Portugal terra ardente

Alcínio Vicente - Aldeia do Bispo - © Capeia Arraiana

Um poema de Alcínio, inspirado por este tempo de calores incendiários num país que vive na ilusão do dinheiro e sente a derrocada das engenharias financeiras. É uma vasta soma de milhões de euros que ardem na fogueira das ilusões, que consome tantas paixões.

Pintura de Alcínio

Calores que traz o Verão
Chamas da ambição
Pastos que alimentam paixões e ilusão
Palavras inflamadas e ditas sem ou com razão
Outros amores que ardem no coração
Não é da beleza física que cega a sedução
Um povo néscio onde a ideologia não é o seu chão
Agentes mercenários do dinheiro
Sem país, língua, crença ou cor política.
Vendilhões de património nacional
Como sua propriedade natural
A ilusão do dinheiro e o poder da sua ficção
Derrocada das engenharias financeiras
Onde ardem as poupanças de milhões
E os fogos cruzados pelos cargos dourados
Onde se consomem tantas paixões.

:: ::
«Vivências a cor», de Alcínio

One Response to Portugal terra ardente

  1. Maria diz:

    Bom dia a todos. Gosto muito da sua pintura e do seu comentario. Ogribaga

Deixar uma resposta