Category Archives: Beiras

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

Porquê o tempo de Quaresma?

Neste tempo de reflexão, cada vez mais esquecido por todos, vivi uma travessia no deserto, tal como Jesus Cristo, só que nos tempos atuais. E as dificuldades que passei tornou-me mais crente e tolerante. E também vou entrar num ciclo novo da minha vida, onde cada segundo vale ouro. Acima de tudo saber perdoar, com responsabilidade, e dar o máximo que puder para ajudar quem mais precisa. Mas podem ficar descansados. O texto é uma mera reflexão onde acredito que, todos e todas, têm o seu lugar.

Igualdade e Fraternidade - Capeia Arraiana

Igualdade e Fraternidade

Confraria Bucho Raiano - Capeia Arraiana (orelha)

Confrades do Bucho Raiano em Almeida

Um grupo de confrade do Bucho Raiano deslocou-se este sábado, dia 13 de abril, a Almeida, onde participou no XI Capítulo da Confraria Gastronómica dos Aromas e Sabores Raianos.

Os confrades do bucho raiano que estiveram em Almeida

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

«Manifestus Probatum»

O nome talvez nada diga sobre a crónica desta semana. Mas a minha independência, como homem, começou com a «mão» de um familiar que ainda hoje me deixa saudades. «Manifestus Probatum» foi a bula papal que declarou que o Condado Portucalense fica independente do Reino de Leão. E mesmo sendo um ateu convicto, este meu familiar acabou por fazer-me o que o Papa Alexandre III fez com os portucalenses. Esta crónica é uma homenagem a um homem – Olívio Sousa Bento – que sempre acreditou nas suas convicções até ao fim, doa a quem doesse e fosse quem fosse!.

O tio Olívio - Capeia Arraiana

O tio Olívio

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

Hoje foi a minha vez!

Quem me conhece sabe o frenesim da minha vida. Na verdade, já fiz muita coisa, e nestes últimos anos sem dúvida que exagerei. O nosso metabolismo, o nosso sistema imunitário não são como as máquinas e os motores que conhecemos, e mesmo assim, quando excedemos os seus limites, acabam por avariar. No meu caso concreto sempre imaginei que me sentia ótimo, que aguentava a pressão e com um pequeno descanso estava pronto para o desafio. A realidade não é assim. E curiosamente mesmo que as análises estejam ótimas, com mais uns passeios no campo, o facto é que a nossa cabeça começa a fraquejar. Silenciosamente e sem darmos por isso! No final de uma fase que não desejo a ninguém queria expressar mais uma vez profundos agradecimentos aos amigos que tive, no trabalho e fora dele, mas acima de tudo à minha família, nuclear e não só, e ao médico que me acompanhou conseguindo mudar-me como ser humano, que praticamente já não era. O texto foi escrito em plena crise e alguns já o conhecem. No entanto não ficaria bem com a minha consciência se não o pulicasse no Capeia Arraiana.

Hoje foi a minha vez - Capeia Arraiana

Hoje foi a minha vez

Internet - Capeia Arraiana

Sabugal, Almeida e Guarda na corrida ao lítio

A Fortescue, gigante do ferro australiano e quarta maior produtora de ferro do mundo, posiciona-se na corrida ao lítio em Portugal. A empresa fez pedidos de prospecção para 22 áreas no Norte e no Sul, cobrindo toda a zona à volta das áreas identificadas com potencial para a exploração de lítio. Os anúncios de prospecção publicados no Diário da República incluem 308,5 km2, nos concelhos do Sabugal, Almeida e Guarda.

A sede da Fortescue está localizada em Perth, Austrália Ocidental - Capeia Arraiana

A sede da Fortescue está localizada em Perth, Austrália Ocidental

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Por Terras do Padre José Miguel

Amanheci cedo para uma viagem que há dias estava acertada, uma passagem por Terras de Missão do Padre Zé Miguel, natural do Soito (Sabugal), e muitos anos Pároco no Meimão (Penamacor).

Padre José Miguel

Turismo Centro Portugal - Capeia Arraiana

Filme do Turismo Centro Portugal torna-se viral

O novo filme de promoção do Turismo Centro de Portugal, intitulado «Turismo Centro de Portugal: Are You Ready?» apresentado no dia 14 de Março está a ser um enorme sucesso nas redes sociais, tendo ultrapassado as 200 mil visualizações em apenas uma semana. O «jogo» tem início na fortaleza de Almeida.

