Category Archives: Covilhã

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

Porquê o tempo de Quaresma?

Neste tempo de reflexão, cada vez mais esquecido por todos, vivi uma travessia no deserto, tal como Jesus Cristo, só que nos tempos atuais. E as dificuldades que passei tornou-me mais crente e tolerante. E também vou entrar num ciclo novo da minha vida, onde cada segundo vale ouro. Acima de tudo saber perdoar, com responsabilidade, e dar o máximo que puder para ajudar quem mais precisa. Mas podem ficar descansados. O texto é uma mera reflexão onde acredito que, todos e todas, têm o seu lugar.

Igualdade e Fraternidade - Capeia Arraiana

Igualdade e Fraternidade

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

«Manifestus Probatum»

O nome talvez nada diga sobre a crónica desta semana. Mas a minha independência, como homem, começou com a «mão» de um familiar que ainda hoje me deixa saudades. «Manifestus Probatum» foi a bula papal que declarou que o Condado Portucalense fica independente do Reino de Leão. E mesmo sendo um ateu convicto, este meu familiar acabou por fazer-me o que o Papa Alexandre III fez com os portucalenses. Esta crónica é uma homenagem a um homem – Olívio Sousa Bento – que sempre acreditou nas suas convicções até ao fim, doa a quem doesse e fosse quem fosse!.

O tio Olívio - Capeia Arraiana

O tio Olívio

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

Hoje foi a minha vez!

Quem me conhece sabe o frenesim da minha vida. Na verdade, já fiz muita coisa, e nestes últimos anos sem dúvida que exagerei. O nosso metabolismo, o nosso sistema imunitário não são como as máquinas e os motores que conhecemos, e mesmo assim, quando excedemos os seus limites, acabam por avariar. No meu caso concreto sempre imaginei que me sentia ótimo, que aguentava a pressão e com um pequeno descanso estava pronto para o desafio. A realidade não é assim. E curiosamente mesmo que as análises estejam ótimas, com mais uns passeios no campo, o facto é que a nossa cabeça começa a fraquejar. Silenciosamente e sem darmos por isso! No final de uma fase que não desejo a ninguém queria expressar mais uma vez profundos agradecimentos aos amigos que tive, no trabalho e fora dele, mas acima de tudo à minha família, nuclear e não só, e ao médico que me acompanhou conseguindo mudar-me como ser humano, que praticamente já não era. O texto foi escrito em plena crise e alguns já o conhecem. No entanto não ficaria bem com a minha consciência se não o pulicasse no Capeia Arraiana.

Hoje foi a minha vez - Capeia Arraiana

Hoje foi a minha vez

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

É verdade! Também fiz Tropa!

Ainda sou do tempo do Serviço Militar Obrigatório (SMO). E ao contrário da maioria dos rapazes da época fiz questão de o cumprir. Como tudo na vida tem bom, e mau, mas para mim acabou por ser um pesadelo. Mas mesmo assim achei que valeu a pena!

Afinal também fiz tropa - Capeia Arraiana

Afinal também fiz tropa

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

E o óscar vai para….

A crónica de hoje passa-se em pleno século XVII ainda antes da assinatura do tratado de Lisboa, em 13 de fevereiro de 1668, onde finalmente Portugal formalmente almeja a sua plena independência. Em semana de óscares, e ainda em recuperação de uma maleita, achei que este meu argumento merecia, no mínimo, a estatueta de melhor argumento original. Pelo menos os meus amigos leitores poderão livremente opinar, e quem sabe, dar-me força para enviar esta estória para Hollywood.

.

Nobres do século XVII

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

O porquê de ser diferente!

Quando sofremos um esgotamento ou cansaço cerebral, normalmente a nossa recuperação leva-nos a refletir um pouco sobre nós mesmos. Julgamos que as doenças psiquiátricas apenas acontecem aos outros, mas o facto é que vivendo em sociedade o próprio ser humano impõe a si próprio regras e contrariedades que com a idade vão-nos «consumindo» acabando um dia por nos deitar abaixo. Numa das reflexões que fiz veio na sequência de uma atividade de escuteiros que me fez recordar os meus tempos de juventude e que, por incrível que pareça, tem me ajudado imenso nesta difícil recuperação.

