Sabugal vai ter megacentral de biomassa

Hoje destacamos... - © Capeia Arraiana (orelha)

Cinco milhões de euros é o custo esperado para a instalação de uma mega unidade de biomassa (de última geração) com capacidade para processar 32 mil toneladas de resíduos florestais do Sabugal e dos concelhos vizinhos.
:: ACTUALIZAÇÃO :: Cumprindo uma velha tradição na comunicação social esta foi a nossa «peta» do 1 de Abril. De facto não está, oficialmente, prevista qualquer construção de uma central de biomassa no concelho do Sabugal. Possivelmente seria uma notícia positiva para muitos… (esta notícia foi publicada às primeiras horas do dia 1):: ACTUALIZAÇÃO ::

Central de Biomassa em Mérida, Espanha - Capeia Arraiana

Mega central de biomassa em Mérida, Espanha

A oportunidade para a construção da megacentral de biomassa, com a mais moderna tecnologia, no concelho do Sabugal foi ditada pela operação de limpeza à floresta e às matas, decorrente das novas regras de prevenção dos incêndios. O aproveitamento dos resíduos resultantes da desmatação implica a instalação de diversas centrais, de norte a sul do país, e o Sabugal foi escolhido como um dos concelhos que receberá esse tipo de investimento.

O Governo criou um regime especial e extraordinário – aprovado em Março e em vigor desde 13 de Junho de 2017 – para instalação e exploração de centrais de biomassa pelos municípios ou, por decisão destes, por comunidades intermunicipais ou por associações de municípios, potenciando o objetivo de assegurar aos produtores florestais o valor do material lenhoso.

A localização destas centrais terá que ter em conta a proximidade com zonas críticas de incêndio ou com povoamentos florestais e a proximidade em relação a outras centrais de biomassa florestal ou outras indústrias do setor florestal, consumidoras de biomassa florestal.

Outros dos factores de peso na escolha da localização é a possibilidade de implantar, preferencialmente, em zonas ou parques industriais, áreas de localização empresarial ou outras zonas que permitam ou propiciem, complementarmente, o aproveitamento da energia térmica.

A unidade do Sabugal irá usar 35 mil toneladas de biomassa residual que será canalizada para produção de energia. Para além da biomassa residual florestal, a central processará os resíduos verdes das podas e limpezas agrícolas e dos jardins municipais.

A central de biomassa irá permitir canalizar 35 mil toneladas de biomassa residual para produção de energia de 3MW, ue será incorporada na rede portuguesa, e vendida a preço de mercado.

A central irá localizar-se no Parque Empresarial do Alto do Espinhal e a maior parcela do investimento será financiada por fundos comunitários. Do total de cinco milhões de euros de investimento cerca de 75 por cento terão origem em fundos europeus e o restante será comparticipado pelo município e pelo Governo português.

O anúncio será feito dentro de dias pelo presidente da Câmara do Sabugal, estando para breve a aprovação dos termos do concurso público a lançar para a sua construção.

Esse será o grande tema da edição de 2018 da Enertech, Feira das Tecnologias para as Energias «Verdes»,que terá lugar no final de Maio no Sabugal.

ca

5 Responses to Sabugal vai ter megacentral de biomassa

  1. Romeu Bispo diz:

    É bom demais para ser verdade!
    Cheira-me a notícia de um de Abril, mas espero estar enganado.

  2. António Emídio diz:

    Quando o primeiro de Abril «cai» em Domingo de Páscoa, qualquer mentira é considerada uma heresia…Mas se por acaso esta mentira for verdade cantaremos Hossanas e Aleluias ao poder político!!!

    António Emídio

  3. José diz:

    BIOMASSA FLORESTAL RESIDUAL foi o tema da ENERTECH 2016, como apoio referencial da AMCF. Houve então a antecipação da abordagem de um tema que está hoje na ordem do dia!
    Retoma-se o tema … depois de divagações com pouco sentido estratégico …
    Reconhecer é uma virtude … Força Sabugal!

  4. José Martins diz:

    Ai se fosse verdade…será que uma mentira faz mudar as decisões dos nossos autarcas?

  5. Jose Sanches diz:

    ja ha muito tempo que esse investimento espera ser feito para minimizar os incendios e optimizar os recursos naturais da regiao. Estou 100% a “chovar” o projecto principalmente devido as energias renovaveis e queda do consumo de foceis na nossa grelha electrica…

Deixar uma resposta