Invasões Francesas (3)

António Gonçalves - Colaborador - Orelha - Capeia Arraiana

:: :: PENALOBO :: :: Algumas aldeias raianas foram fustigadas pelos soldados napoleónicos entre julho de 1810 e abril/maio de 1812. Em julho de 1810, após a tomada de Almeida realizaram razias nas aldeias raianas; na retirada, em fevereiro ou março de 1811, entraram no concelho de Sabugal, vindos da Guarda, deixando um rasto de violência e destruição por onde passaram; em abril de 1812, quando da quarta invasão, as populações foram, mais uma vez, vítimas das barbaridades dos invasores. Muitos arquivos foram destruídos! Provavelmente não houve aldeia do concelho de Sabugal que não tivesse a “honra” de os receber!

Os invasores praticaram excessos

O Cura, Jorge José Barandas, em vinte e três de março de 1811, lavrou os Assentos de Óbitos de Manuel Gonçalves e António Leal das Neves, utilizando a expressão “morto pelos franceses.(12)

– Em 3 de abril de 1811 – Maria Gonçalves “morta pelos franceses”;(13)

Estes referem-se à terceira invasão.

– Em 12 de abril de 1812:

Aos doze dias do mez de Abril de mil outocentos e doze anos faleceo de vida presente Maria João Gordo viúva que ficou de João António Gordo natural e morador deste lugar de Penalobo, foi enterrada no campo aonde chamão Val do Velho, em um chão de Francisco Pires deste lugar por ser morta pelos Franceses, não recebeo os sacramentos pela mesma razão, não me consta que tivesse feito testamento, para constar fiz este termo dia mez e anno ut supra.
O Cura Jorge José Barandas
(14)

Afinal, quando da quarta invasão, em abril de 1812, os soldados também chegaram aqui!

:: ::
«Memórias de Sortelha», por António Augusto Gonçalves

Notas:
12- Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Paróquia de Pena Lobo, Livro de Registo de Óbitos, em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG21-003-O2_m0055.tif
13- Idem, em:PT-ADLSB-PRQ-PSBG21-003-O2_m0052.tif
14- Idem, em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG21-003-O2_m0055.tif

Deixar uma resposta