Em nome da Terra – Parte I

António Gonçalves - Colaborador - Orelha - Capeia Arraiana

Pretendo com este artigo salientar alguns aspetos pertinentes da nossa região.

Abrigo dos pastores na serra (reconstituição por João Paulo Reis)

1- O isolamento

Sabia que se precisar de deslocar-se a Coimbra, para uma consulta, pelas 8.30 horas, a partir do Sabugal não existem transportes públicos! Se contactar os Bombeiros e aproveitar a “boleia” a fatura pode ser de 107.10 euros! Vale mais ir lá dormir num hotel!

Quando se fala em acessibilidades parece que se esquece a questão dos transportes públicos. Estamos no fim do mundo! O combate à desertificação também se faz com melhoria desses serviços! Bem dispensávamos o recente episódio de diminuição desse serviço para a cidade da Guarda.

Torna-se necessário melhorar as ligações rodoviárias, nomeadamente ao fim de semana. Se num domingo à tarde quiser vir para o Sabugal, em transportes públicos, é melhor pensar em fazê-lo caminhando! O mesmo acontece para quem quiser partir!

Os princípios adotados para as grandes áreas urbanas devem servir para todo o país!

2. Ambiente

Sempre que surge a oportunidade gosto de realizar um passeio de bicicleta. Em 31 de maio sob um sol impiedoso fui até Penalobo, passando por Águas Belas e Sobreira. Como a descer todos os santos ajudam a ida foi fácil, o prior foi o regresso. Precavi-me com algumas garrafas de água que ia consumindo em função das necessidades. Enquanto subia duas ficaram vazias! Chegado à Sobreira entrei no café, comprei mais uma garrafa e perguntei onde se situava o Ecoponto para depositar as vazias.

– Aqui não existe! Vai tudo para o caixote do lixo! – Respondeu a dona.

Retomo a viagem. Entre a Sobreira e Águas Belas cortaram o pasto e giestas da berma da estrada, mas plásticos abundam: entre garrafas de água vazias, sacos deitados fora e iogurtes contabilizei oito em menos de três quilómetros e isto só do lado direito!

Garrafa na estrada Sobreira – Águas Belas.

Seria bom que os responsáveis políticos locais se preocupassem mais com questões ambientais! Deveriam existir mais ecopontos e ponderar-se a possibilidade de distribuição gratuita à população de sacos adequados para separação dos lixos.
Curiosamente encontrei-os no Espinhal, mas no Dirão da Rua também não existem!

3- Boas práticas

3.1. Na Quarta Feira o João Paulo Reis continua a enriquecer o património com as suas obras de arte, tornando-se um figura icónica da história desta região.

Tronco existente na Lomba: Um bom exemplo de como preservar a memória dos povos

3.2. Por aqui ainda há quem se preocupe com a preservação da memória dos povos. Em Lomba dos Palheiros encontrei o tronco que antigamente existia em todas as aldeias e servia para ferrar os animais e outras coisas.

:: ::
«Memórias de Sortelha», por António Augusto Gonçalves

Deixar uma resposta