Category Archives: Ruvina

Soito - Sabugal - © Capeia Arraiana (orelha)

Externato do Soito dispara no ranking escolar

O Externato do Soito, no concelho do Sabugal, subiu 651 lugares no Ranking Nacional das Escolas, no que se reporta às notas do 9º ano de escolaridade, ocupando o lugar 141º a nível nacional, e o primeiro ao nível do distrito da Guarda.

Alunos do 9º ano do Externato do Soito foram os melhores do distrito

Alunos do 9º ano do Externato do Soito foram os melhores do distrito

Outubro - 2015 - Efemérides - Capeia Arraiana

Efemérides 2015 – 24 de Outubro

:: :: EFEMÉRIDES 2015 :: 24 DE OUTUBRO :: :: O Capeia Arraiana publica diariamente as efemérides mais relevantes de cada data… Hoje destacamos o alargamento dos limites do concelho do Sabugal, em 1885, e a homenagem da Casa do Concelho do Sabugal a figuras ímpares, em 1992.

Há 23 anos, a Casa do Concelho do Sabugal descerrou uma lápide na casa onde nasceu Nuno de Montemor

Há 23 anos, a Casa do Concelho do Sabugal descerrou uma lápide na casa onde nasceu Nuno de Montemor

Outubro - 2015 - Efemérides - Capeia Arraiana

Efemérides 2015 – 10 de Outubro

:: :: EFEMÉRIDES 2015 :: 10 DE OUTUBRO :: :: O Capeia Arraiana publica diariamente as efemérides mais relevantes de cada data… Hoje destacamos a morte de Joaquim Manuel Correia, em 1945.

Joaquim Manuel Correia morreu há 70 anos

Joaquim Manuel Correia morreu há 70 anos

Outubro - 2015 - Efemérides - Capeia Arraiana

Efemérides 2015 – 7 de Outubro

:: :: EFEMÉRIDES 2015 :: 7 DE OUTUBRO :: :: O Capeia Arraiana publica diariamente as efemérides mais relevantes de cada data… Hoje destacamos o edital publicado pelo administrador do concelho das Caldas da Rainha, Joaquim Manuel Correia, em 1910.

Há 105 anos Joaquim Manuel Correia publicou um edital exemplar

Há 105 anos Joaquim Manuel Correia publicou um edital exemplar

Efemérides 2015 - Junho - Capeia Arraiana

Efemérides 2015 – 26 de Junho

:: :: EFEMÉRIDES 2015 :: 26 DE JUNHO :: :: O Capeia Arraiana publica diariamente as efemérides mais relevantes de cada data… Hoje destacamos o nascimento nos Forcalhos do autor do livro «Drama Sob as Núvens», José Martins, em 1903.

Há 112 anos nasceu nos Forcalhos o capitão José Martins (na foto a capela da Consolação)

Há 112 anos nasceu nos Forcalhos o capitão José Martins (na foto a capela da Consolação)

Jesué Pinharanda Gomes - Carta Dominical - © Capeia Arraiana

Dois sabugalenses historiadores das Misericórdias (2)

A primeira Irmandade da Misericórdia, criada em Lisboa por permissão, consentimento e mandado da Rainha Senhora Dona Leonor, esposa de D. João II, em 1498, votada à prática das obras de misericórdia, a breve trecho avassalou o Reino, em que as Irmandades da Misericórdia se tornaram o principal agente de solidariedade social, melhor, de caridade activa. (segundo de dois artigos.)

O livro de Carlos Dinis da Fonseca

O livro de Carlos Dinis da Fonseca

Jesué Pinharanda Gomes - Carta Dominical - © Capeia Arraiana

Dois sabugalenses historiadores das Misericórdias (1)

A primeira Irmandade da Misericórdia, criada em Lisboa por permissão, consentimento e mandado da Rainha Senhora Dona Leonor, esposa de D. João II, em 1498, votada à prática das obras de misericórdia, a breve trecho avassalou o Reino, em que as Irmandades da Misericórdia se tornaram o principal agente de solidariedade social, melhor, de caridade activa. (O primeiro de dois artigos)

Fernando da Silva Correia  nasceu no Sabugal

Fernando da Silva Correia nasceu no Sabugal

Março 2015 - Efemérides - Capeia Arraiana

Efemérides 2015 – 21 de Março

:: :: EFEMÉRIDES 2015 :: 21 DE MARÇO :: :: O Capeia Arraiana publica diariamente as efemérides mais relevantes de cada data… No dia 21 de Março destacamos o nascimento de Joaquim Manuel Correia, o etnógrafo de Riba Côa, em 1858.

Joaquim Manuel Correia nasceu há 157 anos na Ruvina

Joaquim Manuel Correia nasceu há 157 anos na Ruvina

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Cantos Quaresmais em Ruivós

A tradição popular, rica na variedade de formas musicais para este tempo da Quaresma, elaborou no decorrer dos tempos, uma série de actos rituais de carácter eminentemente penitencial, como o Canto dos Martírios e a Encomendação das Almas. No intuito de dar continuidade a esta tradição, as paróquias que integram a Unidade Pastoral do Planalto do Côa, promovem os «Cantos Quaresmais» no próximo sábado, dia 14 de Março, às 21:00 horas, na paróquia de Ruivós.

