O mapa do Interior

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

As páginas centrais do caderno de «Economia» do semanário «Expresso» de sábado passado, sob o título «Mapa do Interior encolhe no Portugal 2030», são de leitura obrigatória!

Mapa do Interior encolhe Portugal em 2030 - Capeia Arraiana

Mapa do Interior encolhe Portugal em 2030

Em resumo o que a autora do texto (Joana Nunes Mateus), dá-nos conta de afirmações do Secretário de Estado da Valorização do Interior, de que destaco a questão dos territórios de baixa densidade.

Ora, e segundo o secretário de Estado está a proceder-se à revisão do mapa dos territórios de baixa densidade, corrigindo manifestos erros que o mesmo continha ao englobar concelhos que, claramente, não pertencem ao universo dos territórios de baixa densidade, e nos quais se incluíam, por exemplo, capitais de distrito como a Guarda, Castelo Branco ou Viseu.

Esta visão, demasiado alargada, ou pouco rigorosa, levou à concentração de investimentos em Concelhos que já de si tinham uma situação de menor risco ou fragilidade e possuíam já níveis de desenvolvimento que os afastavam de Concelhos como o do Sabugal, estes sim, a justificar um maior nível de apoio.

Um mapa muito alargado como o atual impede, na verdade, a adoção de mediadas de apoio a este tipo de territórios e, mais grave ainda, permite que concelhos já, de si, menos frágeis concentrem os investimentos e os apoios, deixando de fora os que verdadeiramente necessitados.

Basta aliás olhar para o mapa que é apresentado neste artigo para se ver que, no atual quadro comunitário, os concelhos vizinhos do Sabugal, como são Guarda, Covilhã, Fundão ou Castelo Branco, e mesmo Penamacor e Belmonte, apresentam níveis de investimento superiores aos registados no nosso Concelho, que só é acompanhado por Almeida, concelhos onde os investimentos se situaram abaixo dos 5 milhões de euros.

Uma outra alteração que está a ser preparada diz respeito ao mapa dos territórios que podem vir a beneficiar de fundos transfronteiriços.

Esta é outra noticia boa para o Concelho, pois na atual quadro quase só Lisboa e Porto é que ficavam fora deste tipo de apoios.

:: ::
Afinal parece que foi bom criar a Secretaria de Estado da Valorização do Interior e colocá-la no Interior, mais concretamente em Castelo Branco! Agora vai-nos caber a nós saber tirar partido destas boas novas…

:: ::
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

Deixar uma resposta