Cemitérios e práticas religiosas (3)

António Gonçalves - Colaborador - Orelha - Capeia Arraiana

:: :: ÁGUAS BELAS :: :: A preparação para morte e as práticas religiosas a ela associadas, antes e depois, assumiram caraterísticas próprias ao longo dos séculos. As comunidades adaptaram os seus comportamentos ao espaço geográfico e às condicionantes de cada época. Pretendo divulgar informações que encontrei nos Arquivos, bem como alguns costumes que, se não escrevermos, correm o risco de desaparecerem da memória dos povos desta região.

Placa existente no muro do cemitério de Águas Belas

Freguesia de Águas Belas
Em Águas Belas o primeiro registo com referência a um enterramento no cemitério data de 1840(1). Tudo indica que seja no adro, até porque no atual cemitério existe a data de 1878! Antes os mortos eram sepultados na Igreja Matriz e no adro(2). Após a construção continuaram as sepulturas no adro e dentro da igreja/capela, um sinal de resistência à mudança. Dos túmulos, existentes no adro, destaca-se a do Reverendo Manoel Quadrado Ribeiro.

No Espinhal existem muitos registos de sepulturas na capela de S. Marcos(3). Curiosamente em outubro de 1843 registou-se a primeira referência cemitério(4). Tratando-se de um meio pequeno parece um pouco difícil explicar a sua existência nesta data. Nesta época pertencia à freguesia de Sortelha. Assim, poderá significar que o pároco utilizou a expressão indevidamente, ou seja, a expressão cemitério deverá ser sinónimo de adro da capela de S. Marcos.

Capela de S. Marcos – Espinhal, assinale-se o fato de não existir nenhuma referência aos enterramentos no adro. Apagou-se um pouco da memória como tratando-se de um tempo referente a outra civilização!

Em Vale Mourisco o primeiro registo de sepultura no cemitério data de 1849(5). Após essa data, o Prior Manel Quadrado Ribeiro continuou a realizar enterramentos na capela, quando já estavam proibidos por lei(6).

Capela do Salvador – Vale Mourisco – Águas Belas; o lintel da porta principal tem a data de MDCCCLXXIV (1874), provavelmente este edifício foi construído, ou reconstruído, nessa data.

A Quinta do Clérigo pertenceu à freguesia de Sortelha até 1855, no século XVIII os mortos eram transportados para Sortelha, sendo enterrados na Igreja de Nossa Senhora das Neves. Na década de 1840 aparecem registos a referir que “foi sepultado na Igreja de Santa Maria Madalena” de Águas Belas(7). Imagine-se o sofrimento das populações transportando o defunto por aquelas montanhas!
A confusão entre cemitério e adro é claríssima. O Prior Manoel Quadrado Ribeiro, em 1859, utiliza a expressão seguinte: “Sepultada no Cemitério ou Adro desta Igreja Matriz …”(8)

Testamento de 1751:

Curioso o fato de, em 1752, quando da Visitação de um representante do Bispado, este ter elaborado um documento com o teor seguinte:
“Visto em Visitação e o Reverendo Prior faça cumprir o bem de alma … por me constar se não acha feito parte e que admoeste a seos herdeiros, e não contribuindo como são obrigados com o ouro da dita disposição ou evite dos ofícios Divinos: e o mesmo obrará o Reverendo Vigário de Sortelha com os herdeiros de Josefa Antunes.
Agos Bellas, 20 de Setembro de 1752.
Dinis”(10)

O testamento faz parte do Assento de Óbito.
A visitação de representantes do Bispo eram rotineiras.
O povo vivia numa autêntica escuridão, muito provavelmente, em Águas Belas, só o prior sabia ler e escrever. Assim, o testamento podia ser viciado, não é razoável pensar que alguém à beira da morte tivesse lucidez suficiente para o ditar.
Este comportamento é revelador da ganância dos membros do clero e da intimidação exercida sobre a população, tudo em nome da salvação da alma e dos bons costumes. Contribuindo, deste modo, para o enriquecimento dos membros da igreja e construção das igrejas e capelas.

