Dinheiro para sustento dos expostos de Sortelha

António Gonçalves - Colaborador - Orelha - Capeia Arraiana

As informações disponíveis revelam-nos um país onde reinava a insegurança; uma região situada distante dos centros de decisão e isolada nas montanhas!

Sortelha

A Roda/Câmara Municipal tinha um Depositário do dinheiro dos Expostos, que teria as funções de tesouraria. Isto considerando o documento seguinte:
«Mando para cumprir o Porteiro António Nunes Veriador mais velho e Juiz pela ordenação em esta villa de Sortelha e seu Termo…
Mando ao official de Porteiro que visto este por mim assignado notifique a José Palhinhas do lugar de Santo Estevão e Quarteleiro do segundo quartel da siza desta vila para entregar em dinheiro ou documentos a José António da Silva desta villa Depositario dos Expostos a quantia de vinte e quarto mil e quinhentos reis que tanto tem em seu poder das propinas que se costumão pagar os Ministros e da entrega cobrará vinho.
Sortelha 5 de Julho de 1834 eu Joaquim d’Aguillar que asigno
Nunes(assinatura)»(1)

O concelho recebia dinheiro do Cofre dos Expostos, da Comarca de Castelo Branco, contribuindo também. As deslocações envolviam alguns riscos. É evidente a preocupação com a segurança, era perigoso circular neste país e a distância (mais de 70 quilómetros) era outro fator a considerar. Assim, era necessário pagar a alguém que aí se deslocasse para levar as contribuições municipais e regressar com o que lhe fosse atribuído. Veja-se a citação seguinte, da Sessão de 11 de outubro de 1844, da Câmara Municipal de Sortelha:
«Ordem de pagamento: – para dois portadores que forão a Castello Branco a buscar e levar o dinheiro para os Expostos – 2.880.»

Página do Livro dos Expostos

Na sessão de 3 de Dezembro de 1850 é manifestada a preocupação com os expostos e pagamentos trimestrais às amas:
«… e bem assim huma guia para se mandar receber no Cofre Geral dos Expostos do districto de Castelo Branco a quantia de 204:240 reis de que o Cofre hé devedor a esta Câmara pelo ano económico de 1849-1850. A vista do que determinarão que se mandassem dois homens capazes a Castelo Branco, a buscar, e receber a dita quantia e que se oficiasse a S. Ex.ª o Governador Civil que fizesse acompanhar os dittos dois homens por huma escolta que julgasse conveniente afim do dinheiro ser conduzido em segurança …..»(2)

Considerando o montante acima referido, a Câmara Municipal de Sortelha deveria receber mais do que contribuía. Sendo assim, era provável que houvesse interesse em matricular o maior número possível de crianças!
:: ::
«Memórias de Sortelha», por António Augusto Gonçalves
______________
1- Arquivo Distrital da Guarda, Caixa N.º 001, Livro dos Expostos – 1828-1838 – Fundo Câmara Municipal de Sortelha. Trata-se de uma folha independente que se encontra no meio dos livros. A expressão Quarteleiro deve referir-se a Casteleiro.
2- Arquivo da Câmara Municipal de Sabugal, Livro das Secções da Câmara Municipal de Sortelha.

Deixar uma resposta