Câmara Municipal Sabugal - © Capeia Arraiana

Contratações e ajustes no Município do Sabugal (22)

O Capeia Arraiana está a publicar as contratações da Câmara Municipal do Sabugal e de entidades públicas que, por ajuste directo, envolvam o concelho sabugalense desde as eleições autárquicas de Setembro de 2013 até Dezembro de 2014. As regras da contratação pública previstas no Código dos Contratos Públicos aplicam-se a todo o sector público administrativo tradicional: o Estado, as Autarquias Locais, as Regiões Autónomas, os Institutos Públicos, as Fundações Públicas, as Associações Públicas e as Associações de que façam parte uma ou várias pessoas colectivas referidas anteriormente. :: OUTUBRO de 2013 ::

Transportes Escolares - 2013 - Sabugal - Capeia Arraiana

Transportes Escolares

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Bismula – a passagem do Padre Hélder Lopes

O Padre Hélder Lopes veio para a zona raiana do Sabugal, oriundo do Colmeal da Torre (Belmonte), das cercanias do Centum Cellas, monumento enigmático, ao qual muitos historiadores atribuem diversas funções, sem chegarem a consenso.

O Padre Helder na procissão da festa da Bismula (foto de Sónia Tomé)

O Padre Helder na procissão da festa da Bismula (foto de Sónia Tomé)

PhotoDestaque - © Capeia Arraiana

PhotoDestaque – GNR na Volta 2014

:: GNR NA VOLTA A PORTUGAL EM BICICLETA 2014 :: Há imagens históricas e há momentos que valem por mil palavras. Contudo todas as imagens merecem uma legenda. Envie-nos as suas fotografias que seleccionar para possível publicação para a caixa de correio electrónico: capeiaarraiana@gmail.com

PhotoDestaque - GNR na Volta a Portugal em Bicicleta 2014 - Capeia Arraiana
Ciclismo - Capeia Arraiana

Volta a Portugal nas estradas do Sabugal

Ao nono dia de competição, a caravana da Volta a Portugal voltou ao concelho do Sabugal. A jornada mais longa da 76.ª ediçã0, com 194 quilómetros, teve início no Sabugal e percorreu as estradas do concelho raiano antes de rumar a Castelo Branco. Uma das primeiras dificuldades do dia foi a subida até à Ruvina passando pelo Cabeço da Senhora das Preces. A etapa terminou em Castelo Branco e teve como vencedor ao sprint o russo Sergey Shilov da Lokosphinx.

76.ª Volta a Portugal em Bicicleta - 8 etapa - 2014 - Capeia Arraiana
Ciclismo - Capeia Arraiana

Partida no Sabugal para 8ª Etapa da Volta

No dia 8 de Agosto, sexta-feira, o Sabugal será o ponto de partida da 8ª etapa da Volta a Portugal em Bicicleta. A concentração dos ciclistas está marcada para a Avenida 25 de Abril pelas 10H30, porém a partida acontecerá apenas duas horas mais tarde. As bicicletas da volta vão percorrer os primeiros 50 quilómetros desta etapa nas estradas do concelho do Sabugal, antes de se embrenharem nos concelhos de Penamacor, Idanha-a-Nova e Castelo Branco.

O percurso da 8ª Etapa

O percurso da 8ª Etapa

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Padre Hélder nomeado vice-reitor do Seminário

O padre Hélder Lopes foi nomeado pelo bispo da Guarda, D. Manuel Felício, vice-reitor do Seminário Maior da Guarda. O sacerdote era responsável desde Agosto de 2008 pela Comunidade da Unidade Pastoral do Planalto do Côa que integra as paróquias de Arrifana do Côa, Badamalos, Bismula, Carvalhal, Rapoula do Côa, Ruivós, Ruvina, Vale das Éguas e Vilar Maior. Foi promotor e dinamizador de cerimónias marcantes – como a paixão de Cristo ou a encomendação das almas – que envolveram centenas de participantes e milhares de espectadores ao longo dos últimos anos. Deixa aos seus paroquianos um legado precioso e único onde se incluem, também, a recuperação de algumas igrejas raianas. O padre Hélder Lopes vai ser substituído pelo padre Daniel José Tomé da Silva Cordeiro.

aar_rogerio_20130810_700x525_13

Memórias sobre o Concelho do Sabugal (45)

:: :: RUVINA :: :: O livro «Terras de Riba-Côa – Memórias sobre o Concelho do Sabugal», escrito há mais de um século por Joaquim Manuel Correia, é a grande monografia do concelho. A obra fala-nos da história, do património, dos usos e dos costumes das nossas terras, pelo que decidimos reproduzir a caracterização de cada uma das aldeias nos finais do século XIX, altura em que o autor escreveu as «Memórias».

Igreja Matriz da Ruvina - Censos 1758 - Foto: Capeia Arraiana

Igreja Matriz da Ruvina

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Escola da Fé no Colégio Cristo Rei na Ruvina

O Centro de Espiritualidade Cristo Rei da Ruvina, no Sabugal, iniciou em 2014 a actividade «Escola da Fé» que decorre às quartas-feiras à noite sob a coordenação do padre Hélder Lopes. O primeiro encontro de 2014 contou com a presença do rabino Elisha Salas.

Colégio Cristo-Rei, Ruvina, Sabugal - Foto: Raul Sanches

Colégio Cristo-Rei, Ruvina, Sabugal (foto: Raul Sanches)

Casa de Joaquim Manuel Correia recuperada

A família de Joaquim Manuel Correia, advogado e escritor da Ruvina, concelho do Sabugal, está a realizar obras de recuperação na casa onde nasceu o ilustre sabugalense.