O porquê de ser diferente - Capeia Arraiana

O porquê de ser diferente

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

O Filho do Alfaiate

Em garoto nem imaginava vir anos mais tarde conhecer o protagonista desta estória. Manuel da Silva Ramos, um beirão que ama a sua cultura e me ajudou como aspirante a escritor, tendo recentemente celebrado 50 anos do lançamento do seu primeiro livro: «Os três seios de Novélia». Mas o facto é que a vida dá muitas voltas e nos longínquos anos 60 ou setenta, ainda no período do Estado Novo, era «obrigado» a usar fato e um dia memorizei este episódio que hoje vos tenho o prazer de relatar. Seguramente com tantos anos passados até seja possível que alguma ficção se sobreponha à realidade, mas o facto é que a verdadeira essência permanece.

Manuel da Silva Ramos - Capeia Arraiana

Manuel da Silva Ramos

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

Um Primeiro de Maio inesquecível

Decorria o ano de 1975, concretamente o dia primeiro de maio, e eu, juntamente com um colega escuteiro, decidimos fazer uma caminhada para obtermos a especialidade de «andarilho». O objetivo era no mínimo fazer vinte quilómetros de marcha. A aldeia de Águas de Moura dista 10 quilómetros de Setúbal, sendo por isso o destino ideal para a conquista de mais esta proeza. Mas digo-vos com sinceridade: ter feito esta atividade neste primeiro de maio foi bem mais difícil do que imaginámos!

Um Primeiro de Maio inesquecível - Capeia Arraiana

Um Primeiro de Maio inesquecível

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Aldeias do Xisto

Nos últimos dias de Janeiro fui ao Museu de Arte Popular, em Lisboa, visitar uma exposição sobre as Aldeias do Xisto, patrocinada por diversas entidades. À entrada uma funcionária de Sarnadas (Castelo Branco) recebeu-me com enorme simpatia, atitude igual para todos os outros visitantes.

Aldeias do Xisto no Museu de Arte Popular

Retrospectiva do Ano - 2018 - Capeia Arraiana

Retrospectiva do ano 2018

O ano de 2018, que agora finda, ficou marcado, a nível regional, por vários acontecimentos que merecem referência, razão pela qual fazemos esta retrospectiva, baseada no que foi publicado no Capeia Arraiana. Factos como o falecimento do escritor Manuel Leal Freire, o doutoramento honoris causa de Pinharanda gomes, a eleição de António Robalo para a Turismo Centro, a realização da feira do touro e do cavalo no Soito e a nova edição do presépio natural do Sabugal, merecem justo destaque.

Encerro a Cavalo - Capeia Arraiana

A primeira Feira do Touro e do Cavalo, no Soito, foi um dos acontecimentos marcantes do ano 2018

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

Sado, Triste Sado!

No passado dia 8 de dezembro publiquei este artigo no Facebook. Não posso ficar indiferente nesta passagem de ano sem denunciar esta atrocidade. O meu Rio Azul, que caminha de sul para norte, como contrariando a natureza, como uma contracorrente de oposição, de inconformismo, está outra vez nas «mãos» dos interesses económicos e, provavelmente com uma morte anunciada. Quem não se lembra das ostras que a central térmica «convidou-as» a mudar para o Algarve, do tratamento de esgotos que tardou, e, do mais importante, do controlo do estuário, zona fundamental do equilíbrio natural pela alteração do pH da agua, em face da proximidade do mar, onde o sal ajuda à precipitação dos sedimentos e de outros nutrientes essenciais à vida de espécies que escolheram este habitat para sobreviver.

O Estuário do Sado - Capeia Arraiana

Estuário do Sado (Foto: D.R.)

Acontecimento do Ano - 2018 - Capeia Arraiana

Honoris causa para Pinharanda Gomes

:: :: ACONTECIMENTO DO ANO – HONORIS CAUSA PARA PINHARANDA GOMES :: :: O Capeia Arraiana escolheu como Acontecimento do Ano 2018 a atribuição do grau de Doutor Honoris Causa ao pensador quadrazenho Jesué Pinharanda Gomes, pela Universidade da Beira Interior (UBI). A cerimónia de imposição das insígnias académicas aconteceu no dia 20 de Março, na Covilhã, perante uma imensa plateia de professores, estudantes, autoridades civis e religiosas e imensos conterrâneos do ilustre ensaísta e escritor.

