Há sempre alternativa

António Emídio - Passeio pelo Côa - © Capeia Arraiana

Por enquanto, ainda existem as liberdades públicas, sendo assim, têm de ser aproveitadas para obrigar os governantes a uma mudança de política, e só os insubmissos poderão salvar o País… se puder sê-lo!

Assembleia da República - Capeia Arraiana

Assembleia da República

Fiquei deveras satisfeito com alguns artigos que li na imprensa internacional sobre o que se está a passar em Portugal politicamente, ou seja, o País está a demonstrar que afinal há alternativa ao Neoliberalismo. E o que diz a imprensa internacional? Refere-se ao que Portugal passou com a austeridade que lhe foi imposta por Bruxelas. Portugal foi um dos países que mais sofreu com essa austeridade, todos estamos lembrados da Troika, e dos pedidos que o então Presidente da República, Cavaco Silva, fez à Virgem de Fátima, (esquecendo que o único chefe protegido pela Divina Providência foi Salazar, e o Povo Português durante o seu longo «reinado!!») para que essa mesma Troika fosse benevolente com Portugal. Com toda essa austeridade o desemprego aumentou até limites inconcebíveis, a saúde e a segurança social foram atingidas brutalmente por cortes feitos pelo governo de então, mas o que mais revoltava, é que as quotizações da Bolsa subiam na mesma medida em que aumentava a pobreza!

Neste momento o Partido Socialista – nos artigos algumas vezes referem-se à Social Democracia, o que é lógico, já que a ideologia do Partido Socialista é Social Democrata, como também é a dos Trabalhistas ingleses – está a demonstrar que tudo podia ter sido diferente se tivessem os conservadores Neoliberais rompido com a austeridade, isto é o que os artigos sobre Portugal querem transmitir, mas eu não poderia passar sem dizer que o Partido Socialista não está só nesta Cruzada contra o Neoliberalismo, tem a seu lado os Comunistas e o Bloco de Esquerda.

Vivemos então no melhor dos mundos? O Maná já está a cair do Céu para todos os portugueses por igual? Claro que não! Ainda há pensões de reforma de 270 e 300 euros e outras de perto de Cem Mil Euros!!! Mas Portugal já demonstrou à Europa que há alternativa ao Neoliberalismo,há muito a fazer ainda.

No actual momento histórico, os maiores inimigos dos Partidos Socialistas são eles próprios: corrupção, incoerência ideológica, pactos com o Neoliberalismo, e outros erros maiores, como o PSOE espanhol que aceita na Democracia espanhola a existência de presos políticos, condenando-os com a mesma veemência dos Franquistas. Assim não!

E agora para terminar só quero escrever o seguinte: O amo transforma-se em criado quando teme aqueles em quem manda.

Assim… Como o hábito não faz o monge, o voto não faz o político.

:: ::
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

Deixar uma resposta