O neto de Joaquim Manuel Correia junto à casa onde nasceu o escritor (foto de Natália Bispo)

O neto de Joaquim Manuel Correia junto à casa onde nasceu o escritor (foto de Natália Bispo)

José Carlos Lages - A Cidade e as Terras - © Capeia Arraiana (orelha)

Star FM Sabugal chegou ao fim

A Star FM Sabugal (96.8 FM para a região raiana) chegou ao fim. A frequência (que já teve diferentes nomes) passou por vários processos «evolutivos». Nesta fase terminal os noticiários obrigatórios por Lei para uma rádio local eram «feitos» a partir de Lisboa pelo telefone numa clara tentativa de optimização de recursos. Longe vão os tempos das peças com rigor jornalístico assinadas por Joaquim Martins que se deslocava da Guarda ao Sabugal para «descobrir» temas de reportagem. Para o futuro os sabugalenses vão contentar-se com uma rádio (M80) que transmite música dos saudosos tempos de há 20 e 30 anos atrás. Definitivamente o Sabugal caminha em direcção ao século XX.

Star FM Sabugal - Capeia Arraiana

Star FM Sabugal – 96.8 FM – The End

Manuel Leal Freire - © Capeia Arraiana

Poetando – Ruvina

«Poetando» é a coluna de Manuel Leal Freire no Capeia Arraiana, na qual aos domingos vai publicando poemas inéditos, cada um dedicado a uma aldeia do concelho do Sabugal. Nesta edição o escritor e poeta dedica um soneto à Ruvina.

Censos 1758 - © Capeia Arraiana

Freguesias do concelho do Sabugal em 1758 (28)

:: :: RUVINA :: :: Os manuscritos depositados na Torre do Tombo, em Lisboa, são a resposta a um inquérito censório a todo o reino assinado pelo Marquês de Pombal três anos após o terramoto de 1755. O Capeia Arraiana está a publicar as respostas dos párocos das paróquias das 40 freguesias do concelho do Sabugal agora que, pelo menos 10 das retratadas, vão desaparecer para sempre por obra e graça dos senhores mandantes da troika europeia.

Igreja Matriz da Ruvina - Censos 1758 - Foto: Capeia Arraiana

Igreja Matriz da Ruvina

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

D.João de Oliveira Matos declarado «Venerável»

O Vaticano publicou ontem, dia 4 de Junho, o decreto que reconhece as «virtudes heróicas» de. D. João de Oliveira Matos, falecido há cinquenta anos, bispo auxiliar da Guarda e fundador da Liga dos Servos de Jesus.

Câmara Municipal Sabugal - © Capeia Arraiana

Contratações e ajustes no Município do Sabugal (14)

O Capeia Arraiana está a publicar as contratações da Câmara Municipal do Sabugal e de entidades públicas que, por ajuste directo, envolvam o concelho sabugalense entre Janeiro de 2012 e Dezembro de 2013. As regras da contratação pública previstas no Código dos Contratos Públicos aplicam-se a todo o sector público administrativo tradicional: o Estado, as Autarquias Locais, as Regiões Autónomas, os Institutos Públicos, as Fundações Públicas, as Associações Públicas e as Associações de que façam parte uma ou várias pessoas colectivas referidas anteriormente. :: FEVEREIRO de 2013 ::

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Vilar Maior recria ambiente da paixão de Jesus

Vilar Maior, antiga vila medieval, prepara-se para recriar os últimos dias da vida de Jesus. Quase uma centena e meia de actores amadores, naturais de uma dezena e meia de localidades da região do Sabugal vão dar vida ao Evangelho de São Lucas. Na noite de Sexta-feira Santa, dia 29 de Março, pelas 21 horas, a encenação começará no Largo da Praça de Vilar Maior, percorrerá as ruas do centro histórico medieval, num percurso com cerca de 1500 metros e terminará no «Calvário» junto ao Castelo da antiga vila raiana.

Paixão de Jesus em Vilar Maior - Padre Hélder Lopes - Ensaios Gerais - Capeia Arraiana

Ensaios gerais da encenação da Paixão de Jesus em Vilar Maior

Anuáriio Comercial Portugal - 1942 © Capeia Arraiana

O concelho do Sabugal em 1942 (15)

Continuando a fazer a caracterização do concelho do Sabugal no ano de 1942, com base na 62.ª edição do Anuário Comercial de Portugal, vamos agora expor quem eram os agricultores, os proprietários, negociantes e profissionais de três freguesias do concelho: RUVINA, SANTO ESTÊVÃO e SEIXO DO CÔA.

PSD e CDS avançam com agregação de freguesias

Os grupos parlamentares do PSD e do CDS apresentaram um projecto de lei com a reorganização administrativa do território cuja discussão em plenário está agendada para a próxima quinta-feira, dia 6 de Dezembro. A iniciativa reproduz a proposta da Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa Territorial.

Concelho do Sabugal - Reforma das Freguesias - 2012 - Mapa Blogue Capeia Arraiana

(clique na imagem para ampliar.)

