Escutismo – Aniversário

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

O Escutismo em Aldeia de Joanes (Fundão) foi fundado há dez anos, pondo fim a antecedentes e injustificáveis indecisões. Este aniversário teve algumas paragens, para consultar os “vars” da época, como acontece hoje nos desafios de futebol. Também teve prolongamento por causa dos empates, neste caso concreto era o jogo dos empatas. Há sempre alguém a colocar pedras no caminho, a não responder a cartas de instituições credíveis onde militam milhares de jovens escuteiros.

Escuteiros de Aldeia de Joanes

Foi uma gravidez de alto risco, cujo parto só teve sucesso graças a uma equipa composta por Luís Fernando Santos Pereira, Nuno Alexandre Paulo Duarte Rocha, Regina Maria de Jesus Gaudêncio Barata Pereira, Raul Pereira Araújo e Rui Miguel Pereira Correia.

Com esta equipa e quem a apoiou, o Bispo da Guarda, D. Manuel Felício, deu o arranque final ao nomear como Assistente Religioso o Diácono Francisco da Cruz Lambelho.

Perante estes dados, a Chefia Regional, em 13 de Outubro de 2008, enviou para a Junta Central a ficha de inscrição. A Ordem de Serviço Nacional nº 566 de 30 de Abril de 2009 é publicada em O.S.N. (Ordem de Serviço Nacional) e dá-se a filiação no CNE (Corpo Nacional de Escutas) do Agrupamento 1335 do CNE de Aldeia de Joanes, cujo patrono é São Sebastião.

Teve nas águas furtadas da Casa Paroquial a primeira Sede. Com muito esforço, trabalho e sacrifício, escoraram-se travessas de madeira do telhado para se exercerem as actividades escutistas em exíguo espaço.

As primeiras promessas foram no dia 30 de Maio de 2009, pelo que a Chefia entendeu marcar esta data como a data oficial de aniversário.

No corrente ano e por motivos de logística e calendarização foi comemorado o 10º Aniversário no dia 8 de Junho.

Em 2014 foram inauguradas, com a presença do Presidente da Câmara do Fundão e do Chefe Regional António Bento Duarte, as actuais instalações, no coração de Aldeia de Joanes com muita dignidade e espaço.

Nos censos de 2009, já tinha 26 lobitos, 20 exploradores, 1 caminheiro e 12 dirigentes. Em 2010 o Agrupamento de 1335 de Aldeia de Joanes cresceu e era composto por 27 lobitos, 18 exploradores, 15 pioneiros, 3 caminheiros e 11 dirigentes, num total de 74 elementos, tendo nos anos seguintes os números dos efectivos apontado para uma ligeira tendência de decrescimento.

Actualmente o efetivo é de cinquenta elementos escutistas.

Nestes dez anos de vida, já está numa fase de adolescência, muitas têm sido as acções religiosas, sociais, cívicas, ambientais que tem levado a efeito. Salientam-se, entre as mais importantes, a organização e concretização de uma via-sacra e um presépio ao vivo; a organização do Dia do Lobito e Pioneiros a nível regional; a colaboração em diversas actividades de apoio e defesa da natureza; a participação no Acampamento Nacional e em diversos acampamentos regionais; a participação nos peditórios nacionais do Banco Alimentar e Cáritas; a organização e participação no Cantar das Janeiras em Aldeia de Joanes; a colaboração em actos de culto a nível de Aldeia de Joanes e de outras comunidades; as celebrações litúrgicas ao ar livre; a fundação de um grupo de quinze tocadores de viola e cavaquinho para abrilhantar as festividades.

As comemorações do 10º Aniversário contaram com a presença do Chefe Nacional Ivo Faria, da Chefe Regional da Guarda, dos Ex-Assistentes Diácono Francisco da Cruz Lambelho e Padre Casimiro Mendes Serra, do Presidente da Câmara Municipal do Fundão, dos Agrupamentos de Valverde, com a sua fanfarra, do Fundão e FNA do Fundão.

