A albufeira do Sabugal

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

A Albufeira do Sabugal no rio Côa constitui uma importante janela de oportunidade no desenvolvimento do Concelho, criando condições para a existência de um nicho de actividades turísticas ligadas à natureza. (Repetição.)

Barragem do Sabugal foi inaugurada em 2000 pelo primeiro-ministro António Guterres - Capeia Arraiana

Barragem do Sabugal foi inaugurada em 2000 pelo, então, primeiro-ministro António Guterres

A Albufeira da Barragem do Sabugal foi objecto de um Plano de Ordenamento, que aguarda aprovação final desde meados de 2006.

Porque este Plano define, de forma precisa o que se pode ou não fazer e onde se pode fazer, é importante desenvolver uma breve análise do seu conteúdo.

Nos termos do proposto serão permitidas na Albufeira e na sua envolvente, actividades como: Pesca; Actividades balneares; Navegação recreativa com embarcações motorizadas equipadas com propulsão eléctrica, a remo, pedais e vela; Competições desportivas; Cinco Pontões flutuantes para um máximo de 10 barcos cada; Campismo e Parques de Merendas; Instalação de tendas ou equipamentos móveis em locais públicos e a realização de eventos turístico-culturais ou turístico-desportivos.

A Câmara Municipal poderá autorizar edificações em terrenos com, pelo menos, 10.000 m², para: Habitação permanente dos proprietários ou titulares dos direitos de exploração e dos trabalhadores permanentes; Turismo em espaço rural; Anexos agrícolas; um Hotel Rural.

No espaço definido como Espaço de Recreio e Lazer da Albufeira do Sabugal poderão vir a ser instalados os seguintes empreendimentos turísticos, até a um máximo de 300 camas: Um estabelecimento hoteleiro; Um aldeamento turístico; Centro náutico; Zona de instalação de pontão flutuante ou embarcadouro; Zona de recreio balnear; Piscina flutuante; Parque de estacionamento; Parque de merendas; e Restaurante.

Este Espaço ficará localizado entre o aglomerado urbano da Malcata e o plano de água.

De entre as actividades e empreendimentos proibidos, merecem maior destaque: a navegação recreativa com embarcações propulsionadas a motor de combustão interna; a permanência do gado; a aquicultura; a extracção de inertes; actividades desportivas como motocross, karting e actividades similares; quaisquer operações de loteamento; a instalação de explorações pecuárias intensivas incluindo as avícolas.

Por este breve apontamento se pode aferir da sua importância para Concelho e, nomeadamente para o Sabugal e Malcata.

Torna-se urgente que, por um lado, se comece a estudar como tornar realidade o seu conteúdo, e, ao mesmo tempo, exigir da Administração Central a rápida aprovação e publicação do Plano de Ordenamento da Albufeira do Sabugal.

:: ::
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos
(publicada em 25 de Outubro de 2007.)

:: ::
Ramiro Matos escreve ininterruptamente (todas as quintas-feiras) no Capeia Arraiana desde 2006. Foram publicados, até agora, com a sua assinatura 583 artigos. Esta semana informou com voz triste que o estado de saúde da esposa não lhe deixava paz emocional para publicar o seu «Sabugal Melhor» semanal. Contudo não quisemos deixar o seu espaço, esta quinta-feira, em branco. Assim, recuperámos e republicamos um dos seus primeiros artigos de opinião no já longínquo ano de 2007.

jcl

3 Responses to A albufeira do Sabugal

  1. Ramiro Manuel Lopes de Matos diz:

    Obrigado José Carlos e Paulo Leitão.

  2. O Ramiro Matos tem sido um verdadeiro amigo nas boas e nas más horas da minha vida, razão pela qual lhe retribuo essa preciosa e permanente manifestação de amizade com um abraço fraterno de encorajamento em mais este momento difícil. Há muito que incansavelmente acompanha a sua mulher doente, numa corajosa penitência que é um exemplo de amor e dedicação.
    Força Ramiro.
    paulo leitão

  3. Manuel Luís Nunes diz:

    Oxalá a situação da esposa melhore! Um abraço de solidariedade e de ânimo.

Deixar uma resposta