A proposta dos partidos que suportam o governo aponta para que as freguesias a agregar mantenham a sua existência até às eleições gerais para os órgãos das autarquias locais de 2013, momento em que será eficaz a sua cessação jurídica.
A aprovação do projecto de lei e a sua entrada em vigor implicará que a preparação das listas às eleições autárquicas tenha já em conta as agregações decididas.
Segundo a proposta conjunta PSD/CDS, o concelho do Sabugal ficará com 30 freguesias, menos 10 do que aquelas que actualmente possui, o que resultará da criação de sete novas freguesias por agregação:
– União das Freguesias de Sabugal e Aldeia de Santo António;
– União das freguesias de Santo Estêvão e Moita;
– União das Freguesias de Pousafoles do Bispo, Penalobo e Lomba;
– União das Freguesias de Ruvina, Ruivós e Vale das Éguas.
– União das Freguesias de Seixo de Côa e Valongo;
– União das Freguesias de Aldeia da Ribeira, Vilar Maior e Badamalos;
– União das Freguesias de Lageosa e Forcalhos.
No prazo de 90 dias após a instalação dos órgãos que resultem das eleições, a assembleia de freguesia delibera a localização da sede. Porém, na ausência de deliberação, a localização das sedes das freguesias a agregar no concelho do Sabugal será: Aldeia de Santo António, Santo Estêvão, Pousafoles, Ruvina, Seixo do Côa, Vilar Maior e Lageosa.
Os dois partidos que suportam o governo afirmam que a reforma é um antigo e histórico anseio e que no concreto resulta do memorando de entendimento assinado com a Troika, que determina a redução significativa das autarquias locais. Aumentar a eficiência e reduzir custos são outro dos motivos avançados pelos dois partidos para a reforma.
plb

Avioneta suspeita perseguida sobre o Sabugal

Dois caças F-16 da Força Aérea Portuguesa perseguiram esta madrugada, sobre o Sabugal, uma aeronave que entrou em espaço aéreo português. Uma missão da Força aérea justificada pela suspeita de tráfico de droga. O aeródromo da Ruvina foi vigiado durante todo o dia por patrulhas da GNR.

Sabugal pode ficar com apenas 30 freguesias

A proposta formulada pela Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa do Território (UTRAT) aponta para várias agregações de freguesias no concelho do Sabugal, passando o mesmo das actuais 40 para apenas 30 freguesias.

Concelho do Sabugal - Reforma das Freguesias - 2012 - Mapa Blogue Capeia Arraiana

(clique na imagem para ampliar.)

O Sabugal junta-se a Aldeia de Santo António, passando a constituir uma única freguesia.
O mesmo acontece-se com Santo Estêvão e Moita.
Outra união é entre as freguesias de Pousafoles, Penalobo e Lomba, que se reúnem numa só.
Também Ruvina, Ruivós e Vale das Éguas passam a uma só freguesia.
Seixo de Côa e Valongo juntam-se igualmente, agregando neste caso as duas margens do rio Côa.
Na raia, Aldeia da Ribeira, Vilar Maior e Badamalos também se juntam numa só freguesia.
Lageosa e Forcalhos são as outras duas freguesias da raia que se agregam.
A proposta mexe em todas as 11 freguesias com mesmos de 150 habitantes e ainda na do Sabugal e de Aldeia de Santo António, cuja junção a UTRAT justifica com o facto de serem contíguas, partilharem a albufeira do Sabugal e passarem a, juntas, perfazerem 2741 habitantes, reforçando assim demograficamente a sede do concelho.
Nas restantes agregações a UTRAT justifica-se com a homogeneidade do território, com a existência de legações rodoviárias directas, a pouca distância entre os agregados populacionais e a criação de um maior equilíbrio demográfico.
Recorda-se que a Assembleia Municipal do Sabugal se pronunciou contra a reorganização administrativa do território do concelho.
plb

Festival de pára-quedismo na Freineda

A Freineda, e toda a Raia, vão assistir pela primeira vez a um festival de pára-quedismo. Este domingo, dia 16 de Setembro, a Comissão de Festas de Santa Eufêmia 2012 da Freineda vai proporcionar momentos inéditos nos ares raianos. O avião vai estar estacionado no aérodromo da Dragoa, na Ruvina, concelho do Sabugal, e levantará voo para levar os pára-quedistas em duas vagas de manhã e duas da parte da tarde: os saltos sobre o Largo de Santa Eufêmea, na Freineda, com seis «páras» de cada vez estão marcados para as 11:00 e para as 11:45 e para as 16:00 e 16:45 horas.

Santa Eufêmea - Pára-quedismo - Freineda - Almeida

jcl

Sabugal contra agregação de freguesias

Os presidentes das juntas de freguesia a agregar, nos termos da legislação aprovada pelo governo, pretendem pronunciar-se contra qualquer solução integradora das respectivas juntas, posição que tomarão na Assembleia Municipal do Sabugal, que se vai realizar no dia 28 de Setembro.

A Comissão Permanente da Assembleia Municipal reuniu na passada sexta-feira, dia 7 de Setembro, no Sabugal, a fim de preparar a próxima sessão, na qual os eleitos locais se pronunciarão quanto ao projecto de redução de juntas de freguesia.
Na reunião, orientada pelo presidente da Assembleia Municipal, Ramiro Matos, estiveram presentes os representantes dos diferentes grupos políticos que têm assento na Assembleia, bem como os presidentes das juntas de freguesias do concelho que, nos termos dos critérios legalmente definidos, terão que ser agregadas.
O Capeia Arraiana apurou que no decurso da reunião apenas três presidentes de junta declaram, peremptoriamente, não aceitar qualquer agregação, sendo frontalmente contra o processo político e legislativo em curso, que visa diminuir o número de freguesias. Tratou-se dos presidentes das juntas da Moita, Valongo do Côa e Penalobo.
Outros presidentes de junta afirmaram que se forem obrigados a agregar-se, aceitarão essa situação. Assim, o presidente da Junta de Freguesia da Lomba, disse aceitar reunir-se a Pousafoles. Outra agregação possível, defendida pelos respectivos presidentes, é a de Aldeia da Ribeira, Badamalos e Vilar Maior, ficando a sede da junta agregada nesta última. Por sua vez também estão dispostos a aceitar associar-se as juntas de Ruivós, Vale das Éguas e Ruvina, ficando a respectiva sede nesta última localidade.
A discussão levou porém a uma tomada conjunta de posição que aponta para a não pronuncia da Assembleia nesta fase, alegando que não aceitar qualquer integração. Na ausência de pronúncia, caberá à comissão criada pelo governo elaborar uma proposta de agregação, a qual terá depois que ser discutida e votada na Assembleia Municipal, altura em que os eleitos locais se pronunciarão sobre o projecto, podendo alterá-lo em função dos interesses das freguesias, desde que se cumpram os critérios legalmente estabelecidos.
A Assembleia Municipal do Sabugal reunirá em 28 de Setembro, sendo expectável que opte pela não pronúncia, manifestando oposição a qualquer agregação das freguesias do concelho.
plb

