição do «Transblues – Festival ee Blues Béjar/Guarda», uma iniciativa que arrancou pela primeira vez em 2009 e que o Teatro Municipal da Guarda e a Junta de Castilla y León promovem com o apoio da Câmara Municipal da Guarda e do Ayuntamiento de Béjar, no âmbito do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e do Programa de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal (POCTEP). O Festival estará em Béjar de 11 a 14 de Julho e na Guarda de 18 a 22 de Julho.

Dia 18 (quarta-feira): Frankie Chavez (Portugal) no Café-Concerto do TMG – 22.00 horas.
Frankie Chavez é um dos mais promissores talentos da nova música portuguesa, tendo vindo a ser referido como a mais recente revelação blues do Sul da Europa. A sua música conjuga diferentes tipos de sonoridades, resultando num Blues/Folk composto por ambientes limpos e por outros mais crus e psicadélicos. Apesar de se identificarem diferentes influências musicais (Robert Johnson, Jimi Hendrix, Kelly Joe Phelps, Ry Cooder), é difícil encontrar um único termo para definir a sua música, o que lhe garante um estilo único e inconfundível.
Além de abordar instrumentos tão típicos dos blues como o Lap Slide Guitar, uma das características únicas da sua sonoridade é o facto de ter reinventado a abordagem da Guitarra Portuguesa.
Acompanha Frankie Chavez, João Correia – músico – Bateria/voz.

Dia 19 (quinta-feira): Indiana Blues Band (Portugal) no Café-Concerto do TMG – 22.00 horas.
Indiana Blues Band é um projecto do músico André Indiana que incorpora toda a estética dos Blues e de uma «Blues Band». Apresentam o seu primeiro disco intitulado «bloodline» com 7 temas originais e algumas versões de temas muito conhecidos como «Love Me 2 Times» (Doc Pomus) ou «Hoochie Coochie Man» (Willie Dixon).
Os Indiana Blues são: André Indiana – guitarra e voz; Hugo Danin – bateria; Joao André – baixo; Paulo Veloso – teclas.

Dia 20 (sexta-feira): Spikedrivers (Reino Unido) no Jardim José de Lemos – 21.30 horas.
Inspirados nas suas raízes americanas e no legado musical norte-americano, as músicas, as harmonias vocais e as suas composições instrumentais fazem do som dos Spikedrivers algo fresco e emocionante. A crítica especializada considera a banda como uma das mais inovadoras e originais da actualidade. A atmosfera criada pelos Spikedrivers ao vivo transporta-nos pelas estradas secundárias americanas, numa autêntica banda sonora que se movimenta entre os alpendres ao fim de tarde das casas do Sul da Carolina, e os enormes espaços abertos, sacudidos pelo vento e pela erosão, com as linhas-férreas a desaparecerem no horizonte.
Spikedrivers são; Ben Tyzack – Guitarra, voz e harmónica; Constance Redgrave – baixo, voz e percussão; Maurice McElroy – bateria, voz e percussão.

Dia 21 (Sábado): Sharrie Williams (EUA) no Jardim José de Lemos – 21.30 horas.
Desde a sua última actuação em 2002 no The Blues Estafette na Hollanda, Sharrie Williams despertou as atenções na Europa. Os seus concertos são incríveis. Sharrie impressiona pelas suas poderosas performances cheias de alma; tem como influências e referências as vozes de grandes vocalistas como Koko Taylor, Aretha Franklin, Tina Turner ou Etta James. A cantora norte-americana é apaixonada por gospel, soul, blues e rock.
Nos EUA ela é apelidada de «Princesa do Rockin’ Gospel Blues», um nome que lhe assenta que nem uma luva. O seu novo disco «I’m Here To Stay» foi gravado em Ann Arbor (Michigan, EUA), produzido e remisturado por Michael Freeman que afirma que a música de Sharrie vai directamente ao coração do público. O disco tem sido muito badalado pela crítica da especialidade e foi nomeado a vários prémios nos EUA.
Acompanham Sharrie Williams os músicos: Lars Kutschke – guitarra e voz; Attila Herr – baixo; Chris Jones – bateria e voz; Till Sahm – teclados.

