O problema do álcool na revolução russa

O alcoolismo é, por tradição, um grave problema entre a população russa. Nos dias da revolução bolchevique, em 1917, essa questão chegou a colocar em causa o sucesso da insurreição popular.

Revolução russa – 1917

O governo de comissários do povo, presidido por Lenine, teve que tomar resoluções impeditivas da alcoolização dos operários e soldados revoltosos.

Vejamos uma ordem emitida no decurso da revolução, em Novembro de 1917:

«1- Fica proibida, até nova ordem, a produção de álcool e bebidas alcoólicas.

2- Ordena-se a todos os produtores de álcool e bebidas alcoólicas que informem, o mais tardar até 27 do corrente, da localização exacta dos seus armazéns.

3- Todos aqueles que desrespeitarem esta ordem serão julgados por um Tribunal Revolucionário Militar.»

Porém, dada a ineficácia da medida, houve que tomar outra, mais drástica:

«A burguesia escolheu um método muito sinistro de lutar contra o proletariado: reunir em diversos pontos da cidade enormes depósitos de vinho e distribuir álcool pelos soldados, tentando dessa maneira semear o descontentamento nas fileiras do exército revolucionário.

Por esta se ordena a todos os comités de prédio que, às três horas, hora estabelecida para a fixação desta ordem, notifiquem pessoal e secretamente o presidente do comité da Guarda da quantidade de vinho existente no seu edifício.

Os que violarem esta ordem serão presos e julgados por um tribunal implacável, e os seus bens serão confiscados e o depósito de vinho descoberto será DINAMITADO duas horas depois deste aviso, pois a experiência demonstrou que medidas mais brandas não dão os resultados desejados.

Lembrai-vos que não haverá outro aviso antes das explosões.»

:: ::
Paulo Leitão Batista, «Histórias de Almanaque»

Deixar uma resposta