Câmara aposta na reparação de estradas

A Câmara do Sabugal vai requalificar um conjunto de estradas municipais, nomeadamente as que passam na Nave, Aldeia da Dona e Bismula, assim como na Rapoula, Ruvina , Batocas e Bendada.

A última Assembleia Municipal ratificou a decisão da Câmara Municipal de alterar o Orçamento e as Grandes Opções do Plano para 2012, através da qual se afectaram verbas a a novos projectos, retirando-as de outros, que a Câmara deixou cair. A maior verba, de quase 700 mil euros, foi retirada da rúbrica «ligação da A23 à Fronteira», transferindo-a por inteiro para a requalificação das estradas municipais. Outra actividade que ficou sem verba foi a exposição etnográfica prevista para o Centro de Negócios do Soito, que tinha afectos 29 mil euros.
Uma das estradas que a câmara prevê reparar é o troço entre a Nave e a Bismula, que passa por Aldeia da Dona, prevendo-se que as obras cheguem até à ponte de Vilar Maior.
Outra estrada a ser beneficiada é a que vai do cruzamento da Parada ao limite do concelho.
Também a ligação da Rapoula do Côa à Nave, que passa pela Ruvina, merecerá melhoramentos, o mesmo acontecendo no acesso que liga o cruzamento da estrada nacional às Batocas.
As beneficiações chegarão ainda à via que liga Rebelhos à Bendada e ao troço que atravessa Aldeia Velha.
No total, a câmara afectou à reabilitação de estradas quase 900 mil euros.
As alterações ao orçamento foram aprovadas na Câmara Municipal graças à abstenção do vereador Joaquim Ricardo, que impôs que as reafectações de verbas incluam algumas das obras previstas no plano de eficiência no uso da água. Já os vereadores socialistas optaram por votar contra as alterações, alegando que o faziam não por discordarem das obras a executar, mas pelo facto da proposta não ter sido acompanhada pelo ponto da situação relativo à execução orçamental deste ano.
plb

Francisco António Robalo – agradecimento

No século passado com toda a angústia existencial, Albert Camus questionava-nos: sabes o que é o encanto? É ouvir um sim como resposta sem nunca ter perguntado nada.

José Robalo – «Páginas Interiores»Eu diria complementando o pensamento deste ser atormentado, que era esse o amor do meu pai. Tinha sempre um sim, sem nunca lhe pedir nada. Aí residia o seu encanto – na sua forma generosa e fraterna.
Com o seu desaparecimento, hoje tenho a certeza que esse encanto se vai perpetuar.
Bem hajas pai.
Naturalmente ainda fragilizado por esta dor, não queria deixar de agradecer a todos aqueles que nos ajudaram a mim, ao meu irmão e à minha mãe e a toda a restante família, a minimizar este sofrimento e que das mais diversas formas nos manifestaram a sua solidariedade.
Hoje tenho a certeza que a morte, afinal, é independente das vontades e dos afectos
Obrigado ao Capeia Arraiana pelas palavras amigas.
José Robalo

Faleceu Francisco António Robalo

Morreu Francisco António Robalo, natural da Ruvina, concelho do Sabugal, de 82 anos, pai do presidente da Câmara do Sabugal, António dos Santos Robalo.

Faleceu Francisco RobaloFrancisco Robalo estava internado no Hospital da Guarda, onde faleceu devido ao agravamento de problemas cardíacos de que padecia.
Natural da Ruvina, Francisco Robalo esteve longo tempo em França, onde trabalhou como emigrante.
Para além do filho António Robalo, engenheiro e actual presidente da Câmara Municipal do Sabugal, o agora falecido era também pai de José Robalo, conhecido e prestigiado advogado com escritório no Sabugal.
O funeral realiza-se amanhã, dia 4 de Julho, pelas 11 horas, na Ruvina.

Apresentamos ao presidente da Câmara, António Robalo, ao seu irmão José Robalo, e demais família, os nossos sentidos pêsames.
plb

Feiras e mercados do concelho do Sabugal

A Câmara Municipal aprovou o plano anual de mercados e feiras a decorrer no concelho do Sabugal durante o presente ano de 2012. Muitas terras de pequena dimensão, em termos de moradores permanentes, conseguem manter o seu mercado mensal e a sua feira de ano, demonstrando por essa via a sua vitalidade.

Feiras (chamadas feiras de ano), por terem data de realização todos os anos e não mensalmente, como sucede com os mercados:
Badamalos: 24 de Agosto.
Casteleiro: 10 de Fevereiro, 10 de Maio e 10 de Novembro.
Quadrazais: segundo domingo de Agosto.
Rebolosa: 25 de Novembro.
Ruivós: segundo fim-de-semana de Março.
Ruvina: segunda-feira de Pascoela.
Sabugal: 29 de Junho.
Santo Estêvão: 15 de Março e 25 de Setembro.
Soito: primeiro domingo de Agosto.
Vilar Maior: 17 de Agosto.