Dia 22 (Domingo): Guitar not so Slim (Espanha)no Jardim José de Lemos – 21.30 horas.
O grupo espanhol vem mostrar as canções do seu último disco «Bailout». Uma viagem musical que passa pela denominada Roots Music, pelo Ragtime e os Blues dos anos 20/30. «Guitar not so slim» é uma banda que mistura o melhor de dois mundos, o velho e o novo, no que a música e a continentes diz respeito. Neste disco, a banda regressa ao verdadeiro âmago dos Blues, que sempre se destacaram pela sua componente de alerta social e de protesto. As canções são uma mistura eclética e as críticas vão desde o resgate financeiro e a crise europeia à cirurgia estética, tudo isto com sons tribais. A banda editou até ao momento dois discos, ambos com muito sucesso nos meandros dos Blues e muito elogiados pela crítica especializada.
Guitar not so Slim são: Troy Nahumko – guitarra e voz; Moi Martin – contrabaixo e voz; José Luis (Armónica Naranjo) – harmónicas; Lalo González – bateria.

Dia 12 (quinta-feira): Mr. Blues (Portugal) no Parque Municipal de Béjar – 20.00h (hora espanhola).
No âmbito do habitual intercâmbio do Transblues, o grupo português actua em Béjar, nesta edição. Trata-se de um dos projectos mais proeminentes de Portugal na vertente dos Blues. A linguagem musical e a vasta experiência dos músicos envolvidos já lhe permitiu tocar em vários Festivais Internacionais de Jazz & Blues fazendo as primeiras partes de artistas como Alvin Lee ou Sharrie Williams.
Mr Blues: Steve Rego – guitarras, kazzoo, harmónica, bombo, tarola e pratos de choque
plb (com TMG)

Companhia Nacional de Bailado no TMG

A Companhia Nacional de Bailado (CNB) vai estar no TMG na quarta, dia 20 de Junho, no Grande Auditório, às 21h30 para apresentar a curta-metragem «La Valse» realizada por João Botelho e com coreografia de Paulo Ribeiro e música de Maurice Ravel e o bailado «A Sagração da Primavera» com direcção e coreografia de Olga Roriz e música de Igor Stravisnsky.

Ravel compôs «La Valse» influenciado pela experiência da guerra, o romantismo perde dominância e o ritmo da valsa deriva frequentemente para o caos, numa metáfora à Europa de então. A estreia acabou por acontecer em Dezembro de 1920, sem que Diaghilev a tivesse utilizado, por a ter considerado «não como um ballet, mas como um retrato de um bailado».
Quando os laços da Europa são repetidamente equacionados, a CNB decidiu desafiar um coreógrafo (Paulo Ribeiro) e um realizador (João Botelho) a explorarem a composição de Ravel e a conceberem um olhar cinematográfico sobre o movimento dos corpos.
Segue-se o bailado «A Sagração da Primavera», numa coreografia de Olga Roriz. «O tempo parece não ter passado desde que, ainda jovem, interpretei o papel da eleita do coreógrafo Joseph Roussillo no Ballet Gulbenkian. O tempo parece não ter passado desde a primeira vez que vi, num minúsculo televisor, a versão de Pina e ter decidido nunca coreografar esta peça. O tempo parece não ter passado desde a polémica estreia de Nijinski/Stravinski. Mas o tempo passou e a obra perdura no nosso imaginário cultural. O fascínio e respeito pela partitura foram determinantes para a minha interpretação, construção dramatúrgica e coreográfica da peça. A fidelidade ao guião de Stravinski foi, desde o início, o único caminho com o qual me propus confrontar. No entanto, dois aspectos se distanciaram do conceito original. Visões personalizadas que imprimem à história uma lógica mais possível à minha compreensão, mais aprazível à minha manipulação», escreve a coreógrafa sobre «A Sagração da Primavera».
plb (com TMG)

«Farfalle» no Teatro Municipal da Guarda

No dia 9 de Junho (sábado), o Teatro Municipal da Guarda (TMG) apresenta no âmbito da iniciativa Famílias ao Teatro o espectáculo «Farfalle» (borboleta), pelo Teatro de Piazza o D’Occasione (Itália).

