Cemitérios e práticas religiosas (2)

António Gonçalves - Colaborador - Orelha - Capeia Arraiana

:: :: SANTO ESTÊVÃO :: :: A preparação para morte e as práticas religiosas a ela associadas, antes e depois, assumiram caraterísticas próprias ao longo dos séculos. As comunidades adaptaram os seus comportamentos ao espaço geográfico e às condicionantes de cada época. Pretendo divulgar informações que encontrei nos Arquivos, bem como alguns costumes que, se não escrevermos, correm o risco de desaparecerem da memória dos povos desta região.

Cemitério de Santo Estêvão – Sabugal

I- Sepultados na Igreja

Assento de óbito de dois pobres:
1- Manuel de Gouveia Marraxo

“Manuel de Gouveia Marraxo natural do lugar de Caria e casado em este de Santo Estevão com Páscoa Fernandes faleceo em o dia quatorze do mês de Outubro de mil e setecentos e trinta e três anos tendo recebido todos os sacramentos necessários para a morte. Seu cadáver foi sepultado no adro desta igreja, disse-se missa de presente e não teve outros sufrágios particulares por ser pobre, do que fiz este assento hoje dia ut supra.
Prior Domingos Simões Nunes”(1)

2- Manuel Gonçalves Coxo (teve missa de corpo presente)
“Aos oito dias do mês de Julho de mil e sette centos e settenta e oito anos faleceo Manoel Gonçalves Coxo natural do lugar de Santo Estevão: foy sepultado nesta Igreja numa cova da Fábrica não dispôs de que fiz este termo que asigney dia mês e anno ut supra.
O Prior Manoel Lopes Galante”(2)

Note-se que um foi sepultado no adro, isto acontecia quando não havia espaço dentro, e o segundo em cova da Fábrica (dentro da igreja).

Igreja de Nossa Senhora da Conceição – Santo Estêvão

Assentos de óbito de três padres:
3- Padre Manuel Gregório

“Padre Manuel Gregório, natural da villa de Alpedrinha morador neste lugar de Santo Estevão, faleceo no dia primeiro do mez de Abril de mil sete centos e quarenta tendo recebido todos os sacramentos necessários para bem morrer, seu cadáver foi sepultado nesta igreja no lugar que ordenou em seu testamento ….”(3)
Repare-se na curiosidade de, em vida, o padre poder decidir sobre o local onde devia ser sepultado.

4- Reverendo Francisco Tudela Castilho e Costa
O Reverendo Francisco Tudela Castilho e Costa, natural de Castelo Branco, faleceu em trinta de janeiro de 1759, sendo sepultado na igreja de Nossa Senhora da Conceição.(4)

5- Reverendo Manoel Lopes Galante
“Aos quartorze dias do mes de Janeiro d era de mil e sette centos e outenta e hum anos faleceo da vida presente o Reverendo Manoel Lopes Galante prior que foi desta Igreja natural da vila do Rosmaninhal recebeo todos os Sacramentos e foi sepultado na Capella mor desta desta mesma Igreja em sepultura dos demais párocos ….”(5)
Concluímos que os párocos tinham um espaço reservado na igreja, certamente que na Capela-mor!

II- Determinações para construção do Cemitério de Santo Estevão:
“Todos os parochianos da freguesia de Santo Estevão serão obrigados a contribuir para huma contribuição que a junta respetiva tem de lançar para a fatura do cemitério, e paramentos da Igreja. Todos os parochianos da mesma serão obrigados a trabalhar pessoalmente na dita obra aquelles dias que necessário for, sob pena de recusando-se deste serviço de incorrerem na pena de 200 a 500 réis sendo jornaleiro e sendo lavrador de 400 a 1000 réis.”(6)

Joaquim Manuel Correia refere-se ao cemitério do modo seguinte:
-“Há poucos anos foi construído um bom cemitério fora da povoação, sendo dos mais decentes e em melhores condições higiénicas que existem no concelho.”(7)

Acreditando que tenha sido executado o orçamento municipal de Sortelha, em 1846,concluímos que autor errou! São só 100 anos de diferença! Certamente que não teve acesso a este documento.

REFLEXÃO SOBRE OS DOCUMENTOS MUNICIPAIS
Curiosa a diferença de penas para os jornaleiros, sendo a de Santo Estêvão de “200 a 500 réis” (aprovada na sessão de 31 de janeiro de 1846) e a de Pousafoles do Bispo de “cento e cincoenta a trezentos réis” (aprovada na sessão de 20 de agosto de 1847). Até parece que se vivia um período de deflação!

Apenas Santo Estêvão e Pousafoles do Bispo foram contemplados com deliberações municipais, este fato pode dever-se a alguma capacidade de influência política.

Estes documentos podem ser relevantes para as respetivas comunidades. Mais importantes são as informações sobre a organização socioeconómica desta época: Uma sociedade hierarquizada e estratificada segundo os moldes do Antigo Regime.(8) Apesar do triunfo do liberalismo, em 1834, as estruturas socioeconómicas e as mentalidades mantiveram-se nas décadas seguintes.

Por outro lado, a ausência de deliberações municipais referentes à construção de outros coloca em causa a existência dos mesmos, pelo menos enquanto espaço com as caraterísticas físicas que hoje conhecemos. Quando encontramos a expressão “… sepultado no cemitério …”, muito provavelmente refere-se ao adro da capela ou igreja.
:: ::
«Memórias de Sortelha», por António Augusto Gonçalves
____________
1- Arquivo Distrital da Guarda, Registos Paroquiais de Santo Estevão, Registos Mistos; consultável em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG31-004-M3_m0252.tif:
2- Arquivo Distrital da Guarda, Registos Paroquiais de Santo Estevão, Registos Mistos; consultável em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG31-004-M3_m0333.tif:
3- Arquivo Distrital da Guarda, Registos Paroquiais de Santo Estevão, Registos Mistos; consultável em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG31-004-M3_m0269.tif:
4- Arquivo Distrital da Guarda, Registos Paroquiais de Santo Estevão, Registos Mistos; consultável em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG31-004-M3_m0313.tif:
5- Arquivo Distrital da Guarda, Registos Paroquiais de Santo Estevão, Registos Mistos; consultável em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG31-004-M3_m0336.tif:
6- Livro das Atas das “Sessões da Câmara Municipal de Sortelha”, Arquivo da Câmara Municipal de Sabugal, Sessão de 31-01-1846.
7- Correia, Joaquim Manuel, Memórias Sobre o Concelho de Sabugal”, Lisboa, edição dos municípios da Beira Serra, p.242 (edição subsidiada pelo Instituto para a Alta Cultura e Câmara Municipal de Sabugal), 1988.
8- Antigo Regime: Período da História situado entre os séculos XVI e XVIII. Caracterizou-se pela existência de uma sociedade estratificada e hierarquizada, dividida em três ordens: clero e nobreza (que representavam as ordens privilegiadas) e o povo (destacando-se a burguesia, que adquiriu importância crescente a nível económico, político e cultural). Politicamente verificou-se a afirmação do absolutismo régio. A nível económico o mercantilismo e uma agricultura de subsistência utilizando técnicas medievais. Na cultura ficou marcado pela arte barroca e uma revolução científica.
____________
PS:
O Cemitério de Santo Estevão beneficiou recentemente de obras de requalificação.
A imagem que do cemitério que ilustra este artigo é surpreendente! Há cerca de doze anos, os alunos do Ensino Recorrente, fizeram questão de mostrar-me e não foi esta imagem que guardei na memória!

Deixar uma resposta