Filme promocional tem início em Almeida - Capeia Arraiana

Filme promocional tem início em Almeida

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

É verdade! Também fiz Tropa!

Ainda sou do tempo do Serviço Militar Obrigatório (SMO). E ao contrário da maioria dos rapazes da época fiz questão de o cumprir. Como tudo na vida tem bom, e mau, mas para mim acabou por ser um pesadelo. Mas mesmo assim achei que valeu a pena!

Afinal também fiz tropa - Capeia Arraiana

Afinal também fiz tropa

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

E o óscar vai para….

A crónica de hoje passa-se em pleno século XVII ainda antes da assinatura do tratado de Lisboa, em 13 de fevereiro de 1668, onde finalmente Portugal formalmente almeja a sua plena independência. Em semana de óscares, e ainda em recuperação de uma maleita, achei que este meu argumento merecia, no mínimo, a estatueta de melhor argumento original. Pelo menos os meus amigos leitores poderão livremente opinar, e quem sabe, dar-me força para enviar esta estória para Hollywood.

.

Nobres do século XVII

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

O porquê de ser diferente!

Quando sofremos um esgotamento ou cansaço cerebral, normalmente a nossa recuperação leva-nos a refletir um pouco sobre nós mesmos. Julgamos que as doenças psiquiátricas apenas acontecem aos outros, mas o facto é que vivendo em sociedade o próprio ser humano impõe a si próprio regras e contrariedades que com a idade vão-nos «consumindo» acabando um dia por nos deitar abaixo. Numa das reflexões que fiz veio na sequência de uma atividade de escuteiros que me fez recordar os meus tempos de juventude e que, por incrível que pareça, tem me ajudado imenso nesta difícil recuperação.

O porquê de ser diferente - Capeia Arraiana

O porquê de ser diferente

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Cinquenta anos de criação literária

Estas linhas são uma simples e modesta homenagem a um escritor português, com grande obra publicada, embora muitas vezes injustamente esquecido. Estou a referir-me a Manuel da Silva Ramos, nascido em 1947 na Covilhã. Estudou Direito na Universidade de Lisboa e na “primavera marcelista” exilou-se em França, de onde só regressou em 1997.

Lançamento do livro “Os Três Seios de Novélia”na Biblioteca Eugénio de Andrade no Fundão

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

O Filho do Alfaiate

Em garoto nem imaginava vir anos mais tarde conhecer o protagonista desta estória. Manuel da Silva Ramos, um beirão que ama a sua cultura e me ajudou como aspirante a escritor, tendo recentemente celebrado 50 anos do lançamento do seu primeiro livro: «Os três seios de Novélia». Mas o facto é que a vida dá muitas voltas e nos longínquos anos 60 ou setenta, ainda no período do Estado Novo, era «obrigado» a usar fato e um dia memorizei este episódio que hoje vos tenho o prazer de relatar. Seguramente com tantos anos passados até seja possível que alguma ficção se sobreponha à realidade, mas o facto é que a verdadeira essência permanece.

Manuel da Silva Ramos - Capeia Arraiana

Manuel da Silva Ramos

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

Um Primeiro de Maio inesquecível

Decorria o ano de 1975, concretamente o dia primeiro de maio, e eu, juntamente com um colega escuteiro, decidimos fazer uma caminhada para obtermos a especialidade de «andarilho». O objetivo era no mínimo fazer vinte quilómetros de marcha. A aldeia de Águas de Moura dista 10 quilómetros de Setúbal, sendo por isso o destino ideal para a conquista de mais esta proeza. Mas digo-vos com sinceridade: ter feito esta atividade neste primeiro de maio foi bem mais difícil do que imaginámos!

Um Primeiro de Maio inesquecível - Capeia Arraiana

Um Primeiro de Maio inesquecível

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Aldeias do Xisto

Nos últimos dias de Janeiro fui ao Museu de Arte Popular, em Lisboa, visitar uma exposição sobre as Aldeias do Xisto, patrocinada por diversas entidades. À entrada uma funcionária de Sarnadas (Castelo Branco) recebeu-me com enorme simpatia, atitude igual para todos os outros visitantes.

Aldeias do Xisto no Museu de Arte Popular

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Paróco de aldeia e professor

Uma das vantagens com quem podemos contar quando escrevemos um texto, ou quando falamos ou mesmo descrevemos atividades de pessoas reconhecidas, nos mais diversos setores, é pertencemos à mesma região onde nascemos, crescemos, mas também aos conhecimentos pessoais, que vamos ganhando ao longo da vida.

