Viagens de um globetrotter desde os anos 60 (39)

Franklim Costa Braga - Orelha - 180x135 - Capeia Arraiana

Viajar hoje é quase obrigatório. Toda a gente gosta de mostrar aos amigos uma foto tirada algures longe da morada. Organizam-se excursões para visitas cá e lá fora, com viajantes que, por vezes, mal têm para comer. Mas, como é moda, toda a gente viaja.
>> ETAPA 39 >> AUSTRÁLIA E NOVA ZELÂNDIA.

Mapa da Austrália

Mapa da Austrália


II – VIAGENS LÁ FORA – ANOS 90

:: ::

1993

Viagem à AUSTRÁLIA e NOVA ZELÂNDIA

Entre 14 de Julho e 4 de Agosto de 1993

Curiosidades
Viagem organizada pelas Viagens Mapa Mundo, sem que os participantes se conhecessem.

Nesta viagem fiz grupo com o colega Roc Valente, do Porto, e esposa e com o casal italiano Sandro e Alessandra e a filha Roberta.

Custo de aviões e hotéis=236.140$00. Moeda-dólar australiano=120$00.

:: ::


>> 14.07.1993 >> Parti de Lisboa para Amsterdam num voo da KLM, com paragem no Porto. Em Amsterdam fiquei no hotel Ibis, quarto 3111, bonzinho, para onde fui nos seus autocarros, estacionados à saída do aeroporto. Regressei ao aeroporto e, de comboio, fui visitar o centro da cidade.

>> 15.07.1993 >> Após o pequeno-almoço, fui para o aeroporto e, com a KLM, segui para Sidney, ao lado de um judeu chato que não queria fechar o ar condicionado que vinha para mim.

>> 16.07.1993 >> Foram 11 horas no avião até Bangkok e depois mais nove horas até Sydney. Esperava-nos um guia português, de San Domingos. Fiquei no hotel Holiday Inn Menzies. Bom. Foi uma japonesa bonitinha que me abriu a porta do meu quarto com um cartão, o primeiro que vi. Passeio à noite pelos Rocks. Havia muitas excursões de japoneses, com grupos muito organizados.

Franklim com a japonesa bonitinha

Franklim com a japonesa bonitinha

>> 17.07.1993 >> Dei um passeio pela cidade, visitei o museu Natural, a China Town, o porto, onde estava ancorada uma réplica do célebre barco inglês Bounty, que servira para filmagens, o aquário com tubarões a nadar por cima dos visitantes, e a célebre Ópera de Sidney. Jantei no McDonalds, passeei pelos Rocks, conversei com a Géraldine e a Joane, enfermeiras inglesas, a primeira bonitona, que quis vir a Portugal mas com a amiga. Desconfio que eram lésbicas. Estava fresco.

Franklim no porto de Sidney

Franklim no porto de Sidney

Franklim com a ponte de Sidney atrás

Franklim com a ponte de Sidney atrás

Franklim Junto à réplica da Bounty, célebre barco inglês

Franklim Junto à réplica da Bounty, célebre barco inglês

>> 18.07.1993 >> Partida em grupo para a visita da zona sul da cidade, incluindo a praia Bondi, a baia rose e a Kings Cross, zona de prostitutas. Depois passeámos de barco com um bom almoço a bordo.

>> 19.07.1993 >> Visita da zona norte, incluindo praias e um parque onde vimos coalas, emas e cangurus. Vendiam aí pacotes de milho para dar aos animais. Dei milho na mão a uma ema, que quase me feriu com o bico. À tarde passei pelo jardim Botânico e visitei a Ópera com guia, tendo pago 8,5 dólares australianos. Aí conheci a Ana e amigas nurses, que acompanhei no almoço.

Franklim dando milho a uma ema

Franklim dando milho a uma ema

Franklim junto da Ópera de Sidney

Franklim junto da Ópera de Sidney

>> 20.07.1993 >> Fiz o percurso de Sydney para Camberra num avião da Quantas Australian. Visita do lago e filme sobre a cidade. Visitámos o Parlamento e fomos almoçar a uma quinta onde havia cangurus e tosquiaram uma ovelha. O dono ensinou-nos a atirar o boomerang, com que nos divertimos depois. De tarde visitámos a zona das embaixadas e, nesse mesmo dia, fomos de avião para Melbourn pelas 17:00 horas. Fiquei no Novotel, quarto 733, razoável. Passeei pelas redondezas do hotel.