No dia 20 de Março a UBI distinguiu Pinharanda Gomes

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Um professor nas minas

O nosso Homem nasceu a 22 de Junho de 1935 na Aldeia da Ponte (Sabugal), filho de pais bismulenses: Manuel Mendes e Luísa Alves Vaz. A mãe era doméstica e o pai guarda-fiscal, colocado no Posto fronteiriço em Aldeia da Ponte, onde nasceram também as irmãs Maria Adelaide, Faustina, Trindade e Inês Alves Mendes. O seu Irmão, Joaquim Alves Mendes, nasceu na Freineda (Almeida), aldeia bem conhecida nacional e internacionalmente, onde se acantonaram as tropas luso-inglesas contra os invasores franceses.

António Mendes foi professor nas Minas da Panasqueira

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

Heroínas desconhecidas

Normalmente o estilo de crónica que hoje vou apresentar baseia-se no meu irmão escuteiro António Alves Fernandes, que lhes posso dizer, contínua numa recuperação espantosa, muito, em parte, graças a uma heroína desconhecida, concretamente a sua esposa. É precisamente neste contexto, de tanta mulher que sofre o quotidiano da vida, nunca procurando a recompensa, que dedico a crónica de hoje, reconhecendo o mérito e a excelência da minha Prima Bárbara Alçada Ribeiro, pessoa muito querida por grande parte das gentes da Covilhã.

Heroínas desconhecidas... - António José Alçada - Capeia Arraiana

Heroínas desconhecidas…

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

Janela «Indiscreta»

Não se trata do famoso filme de Alfred Hitchcock imortalizado pela fotografia notável de Robert Burks e da personagem principal, também ele fotógrafo, mas com uma perna partida obrigando-o a ver a estória passar. Trata-se de sim de uma paisagem outrora mais verdejante e povoada. A crónica de hoje também «nasce» de uma fotografia. De terras onde se sentia a respiração de quem trabalhava no campo, da comida e bebida pura como a natureza as fez e do verde vivo desses campos cultivados.

Janela Indiscreta de Alfred Hitchcook - Capeia Arraiana

Filme «Janela Indiscreta» do realizador Alfred Hitchcook

UBI - Universidade da Beira Interior - Covilhã - Capeia Arraiana (orelha)

Pinharanda Gomes homenageado pela UBI

O filósofo quadrazenho Pinharanda Gomes vai receber o doutoramento Honoris Causa da Universidade da Beira Interior (UBI), da Covilhã, em sessão solene agendada para o dia 20 de Março.

Pinharanda Gomes proferiu mais de 250 conferências em Portugal e no estrangeiro

CP-Comboios - © Capeia Arraiana

Adjudicada a ligação ferroviária Covilhã-Guarda

A obra de modernização do troço ferroviário Covilhã-Guarda da Linha da Beira Baixa foi adjudicada por 52 milhões de euros e, de acordo com Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas, deverá estar concluída em 2019.

Estação do Barracão-Sabugal na Linha da Beira Baixa - Capeia Arraiana

Estação do Barracão-Sabugal na Linha da Beira Baixa

Bombeiros - © Capeia Arraiana (orelha)

Crédito Agrícola apoia bombeiros da região

A Caixa de Crédito Agrícola Mútuo da Região do Fundão e Sabugal, C.R.L. entregou 14.000 garrafas de água às Corporações de Bombeiros da Região.

Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Fundão e Sabugal - Capeia Arraiana

Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Fundão e Sabugal – Capeia Arraiana

Estradas - Auto-Estradas - Vias Rodoviárias - Capeia Arraiana

Autarcas pedem fim das portagens na A23

Autarcas da Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) foram de comboio, esta quinta-feira, a Lisboa para entregarem ao Secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme d’Oliveira Martins, um Memorando com a moção que foi aprovada pelo executivo camarário onde é exigida a abolição progressiva das portagens na A23 e também a moção aprovada por unanimidade pela Assembleia Municipal da Covilhã onde é exigida a substituição do material circulante na linha da Beira Baixa.

Delfina Leal (vice-presidente da C.M. Sabugal) em Lisboa - Capeia Arraiana

Delfina Leal (vice-presidente da C.M. Sabugal) em Lisboa (foto: C.M. Covilhã)

Câmara Municipal Sabugal - © Capeia Arraiana

Contratações e ajustes no Município do Sabugal (42)

O Capeia Arraiana está a publicar as contratações da Câmara Municipal do Sabugal e de entidades públicas que, por ajuste directo, envolvam o concelho sabugalense desde as eleições autárquicas de Setembro de 2013 até Setembro de 2017. As regras da contratação pública previstas no Código dos Contratos Públicos aplicam-se a todo o sector público administrativo tradicional: o Estado, as Autarquias Locais, as Regiões Autónomas, os Institutos Públicos, as Fundações Públicas, as Associações Públicas e as Associações de que façam parte uma ou várias pessoas colectivas referidas anteriormente. :: JUNHO de 2015 ::

UBI - Universidade Beira Interior - Capeia Arraiana

UBI – Universidade Beira Interior (foto: D.R.)