O espectáculo é uma extensão do FITEI (Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica) e é apresentado em duas sessões: 16h00 e 21h30. Teatro e multimédia para toda a família.
Tudo é contado com música e imagens por dois bailarinos. A cenografia é formada por um tapete branco com duas asas. As imagens são projectadas em diferentes planos: o plano horizontal do tapete e o vertical das duas asas oblíquas. Alguns objectos estilizados decoram o cenário. O público é convidado a participar, a entrar dentro do cenário, a movimentar-se entre as imagens que reagem aos seus gestos, aos seus movimentos. As imagens envolvem-no.
Com «Farfalle», a TPO continua a experiência sobre as potencialidades expressivas relacionadas com a utilização de novas linguagens digitais (computação gráfica/tecnologias interactivas) associadas à dança, à música e ao movimento.
«Farfalle» tem a direcção de Francesco Gandi e Davide Venturini e a interpretação de Anna Balducci e Erika Faccini.
Esta actividade é apresentada no âmbito da Rede 5 Sentidos.

Canções de protesto dos novos tempos
Pedro Esteves Trio é a proposta musical do TMG para a noite do próximo dia 8 de Junho no Café Concerto. O músico Pedro Esteves vem apresentar o disco de estreia «Mais um dia», acompanhado por Filipe Raposo nos teclados e por António Quintino no contrabaixo. Uma fusão de baladas com canções de protesto dos novos tempos. Um espectáculo com boa música e cheio de bom humor e ironia.
A propósito do seu primeiro trabalho, o Jornal de Letras escreveu sobre Pedro Esteves: «Ele tem a timidez de Chico Buarque, a delicadeza de Fausto, o gosto pelos arranjos de José Mário Branco, o prazer da escrita de Sérgio Godinho (…) “Mais um dia” é um hino à arte de fazer canções, como sempre, como dantes».
O espectáculo está marcado para as 22h00 e a entrada é livre.

Cinema no Pequeno Auditório
A 13 de Junho (quarta-feira), o Cineclube da Guarda apresenta, com o apoio do TMG, o filme «O tio Boonme que se lembra das suas vidas anteriores», de Apichatpong Weerasethakul. A sessão está marcada para as 21h30 no pequeno auditório.
Na história, tio Boonme resolve passar os seus últimos dias de vida no campo, rodeado das pessoas que ama. Esta é a quinta longa-metragem do tailandês Apichatpong Weerasethakul, o filme complementa o projecto Primitiv, ligado à ideia de extinção e da recordação de vidas passadas.
Filme vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes 2010.

Histórias de Manuel António Pina
Na quarta, dia 13 de Junho, o TMG apresenta através do seu Serviço Educativo o espectáculo «Histórias que me contaste tu no país das pessoas de pernas para o ar», criadas a partir de livros escritos pelo sabugalense Manuel António Pina.
O espectáculo é apresentado em duas sessões: às 10h e às 14h30 na Sala de Ensaios e tem por destinatárias as crianças dos jardins-de-infância.
Os dois livros «Histórias que me contaste tu» e «No país das pessoas de pernas para o ar» de Manuel António Pina inspiraram as criadoras Tânia Cardoso e Joana Manaças, que fizeram este espectáculo onde uma é bailarina e a outra contadora de histórias. Os contos têm finais improváveis e o mundo às avessas domina todas as narrativas. Trata-se de uma produção do Teatro Maria Matos, apresentado no TMG através da Rede 5 Sentidos.
plb (com TMG)

TMG traz «Romeu e Julieta» à Guarda

Aquela que é, seguramente, a obra mais célebre de William Shakespeare, «Romeu e Julieta», estará em cena na caixa de palco do Grande Auditório do Teatro Municipal da Guarda (TMG) na próxima sexta-feira, dia 1 de Junho, às 21h30, na versão sempre original e electrizante da Companhia João Garcia Miguel.