Mercados, de realização mensal:
Aldeia do Bispo: primeira terça-feira.
Aldeia da Ponte: primeira segunda-feira.
Alfaiates: segunda quinta-feira.
Bendada: dia 12 de cada mês e às quartas-feiras entre os dias 22 e 29.
Bismula: último dia do mês.
Casteleiro: dia 10 de cada mês.
Fóios: último sábado.
Pousafoles do Bispo: segundo domingo.
Sabugal: primeira quinta-feira e terceira terça-feira.
Santo Estêvão: última quinta-feira.
Soito: quarta terça-feira.
Vale de Espinho: segundo sábado.
Vila do Touro: terceira quinta-feira

Os mercados e as feiras são sinais de vitalidade para a sede de concelho e para as freguesias que ainda os conseguem manter. Para além disso são geralmente de grande utilidade para as pessoas, que assim têm à porta um conjunto de bens essenciais que doutra forma teriam que ir comprar longe.
plb

Literatura - Capeia Arraiana (orelha)

João Valente apresentou livro no Sabugal

«Raia Morena» é o livro de poemas de João Valente, que foi apresentado no Sabugal no dia 17 de Fevereiro, no restaurante Robalo.

PSD alcança três deputados no distrito da Guarda

O PSD alcançou um resultado histórico no distrito da Guarda elegendo três dos quatro deputados e alterando o tradição equilíbrio (2 e 2) entre os PSD e o PS. O PSD venceu em todos os concelhos do distrito da Guarda tendo alcançado no concelho do Sabugal 3472 votos (48,20%) contra 2004 (27,82%) do PS.

No círculo eleitoral da Guarda o Partido Social Democrata elegeu três deputados – Manuel Meirinho, Carlos Peixoto e Ângela Guerra – e o Partido Socialista apenas um deputado – Paulo Campos – ficando de fora, como grande derrotado da noite, José Albano que se posicionava em segundo lugar. O distrito da Guarda elege quatro deputados e tradicionalmente têm sido divididos entre os sociais-democratas e os socialistas.
Manuel Meirinho em declarações à agência Lusa considerou que a candidatura do PSD alcançou «um resultado histórico». O Partido Social Democrata, liderado pelo politólogo independente, alcançou 46,32 por cento dos votos, elegendo três deputados. Já o PS conseguiu 28,31 por cento dos votos e elegeu apenas um deputado, o que já não ocorria desde 1995, altura em que os dois partidos passaram a eleger dois deputados cada.
«É um resultado histórico para o distrito, que expressa o esforço feito numa campanha de proximidade junto das pessoas, séria e serena, muito transparente e muito sóbria», afirmou à Lusa Manuel Meirinho, eleito deputado pelo distrito da Guarda, tal como Carlos Peixoto e Ângela Guerra. Segundo Manuel Meirinho, os eleitores do distrito «preferiram a seriedade a uma campanha feita de forma agressiva e com algum vazio do ponto de vista das ideias» e garantiu que o partido trabalhou para obter «uma grande vitória».
Quanto ao facto de a lista distrital ter sido liderada por um independente, disse que a «mistura» de militantes e de independentes «mostra aos eleitores que os partidos são estruturas abertas».

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS  –  5-6-2011
DISTRITO DA GUARDA

CONCELHO DO SABUGAL  –  FREGUESIA A FREGUESIA
Águas Belas Aldeia da Ponte Aldeia da Ribeira Aldeia S.António Aldeia do Bispo
Aldeia Velha Alfaiates Badamalos Baraçal Bendada
Bismula Casteleiro Cerdeira Fóios Forcalhos
Lageosa da Raia Lomba Malcata Moita Nave
Penalobo Pousafoles Quadrazais Quintas S. B. Rapoula do Côa
Rebolosa Rendo Ruivós Ruvina Sabugal
Santo Estêvão Seixo do Côa Sortelha Soito Vale das Éguas
Vale de Espinho Valongo do Côa Vila Boa Vila do Touro Vilar Maior

(Clique nas imagens para ampliar.)

jcl

Poderão fechar escolas no próximo ano lectivo

No concelho do Sabugal apenas três escolas do primeiro ciclo do ensino básico cumprirão, no próximo ano lectivo, os critérios do Ministério da Educação para poderem continuar abertas. As escolas com menos de 20 alunos poderão ter de fechar, mau grado a Câmara do Sabugal estar empenhada em o evitar.

Para o ano lectivo 2011/2012 o executivo camarário aprovou por unanimidade, na reunião de 2 de Março passado, manter a deliberação tomada nos anos anteriores de não concordar com o encerramento de escolas no concelho. A razão prende-se com o investimento feito nos últimos anos nas diversas escolas e com o encargo financeiro assumido com a rede de transportes escolares.
O concelho do Sabugal terá no próximo ano lectivo 315 alunos no ensino básico. A Escola Básica do Sabugal, com 155 alunos, a do Soito, com 41, e a de Aldeia de Santo António, com 21, são as únicas que cumprem o critério governamental para poderem continuar a funcionar.
Mau grado a posição assumida pela Câmara, as restantes oito escolas, não terão alunos suficientes para poderem garantir manter-se de portas abertas.
Em pior posição está Vila Boa, que prevê ter apenas sete alunos. Surgem depois Aldeia da Ponte, que terá 10, Bendada e Rapoula, que terão 11, Aldeia Velha, com 13, Ruvina e Santo Estêvão, ambas com 15, e a Cerdeira, com 16.
A Carta Educativa do Concelho do Sabugal, aprovada na Assembleia Municipal de 27 de Abril de 2007, prevê que o concelho venha a ter quatro centros educativos: na Bendada, no Sabugal (a construir de raiz), no Soito e na Cerdeira (junto com a Ruvina). Teme-se porém que o processo de despopulação do concelho, continue a fazer diminuir de tal forma o número de crianças nas aldeias, que nem para esses centos existam alunos.
Bem revelador do problema parece ser o facto de nem as duas escolas ligadas à Liga dos Servos de Jesus, situadas na Cerdeira e na Ruvina, conseguirem garantir o cumprimento dos critérios exigidos pelo ministério da Educação para a sua continuidade.
plb

