Crónicas de Férias (01)

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

Neste período de férias em que parte dos sabugalenses já se encontram, aproveito para deixar algumas notas mais adequadas a esta temporada.

Festas do Colete Encarnado em Vila Franca de Xira

Festas do Colete Encarnado em Vila Franca de Xira

1. Caminhar à beira Tejo

Eu sei que vivem aqui pelo Concelho de Vila Franca de Xira muitos sabugalenses e seus descendentes.

Aproveitem agora para conhecer as vias pedonais e velocipédicas ribeirinhas que esta terra tem.

Por mim, faço todas as madrugadas 4 quilómetros entre a zona dos avieiros da Póvoa e o limite sul, sempre com o Tejo por companhia. Mas é possível ir da Póvoa a Alverca e de Alhandra a Vila Franca de Xira, sempre com o Tejo por companhia.

Mas se estiver nas nossas terras aí então o que não falta é motivos para caminhar ou andar de bicicleta.

Melhor começo de dia não pode haver. E é mais saudável que irem encafuar-se num qualquer ginásio…

2. Gozar os transportes públicos

Agora que os passes são mais baratos (para quem vive aqui um passe para toda a região de Lisboa custa 40,00 euros e para um reformado como eu, apenas 20,00 euros), porque não passear de comboio. Pode-se ir de Azambuja a Cascais ou a Sintra, ou a Setúbal, ou a Mafra, sempre pelo mesmo preço.

E se em vez de estar parado em casa num fim-de-semana, a família fosse fazer um passeio ou um piquenique a um destes locais?

3. Comer bem

Aqui pelo Concelho de Vila Franca, deixo uma sugestão – «Os Pintos» – à entrada da Malva Rosa em Alverca.

Provem o fígado grelhado com azeite e alho, o coelho assado ou o caril de gambas e depois digam que não é bom!…

4. Colete Encarnado

E neste fim-de-semana decorre o Colete Encarnado, a festa mais emblemática de Vila Franca de Xira.

Percorrer aquelas ruas, visitar as tertúlias, comer uma sardinha ou uma febra, assistir ou participar nas largadas, eis um programa a que já me afeiçoei e a que nunca falto.

E façam o favor de ser felizes…

:: ::
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

Deixar uma resposta