Encontro de ex-seminaristas

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

No dia 1 de Junho decorreu, no Seminário Menor do Fundão, mais um encontro de antigos seminaristas do Fundão e da Guarda sob o lema do Papa Francisco: «Como é bom ser acolhido com amor, generosidade e alegria».

Edifício do ex-seminário do Fundão

Actualmente o Seminário do Fundão não tem alunos e parte das suas instalações estão ocupadas com outras actividades e valências.

Jorge Simão, Presidente da Direcção dos Antigos Alunos, e a sua equipa tudo fizeram para que esta acção cívica proporcionasse convívio, amizade, partilha, recordações, momentos de reflexão, culturais e recreativos.

Durante todo o dia, enquanto decorriam as inscrições, estiveram à disposição os espaços de recordações das inúmeras actividades que os alunos dispunham no tempo de ensino.

Na “SALA DE MEMÓRIAS” bem alargada, lá estavam livros científicos, escolares, quadros, material de anatomia, de laboratório, de físico-química, geográfico, musical, religioso, revistas e jornais da instituição, um piano, gravadores, três máquinas de projectar filmes: fixei o olhar na mais imponente, a fazer inveja a muitas da época, com a inscrição “Cinematografia Marin, S.A. (Barcelona)”.

Se o material atrás descrito alimentava o espírito, não faltavam também os materiais de cozinha, os apetrechos que confeccionavam os alimentos, além de uma máquina de costura e uma cadeira de barbearia.

No sector desportivo não faltavam os diversos galhardetes e taças conquistadas em diversas competições, principalmente a nível do atletismo.

No sector agrícola, observamos diverso material com que se tratava a terra que produzia os alimentos para a cozinha do Seminário.

A cereja a encimar a SALA DE MEMÓRIAS é a célebre mota do Padre Nobre, um cidadão do Soito (Sabugal), já falecido, que a doou à Casa onde serviu como Professor de muitos seminaristas.

Na parte final da visita, fixamo-nos na paramentaria litúrgica da época, uma obra-prima.

No corredor que dá acesso à SALA DE MEMÓRIAS, encontram-se inúmeras fotografias de alunos e professores que tiveram o privilégio de ali estudar.
Neste trabalho de manter a História e a Memória Viva, este tesouro cada vez mais raro, há que realçar a dedicação, o esforço e o trabalho do Padre Jorge Colaço, actual Pároco do Fundão.

Assim, cerca de duzentos associados com os seus familiares iniciaram um programa cujo ponto alto foi a Assembleia Geral da Associação, onde todos tiveram a oportunidade de expor os seus pontos de vista. Entendeu-se que as futuras convocatórias seriam endereçadas via email, mas vantajoso e prático em termos de acesso e mais económico.

Na Eucaristia, presidida pelo Bispo da Diocese – co-celebrada pelo Cónego Manuel Alberto Pereira de Matos, pelo Padre Jorge Colaço, pelo Padre José Luzia Gonçalves, aluno do Seminário da Guarda e Missionário na Diocese de Nampula em Moçambique há várias décadas, e pelo Diácono Francisco da Cruz Lambelho -, o D. Manuel Felício salientou a alegria destes momentos: a cada um de nós cabe vivê-la com espírito de missão.

A Associação, além ser um espaço para a divulgação cultural dos ex-alunos, quer recriar “As Academias” dedicadas a uma personalidade destas duas instituições ou da região que se tenha destacado no mundo das letras.
Este ano foi escolhido o Cónego Manuel Alberto Pereira de Matos, pelas suas obras já publicadas, numa sessão que preencheu parte da tarde.
Encerrou o encontro o Grupo de Cantares de Alpedrinha com música popular portuguesa.

Duas notas finais: a atribuição de uma caixa de cerejas ao aluno mais velho e ao mais novo presentes na sala, um com 81 e o outro com dezanove anos; e uma frase do Presidente da Direcção: “ainda hoje a sociedade tem razões fundadas para esperar o melhor de um antigo aluno dos Seminários do Fundão e da Guarda.”
:: ::
«Aldeia de Joanes», crónica de António Alves Fernandes

Deixar uma resposta