A Terceira Invasão Francesa no Sabugal

José Jorge Cameira - Vale de Lobo e Moita - © Capeia Arraiana

Influências directas das tropas do Marechal Massena em todo o Concelho do Sabugal. Massena, o general preferido de Napoleão Bonaparte, invadiu Portugal em Julho de 1810.

Marechal André Massena (1758-1817)

Pela terceira vez Napoleão queria subjugar Portugal, por não aceitar as suas ordens de romper com a Inglaterra, e então envia Massena, o seu “filho querido da vitória”.

Massena, com o seu grande exército de 60 mil homens e 15 mil cavalos, foi travado pelas tropas luso-britânicas, comandadas pelo escocês General Wellington, em Torres Vedras tendo fugido na direcção do Sabugal esperando aqui por reforços vindos de França que não vieram.

Wellington dera ordens a toda a população que destruíssem colheitas e escondessem animais a fim de evitar que as tropas francesas se alimentassem, e foi obedecido.

Isto enfureceu a soldadesca que estava num estado miserável em alimentos, roupas, sapatos. E nada encontravam nas povoações.

Passa-se tudo em 1810 – não irei anotar meses e dias de factos acontecidos.
Por todo o Concelho do Sabugal os franceses cometeram todas as atrocidades. Mulheres novas e idosas, crianças foram todas violadas em todas as povoações por onde passavam, ninguém escapou. Quem não entregava alimentos era torturado e muitos foram mortos. Casas ocupadas. As populações logo que pressentiam a chegada desses militares fugiam para as serras e florestas levando o que podiam.

Massena instalou o seu Quartel General em Alfaiates, sendo Sabugal e Rapoula do Côa outros seus pólos estratégicos importantes.

– Em Agosto de 1810 Alfaiates e Vilar Maior foram ocupadas à força e todos os aldeões fugiram.

– Outras aldeias ocupadas à força e com violência – Valongo, Ruvina, Bismula, Sortelha.

– Ponte de Sequeiros foi outro local.

Alguns detalhes:
– Em Vilar Maior, junto a Valongo há uma gruta natural de nome Lapa da Maria, de difícil acesso onde se esconderam 30 pessoas. Um deles, Afonso Correia, saiu para trazer alimentos. Conseguiu só uma bolacha.
Uma mulher de nome Josefa saiu da gruta com o ouro das pessoas e fugiu para a Serra do Seixo.
– Em Vale das Éguas uma mulher de nome Paula depois de violada penduraram-na pela cabeça num carvalho, mas sobreviveu.
– Na Ruvina mataram um rapaz que se opunha à violação da mãe. Obrigaram esta a receber por cima o sangue jorrando do filho.
– Em Nave de Haver algumas pessoas caçaram um coronel, um tenente e dois soldados. Sabiam que este tenente tinha violado várias mulheres pelo que a vingança delas foi terrível – foi esfolado (não escrevo mais pormenores). Massena logo que soube disto mandou fuzilar vários camponeses.

Em Abril de 1811 Massena e o resto da sua tropa abandonou Portugal sem a glória da sua conquista.

Por todo o Concelho aqueles Franceses deixaram alguns descendentes, muitos, talvez loiros e de olhos azuis ou verdes.
——————————————
Onde obtive estas informações?
No livro “Sabugal e As Invasões Francesas“, sendo co-autor o Sabugalense Paulo Leitão Baptista.
:: ::
:: ::
«Vale de Lobo e Moita», trabalho e recolha de José Jorge Cameira

2 Responses to A Terceira Invasão Francesa no Sabugal

  1. “Quartel General em Alfaiates, sendo Sabugal e Rapoula do Côa”
    Salvo errro, segundo as memorias de soldados franceses, as tropas estavam em Alfaiates, Sabugal e Ruvina. As luso-inglesas na ponte de Sequeiros, Rapoula e frente ao Sabugal.
    Està certo ?
    Obrigado

Deixar uma resposta