Au revoir

António Emídio - Passeio pelo Côa - © Capeia Arraiana

Quando caminho pela rua, tento decifrar os pequenos pormenores que nela têm lugar, às vezes são tão grandes… Inspirei-me neste artigo na partida de uma família de emigrantes para França, depois de uns dias de férias nas nossas terras.

Au revoir - António Emídio - Capeia Arraiana

Au revoir

O amanhecer solitário e pálido invadiu o silêncio da Cidade, mulheres! As vossas lágrimas já não caem na terra molhando-a de Saudade, já sois Diáspora, já partis, não atravessando hostis cordilheiras nem caudalosos rios, partis acompanhadas de filhos e netos, não há tristeza nem adeus! As crianças correm de casa para a rua, empurra-as o anjo da inocência e da felicidade. O automóvel parte, parte para uma viagem que termina para o ano no mesmo sítio, na mesma rua, entretanto mandai-nos notícias de Paris!!! Nestas terras povoadas de solidão ficarão os retratos de uma vida, velhinhos que já trazem no olhar a solidão da morte, ficarão jovens sentados à sombra da decadência vendo partir imagens tristes de outros jovens. Fica uma esperança sempre adiada.

:: ::
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

One Response to Au revoir

  1. fernando capelo diz:

    Belo e sucinto. Abraço

Deixar uma resposta