Franklim brincando com um canguru, junto do casal Valente

Franklim brincando com um canguru, junto do casal Valente

>> 21.07.1993 >> Visita à cidade de Melbourne. Estádio Olímpico, rio Yarra, jardim botânico, casa de James Cook, etc. De tarde, visita ao museu Victoria. Fraco. Só vale pelas aves. Passeei. Jantei num restaurante italiano com os italianos Sandro, Alessandra e filha Roberta e os Valentes, os Sousas e Helena. Fui levado em 10$ por divisão por todos. Atenção ao facto de se estar sozinho e o preço das refeições ser dividido por todos. É-se sempre levado.

>> 22.07.1993 >> Saída cedo de Melbourne para Adelaide e depois para Alice Springs, em avião da Quantas Australian. Mudança de avião para Ayers Rock, também com a Quantas Australian. Ida a The Olgas, montes típicos, com muitos japoneses, e passagem por Ayers Rock, onde vimos o pôr do sol no monte Uluru. Fui ao concerto de instrumentos nativos com a Luísa da Geórgia, que também lá ia. Fiquei no Hotel Desert Gardens, quarto C-293.

Franklim junto dos montes Uluru

Franklim junto dos montes Uluru

Franklim escalando os montes Uluru

Franklim escalando os montes Uluru

Franklim com o casal italiano junto dos montes Uluru

Franklim com o casal italiano junto dos montes Uluru

Franklim com uma japonesa nos montes Olgas

Franklim com uma japonesa nos montes Olgas

>> 23.07.1993 >> Levantei-me cedo para subir os montes Uluru, actividade em que só eu me inscrevera. Subi a correr mas, já perto do fim, senti-me mal e vomitei. Por isso, não acabei a escalada. Depois, já com os outros, visitámos as grutas do Uluru. Parámos na aldeia indígena, turística. Pelas 12:30 horas saímos para Alice Springs em autocarro. Paragem junto de uns camelos. Fiquei no Hotel Vista, quarto 221. Quando cheguei ao hotel ia apertado. Tirei a bolsinha da cintura à pressa e fui à casa de banho. Vi a bolsinha cair para trás do banco mas, quando saí, esqueci-me de a tirar de lá. Fui a pé à cidade. Jantei com uns espanhóis e os canarinhos Guedes no restaurante Overlander’s Steakhouse. Bom bife de camelo. Custou 35$. Regresso ao hotel.

>> 24.07.1993 >> Fui de Alice Springs para Cairns, a grande barreira de coral, na Quantas Australian. Como havia um rali, parámos uma meia-hora. No aeroporto dei-me conta que havia deixado a bolsinha no quarto com o passaporte, visa e travellers-checs. Ainda telefonei para o hotel, mas não encontraram a bolsinha. Partida para Cairns, onde chegámos às 12:30 horas. Hotel Matson Plaza, razoável. Chovia. Ida ao Pier (mercado). Passeio com a Cristina Urraca, de Barcelos, que ali conheci. Há sempre um português em todo o lado.

Franklim no barco em Cairns

Franklim no barco em Cairns

>> 25.07.1993 >> Logo de manhã, partida de barco para a barreira dos corais. Boa praia e barco de vidro que deixava ver os corais. Bom almoço no barco Ocean Spirit. Regresso pelas 15:00 horas a Cairns. Passeei na Esplanada. À noite fui ao jazz com a Cristina Urraca.

Franklim no museu das borboletas em Kuranda

Franklim no museu das borboletas em Kuranda

>> 26.07.1993 >> Partida para Kuranda de comboio. Bela vista. Fomos ao teatro Tjapucai. Bom. Visita ao museu das borboletas vivas, aos milhares. Vimos uns indígenas fazer fogo à primitiva, esfregando um pau. Regresso a Cairns pelas 15:00 horas.

Título de Viagem de regresso a Portugal, passado pelo consulado de Sidney

Título de Viagem de regresso a Portugal, passado pelo consulado de Sidney

>> 27.07.1993 >> Deixei Cairns muito cedo e parti sozinho de avião para Sydney. O grupo só saiu mais tarde de Cairns. Fui à emigração pedir visto de estada. Nem quiseram saber. Mandaram-me embora, que não havia problemas. Fui ao consulado de Portugal, que me deu um Título de Viagem por 30 dias para regressar a Portugal. Entretanto, no hotel informaram-me que a bolsa tinha aparecido e estava na posse do guia. Fui buscá-la.

