A agenda global 2030

Maria Rosa Afonso - Orelha - Capeia Arraiana

A agenda 2030 é um programa global das Nações Unidas, assinado por 193 países, em setembro de 2015, na sequência dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio e visa, no espaço de 15 anos, tornar o mundo mais justo e mais sustentável.

Agenda 2030 das Nações Unidas - Capeia Arraiana

Agenda 2030 das Nações Unidas

Estão definidos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS): erradicar a pobreza, erradicar a fome, saúde de qualidade, educação de qualidade, igualdade de género, água potável e saneamento, energias renováveis e acessíveis, trabalho digno e crescimento económico, indústria, inovação e infraestruturas, reduzir as desigualdades, cidades e comunidades sustentáveis, produção e consumo sustentáveis, ação climática, proteger a natureza, proteger a vida terrestre, paz, justiça e instituições eficazes e parcerias para a implementação dos objetivos.

Trata-se de um ambicioso programa, onde a sustentabilidade é, sem dúvida, o pano de fundo; centrada na promoção da pessoa, na proteção do ambiente e na interligação, qualidade e eficácia das respostas. Quando analisamos cada objetivo vemos que se trata de conteúdos concretos, com metas (num total de 160) realizáveis e quantificáveis, responsabilizando governos, organizações e cidadãos comuns. Só, num esforço conjunto, se erradicará a pobreza extrema (2 mil milhões de pessoas vivem com menos de 1,25 dólares por dia) e a fome em todos os lugares do mundo; se garantirá a educação básica e secundária a todos os meninos e meninas (quando 18% da população adulta é analfabeta) – para referir alguns exemplos de metas.

Sabendo de como é importante ter consciência do que está em causa, dois organismos das Nações Unidas, UNESCO e UNICEF, estão particularmente interessados na sensibilização das crianças e dos jovens; com este objetivo foi instituída A Maior Lição do Mundo; no início, de cada ano letivo, até 2030, são colocados à disposição das escolas um tema, dentro dos ODS, e materiais para que, a nível global, se possam desenvolver atividades significativas.

Espera-se o envolvimento ativo de todos; pois, o futuro das próximas gerações depende do que formos ou não capazes de fazer, aqui e agora.

Nota: Os dados referidos neste texto são do site do Centro Regional de Informação das Nações Unidas.

:: ::
«Rostos e Contextos», crónica de Maria Rosa Afonso

Deixar uma resposta