Direitos Sociais na União Europeia

António Emídio - Passeio pelo Côa - © Capeia Arraiana

Desde o inicio da crise em 2008, só agora a União Europeia se mostrou interessada em debater problemas de ordem social. Está prevista uma Cimeira Social da União Europeia para este mês de Novembro.

União Europeia -  António Emídio - Capeia Arraiana

União Europeia vai debater os direitos sociais

Estou um tanto ou quanto céptico que nessa Cimeira saia algo deveras importante para os trabalhadores da União Europeia, ou então sairá um rol de boas intenções. A «luta» que dentro dessa Cimeira se irá travar entre as diversas forças políticas está condicionada pela ortodoxia de Bruxelas que não deixa margem de manobra aos governantes dos países. A União Europeia significa única e simplesmente Mercado e Concorrência, as regras do emprego e da Segurança Social numa economia destas têm de ser suprimidas. Os Estados Membros não podem apresentar déficit nos orçamentos, têm de o reduzir, à base de todos os sacrifícios para os trabalhadores, mas se houver excedentes, não são para dinamizar a economia. Por isso, está proibido aos Estados Membros aumentar o número de funcionários públicos, quando são necessários contratam-se temporariamente. Na iniciativa privada é a mesmo coisa, ou pior ainda, isto dá origem à precariedade laboral. As ideias liberais na Europa – Liberalismo Económico – estão cada vez mais arreigadas, e as posturas em questões sociais também, ou seja, os mínimos direitos possíveis.

:: ::
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

Deixar uma resposta