Introdução do tabaco na Europa

As primeiras plantas de tabaco que chegaram à Europa vieram da ilha de Tabago, nas Antilhas, América Central. O uso de tabaco generalizou-se muito depressa, consumindo-se pela inalação de fumo e de pó, e ainda em tisanas para fins medicinais.

Plantação de tabaco

Pensou-se que essa planta era uma originalidade da América Central, mas na Nova Holanda (colónia holandesa no noroeste do Brasil) e na China foram descobertas outras variedades. À planta das Antilhas seria dado o nome botânico nicotiana tabacum, à da Nova Holanda nicotiana undulatada e à asiática nicotiana fruticosa.
Na Europa, o cultivo da planta do tabaco foi primeiramente introduzido em Portugal e na Espanha, mas o almirante inglês Drake levou-a também para o seu país poucos anos depois. O mesmo fez Jean Nicot, embaixador de França em Portugal, defensor do uso da planta para fins curativos, que testara em si mesmo para tratar uma ferida ulcerosa que tinha na perna. Nicot endereçou a planta à rainha Catarina de Medicis, esposa do rei Henrique II, que a utilizou abundantemente para fins medicinais. Aliás, o nome botânico nicotiana deriva do nome desse embaixador Nicot.
A adopção do tabaco foi objecto de vários tratados, que defenderam as virtudes da planta e do seu uso regular. Raphael Thorius publicou o seu Hymnus Tabaci, Neander a sua Tabacologia e o rei de Inglaterra o Misocapnos.
Mas nem tudo eram loas às virtudes do tabaco, pois cedo o papa Urbano VIII ameaçou de excomunhão todo o cristão que fizesse uso do tabaco dentro das igrejas. Até mesmo o Czar da Rússia se opôs ao novo vício, ameaçando cortar o nariz a quem tomasse rapé – tabaco em pó para inalar.
Também o rei inglês James I, do século XVII, se opôs ao consumo de tabaco, afirmando que «fumar é um costume repulsivo para os olhos, detestável para o olfato, daninho para o cérebro, perigoso para os pulmões».
Já o imperador otomano Murad IV, que igualmente proibiu o uso do tabaco, introduzia-se entre os seus súbditos vestido de mendigo e implorando por umas baforadas. Quem lhe desse o fumo que ele pedia era decapitado.
:: ::
Por Paulo Leitão Batista

One Response to Introdução do tabaco na Europa

  1. Claudio D`Amato diz:

    Gostei muito das informaões que li sobre os que não tinham nada contra o tabaco. Agradeço pela publicação

Deixar uma resposta