Padre Paulo Gomes da Costa Afonso (1934-2019)

Joaquim Gouveia - Capeia Arraiana (orelha)

Vilar Formoso – porta de entrada para o mundo

:: :: CASTELEIRO :: :: De arquitetura imponente a juntar à invejável coleção de azulejos que ornamentam o edifício, a par da riqueza de emoções de que foi vigilante ao longo de muitos anos, tornam a Estação dos Caminhos de Ferro de Vilar Formoso um ícone inquestionável na História da Emigração de Portugal.

Estação dos Caminhos de Ferro de Vilar Formoso - Capeia Arraiana

Estação dos Caminhos de Ferro de Vilar Formoso

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Fundão – a Igreja está mais pobre

As Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição chegaram ao Fundão em 1899. Durante mais de um século desempenharam nesta cidade relevantes serviços, principalmente na área da saúde como enfermeiras. Com os parcos meios disponíveis faziam autênticos milagres no Hospital da Misericórdia. Também prestavam assistência a mais de uma vintena de pessoas com a doença da tuberculose.

Adérito Tavares - Na Raia da Memória - © Capeia Arraiana (orelha)

Palavras com História (II)

Há alguns anos escrevi uma crónica para o Capeia Arraiana com este título. Regressemos hoje ao mesmo tema, agora com outras palavras e outras expressões «com história». Usamos frequentemente essas palavras sem nos apercebermos muito bem da sua origem ou da sua evolução semântica, ou seja, das alterações de significado que sofreram ao longo dos anos.

Cambistas-banqueiros a trabalhar na sua banca. Pormenor de uma pintura a fresco italiana do séc. XIV - Adérito Tavares - Capeia Arraiana

Cambistas-banqueiros a trabalhar na sua banca. Pormenor de uma pintura a fresco italiana do séc. XIV

Adérito Tavares - Na Raia da Memória - © Capeia Arraiana (orelha)

Da bulla romana aos três vinténs

Caros leitores destas despretensiosas crónicas: vamos hoje retomar o caminho da «pequena história», abordando algumas curiosidades que nos ajudam a compreender melhor o nosso quotidiano actual. E aproveite para descobrir a origem da expressão: «Já lhe tiraram os três!»

Pormenor do Altar da Paz (Ara Pacis), mandado erguer pelo imperador César Augusto em Roma e inaugurado no ano de 9 a.C. - Adérito Tavares - Capeia Arraiana

Pormenor do Altar da Paz (Ara Pacis), mandado erguer pelo imperador César Augusto em Roma
e inaugurado no ano de 9 a.C.

Adérito Tavares - Na Raia da Memória - © Capeia Arraiana (orelha)

Um «país de pé-descalço»

Em 1958, Aquilino Ribeiro publicou o romance «Quando os Lobos Uivam». Considerado pelo regime salazarista ofensivo e injurioso relativamente às instituições e ao poder, levou à apreensão da edição pela PIDE e à instauração de um processo-crime ao ilustre escritor. Entre as várias acusações que lhe eram feitas salientava-se aquela em que Aquilino afirmava que Portugal era um «país de pé-descalço», o que, na opinião dos acusadores, «denegria o prestígio internacional do país». Trezentos intelectuais portugueses e estrangeiros subscreveram um manifesto de apoio ao escritor e, no Brasil, onde se encontrava exilado, Adolfo Casais-Monteiro escreveu um notável prefácio num pequeno livro de defesa de Aquilino intitulado «Quando os Lobos Julgam, a Justiça Uiva».

Fotografia de cerca de 1925, feita no Alentejo pelo arqueólogo Vergílio Correia - Adérito Tavares - Capeia Arraiana

Fotografia de cerca de 1925 feita no Alentejo pelo arqueólogo Vergílio Correia

Retrospectiva do Ano - 2018 - Capeia Arraiana

Retrospectiva do ano 2018

O ano de 2018, que agora finda, ficou marcado, a nível regional, por vários acontecimentos que merecem referência, razão pela qual fazemos esta retrospectiva, baseada no que foi publicado no Capeia Arraiana. Factos como o falecimento do escritor Manuel Leal Freire, o doutoramento honoris causa de Pinharanda gomes, a eleição de António Robalo para a Turismo Centro, a realização da feira do touro e do cavalo no Soito e a nova edição do presépio natural do Sabugal, merecem justo destaque.

