Combatentes do Sabugal mortos na I Grande Guerra

Maria Rosa Afonso - Orelha - Capeia Arraiana

HOMENAGEM AOS COMBATENTES DO CONCELHO DO SABUGAL MORTOS NA PRIMEIRA GRANDE GUERRA. A propósito das comemorações do Centenário do Armistício, dia 11 de novembro, acordo que pôs fim à I Grande Guerra, e porque todos temos um dever de memória, procurei a lista dos combatentes, deste concelho, que deram a vida pela pátria, tão longe das suas aldeias e das suas famílias. Não a tendo encontrado, resolvi investigar, junto do Memorial Virtual dos Mortos da Primeira Guerra Mundial – Arquivo Histórico-Militar, Ministério da Defesa, online desde 2014.

As trincheiras na I Guerra Mundial - Capeia Arraiana

As trincheiras na I Guerra Mundial

Estão registados 18 mortos: 1 em Angola, 3 em Moçambique e 14 em França – o que mostra que houve combatentes do concelho envolvidos nas três frentes de batalha: Angola, em 1914-1915; Moçambique, de 1914 a 1918; e França, em 1917 e 1918.

Pertencem a 15 localidades: morreram três combatentes, de Badamalos e Aldeia da Ponte; dois, de Soito e Alfaiates; e um de Cerdeira, Bendada, Bismula, Pousafoles do Bispo, Águas Belas, Malhada(*), Castelo(*) e Baraçal.

Catorze, ocupavam o posto de soldado, um o de major, um o de segundo-sargento e dois o de primeiros-cabos. Pertenciam todos ao exército e na sua grande maioria à Infantaria, do Regimento de Infantaria Nº 12, situado na cidade da Guarda.

Onze morreram em combate, três devido a doença e em quatro a causa da morte é desconhecida. De quinze, conhece-se o local da sepultura: nove, no Cemitério Militar Português de Richebourg l’ Avoué, em França; dois, noutras cidades francesas; três, em cidades moçambicanas; e um, em Lisboa.

Referir ainda dois aspetos que me parecem relevantes: metade das mortes, ocorreu na 3.ª Brigada de Infantaria, do Regimento de Infantaria n.º 12, em França, o que nos leva a pensar ter sido de particular dificuldade a situação destes combatentes; há um soldado que morreu de doença já em abril de 1919, o que indicia que, muitos dos feridos e doentes que ficaram, no final da guerra, não resistiram.

A lista é a seguinte (**):

