O porquê de ser diferente!

António José Alçada - Orelha - Capeia Arraiana

Quando sofremos um esgotamento ou cansaço cerebral, normalmente a nossa recuperação leva-nos a refletir um pouco sobre nós mesmos. Julgamos que as doenças psiquiátricas apenas acontecem aos outros, mas o facto é que vivendo em sociedade o próprio ser humano impõe a si próprio regras e contrariedades que com a idade vão-nos «consumindo» acabando um dia por nos deitar abaixo. Numa das reflexões que fiz veio na sequência de uma atividade de escuteiros que me fez recordar os meus tempos de juventude e que, por incrível que pareça, tem me ajudado imenso nesta difícil recuperação.

O porquê de ser diferente - Capeia Arraiana

O porquê de ser diferente

No ano passado, numa das reuniões do grupo de investigação a que pertenço, o Coordenador, num contexto de uma apresentação que estava a fazer referiu, que o tema em causa «era um assunto diferente». Obviamente que pressenti que o autor, ou seja, eu, também o seria.

Estas sábias palavras deixaram-me a pensar e a interiorizar se seriam na realidade verdade.

De facto, este fim de semana entrei num mundo diferente, onde não haviam grandes diferenças entre as pessoas, em que o trabalhador rural é igual ao professor, em que a juventude tem de sentir o peso da responsabilidade que a espera um dia mais tarde e em que a natureza é o cenário de uma vivencia única.

E num mundo em que procuramos ser iguais, embora cada um tenha responsabilidade atribuída, mas que a harmonia contraria a arrogância de vencer ou a angustia de perder, é sem duvida um mundo diferente do quotidiano da maioria dos mortais e me torna diferente não só a mim, como a tantos amigos e amigas que também partilham destes ideais.

E as palavras do Professor de certa forma confirmaram a minha suspeita. Sou efetivamente diferente!

Obviamente que não significa que ser diferente é adjetivado de «melhor» ou «pior». Também ainda não sei o que o Professor pensa para além destas palavras. Seguramente que numa perspetiva geral poderei ser agraciado e noutra serei penalizado.

Mas este enredo de ideias e conceitos acaba por não me importunar. Acaba por ser indiferente quem pense ou julgue o que bem entender, pelo menos enquanto vivermos em liberdade.

Por isso orgulho-me de ser diferente com todos os meus defeitos e virtudes, porque bem sei que não sou «perfeito», nem fisicamente e muito menos intelectualmente.

Vivências num mundo diferente - Capeia Arraiana

Vivências num mundo diferente

Este contexto foi mais que suficiente para ter adorado este fim de semana, do frio que passei, dos locais por onde andei, dos abraços que dei, dos ensinamentos que pude transmitir e da cor e da luz que sempre me acompanharam.

Assim sendo, muito obrigado Professor, porque tem toda a razão!

Covilhã, 3 de março de 2019

:: ::
«No trilho das minhas memórias», crónica de António José Alçada

2 Responses to O porquê de ser diferente!

  1. Alex diz:

    Muito bem. Lido com interesse. A rrefectir… Sobre as diferenças. Abraço

  2. António Alcada diz:

    Obrigado querida amiga

Deixar uma resposta