Casteleiro – Termos populares interessantes

José Carlos Mendes - A Minha Aldeia - © Capeia Arraiana

Nunca me canso destes exercícios: conhecer uma palavra, estudar-lhe as origens, explicar isso e concluir que o Povo tem mais razão do que muitos pensam. Hoje, trago três exemplos disso, com ilustrações dignas de registo…

A Aldravi ou Aldrava das portas das aldeias - Capeia Arraiana

A Aldravi ou Aldrava das portas das aldeias

1
A Aldravi das portas

Esta peça que estava em muitas portas, seja lá ela como for, é uma «aldravi» na minha aldeia.

Suponho que virá do árabe, por causa do al inicial.

Mas, seja como for, nos dicionários ela aparece ligeiramente «deformada» (!) em relação à pronúncia popular: vem lá referida como «aldrava» ou como «aldrave».

Vá lá, aqui o desvio não é muito grande…

A sertã das nossas aldeias - Capeia Arraiana

A sartã das nossas aldeias

2
A sartã

Este objecto, como sabe, é uma «sartã» na minha terra.
Claro que hoje a conhecemos como frigideira e em geral tem uma pega diferente, um cabo de 30 cm para não nos queimarmos.
Sempre conheci este instrumento de cozinha como sendo a «sartã» e mais nada. Esta da foto é de ferro fundido.
Na terra, penso que eram de latão ou mesmo de lata.
Sertã, seria a palavra correcta do ponto de vista dos intelectuais… Mas o Povo quer lá saber disso!
Sempre foi a «sartã», para que é que se há-de estar sempre a complicar tudo?

A alguitarra para fazer o bagaço de vinho das nossas aldeias - Capeia Arraiana

A alguitarra para fazer o bagaço de vinho das nossas aldeias

3
A Alguitarra

Lembram-se destas peças encantadoras que serviam uma ou duas vezes por ano para fazer a aguardente?
Eram as alguitarras.
Cá está outro caso de divergência entre o Povo e os dicionários, embora aqui haja apenas o abrandamento da consoante inicial q, a qual por ser mais fácil de pronunciar assim… como o Povo quis dizê-la… passou simplesmente a g: alquitarra deu alguitarra.
Nada do outro mundo: desta vez, coisa simples.
E registo que este termo deverá ser mais um cuja origem é o árabe.
Digo isso por causa do artigo «al» (o ou a).

:: ::

Gostaria dar mais exemplos, mas isto é como nas televisões e nas rádios: não se pode ir além do horário (neste caso, além do espaço considerado útil: tudo o que é demais enjoa). O resto fica então para outra ocasião.
Certo??

:: ::
«A Minha Aldeia», crónica de José Carlos Mendes

Deixar uma resposta