António Alçada - Capeia Arraiana

Fogo ou atentado?

Estava tranquilamente a assistir às marchas populares no Pelourinho covilhanense, quando recebo um SMS de alerta: “fogo de grandes proporções na zona do Cabril. Há mortes confirmadas”.

O céu estava negro, o cheiro a queimado, o ruído de dor, a chuva de lágrimas

Câmara Municipal Sabugal - © Capeia Arraiana

Sabugal deve 6 milhões de água e saneamento

A dívida do Município do Sabugal à empresa Águas de Lisboa e Vale do Tejo ultrapassa os 6 milhões de euros, sendo a terceira maior do distrito da Guarda, segundo o relatório de contas da empresa.

Dívida da Água do Município do Sabugal (mais de 1 milhão são juros de mora)

Covilhã - Capeia Arraiana

Pintura Escutista no Reservatório do Refugio

O Núcleo da Covilhã da Fraternidade Nuno Alvares, conjuntamente com a Escola Secundária Campos Melo e a empresa municipal Águas da Covilhã, levaram a cabo um projecto inovador de pintar um reservatório de água enquadrado num espírito de arte urbana, aproveitado o Dia Mundial do Ambiente, celebrado a 5 de Junho.

Os alunos posam frente ao trabalho executado

Música - © Capeia Arraiana

A Gardunha subiu mais alto que a Estrela

No dia em que a Gardunha subiu mais alto que a Estrela – efetivamente não deu para acreditar. Era mesmo verdade.

Concerto Chico Buarque por Cristina Branco e Mário Laginha

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Viagem a Coimbra

«Mais vale um ano de Tarimba que quatro anos em Coimbra» (ditado popular).

Coimbra

Coimbra

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Bloco de notas hospitalares

Acordo internado numa unidade hospitalar, sem ouvido nem achado, com um fardamento novo, uma pulseira branca (não das electrónicas), número de processo clínico, nome e idade. Horas antes, nem um “amén” ou “item missa este” ouvi na Sagrada Eucaristia da Missa Dominical.

Não falta material técnico: máquinas para medirem o ritmo cardíaco, rampas de oxigénio, aspiradores e muitos fios e tubos

Não falta material técnico: máquinas para medirem o ritmo cardíaco, rampas de oxigénio, aspiradores e muitos fios e tubos

AMCB - Associação Municípios Cova Beira - Capeia Arraiana

Municípios da Cova da Beira recebem 3 milhões

A Associação de Municípios da Cova da Beira (AMCB) anunciou que vai desenvolver em cooperação com a província de Salamanca (Espanha) dois novos projectos transfronteiriços que implicam um investimento global superior a três milhões de euros. Os projectos foram aprovados no âmbito da iniciativa comunitária INTERREG e a sua execução pretende contribuir para o desenvolvimento dos territórios abrangidos nos dois países ibéricos.

AMCB - Associação Municípios Cova Beira - Capeia Arraiana

Página principal da AMCB que serve 14 munícipios

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

O capador de porcos

«Quando se capa, não se assobia», Adágio Popular.

A licença de um capador

A licença de um capador

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Souto da Casa – Graças a rufar

Em tempos de Advento, no final de uma Eucaristia Dominical, o celebrante informou da morte de Joaquim Lobato, uma personagem conhecida por muita gente.

Bombos do Souto da Casa

Bombos do Souto da Casa

Aldeia Histórica de Sortelha - © Capeia Arraiana (orelha)

Vida e Obra do Dr Pereira Neves

Um volumoso livro de mais de 800 páginas dá a conhecer a vida e a obra do grande escritor Vítor Pereira Neves, natural de Sortelha, empenhado estudioso e difusor da cultura e da história da Mátria e da Pátria.

O livro do Dr Pereira Neves

O livro do Dr Pereira Neves

Hoje destacamos... - © Capeia Arraiana (orelha)

Melhorias nas ferrovias das Beiras

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, anunciou ontem, dia 21 de Julho, na Covilhã, que o Governo vai avançar com a intervenção do Corredor Ferroviário Internacional Norte, que abrange as linhas da Beira Alta e Baixa, num investimento de 691 milhões de euros.