Encerro a Cavalo - Capeia Arraiana

A primeira Feira do Touro e do Cavalo, no Soito, foi um dos acontecimentos marcantes do ano 2018

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

Sado, Triste Sado!

No passado dia 8 de dezembro publiquei este artigo no Facebook. Não posso ficar indiferente nesta passagem de ano sem denunciar esta atrocidade. O meu Rio Azul, que caminha de sul para norte, como contrariando a natureza, como uma contracorrente de oposição, de inconformismo, está outra vez nas «mãos» dos interesses económicos e, provavelmente com uma morte anunciada. Quem não se lembra das ostras que a central térmica «convidou-as» a mudar para o Algarve, do tratamento de esgotos que tardou, e, do mais importante, do controlo do estuário, zona fundamental do equilíbrio natural pela alteração do pH da agua, em face da proximidade do mar, onde o sal ajuda à precipitação dos sedimentos e de outros nutrientes essenciais à vida de espécies que escolheram este habitat para sobreviver.

O Estuário do Sado - Capeia Arraiana

Estuário do Sado (Foto: D.R.)

Acontecimento do Ano - 2018 - Capeia Arraiana

Honoris causa para Pinharanda Gomes

:: :: ACONTECIMENTO DO ANO – HONORIS CAUSA PARA PINHARANDA GOMES :: :: O Capeia Arraiana escolheu como Acontecimento do Ano 2018 a atribuição do grau de Doutor Honoris Causa ao pensador quadrazenho Jesué Pinharanda Gomes, pela Universidade da Beira Interior (UBI). A cerimónia de imposição das insígnias académicas aconteceu no dia 20 de Março, na Covilhã, perante uma imensa plateia de professores, estudantes, autoridades civis e religiosas e imensos conterrâneos do ilustre ensaísta e escritor.

No dia 20 de Março a UBI distinguiu Pinharanda Gomes

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Fundão – Espaço Biblos

Através das redes sociais tive conhecimento de que iria ser inaugurado o Espaço Biblos, na Rua do Serrão nº5, na Zona Histórica, não muito longe do Museu Arqueológico da cidade.

Manuel da Silva Ramos e Mário Fernandes no Espaço Biblos

José Carlos Mendes - A Minha Aldeia - © Capeia Arraiana

Casteleiro – A Serra d’Opa

Já contei nestas crónicas a lenda das três mouras encantadas que à noite estendem seus alvos lençóis no alto da Serra d’Opa. Mas são tantas as histórias que se contam que vale a pena rememorar algumas delas…

Serra D'Opa - Casteleiro - Capeia Arraiana

Serra D’Opa no Casteleiro

Personalidade do Ano - 2018 - Capeia Arraiana

Adérito Tavares é a Personalidade do Ano 2018

:: :: PERSONALIDADE DO ANO – ADÉRITO TAVARES :: :: O Capeia Arraiana escolheu como Personalidade do Ano 2018, Adérito Tavares. O homenageado nasceu na Raia sabugalense em Aldeia do Bispo e é casado com Maria da Conceição Tavares. O filho João é licenciado em Direito pela Católica e a filha Ana Teresa é doutorada (nos Estados Unidos) em ciências biomédicas e investigadora no Centro de Estudos de Doenças Crónicas da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa.

José Carlos Lages, Adérito Tavares e Paulo Leitão Batista (Foto: São Tavares) - Capeia Arraiana

José Carlos Lages, Adérito Tavares e Paulo Leitão Batista (Foto: São Tavares)

Franklim Costa Braga - Capeia Arraiana

Novela na Raia – Episódio 23

A minha intenção é sempre a mesma. Avivar a memória da cultura de Quadrazais para que não se perca, sobretudo entre os jovens que não nasceram ou não cresceram em Quadrazais, tendo ouvido apenas dos pais e avós algumas histórias e cenas da vida quotidiana da terra onde haviam nascido, tão longe do local onde agora se encontram. Na «Novela na Raia» vou utilizar personagens reais da aldeia, tentarei descrever quadros da aldeia e narrar os factos do dia-a-dia, embora não obrigatoriamente protagonizados por estas personagens. (Episódio 23).

