Porque 65…

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

Sábado entro oficialmente no rol dos «velhos»…

Celebrando os 65 anos de idade - Capeia Arraiana

Celebrando os 65 anos de idade

É verdade, e assim chego aos 65 anos, pedindo licença para uma crónica mais intimista.
Chegado aqui, pergunto a mim mesmo, como no fado antigo, «valeu a pena»?
Sinto que a vida me deu mais do que eu lhe dei.
Deu-me amores e desamores;
Deu-me amigos e, muito poucos, inimigos;
Deu-me um filho maravilhoso;
Permitiu-me assistir a muitos bons momentos de cultura;
Permitiu-me a leitura de grandes livros;
Deu-me uma vida profissional de qualidade.
À vida dei-me, por vezes, sôfrego de mais, mas sempre cara a cara, mesmo quando isso me era mais duro e doloroso, sempre acreditando que mais vale ser que ter. E isso me basta.
Vivi até hoje com algumas, muito poucas, certezas e princípios:

– Cumprimento da palavra dada;
– Honra;
– Honestidade;
– Lealdade;
– Solidariedade;
– Justiça.

Palavras e princípios que aprendi no leite materno e nos exemplos do meu avô e do meu pai.
Palavras e princípios que tentei passar ao meu filho.

E assim chego aos 65, mais rico, porque mais homem…

:: ::
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

Deixar uma resposta