O ministro Pedro Marques na Covilhã

O ministro Pedro Marques na Covilhã

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Barco – recordações de um carteiro

Nasceu há quase noventa anos no meio rural, junto às margens do Rio Zêzere, na linda aldeia do Barco (Covilhã), com a Serra de Estrela a norte, a sua fronteira natural. Nasceu a 22 de Abril, mas só celebra o seu aniversário no dia 25 de Abril.

Barco (Covilhã), com a Serra da Estrela em fundo

Barco (Covilhã), com a Serra da Estrela em fundo

Joaquim Salatra – Notas biográficas (1)

Do velho e bafiento maço de papéis encontrado do apartamento de Arroios constam algumas notas que revelam algo sobre a vida de Joaquim Salatra, nomeadamente a sua infância e juventude passadas na Covilhã.

Salatra nasceu e cresceu na Covilhã

Salatra nasceu e cresceu na Covilhã

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Covilhã – debate e reflexão sobre escutismo

No Café Literário, junto à Igreja de São Francisco na Covilhã, decorreu uma tertúlia escutista organizada pelo Núcleo da Fraternidade Nuno Álvares local, com o apoio do Município covilhanense, sendo orador convidado Francisco Alves Monteiro, um beirão natural da Bismula (Sabugal), dirigente escutista da Região de Setúbal, com cinquenta e três anos de atividades no movimento e autor do Livro «História do Escutismo em Setúbal e na Região».

Francisco Monteiro falou sobre o movimento escutista

Francisco Monteiro falou sobre o movimento escutista

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Na rota da lampreia

Há tempos foi lançado o desafio de uma viagem ferroviária a Tancos, inserida na Rota da Lampreia. O programa era aliciante, além do almoço, incluía uma viagem de barco pelo Tejo, visita ao Castelo do Almourol e jogos tradicionais.

Castelo de Almourol

Castelo de Almourol

Covilhã - Capeia Arraiana

Teresa Reis homenageada na Covilhã

A colaboradora do Capeia Arraiana Teresa Reis foi homenageada pelo Clube do Professor da Covilhã no dia 18 de Março, data em que se realizou o jantar comemorativo do 12º aniversário desta associação.

Teresa Reis ladeada pelos presidentes do Clube de Professores e da Câmara Municipal

Teresa Reis ladeada pelos presidentes do Clube de Professores e da Câmara Municipal

Confraria Bucho Raiano - Capeia Arraiana (orelha)

Confraria do Bucho na Pastinaca da Covilhã

A Confraria do Bucho Raiano marcou presença na Covilhã no VI Capítulo da Confraria da Pastinaca e do Pastel de Molho que se realizou no passado dia 12 de Março. A pastinaca é também conhecida como Cherovia ou Xerovia.

Confraria do Bucho Raiano marcou presença no VI Capítulo da Confraria da Cherovia e do Pastel de Molho da Covilhã

Confraria do Bucho Raiano marcou presença no VI Capítulo da Confraria da Cherovia e do Pastel de Molho da Covilhã

José PIres Manso - Fóios - Colaborador - Capeia Arraiana

Austeridade, pobreza, litoral e interior

Sob o título “medidas de austeridade agravaram pobreza em zonas rurais”, a Cáritas Portuguesa publicou recentemente um relatório que a Lusa divulgou que alerta para o facto de a pobreza no trabalho se ter tornado “um problema transversal” às pessoas das “mais variadas habilitações e idades”.

Pobreza e abandono nas terras do Interior

Pobreza e abandono nas terras do Interior

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Fraternidadade Nuno Álvares no Fundão

A nível nacional, a Fraternidade Nuno Álvares (FNA) tem mais de sessenta anos. A sua génese está numa eventual confraternização dos Antigos Escuteiros, realizada no dia 21 de Maio de 1939, em Braga. Aí nasceu a UAE – União dos Antigos Escuteiros.

Desfile da FNA na Covilhã

Desfile da FNA na Covilhã

Efemérides - 2015 - © Capeia Arraiana

Efemérides 2016 – 3 de Janeiro

:: :: EFEMÉRIDES 2016 :: 3 DE JANEIRO :: :: O Capeia Arraiana publica diariamente as efemérides mais relevantes de cada data… Hoje destacamos a onda de greves ocorridas na Covilhã, em 1946.

Há 70 anos deu-se um forte movimento grevista nas fábricas da Covilhã

Há 70 anos deu-se um forte movimento grevista nas fábricas da Covilhã