Loison – o atroz general de Napoleão

Loison foi um general e conde do Império Francês, que participou nas três invasões de Portugal. Ficou muito popular pelas piores razões, pois o povo, que o imortalizou como «Maneta», sofreu na pele os horrores do seu comportamento criminoso. Esteve acampado na Ruvina, no final da terceira Invasão.

Henri-Louis Loison nasceu a 13 de Maio de 1771, em Damvillers, filho de um deputado da Assembleia Constituinte. Alistou-se no exército aos 20 anos e passado um ano era tenente. Já capitão de hussardos, serviu na actual Bélgica, onde liderou o saque à célebre e riquíssima abadia de Orval, seu primeiro acto de grande atrocidade.
Promovido a general de brigada, participou na repressão da insurreição monárquica de 1795, sendo depois nomeado presidente do tribunal que condenou os cabecilhas da revolta.
Em 1799 serviu na Suiça, sob as ordens de Massena, que o promoveu a general de divisão. No ano seguinte participou na Campanha de Itália onde se bateu em batalha sob as ordens do marechal Ney.
Em 1806 perdeu o braço esquerdo num acidente de caça, o que o colocou fora do comando das tropas durante largos meses. Recuperado, participou no cerco de Colberg, na Alemanha, e foi nomeado governador de uma região do novo Reino da Vestefália.
Em finais de 1807, foi nomeado comandante da 2.ª divisão do Corpo de Observação da Gironda, que, sob o comando de Junot, invadiu Portugal. Foi o homem de mão de Junot para punir os actos de rebeldia dos portugueses. Isso é especialmente notório a partir de Maio de 1808, perante sinais de uma insurreição geral, o que levou Junot a encarregar Loison de expedições punitivas exemplares. Ocupou então diversas povoações portuguesas, de norte a sul, praticando todo o género de crueldades contra as populações, ferindo, açoitando e matando quem lhe surgisse pela frente. O povo chamava-o «Luisão» e «Maneta», ficando então a usar-se na linguagem popular o lugar comum «ir para o maneta», em analogia com o destino fatal de todos aqueles que o Maneta apanhava.
Finda a primeira invasão, Loison foi, em 1808, enviado para o corpo do marechal Soult, a quem Napoleão encarregou de uma segunda invasão, entrando pelo Norte. Bom conhecedor do País, Soult enviou-o por diversas vezes em campanha, a fim de pacificar zonas revoltosas ou para cobrir os movimentos do exército francês, continuando a praticar as suas malfeitorias sobre o povo.
Fracassada a segunda invasão, regressou a Espanha e, em 1810, esteve de novo ao comando de uma divisão, integrado agora no corpo de Ney, com o objectivo de entrar em Portugal, no exército de Massena. Loison combateu na batalha do Buçaco, ocupou diversas posições defronte das Linhas de Torres e evoluiu às ordens no movimento retrógrado. Massena vivia em conflito permanente com o fogoso Ney, que por sua vez detestava Loison. A rivalidade entre os marechais culminou na decisão de Massena destituir Ney do comando do 6º Corpo, em plena retirada, quando as tropas se encontravam em Celorico da Beira, tentando suster o avanço aliado.
Loison foi então escolhido para comandar o 6º Corpo, mas as tropas, que sempre tiveram Ney como herói, não se adaptaram ao novo comandante. Loison não tinha o carisma e a capacidade de comando do seu predecessor. O 6º Corpo, era a elite do exército invasor, que havia coberto toda a retirada desde Santarém, mas com Loison passou a ser uma estrutura pesada e difícil de movimentar.
Massena ordenou a Loison que ocupasse o vale do Côa, e a Junot e Reynier, os outros dois comandantes de corpo, que avançassem pelo Sabugal para sul, pretendendo relançar a invasão. Porém o atrito com Ney e a consequente demora na manobra do 6º Corpo fizeram fracassar este plano. Loison ocupa a margem direita do rio Côa, instalando-se na Ruvina, a partir de onde comandou os seus homens, com vista a garantir que as forças anglo-portuguesas não passassem o rio.
Entretanto Junot deixou Belmonte e Sortelha e recuou para Alfaiates, onde Massena estava instalado, e Reynier acampou no Sabugal, começando-se a desenhar um definitivo retrocesso dos franceses para Espanha. Wellington, à frente do exército anglo-luso, atacou Reynier no Sabugal, o qual esperou pelo socorro de Loison, que porém não foi capaz de lho prestar. Optou antes por levantar o acampamento e partir da Ruvina para Alfaiates, onde se juntou a Massena, daí recuando para Espanha.
A curta passagem de Loison pelo concelho do Sabuhgal, não deu azo a mais que os normais e puros actos de guerra, dentre os quais as acções de saque às populações a fim de garantir a subsistência do exército. Loison era um homem cansado da guerra, que transportava a fama terrível de general sanguinário e cruel. Porém não passava, nesse momento de uma sombra de si próprio.
Já acantonado em Espanha, pediu insistentemente uma licença, que acabou por lhe ser concedida, e abandonou o comando do corpo, regressando a França.
Em Maio de 1812 foi enviado por Napoleão para a campanha da Rússia, onde combateu abnegadamente.
Regressado a França em 1814, passou a comandante de uma região militar e, no ano seguinte, passou à disponibilidade. A queda de Napoleão fê-lo passar em definitivo à posição de reformado, indo viver em Liége, no recém-criado Reino dos Países Baixos, onde morreu em 30 de Dezembro de 1816, com apenas 45 anos.
Paulo Leitão Batista

