Postal TV (237)

José Carlos Mendes - A Minha Aldeia - © Capeia Arraiana

Monchique não se entende. As primeiras horas eram as mais importantes. Não entendo. Onde raio fizeram estes senhores os cursos de comando de operações? Em Lamego não foi, de certeza…

Incêndio de Monchique tomou proporções inacreditáveis - Capeia Arraiana

Incêndio de Monchique tomou proporções inacreditáveis

Monchique ardeu. Dia a dia, o fogo espalhou-se e galgou para outras localidades. Dia a dia, pudemos acompanhar tudo nas televisões todas.
Mas de tudo o que vi e ouvi, resolvo dar destaque ao que foi dito com clareza pelo Presidente da Associação Portuguesa de Bombeiros Voluntários.
Registei:

Ponto 1
Os Bombeiros estão sempre no local – e se estão parados é porque receberam ordens.

Ponto 2
Fala-se demais em «comandar» e de menos em «coordenar».

Ponto 3
Os Bombeiros não descansam. Não reclamam. Não comem em condições. Não reclamam. Não são consultados. E reclamam.
E eu digo: e com toda a razão.

Ponto 4
Os Bombeiros não são valorizados por quem os devia apreciar.

Apoiado, caro Presidente.

Comunicado

Alás, permitam que traga aqui partes do comunicado que acaba de ser emitiudo por esta entidade:
«Dos mil cento e cinquenta e cinco (1155) bombeiros que combatem o incêndio, mais de novecentos (900) são bombeiros voluntários (…) … saudamos e reconhecemos, o enorme esforço feito pelas entidades detentoras das Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários (…), muitas vezes (…) em condições mínimas de segurança e bem-estar (…). Os portugueses podem contar com os seus bombeiros voluntários, que mais uma vez, serão os primeiros a chegar e os últimos a partir, pedindo apenas que os respeitem.»

O nosso bem-hajam aos Bombeiros Voluntários de todo o País, uma vez mais.

:: ::
«Postal TV», por José Carlos Mendes

Deixar uma resposta