A lição do jovem tenente

John Jervis, conhecido por Lord Saint-Vincent (1735-1823), almirante inglês, era de uma exigência diabólica em matéria de serviço, sendo temido por todos os oficiais que iam a despacho. Mas um jovem tenente soube ripostar às suas duras imposições.

O Almirante inglês Saint-Vincent

Um dia em que havia pela manhã uma grande discussão entre os oficiais de uma fragata para nomearem o desgraçado que iria a bordo do navio almirante receber as ordens, um tenente recentemente promovido voluntariou-se para o efeito. Todos se admiraram da coragem do jovem oficial, que por certo não estaria ciente da tamanha rispidez do almirante. O tenente partiu, seguido pelos olhares dos seus sorridentes camaradas.
Chegando a bordo, aprumou-se o melhor que pode e foi conhecer as ordens do almirante. Saint-Vincent recebeu o rapaz com a habitual soberba e examinou minuciosamente o seu uniforme. Enfim, disse-lhe em tom severo:
– Eu não lhe transmito ordens porque não o conheço.
– Apresenta-se o tenente Bartle, My Lord, da guarnição da fragata Real Coast – disse o empertigado oficial.
– O seu uniforme não mo revela!
Lançando para si mesmo uma vista de olhos, o oficial respondeu:
– Não sei, My Lord, o defeito que encontra no meu uniforme.
– Pois não vê que falta a âncora num dos botões da farda?
Era verdade e, por isso, o tenente inclinou-se e pediu desculpa para se retirar para remediar o defeito. Voltou à sua fragata e, passada meia hora, apresentou-se de novo ao almirante, que, satisfeito desta vez, disse que lhe iria dar as ordens do dia.
– Eu não tenho ordens a receber do senhor – disse de repente o jovem oficial.
– O quê! Como se atreve? – gritou o almirante fazendo-se rubro de cólera.
– Não recebo ordens por que não o conheço.
– Eu sou o almirante em chefe das forças navais da Inglaterra, senhor tenente. Tem a ousadia de dizer que não me conhece?
– Lamento, mas o seu uniforme não mo prova! – disse o jovem oficial com a maior serenidade.
Saint-Vincent deu-se então conta que estava vestido de chambre, ou seja, de simples camisa. E sem delongas desceu ao camarote, de onde voltou ao convés envergando o grande uniforme para assim dar as ordens ao corajoso tenente.
Longe de ficar agastado com o jovem oficial, Saint-Vincent passou a apreciá-lo e a recomendá-lo em todas as promoções.
:: ::
Por Paulo Leitão Batista

Deixar uma resposta