Romeu e Julieta são duas vítimas, quase inexplicáveis de um grande amor. Para eles tudo se conjugou em contrariedade, como se não existisse lugar para o seu amor no mundo em que viviam. É uma estranha metáfora, esta, de não existir lugar para o amor no mundo, e de todas as forças se conjugarem para de forma consciente e, também inconsciente, para a sua limitação. Romeu e Julieta tiveram uma noite de amor tão extraordinária que lhes custou a vida.
«Fazer um Romeu e Julieta, no actual momento, foi um erro infantil, com o qual nos deliciámos e sofremos, uma vez mais. Fazer teatro nos dias que correm é um erro que atenta contra a vida daqueles que o fazem. Aliás, os fazedores de teatro são Romeus e Julietas, tal é a paixão que os move e os riscos que correm. Contudo o mundo precisa mais do que nunca de gente apaixonada por aquilo que faz, de pessoas apaixonadas pela vida e por aquilo que trazem diariamente ao mundo. É de um grande conjunto de desordens, de pequenas desordens criativas, espalhadas por todos os lados da vida, espalhados em todos os momentos do dia, que precisamos mais do que nunca; que outra coisa se pode esperar daqueles que se dedicam a criar e a recriar o mundo senão: erros infantis?», escreve a propósito desta versão de Shakespeare João Garcia Miguel, o encenador e director da companhia.
A peça, classificada para maiores de 12 anos, conta com a interpretação de David Pereira Bastos e Sara Ribeiro; a música e vídeo são de Rui Gato; os figurinos são de Steve Denton e o desenho de luz é de Luis Bombico.

Exposição de Mário Cesariny
No sábado, dia 2 de Junho, o TMG inaugura, pelas 18 horas, na Galeria de Arte, a exposição «Visto a esta luz», do artista plástico português Mário Cesariny, por muitos considerado o expoente máximo do surrealismo na pintura em Portugal. Esta exposição ficará patente até 29 de Julho e é apresentada no âmbito de uma parceria com a Fundação Cupertino de Miranda. A fundação assumiu nos últimos anos de vida do artista plástico uma relação de grande proximidade e amizade. Nesta exposição procura dar-se uma visão global da sua obra no contexto da Colecção da Fundação Cupertino de Miranda. A exposição é comissariada por António Gonçalves.
Mário Cesariny nasceu e viveu em Lisboa (1923- 2006). Estudou na Escola de Artes Decorativas António Arroio. Estudou também música com Lopes Graça. Posteriormente frequentou o primeiro ano do curso de Arquitectura da ESBAL. Participou nos encontros do «Café Herminius» e aderiu ao Neo-realismo, do qual se vem a desligar em 1946. No ano de 1947 conhece André Breton e é nesse mesmo ano que participa na fundação do «Grupo Surrealista de Lisboa», do qual se afasta em 1948, vindo a formar um novo grupo «Os Surrealistas». Com este participa na Primeira Exposição dos Surrealistas.
«Ao longo da exposição encontram-se alguns dos seus objectos que adquirem uma particularidade e mesmo uma aura que os retira do sentido do objecto escultórico e do ready-made. Apresentam-se antes com encontros de sentidos muito apurados, enquanto relações poéticas. Resultam de uma abordagem de vivência com o quotidiano e salientam-se pela sua simplicidade. É uma prática constante a dos objectos que vão sendo encontrados, e que Mário Cesariny vai revelando, quer pela articulação que estabelece entre eles, quer pela importância que lhes dá no seu dia-a-dia, quando os remete para o seu espaço particular, em específico o seu quarto e ali os vai mistificando e desmitificando, como se lhes fosse encontrando uma consideração, uma poética», escreve António Gonçalves a propósito desta exposição.
A exposição pode ser visitada de terça à sexta das 16h às 19h e das 21h00 às 23h, aos sábados das 15h às 19h e das 21h00 às 23h e aos domingos das 15h às 19h. A entrada é livre.
plb (com TMG)