Um concelho Biológico

Paulo Leitão Batista - Contraponto - © Capeia Arraiana (orelha)

Há exemplos que merecem ser analisados e, se possível, replicados. Veja-se o caso do Município raiano de Idanha-a-Nova, que quer ser um «Concelho + Bio», estimulando a produção biológica e a economia verde para fixar novas empresas no território.

Idanha-a-Nova debateu o futuro como concelho bio

O presidente da Câmara, Armindo Jacinto, anunciou recentemente esta nova estratégia para Idanha-a-Nova. Trata-se de aproveitar um projecto inovador que teve origem em Itália e se tem expandido com a criação da chamada «rede de bioregiões».
Ora a Idanha não está nisto sozinha. Aliou-se a Moraleja, em Espanha, e aproveitaram a realização da 21ª Feira Raiana, que ocorreu de 26 a 30 de Julho, para lançar o tema, realizando debates, workshops, para além de uma mostra de 80 empresas e startups inovadoras vindas de vários países europeus, nomeadamente de Espanha, Itália, França e Alemanha.
Aí está o que é uma verdadeira feira promotora do desenvolvimento do território, que mete num bolso as gastadoras e estéreis Enertech, Agroraia e Ecoraia recentemente realizadas no concelho do Sabugal. Ao contrário destas, a Feira Raiana de Idanha-a-Nova tem atractividade, captando expositores de toda a europa e largos milhares de visitantes de Portugal e de Espanha.
A Feira Raiana recebeu exemplos do melhor que existe na Europa ao nível da inovação em territórios rurais, e serviu para os italianos apresentarem com enorme sucesso, em termos do interesse demonstrado, aquilo que é o «Bio-Distrito de Cilento», que serve de inspiração ao que se pretende implementar em Idanha-a-Nova.
As «bioregiões» são áreas territoriais onde agricultores, operadores turísticos, associações e autarquias unem esforços para a gestão criteriosa e sustentável dos recursos locais, comprometendo-se a promoverem os produtos biológicos e suas potencialidades. Trata-se de implementar a inovação tecnológica na agricultura, na indústria agro-alimentar e agro-pecuária, fazendo a ponte entre produção, conservação, saúde e qualidade. Para isso é necessário fazer um trabalho de sapa, que informe e inspire os empresários e outros intervenientes na cadeia de produção agrícola e agro-alimentar, partilhando experiências concretas positivas de inovação no sector. A inovação é um trunfo que se pode explorar de forma mais sistemática.
Trata-se afinal de apostar na inovação rural, apoiada na produção biológica e na economia verde, com projectos financiados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, nomeadamente através do Interreg.
A Idanha-a-Nova, é, sabemo-lo de há muito, um bom exemplo de Município raiano que aposta no desenvolvimento com projectos inovadores. Aqui está mais um, que deve merecer a tenção do Município do Sabugal, por ser um território com similitudes.
:: ::
«Contraponto», opinião de Paulo Leitão Batista

Deixar uma resposta