:: ::
«Memórias de Sortelha», por António Augusto Gonçalves
____________
1- Arquivo Nacional da Torre do Tombo: Livro de Registos de Óbitos: PT-ADLSB-PRQ-PSBG01-003-O2_m0006.tif: “Aos trinta dias de Maio de mil oito centos e quarenta, faleceo de vida prezente Joaquim Jorge solteiro, que tinha de idade trinta e trez annos pouco mais ou menos tendo dito … todo e sepultado no cemitério desta Igreja de Santa Maria Madalena….. fiz este termo que assigno. Águas Bellas 31 de Maio 1840
O Encomendado
Domingos Jorge Leitão Borrego”
2- Arquivo Nacional da Torre do Tombo: Livro de Registos de Óbitos: consultável em: PT/ADGRD/PRQ/PSBG01/003-02-m009.tif: Em 1846 três expostos são sepultados no Adro da Igreja de Águas Belas. Em PT-ADLSB-PRQ-PSBG01-003-O2_m0030.tif: Francisca Pereira sepultada no adro, em 23 de abril de 1855.
3- Arquivo Distrital da Guarda (ADGRD) , Registos Paroquiais de Águas Belas- rolo 854/260: “Aos vinte e trez dias do mez de Junho da hera de mil setecentos e vinte e oito anos faleceo de vida prezente Isabel Fernandes viúva que ficou de Manoel Fernandes da quinta do Espinhal freguezia de Nossa Senhora das Neves desta villa de Sortelha não fez testamento e está sepultada na Capella de S. Marcos da dita quinta do Espinhal por determinação sua; consta que em fé de verdade fiz este termo que assignei dia e era ut supra. O Vigário Diogo Pinna Botelho d’Olival.”
Arquivo Distrital da Guarda, Paróquia de Sortelha, Livro de Registos Mistos, consultável em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG33-004-M5_m0185.tif: Em 8 de Dezembro de 1744, Manoel Lourenço, foi sepultado na capela de S. Marcos, era vigário Diogo de Pinna Botelho de Olival. Arquivo Distrital da Guarda, Paróquia de Águas Belas, Livro de Registo de Óbitos, consultável em:
PT-ADLSB-PRQ-PSBG01-003-O2_m0005.tif: Em trinta de janeiro de 1815, Joaquina Pereira foi enterrada na capela de S. Marcos.
4- Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Paróquia de Águas Belas, Livro de Registo de Óbitos, consultável em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG01-003-O2_m0011.tif:No óbito de catorze de outubro, de 1843, o Prior Encomendado, Manoel Quadrado Ribeiro, refere que Maria da Cunha, do Espinhal, “foi sepultada no cemitério do mesmo lugar.”
5- Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Paróquia de Águas Belas, Livro de Registo de Óbitos, consultável em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG01-003-O2_m0019.tif: “Aos dezassete dias do mez de Março de mil oitocentos e quarenta e nove faleceo da vida presente um Inocente filho de Alexandre Fernandes de Valle Mourisco teria de idade dous dias e foi sepultado no Cemitério. E para constar fiz este assento que assignodia e mez ut supra. Prior Manoel Quadrado Ribeiro.”
6- Arquivo Distrital da Guarda, Registo de Óbitos de Águas Belas, consultável em: PT-ADGRD-PRQ-PSBG01-003-00001_m0002.tif : “Aos oito dias do mez de Janeiro de mil e oito centos e cincoenta e seis faleceo da vida prezente com todos os sacramentos antes da sua demencia Joze Jorge de Vallemourisco e foi sepultado na Capella do mesmo Vallemourisco e não fez Testamento: E para constar fiz este assento que assigno dia mez era ut supra.” Prior Manoel Quadrado Ribeiro. Arquivo Nacional da Torre do Tombo, em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG01-003-O2_m0030.tif: “Aos onze dias do mez de Novembro de mil e oito Centos e cincoenta e cinco, faleceo de vida prezente com todos os sacramentos necessários a sitoação Rita Gorda de Vallemourisco e foi sepultada no dito lugar no Adro da Capella do mesmo era viúva teria setenta anos de idade. E para constar fiz este assento que assigno, dia, mez era ut supra.”
O Prior Manoel Quadrado Ribeiro
7- Arquivo Distrital da Guarda, Paróquia de Sortelha, Livro de Registos Mistos, consultável em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG33-004-M5_m0184.tif : em 6 de outubro de 1744, Miguel, menor de 7 anos, foi sepultado na Igreja de Nossa Senhora das Neves, em Sortelha, sendo vigário Diogo de Pinna Botelho de Olival; Arquivo Distrital da Guarda, Registo de Óbitos de Águas Belas, consultável em : PT-ADLSB-PRQ-PSBG01-003-O2_m0006.tif: Aos oito dias do mez de Maios de mil oitocentos e quarenta falleceo de vida presente Joaquim filho de Maria Luiza, viúva que ficou de Manoel Nunes; tendo de idade trinta e dois anos e foi sepultado no adro da igreja de Santa Maria Madalena por mim abaixo assinado; não foi sacramentado por descuido de não pedirem os sacramentos. Por verdade fiz este termo que assigno. Águas Bellas 9 de Maio de 1840. O Encomendado: Domingos Jorge Leitão Borrego.
8- Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Livro de Registos de Óbitos de Águas Belas, consultável em: PT-ADGRD-PRQ-PSBG01-003-00001_m0014.tif.
9- Idem.
10- Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Livro de Registos de Óbitos de Águas Belas, consultável em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG01-003-O1_m0116.tif

Deixar uma resposta