(Nome; Naturalidade; Posto; Nº de Identificação***; Unidade; Ramo das Forças Armadas; Teatro de Operações; Causa da Morte; Data da Morte; Local da Sepultura).
1 – Alfredo Lourenço Alcântara; Cerdeira; 2.º Sargento; 5.ª Bateria de Morteiros Médios, 2.º Grupo de Metralhadoras; Exército; França; Desconhecida; 26 de dezembro de 1916; Sem Local da Sepultura.
2 – António Craveiro; Bendada; 1.º Cabo; 1.º Companhia Europeia de Moçambique; Exército; Morte Perniciosa; 2 de outubro de 1916; Cemitério de Lourenço Marques, Coval 12241.
3 – Francisco Fernando Robalo; Badamalos; Soldado; Regimento de Artilharia de Montanha; Exército; Moçambique; Combate; 13 de junho 1916; Moçambique, Namaca.
4 – Alfredo Brigas; Badamalos; Soldado; 3.ª Brigada de Infantaria, Regimento de Infantaria N.º 12; Exército; França; Combate; 6 de novembro de 1917; França, Cemitério de Richebourg l’Avoué, Talhão B, Fila 6, Coval 26.
5 – António José Lourenço; Badamalos; Soldado; 3.ª Brigada de Infantaria, Regimento de Infantaria N.º 12; Exército; França; Combate; 20 de janeiro 1918; França, Cemitério de Richebourg l’Avoué Talhão A, Fila 11, Coval 26.
6 – António Reino; Bismula; Soldado; 3.ª Brigada de Infantaria, Regimento de Infantaria N.º 12; Exército; França; Combate; 24 de outubro de 1918; França, Cemitério De Richebourg l’Avoué, Talhão C, Fila 11, Coval 5.
7 – Germano Bernardo; Aldeia da Ponte; Soldado; Regimento de Artilharia N.º 7; Exército; França; Desconhecida; 22 de março 1918; Sem Local da Sepultura.
8 – Gregório Fernandes; Aldeia da Ponte; Soldado; Depósito do Serviço Veterinário, Esquadrão de Ferradores; Exército; França; Combate; 1 de outubro de 1917; França, Cemitério de Richebourg l’Avoué, Talhão C, Fila 19, Coval 9.
9 – João Martins Escolástico; Soito; Soldado; 3.ª Brigada de Infantaria, Regimento de Infantaria N.º 12; Exército; França; Combate; 8 de outubro de 1918; França, Cemitério de Richebourg l’Avoué Talhão D, Fila 6. Coval 10.
10 – Joaquim Fragoso; Pousafoles do Bispo; Soldado, 3.ª Brigada de Infantaria, Regimento Infantaria N.º 12; Exército; França; Combate; 25 de novembro de 1917; França, Cemitério De Richebourg L`Avoué, Talhão D, Fila 7, Coval 1.
11 – Joaquim Nabais; Águas Belas; Soldado; 2.ª Brigada de Infantaria, Regimento de Infantaria N.º 12; Exército; França; Combate; 17 de julho 1917; França, Cemitério de Richebourg l’Avoué Talhão C, Fila 13, Coval 7.
12 – José Gil; Aldeia da Ponte; 1.º Cabo; 3.ª Brigada de Infantaria, Regimento de Infantaria N.º 12; Exército; França; Desconhecida; 9 de abril de 1918; Sem Local da Sepultura.
13 – José Afonso Pala; Malhada(*); Major; Estado Maior de Artilharia; Exército; Angola; Combate, 18 de setembro de 1915; Lisboa, Alto de S. João.
14 – João Claro; Castelo(*); Soldado; Regimento Infantaria N.º 24; Exército; Moçambique, Caquexia Palustre; 1 de junho de 1918; Moçambique, Cemitério De Nacature.
15 – João Batista; Souto; Soldado; 5.ª Bateria de Morteiros Médios, Regimento de Infantaria N.º 12; Exército; França; Desconhecida; 17 de dezembro 1918; França, Cemitério de Richebourg l’Avoué, Talhão C Fila 7, Coval 4.
16 – Serafim Fernandes Esquerdo; Alfaiates; Soldado; 3.ª Brigada De Infantaria, Regimento de Infantaria N.º 12; Exército; França; Influenza Broncopneunomnia; 11de abril de 1919; França, Cemitério De Richebourg l’Avoué, Talhão C, Fila 17, Coval 9.
17 – Domingos Nobre; Baraçal; Soldado; Exército; 3.ª Brigada de Infantaria, Regimento de Infantaria N.º 12; Exército; França; Combate; 4 de abril de 1918; França; Cemitério de Merville, Talhão II, Coval 57.
18 – Manuel António Casalta; Alfaiates; Soldado, 3.ª Brigada de Infantaria, Regimento de Infantaria N.º 12; Exército; França; Combate; 19 de novembro de 1917; França, Cemitério de Laventie, Coval 28.

Notas:
(*) As localidades de «Malhada» e «Castelo» penso que não pertencem ao concelho do Sabugal. Julgo poderem existir duas hipóteses: ou são sítios dentro ou perto do Sabugal; ou pertencem a outros concelhos – Malhada (Sorda) é do concelho de Almeida.
(**) Partilho a nota, existente, à entrada do Memorial Virtual, referindo a dificuldade na recolha de dados e a possibilidade de existirem imprecisões, sendo disponibilizado um endereço de email, para se pedirem ou darem esclarecimentos que possam contribuir para o rigor dos dados. Eu própria coloquei as dúvidas que me surgiram, mas até ao momento ainda sem respostas.
(***) Não inclui o n.º de identificação, por não considerar relevante.

:: ::
«Rostos e Contextos», crónica de Maria Rosa Afonso

Deixar uma resposta