Estratégia ibérica na zona de fronteira

Paulo Leitão Batista - Contraponto - © Capeia Arraiana (orelha)

No dia 21 de Novembro de 2018 realizou-se, em Valhadolid, a 30ª Cimeira Luso-Espanhola, onde se acertaram procedimentos para a cooperação transfronteiriça e para fazer face ao desafio demográfico. Foi um compromisso para uma estratégia comum cujos resultados não são ainda visíveis.

Cimeira Luso-Espanhola

De caminho para a Cimeira, o primeiro-ministro, António Costa, e outros membros do governo, passaram por Penamacor, onde reuniram com os autarcas da região, discutindo as medidas a adoptar por Portugal e Espanha para resolver os problemas das zonas de fronteira.

Em Valhadolid, os dois países constituíram um grupo de trabalho com o objectivo de definir uma Estratégia Comum de Desenvolvimento Transfronteiriço e foram designadas as equipas para esse grupo de trabalho.

O compromisso ibérico e cooperação e estratégia conjunta abarcou diversas áreas, desde a tecnologia, inovação, demografia, agricultura, ciência, educação, energias alternativas, etc.

Deu-se especial atenção ao reforço da colaboração em ciência, tecnologia, ensino superior e inovação empresarial, como áreas fulcrais para o futuro de ambos os países. Daí surgirão acordos estratégicos nas áreas da computação avançada, o espaço e as suas interações com a observação da terra, a agricultura de precisão e a nanotecnologia.

Apostou-se ainda na implementação da Rede Ibérica de Computação Avançada, que reforçará a coordenação estratégia nas áreas acima referidas.

Entretanto, os dois governos analisarão as conclusões apresentadas pelo grupo de trabalho na cimeira deste ano de 2019, a ter lugar na Guarda.

Tudo bem, estamos no bom caminho – diremos. Mas a verdade é que estamos fartos de palavras, anúncios, promessas, grupos de trabalho, propostas e até de planos e de estratégias. O que o interior requer é acção – medidas concretas, obras e realizações palpáveis que na verdade salvem as nossas terras da desertificação, do isolamento e do atraso.

:: ::
«Contraponto», de Paulo Leitão Batista

Deixar uma resposta