Imagem do Dia – António Robalo vota na Ruvina

«Imagem da Semana» do Capeia Arraiana. Envie-nos a sua escolha para a caixa de correio electrónico: capeiaarraiana@gmail.com

José Sócrates no Casteleiro - Sabugal - 2010
Clique na imagem para ampliar

Data: 23 de Janeiro de 2011.
Local: Ruvina, Sabugal.
Autoria: Capeia Arraiana.
Legenda: Eleições para a Presidência da República. O Presidente da Câmara Municipal do Sabugal, António Robalo, votou às 17 horas na freguesia da Ruvina. «Agir positivo e pensar positivo», declarou o autarca junto de alguns conterrâneos após exercer o direito de voto.

Este acto de cidadania faz-me pensar como seria interessante saber onde votaram os outros intervenientes políticos e sociais sabugalenses. A minha curiosidade aumenta quando penso em algumas personalidades que estão sempre dispostas a apontar de forma indigna defeitos e problemas esquecendo-se das soluções e do respeito pelas pessoas.
jcl

Festa da Unidade Pastoral do Planalto do Côa

As Comunidades da Unidade Pastoral do Planalto do Côa reuniram-se na Ruvina, no Domingo, dia 14 de Novembro, para participarem no magusto inter-paroquial.

(Clique nas imagens para ampliar.)

Padre Hélder LopesDepois de Ruivós (2008) e de Vale das Éguas (2009) terem organizado esta actividade, este ano a Ruvina foi a terra anfitriã do Magusto Inter-Paroquial das Comunidades da Unidade Pastoral do Planalto do Côa.
O Domingo foi preparado com muito cuidado. Ao longo de vários dias muitas pessoas se empenharam nos preparativos para que tudo corresse bem. As previsões atmosféricas ameaçavam estragar os planos, mas até o sol quis participar neste encontro, brindando-nos com a sua presença e alegria ao longo do dia.
Logo cedo, depois das Celebrações Dominicais de cada paróquia, muitos paroquianos das diversas comunidades (Badamalos, Bismula, Rapoula do Côa, Ruivós, Ruvina, Vale das Éguas e Vilar Maior) começaram a chegar ao largo da igreja da Ruvina, uns de transporte próprio, outros nos transportes disponibilizados para o efeito. Às 11.00 horas já a pequena igreja estava repleta. Fizeram-se os ensaios e às 11.30 horas começou o momento mais importante do dia. A Eucaristia foi celebrada com muito encanto. Na assembleia ocuparam lugar de destaque as crianças, adolescentes e jovens das diversas comunidades paroquiais. Os cânticos entoaram-se com beleza. Os altares foram enfeitados com muito esmero. Os acólitos emolduraram o presbitério rodeando o pároco, o Diácono Lucas Fernandes e o jovem André Barros. Rezou-se de forma especial pelos nossos Seminários.
Depois da Celebração Eucarística, passou-se da mesa do altar para a mesa do convívio e da refeição fraterna. No pavilhão das festas, junto ao ringue, foi servido o almoço preparado por um pequeno grupo de pessoas muito diligente. Depois das entradas, foi servida a canja de galinha, carnes assadas acompanhadas de arroz e fruta da época. Dias antes, os paroquianos das diversas paróquias foram convidados a partilhar as sobremesas. As mesas que lhes estavam destinadas rapidamente ficaram repletas de iguarias que saltavam aos olhos e faziam água na boca. Ninguém contou as pessoas presentes, mas os 170 pratos de cerâmica que estavam preparados não chegaram para todos. Foi necessário recorrer a pratos de plástico guardados para as eventualidades. Tudo foi preparado com muita perfeição.
Já com a barriga acomodada foi tempo de desfazer as calorias do almoço. Rapidamente se organizaram os jogos que estavam preparados e muitos se puderam divertir. Houve jogos tradicionais para todos os gostos, idades e feitios, desde os jogos de cartas, aos mini-torneios de «futebol de 5», até aos jogos de cordas. Organizaram-se corridas de sacas, corridas de pares, jogo do balão, jogo do ovo, jogo da maçã, jogo da malha, jogo do prego, jogo da testa entre outros… Foi uma tarde muito bem passada que ajudou pequenos e graúdos a celebrar o Domingo de forma diferente.
Como um dos motivos do encontro era o magusto, o dia não poderia ter terminado sem as castanhas assadas e a jeropiga. Também aqui houve castanhas para todos os gostos, desde as assadas no tradicional monte de caruma, até às assadas em modernos recipientes que permitem um melhor aproveitamento do fruto do castanheiro. Como é natural, alguns chegaram a suas casas irreconhecíveis!
Este dia só foi possível graças à organização feita pela Paróquia da Ruvina com o apoio da Junta de Freguesia local, do Centro Social e Cultural da Ruvina e da Casa de Cristo Rei.
Pe. Hélder Lopes