Assim se faz o caminho…

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

Ana Maria Pereira Abrunhosa Trigueiros de Aragão deu uma entrevista ao jornal Público onde debitou absurdas opiniões e pessoais estados de alma. A senhora Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDR Centro) não tem condições para continuar a ocupar este lugar…

Ana Abrunhosa (Foto: Pedro Ramos)

Ana Abrunhosa (Foto: Pedro Ramos)

Ana Abrunhosa, presidente da CCR Centro, publicou um artigo de opinião na edição do dia 9 de Setembro no jornal Público com o título «Há territórios onde nunca será possível recuperar população!»

Lê-se e não se acredita que um dos principais responsáveis pela situação a que chegou o Interior Centro tenha coragem para vir dizer o que disse. Esta senhora foi vice-presidente da CCDR Centro entre 2008 e 2010, vogal executiva do Programa Mais centro entre 2010 e 2014, e é a actual presidente da CCDR Centro desde 2014.

E o que é que diz? Pois que, e cito…

«Estando o crescimento dos territórios baseado nos seus recursos endógenos e na sua capacidade de atração de novas atividades e pessoas, há que assumir que não é possível ter a tónica no crescimento em todos os territórios, e assumir também que em porções importantes do nosso país coesão territorial significa gerir o declínio, e, portanto, significa assumir que há partes do nosso território onde não vai ser possível recuperar população e atividade económica».

Nem mais!

Claro que a seguir vem o habitual arrazoado de consultor, parecendo que esta senhora não sabe exatamente o que significa ser presidente de uma CCDR.

Se esta é a ideia da senhora, então deveria ter a coragem de dizer preto no branco quais são os territórios da Região Centro a abandonar e, sobretudo, quais são as freguesias e aldeias do Concelho do Sabugal a abandonar.

E, mais importante, não se pede a um presidente de uma CCDR que debite opiniões e estados de alma. O que a senhora devia dizer era quais as políticas concretas, território a território, que permitiriam quebrar o ciclo de perda de população e de diminuição da atividade económica.

O resto, pode-lhe afagar muito o ego, mas não só é inútil como é prejudicial.

E por isso penso que é a altura de exigir a sua demissão imediata!

:: ::
Artigo de opinião de Ana Abrunhosa no jornal Público… (Aqui.)

:: ::
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

One Response to Assim se faz o caminho…

  1. jclages diz:

    E aqui fica mais uma pérola da responsável pela gestão de fundos para o desenvolvimento da região centro (onde se inclui o concelho do Sabugal):

    «É obrigatório uma ação pública diferenciada com os territórios, tratar de forma diferente realidades que são estruturalmente distintas, pelo que a solução “one-size-fits-all” é insuficiente para lidar com a heterogeneidade territorial existente.» (Ana Abrunhosa).

    Não podia ser mais clara e explícita para o povo que não é «metropolitano» nem »sofisticado».

    Ridículo

Deixar uma resposta