Novela na Raia - Episódio 23 - Franklim Costa Braga - Capeia Arraiana

Novela na Raia – Episódio 23 – Franklim Costa Braga – Capeia Arraiana

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

PC2II – mais uma falsa oportunidade?

Pelo Decreto-Lei nº 111/2018 de 11 de Dezembro foi criado e regulamentado o Programa de Captação de Investimento para o Interior (PC2II), que não augura nada de novo para o nosso Concelho.

Mapa dos PC2II - Capeia Arraiana

Mapa PC2II

Fernando Capelo - Terras do Jarmelo - © Capeia Arraiana

Privilegiada contemplação

A Estrela já foi Serra de muitas e frondosas árvores. Porém, as suas encostas são, agora, atapetadas de ervas. Nas ladeiras fincam-se gestas que medram espontâneas entre arbustos rasteiros e há colinas onde prosperam jovens árvores, animadas pela justa aspiração de se tornarem adultas. Assim os incêndios ou outras perversidades humanas o consintam.

Serra da Estrela

Adérito Tavares - Na Raia da Memória - © Capeia Arraiana (orelha)

A vaca e a vacina

A vaca foi um dos animais predominantes da agropecuária beirã, quer como produtora de leite e respectivos derivados, quer como animal de tracção. Há, no entanto, algo que lhe devemos, na Beira e em todo o mundo, e nem toda a gente conhece.

Gravura do início do séc. XIX que representa Jenner a vacinar o seu próprio filho contra a varíola (ao colo da sua esposa). O autor da gravura, ao deixar entrever uma vaca através da janela, faz uma referência explícita à origem do método profiláctico descoberto por Edward Jenner - Adérito Tavares - Capeia Arraiana

Gravura do início do séc. XIX que representa Jenner a vacinar o seu próprio filho contra a varíola (ao colo da sua esposa).
O autor da gravura, ao deixar entrever uma vaca através da janela,
faz uma referência explícita à origem do método profiláctico descoberto por Edward Jenner

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Santa Bebiana

O nosso Povo sempre teve propensão para misturar as festividades religiosas com as profanas. Nos tempos actuais, em muitas localidades, as festas religiosas são em grande parte feiras e mercados.

Santa Bebiana em Caria (imagem de Local visão TV)

Franklim Costa Braga - Capeia Arraiana

Novela na Raia – Episódio 22

A minha intenção é sempre a mesma. Avivar a memória da cultura de Quadrazais para que não se perca, sobretudo entre os jovens que não nasceram ou não cresceram em Quadrazais, tendo ouvido apenas dos pais e avós algumas histórias e cenas da vida quotidiana da terra onde haviam nascido, tão longe do local onde agora se encontram. Na «Novela na Raia» vou utilizar personagens reais da aldeia, tentarei descrever quadros da aldeia e narrar os factos do dia-a-dia, embora não obrigatoriamente protagonizados por estas personagens. (Episódio 22).

Novela na Raia - Episódio 22 - Franklim Costa Braga - Capeia Arraiana

Novela na Raia – Episódio 22 – Franklim Costa Braga – Capeia Arraiana

Hoje destacamos... - © Capeia Arraiana (orelha)

Desde 6 de Dezembro de 2006…

Dia 6 de Dezembro de 2006. Nascia na Internet o primeiro espaço de livre opinião do Sabugal. Na nossa «Ficha Técnica» recordamos como nos demos a conhecer: «O Capeia Arraiana (capeiaarraiana.pt) é um new media on-line regional com periodicidade diária privilegiando o concelho do Sabugal e o distrito da Guarda. Move-nos a paixão pela Raia, pelas terras do forcão, pelas serras da Estrela, da Malcata e das Mesas, pelo rio Côa e pelo povo valoroso que luta pelo futuro de uma região que alguns querem condenar ao fracasso. Defendemos as nossas tradições e trabalhamos para que a informação, a opinião e o debate de ideias estejam presentes no quotidiano dos que, como nós, amam as terras beirãs.» E por aqui nos mantemos há 12 anos, há 4383 dias, com 12.342 artigos publicados com a assinatura de cronistas e opinadores de excelência. Enquanto os homens e Deus quiserem. Bem-hajam todos os Sabugalenses e todos os Amigos das terras do Sabugal. Um agradecimento especial ao nosso parceiro PTServidor. Segue-se o rol de cronistas e opinadores…

Estatísticas Capeia Arraiana - Capeia Arraiana

Estatísticas do Capeia Arraiana – Média diária superior a 1000 visitantes

Câmara Municipal Sabugal - © Capeia Arraiana

Maior Presépio Natural no Sabugal

A cidade do Sabugal, no distrito da Guarda, volta a ter este ano na época natalícia um presépio gigante. O recinto decorado com mais de 500 toneladas de troncos de castanheiros ocupa uma área de cerca de 1.100 metros quadrados. A inauguração do «Maior Presépio Natural» está marcada para sexta-feira, 7 de Dezembro, às 17:00 horas.