O Chefe Nacional, depois de uma visita às instalações, entregou ao Agrupamento de Aldeia de Joanes uma Bandeira da Junta Central, a fim de ser utilizada em todas as cerimónias e eventos. Sentiu uma alegria enorme por esta obra que Deus inspirou aos homens. Referiu que há agrupamentos porque há pais, famílias, que os apoiam e que nutrem confiança nesta instituição, não esquecendo o poder local e municipal que os valorizam. O Escutismo, em Aldeia de Joanes, são os jovens escuteiros, a quem saudou de uma forma especial.

A Chefe Regional Sandra Bento frisou que são dez anos de um caminho em curso e saudou todos aqueles que o trilham com sonhos, sacrifícios, aventuras e espírito escutista. “Vós, jovens escuteiros, sois a essência do escutismo.”

O Chefe de Agrupamento Nuno Rocha agradeceu a presença dos convidados e salientou que pelo Agrupamento já passou muita gente que ficou mais enriquecida com os ensinamentos aqui aprendidos. O Movimento Escutista é um desafio a nós próprios em todos os dias e meses, às vezes com tempestades às quais se seguem as bonanças. “Trabalhamos para que os escuteiros sejam felizes. Há que dar continuidade a este trabalho.”
Francisco Lambelho, Ex-Assistente, afirmou: “obrigado por terdes abraçado este projeto. Ide em frente.”

O Padre José Luís Farinha, actual assistente, que presta profícuo apoio ao Agrupamento 1335 de Aldeia de Joanes, salientou a graça deste caminho escutista de dez anos. Deu graças a Deus e agradeceu às pessoas que tomaram em mãos o impulso da criação deste Agrupamento. Nesta década muitas foram as pessoas que o frequentaram, umas ficaram, outras saíram, mas todas elas tiveram caminhos de valores e de experiências para as suas vidas, caminhando com entusiasmo e dinamismo. Uma das provas da sua vitalidade é o compromisso de investidura de mais três chefes, Osório Lopes Figueiredo, Joana Francisco e Inês Ascensão, e estão mais dois escuteiros a fazer formação para futuros chefes.

“A sociedade convida-nos a não fazermos nada, a estarmos horas diante de ecrãs vazios. O Escutismo é um movimento que nos põe em compromisso com os homens e com Deus, com a missão do Evangelho. Ser escuteiro e estar desinstalado com tendas de campanha, coloca-nos sempre desafios, que nos obrigam a termos criatividade e a estarmos comprometidos com os outros. Somos colaboradores dos sonhos de Deus e, se cada um fizer o que lhe compete, empenhando-se no caminho do compromisso, dos ideias e valores do escutismo, o mundo será melhor.”

Segundo Baden Powell, “o Escutismo não é uma ciência abstracta ou difícil. É antes de mais um jogo divertido, se o encaramos como deve ser. Ao mesmo tempo é educativo e, como o perdão, tende a beneficiar quem o concebe, como quem o recebe.”

O Escutismo é um percurso de pedagogias activas de uma escola sempre nova. Durante estes anos muitos jovens fizeram a sua promessa de escuteiros, apreenderam valores que os marcaram para todas as suas vidas. Com o Escutismo eles abraçam o futuro.

Recorramos às palavras de um importante Clube de Futebol Inglês – “You´ll Never Walk Alone (Ninguém caminha sozinho) – que expressam esperança, abnegação, carácter, emoção, humildade, determinação, magia e vida.

Um Bem-Haja a todos, famílias, amigos, escuteiros, que trabalham voluntariamente, em prol da juventude escutista, e um longo e próspero caminho para o Agrupamento 1335 de Aldeia de Joanes.
:: ::
«Aldeia de Joanes», crónica de António Alves Fernandes

Deixar uma resposta