O desenvolvimento para a Economia Circular

Paulo Leitão Batista - Contraponto - © Capeia Arraiana (orelha)

Assim como se fala em desenvolvimento sustentável, também ganhou expressão a ideia do desenvolvimento em Economia Circular. É que um conceito está intimamente ligado com o outro e qualquer estratégia de desenvolvimento regional deve levar isso em conta.

O Fundo Ambiental apoia projectos ligados à Economia Circular

Economia Circular é uma concepção estratégica que pretende substituir o conceito de fim-de-vida da economia linear, por novos fluxos circulares de reutilização de materiais e de energia. Na economia circular as ideias-chave são reduzir, recuperar, reciclar e reutilizar, num processo integrado que dissocia o crescimento económico do aumento imparável do consumo de recursos finitos.

Para que este conceito ganhe forma é necessário gerar os recursos num processo contínuo de reabsorção, ou seja, num sistema dinâmico de produção e consumo em circuitos fechados. Porém, tal paradigma apenas pode tornar-se realidade tangível se houver compatibilidade técnica e económica (capacidade produtiva) e enquadramento social e institucional (novos comportamentos aceites pela comunidade).

A questão é que a economia circular vai mais longe do que a mera gestão de resíduos e a sua reciclagem. Aqui a acção é ampla, e, por isso, estratégica: implica um esforço prolongado no tempo, novos processos de produção, novos produtos e serviços, novos hábitos de consumo e, também, modelos de negócio diferentes. Só assim se optimizará a utilização de recursos, numa base de circulação eficiente, que minimize a extracção de recursos e maximize a sua reutilização.

O concelho do Sabugal tem algo a ganhar com a economia circular?

Não temos dúvida disso. O Sabugal é, ainda, uma terra onde a natureza impera, e onde o desenvolvimento pode acontecer sem o esgotamento dos seus recursos naturais, que são, afinal, a sua maior riqueza.

A aposta numa economia mais “verde”, assegurará desenvolvimento económico, e melhoria das condições de vida e de emprego, ao mesmo tempo que assegura a regeneração do “capital natural” que o concelho dispõe.

E o caminho para uma economia circular está já a ser trilhado, pelo que o concelho do Sabugal pode aproveitar para colher os seus proveitos – o programa Portugal 2020, financia, através do Fundo Ambiental, projectos territoriais ligados à economia circular.

Por outro lado, as Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro está a elaborar a Agenda Regional para a Economia Circular, instrumento primordial na definição das prioridades para uma economia desenhada dentro dos limites que a natureza impõe.
:: ::
«Contraponto», de Paulo Leitão Batista

One Response to O desenvolvimento para a Economia Circular

  1. Maria de Lurdes Carvalho diz:

    Mais do que Reciclar temos que Recusar, Repensar, Reduzir, Reutilizar, Reparar, Recondicionar, Remanufaturar, Realocar e Reciclar .
    As Agendas Regionais serão instrumentos orientadores de políticas nos quais importa participar desde o início.

Responder a Maria de Lurdes Carvalho Cancelar resposta