S. Cornélio: Romaria e Obras

António Gonçalves - Colaborador - Orelha - Capeia Arraiana

As obras de melhoramentos dos acessos geraram polémicas desnecessárias. A romaria pode ter sido uma iniciativa bem-vinda.

Foto de 13 de abril: S. Cornélio após a passagem das máquinas, bem próximo do Castro

I- As obras:

1. Desde agosto do ano passado que corriam rumores de que iriam ser realizadas obras, pela Câmara Municipal de Sabugal, para melhorar o acesso ao cume.

2. No fim-de-semana de 13 e 14 de abril, numa das minhas caminhadas frequentes por essas paragens, constatei melhorias no caminho tradicional, com alguns danos na calçada pública causados pelas máquinas. Estas entraram em propriedade privada sem autorização (foi garantido pelos proprietários); estiveram próximas do castro, no limite do aceitável, tendo sido mandadas parar pelo arqueólogo Marcos Osório (esta semana foi-me confirmado pelo próprio, que disse ter-se apercebido da movimentação das máquinas ao passar próximo do local). Nesse fim-de-semana troquei emails com o Paulo Batista no sentido de podermos denunciar a situação. Entretanto, tive a informação de que as máquinas pararam, pelo que deduzi que tudo estava sendo feito com conhecimento dos serviços de arqueologia. Assim, decidi não publicar!

3- Realizaram-se as melhorias no acesso ao cume: limpeza, colocação de pedras em locais estratégicos para facilitar a subida e colocação de um corrimão. Há décadas que os acessos são limpos com a aceitação dos proprietários e sem gerar qualquer polémica. Desta vez tudo foi diferente devido aos fatos relatados! Resultado: As obras foram vandalizadas, tendo o corrimão sido derribado! No dia 25 de agosto encontrei-o reerguido, parece um jogo entre o gato e o rato!

S. Cornélio: Corrimão derrubado, agosto 2019

5- Daqui resultou um mal-estar desnecessário no Dirão da Rua.

II- Conclusão:

Estamos perante cenas lamentáveis! Como é possível que a Câmara Municipal de Sabugal, certamente com o conhecimento da Junta de Freguesia de Sortelha, tenha a coragem de violar propriedade privada e colocar em risco o património?

Mais uma vez, num curto espaço de tempo, o poder local revelou ser incauto, insensato, … ! Isto só no Dirão da Rua! Será assim em todo o concelho?

A minha opinião é pública:
– Construção de um escadório pela parte poente aproveitando as estradas construídas para as torres eólicas. Para tal poderiam ser utilizados materiais recicláveis ou com pedra da região, sempre no respeito pelo património existente. Tudo isto sem prejuízo da manutenção e melhoramentos do percurso pedonal a nascente.

III- A Romaria

No dia 15 de agosto o povo reuniu-se e depois de rezar o terço, na capela de Santa Bárbara, deslocou-se em romaria ao S. Cornélio transportando uma imagem do Santo para respetiva capela situada no cume do monte. A cerca de 100 metros de altitude fizeram-se mais algumas orações. De seguida o povo colocou uma imagem do santo no altar. Regressados à aldeia houve convívio e jantar no chão da capela.

Imagem de S. Cornélio, realizada a partir da existente na capela de Santa Bárbara, no altar da capela de S. Cornélio, no monte com o mesmo nome, em 15 de agosto de 2019

Tudo isto podia ser muito bonito, não fosse o indisfarçável aborrecimento que todos se esforçaram por conter. Todas as iniciativas que visam a união e coesão dos povos deveriam ser bem-vindas. Porém, antes da festa houve quem semeasse a discórdia! Nem todos foram convidados a participar!

:: ::
«Memórias de Sortelha», por António Augusto Gonçalves

Deixar uma resposta