Crónicas de Férias (08)

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

Mais uma crónica nem sempre de férias…

Albufeira da Barragem do Sabugal em Agosto (Foto: José Escada)

Albufeira da Barragem do Sabugal em Agosto (Foto: José Escada)

1. A Barragem do Sabugal

Continuam a chegar-me fotos e textos mostrando com o nível de água na barragem do Sabugal vem baixando de forma acentuada.
Esta situação vem, pelo que me dizem, colocando em risco o próprio abastecimento de água a várias localidades do Concelho.
Todos sabemos que esta barragem foi construída, sobretudo, para alimentar os sistemas de rega da Cova da Beira, ficando o Concelho com os restos.

Mas talvez nem todos saibam que compete à Empresa Águas do Vale do Tejo, que integra o Grupo Águas de Portugal a gestão do Sistema Multimunicipal de Abastecimento de Água e de Saneamento do Alto Zêzere e Côa.

E também, talvez nem todos saibam que à entrada da Barragem da Meimoa existe um sistema electroprodutor que funciona com o caudal de água que sai da Barragem do Sabugal, isto é, mesmo que na Meimoa haja água em quantidade para a rega, a do Sabugal tem de continuar a fornecer água para a mini-hídrica…

E acredito que o Município do Sabugal não conheça a gestão do dia-a-dia da barragem. Mas tem obrigação de conhecer se está em causa ou não o normal abastecimento de água aos sabugalenses a partir da barragem e de garantir á população que a água não vai faltar nas torneiras.

E seria bom que os gestores da albufeira e da barragem viessem esclarecer e sossegar todos no que diz respeito à manutenção da segurança da barragem e da preservação dos ecossistemas da albufeira e das suas margens.
.

2. A morte do Touro

Eles andavam com a sanha de nos apanhar! Só precisavam de um motivo.

Claro que lamento a morte de um touro que é um elemento sem o qual a Capeia não se faz.

Mas para aqueles que ainda não compreenderam a diferença entre um animal selvagem e o seu cão ou gato a que chamam «filho», tudo serve.

E vai daí passámos a ser os brutos da idade média, sujos, maltrapilhos e analfabetos.

O acidente que motivou a morte do touro é lamentável e é um acontecimento que sabugalenses e raianos nunca querem que aconteça.
Os energúmenos que transformam este incidente num motivo para nos insultar colocam-se no papel de assassinos de uma comunidade que não lhes fez mal nenhum.

3. Leituras

Leio um livro muito bom de um escritor do Sri Lanka, Michael Ondaatje. Chama-se O Doente Inglês e percebi agora que já foi passado a cinema sob o nome de O Paciente Inglês. Não vi o filme e não tenho vontade nenhuma de ver. O livro é demasiado bom para ter uma desilusão com a sua adaptação.

4. O Borges

Fica na Rua do Colégio Moderno no Campo Pequeno e já foi de um sabugalense.

Ali se continua a comer bem, como posso comprovar, pois tenho lá ido algumas vezes com o meu filho, dado que a TerraTreme fica mesmo ao lado.

Ainda da última vez comi uma salada de atum perfeita!

E façam o favor de ser felizes…

:: ::
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

One Response to Crónicas de Férias (08)

  1. José Escada diz:

    Prezado Ramiro, caro amigo:
    Permite-me uns esclarecimentos ao teu artigo:
    1) A função de abastecimento de água compete sim à Empresa Águas do Vale do Tejo, que integra o Grupo Águas de Portugal a gestão do Sistema Multimunicipal de Abastecimento de Água e de Saneamento do Alto Zêzere e Côa. Aa função rega compete à Associação de Beneficiários do Regadio da Cova da Beira, bem como, incompreensivelmente, os transvases e a produção de eletricidade;

    2) O facto de existir um sistema electroprodutor que funciona com o caudal de água que sai da Barragem do Sabugal não obriga, de todo, a que o Sabugal tenha de continuar a fornecer água para a mini-hídrica. A produção de energia elétrica é uma atividade acessória. A ordem de prioridades é: abastecimento de água a populações, rega, níveis mínimos para proteção da biodiversidade, combate a incêndios … e só lá no fim, bem no fim deve vir a produção de eletricidade! Naturalmente que sempre que se opera o transvase a geração de eletricidade é consequência!

Deixar uma resposta