O bom geógrafo

No porto de Lisboa, em pleno século XVIII, houve uma ordem para que os navios procedentes do porto espanhol de Cádis fizessem quarentena, em consequência da febre amarela que ali se havia manifestado.

A distância entre Cádis e Barcelona

Um dia, de manhã, chegando um navio ao cais, um certo oficial dos serviços portugueses de saúde foi a bordo e, levado à presença do capitão, perguntou-lhe de onde vinha.

– De Barcelona – respondeu-lhe o capitão.

– Então toda a tripulação vai ficar de quarentena.

– Que diz? – exclamou o comandante do navio – Sei que está ordenada quarentena para as embarcações que chegam de Cádis, mas Barcelona fica muito longe desse porto e ali não há quaisquer sinais de epidemia.

– Vossemecê, senhor Capitão, julga que me toma por lorpa? – e, apontando-lhe o mapa do sul de Espanha que levava na mão, acrescentou – Eu bem vejo que de Cádis a Barcelona não vai mais do que uma mão travessa.
:: ::
«Histórias de Almanaque», por Paulo Leitão Batista

Deixar uma resposta