A extrema direita alemã

António Emídio - Passeio pelo Côa - © Capeia Arraiana

Com a chegada da Extrema Direita ao Parlamento alemão, ficou demonstrado que afinal o crescimento económico não é o suficiente, quem mais cresceu economicamente do que a Alemanha? Mas esse crescimento também destruiu capital social e humano, foi por este caminho que a Extrema Direita chegou…

Manifestações na Alemanha contra os partidos de extrema direita - António Emídio - Capeia Arraiana

Manifestações na Europa contra os partidos de extrema direita

As últimas eleições alemãs levaram pela primeira vez, desde 1945, a Extrema Direita ao Parlamento com 13 por cento dos votos, transformando-a na terceira força política, mas é caso para perguntar: ela não está já há muito tempo no governo alemão? Quem maior extremista do que o ministro Wolfgang Schäuble?

A maior parte dos votantes na alternativa para a Alemanha (AFD) saíram das fileiras dos Democratas Cristãos, saíram devido às politicas de emigração e à questão dos refugiados levadas a cabo por Angela Merkel. A chegada da Extrema Direita ao Parlamento está a deixar muita gente ligada à política numa enorme perplexidade, porque se a Alemanha se encontrasse numa crise económica como a maior parte dos países da União Europeia ainda se compreenderia, mas a Alemanha encontra-se numa Bonança económica, mas esta Bonança não faz esquecer que a sociedade alemã a nível cultural já não é tão homogénea, e isso faz com que a Alemanha deixe de ser o que sempre foi, perca as suas tradições e também a sua cultura, assim pensa a Extrema Direita. Na questão económica, cada vez se cava mais o fosso entre as classes populares e médias, e os grandes capitalistas, a Alemanha cresceu 22 por cento entre 1991 e 2014, mas os mais pobres viram diminuir o seu nível de vida em 10 por cento, ao passo que os ricos o viram aumentar em 28 por cento. Segundo um deputado da (AFD) há na Alemanha cada vez mais reformados a empobrecer, porque a sua reforma diminuiu consideravelmente.

A Alemanha, a única coisa que faz é proteger a sua economia, está riquíssima à custa da maior parte dos países da União Europeia, mas quer enriquecer mais e expandir-se, para se tornar um país influente no Mundo.

:: ::
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

One Response to A extrema direita alemã

  1. João Duarte diz:

    Houve muitos votos na AfD que eram do SPD

Deixar uma resposta