Em 2017 foi assim... (Foto: C.M.Sabugal) - Capeia Arraiana

Em 2017 foi assim… (Foto: C.M.Sabugal)

José Carlos Mendes - A Minha Aldeia - © Capeia Arraiana

Casteleiro – Comparar a Serra da Pena ao Centum Cellae

Há cinco anos, defendi aqui uma teoria que cada vez mais me convence. Com base em algumas comparações e duas ou três consultas históricas na Internet, concluía eu nessa altura que a arquitectura da Serra d’Opa, do séc. XX, teria sido inspirada na arquitectura do monumento Centum Cellae a alguns quilómetros em Gonçalo, Belmonte. Volto agora ao tema por outro caminho…

Hotel da Serra da Pena e o Monumento Nacional Centum Cellae - Capeia Arraiana

Hotel da Serra da Pena e o Monumento Nacional Centum Cellae (Fotos: D.R.)

Franklim Costa Braga - Capeia Arraiana

Novela na Raia – Episódio 21

A minha intenção é sempre a mesma. Avivar a memória da cultura de Quadrazais para que não se perca, sobretudo entre os jovens que não nasceram ou não cresceram em Quadrazais, tendo ouvido apenas dos pais e avós algumas histórias e cenas da vida quotidiana da terra onde haviam nascido, tão longe do local onde agora se encontram. Na «Novela na Raia» vou utilizar personagens reais da aldeia, tentarei descrever quadros da aldeia e narrar os factos do dia-a-dia, embora não obrigatoriamente protagonizados por estas personagens. (Episódio 21).

Novela na Raia - Episódio 21 - Franklim Costa Braga - Capeia Arraiana

Novela na Raia – Episódio 21 – Franklim Costa Braga – Capeia Arraiana

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

António Joaquim Geada Pinto (1931-2018)

António Joaquim Geada Pinto nasceu na freguesia da Orca (Fundão) em 28 de Outubro de 1931, filho de António Joaquim Geada e de Maria da Conceição Pinto. Enquanto o Pai se dedicava a consertos e à venda de relógios, a Mãe tomava a seu cuidado cinco filhos e ainda trabalhava na agricultura.

Óptica Geada Pinto no Fundão

Franklim Costa Braga - Capeia Arraiana

Novela na Raia – Episódio 20

A minha intenção é sempre a mesma. Avivar a memória da cultura de Quadrazais para que não se perca, sobretudo entre os jovens que não nasceram ou não cresceram em Quadrazais, tendo ouvido apenas dos pais e avós algumas histórias e cenas da vida quotidiana da terra onde haviam nascido, tão longe do local onde agora se encontram. Na «Novela na Raia» vou utilizar personagens reais da aldeia, tentarei descrever quadros da aldeia e narrar os factos do dia-a-dia, embora não obrigatoriamente protagonizados por estas personagens. (Episódio 20).

Novela na Raia - Episódio 20 - Franklim Costa Braga - Capeia Arraiana

Novela na Raia – Episódio 20 – Franklim Costa Braga – Capeia Arraiana

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

Carta aberta à senhora Ministra da Cultura

Permito-me a ousadia de lhe escrever esta carta aberta, porque a minha relação com a senhora Ministra da Cultura, de cidadão para detentor de um cargo político, passou a ser, desde há alguns dias, uma questão, mais que civilizacional, democrática…

Capeia Arraiana - Património Cultural Imaterial Nacional - Capeia Arraiana

Capeia Arraiana do Sabugal – Património Cultural Imaterial Nacional

Fernando Capelo - Terras do Jarmelo - © Capeia Arraiana

O café da minha juventude

Todos guardamos, da nossa juventude, recordações de sítios especiais. Há cafés que, por preservarem vivências próprias dessa idade, constituem lugares de referência privilegiada.

O café Madrilena no topo do jardim José de Lemos (foto colhida do blog Sol da Guarda)