O caminho errático dos eventos concelhios

Paulo Leitão Batista - Contraponto - © Capeia Arraiana (orelha)

A Intervenção do deputado municipal João Aristides Duarte, na última Assembleia Municipal, tocou num ponto-chave da fraca atratividade dos eventos organizados pela Câmara do Sabugal: não têm continuidade, mudam de nome e seguem uma programação errática, ao sabor das marés.

Sabugal Surpreenda os Sentidos – um evento que perdeu continuidade

O eleito pela CDU colocou o dedo na ferida, quando tomou a palavra na Assembleia realizada no dia 14 de Junho, em Malcata.

Tomei devida nota da intervenção porque se tratou de um aviso sério quanto ao rumo a seguir para que o território se torne atractivo através dos certames culturais, desportivos ou comerciais que periodicamente acontecem. Eu próprio, em tempos idos, fiz referência a esse caminho errado – aqui.

João Duarte ilustrou a sua afirmação:

O Festival Rock in Raia, realizado no Soito, foi cancelado, quando começava a ganhar nome e projecção.

O mesmo sucedeu com o evento “Sabugal Surpreenda os Sentidos”, sendo que este já tivera várias designações (“Festa das Associações”, “Festa da Europa”, “Artes do Alto Côa”, “Viagem aos anos 50”, “Viagem aos anos 60”). Ultimamente chamava-se “Sabugal- Surpreenda os Sentidos”, e quando este último nome já começava a entranhar-se e a ganhar projecção, eis que outra vez muda de nome, passando a chamar-se “Noites no Castelo”.

Tal como afirmou o deputado municipal eleito pela CDU, é um erro crasso esta mudança sucessiva do nome dos eventos, assim como a programação errática que lhes está associada, sem uma linha condutora que lhes dê a devida consistência e projecção.

Os que têm responsabilidades na programação dirão que os eventos, seguem na crista da onda, actualizando-e e adaptando-se às novas realidades. Julgo que, se é esse a intenção, a realidade desmente a validade da estratégia. O que há sim é um manifesto desnorte, que tem sido fatal para uma terra que não pode perder oportunidades.

O nome conferido aos eventos e a sua continuidade, assenta na ideia da sua melhoria contínua e da afirmação dos mesmos como realizações perduráveis que ganham adeptos e cimentam o seu prestígio. Quando se repete a edição de um evento, e se expressa o número dessa edição, está a apostar-se na sua longevidade, dando-lhe força para que persista e se torne numa bandeira da atratividade de um território.

A este propósito, veja-se o que acontece com a Agrorraia – perderam-lhe o conto. Quantas já se fizeram? Qual foi a edição deste ano? A organização não sabe – pelo menos não o expressou no cartaz alusivo. Foi a 15ª, a 20ª edição, ou foi, afinal, a primeira?
:: ::
«Contraponto», de Paulo Leitão Batista

PS:
Sobre a Agrorraia escreverei na próxima crónica.

2 Responses to O caminho errático dos eventos concelhios

  1. João Manuel Aristides Duarte diz:

    Aqui está a minha intervenção completa:

    Gostaria de começar a minha intervenção nesta Assembleia
    com uma saudação especial a Rui Silva, um alpinista português,
    com raízes em Aldeia Velha, que foi o quinto compatriota a
    chegar ao cume do Monte Evereste, uma proeza digna de nota,
    conseguida no passado dia 22 de maio.
    Quando alguém com raízes no concelho consegue um feito
    assim, eu fico muito contente.
    Queria também endereçar os parabéns à Câmara Municipal do
    sabugal pela excelente programação cultural que nos tem
    oferecido, de que o exemplo maior foi o magnífico concerto
    realizado no Castelo do Sabugal, com a Orquestra da
    Universidade Autónoma de Madrid, no passado dia 2 de maio.
    Escrevi publicamente que a programação cultural do Sabugal é,
    talvez a melhor do distrito, se se excluir a da cidade da Guarda,
    o que me apraz registar.
    Não posso, no entanto, deixar de referir um aspecto que
    considero muito negativo e que é o facto de os eventos não
    terem continuidade e andarem sempre a mudar de nome.
    Numa intervenção anterior referi-me ao Festival Rock in Raia,
    que, quando começava a ganhar nome a alguma projecção, foi
    cancelado.
    Agora constato, com admiração, que o Evento “Sabugal
    Surpreenda os Sentidos” já foi também cancelado.
    Lembro aqui que este evento vem na sequência de outros que
    já tiveram nomes tão diversos como “Festa das Associações”,
    “Festa da Europa”, “Artes do Alto Côa”, “Viagem aos anos 50”,
    “Viagem aos anos 60” e, finalmente, “Sabugal- Surpreenda os
    Sentidos”. Quando este último nome já começava a entranhar-
    se e a ganhar projecção, mudou-se o nome, novamente. Este
    ano já não haverá “Sabugal Surpreenda os Sentidos”, mas sim
    “Noites no Castelo”.
    Este parece-me ser um erro. Essa programação errática, sem
    uma linha condutora, andando ao sabor das marés, provoca a
    sensação de haver um certo desnorte no que se refere aos
    eventos. O facto de se manterem os nomes é que tem feito com
    que os eventos realizados em qualquer outro concelho ganhem
    projecção. E seriam tantos os exemplos, que não vale a pena
    referir nenhum. O nome do evento passa a ser como que uma
    marca que leva o público a aderir e a interessar-se

  2. João Manuel Aristides Duarte diz:

    Fico, realmente, raladíssimo com esta descontinuidade, uma programação de eventos errática, sem que isso traga qualquer mais-valia ao concelho.
    Mas , infelizmente, sei que pouca gente no concelho se interessa por isso.

Deixar uma resposta