Antes já tinha telefonado a minha irmã Dulce para me ir cancelar o cartão visa e já tinha cancelado os travellers-chec, tendo recebido outros num banco. Acabei por não usar o Título de Viagem. Fiquei no mesmo hotel Holliday Inn Menzies.

Até aqui gastei 120$. 1$=120$00.

:: ::

NOVA ZELÂNDIA

:: ::

Mapa da Nova Zelândia

Mapa da Nova Zelândia

>> 28.07.1993 >> Saída da Austrália (Sidney) para a Nova Zelândia. Chegada a Auckland pelo meio-dia. Esperava-nos o guia argentino, Sr. Dante Bevacqua. Fiquei no hotel Centra, no quarto 2109. Era bom. Conheci a Mags e depois a Jessica, gordita, de 20 anos. Passeei com ela umas duas horas, trocando algumas carícias com ela.

Franklim com a Mags à entrada da sala dos concertos de Auckland

Franklim com a Mags à entrada da sala dos concertos de Auckland

Franklim junto à baía de Auckland

Franklim junto à baía de Auckland

>> 29.07.1993 >> Partida cedo para um tour a Auckland. Visita ao museu de relíquias maoris e ao porto. Depois do almoço encontrei a Nicole, de 17 anos, estudante de Direito, com quem passeei. Entrámos num pub irlandês.

Franklim à entrada de Waitomo

Franklim à entrada de Waitomo

Franklim frente à igreja maori

Franklim frente à igreja maori

Franklim à entrada do parque maori de Rotorua

Franklim à entrada do parque maori de Rotorua

>> 30.07.1993 >> Partida para Rotorua ao lado do rio Waikato com o guia Dante, argentino. Fiquei no hotel Springsgate, quarto 2014. Bom. O jantar com sarau maori foi pago. Razoável. Filmei. Pelo caminho visitámos uma barragem do rio Waikato, passando uma ponte pênsil. A seguir visitámos as grutas de Waitomo, muito lindas, sobretudo a parte escura em que se vai de barco e se vêem milhares de pirilampos no tecto.

À noite fui percorrer bares e pubs. Conheci a Débys, que estava bêbada, com quem dancei. Depois encontrei a Donna, maori de 31 anos, divorciada. Fui com ela para a cama em sua casa. Regressei a um bar, onde conheci um tal Fortes, descendente dum português Serafim Fortes. Mais uma vez havia um português. Só me deitei às duas da manhã.

>> 31.07.1993 >> Pela manhã visitámos o parque Whakarewarewa de Rotorua com geisers. Fomos ao show de Rainbows Farm, onde vimos o pássaro kiwi, pássaro nacional da Nova Zelândia, sem rabo, que só é visível à noite, e visitámos a igreja duma aldeia maori. Regressámos a Auckland de autocarro.

>> 01.08.1993 >> Em Auckland passeei pela Queen street e pelo bairro Parnell. Dia escuro e fresco a ameaçar chuva.

>> 02.08.1993 >> Regresso a Sidney, vindo da Nova Zelândia na Continental Airlines e continuação da viagem na KLM para Amsterdam.

Franklim junto à estação dos Caminhos de Ferro de Amsterdam

Franklim junto à estação dos Caminhos de Ferro de Amsterdam

Franklim junto aos canais de Amsterdam

Franklim junto aos canais de Amsterdam

A praça dos drogados em Amsterdam

A praça dos drogados em Amsterdam

>> 03.08.1993 >> Chegada a Amsterdam. Fiquei no Hotel Ibis. Em Amsterdam visitei o centro da cidade, com a catedral, o palácio da rainha, a praça dos drogados, os canais e a estação de caminho de ferro onde conversei com uma linda enfermeira de olhos verdes.

>> 04.08.1993 >> Partida para Lisboa pelas 09:15 horas.

Na Nova Zelândia gastei 75$; 1$ norte-americano valia 1,50 dólares neo-zelandeses.

Total de gastos na viagem=195$. Compras: 1 boomerang e 1 coala.

(Fim da Etapa 39.)

:: ::
«Viagens dum Globetrotter», por Franklim Costa Braga

Deixar uma resposta