Ardeu no Rochoso viatura dos Bombeiros do Sabugal

Bombeiros - © Capeia Arraiana (orelha)

Uma viatura de combate a incêndios da corporação dos Bombeiros Voluntários do Sabugal foi parcialmente consumida pelo fogo no incêndio do Rochoso, concelho da Guarda. O fogo continua activo e alastrou para a Miuzela e Cerdeira.

Viatura dos Bombeiros Voluntários do Sabugal que ardeu no incêndio do Rochoso - Capeia Arraiana

Viatura dos Bombeiros Voluntários do Sabugal que ardeu parcialmente no incêndio do Rochoso (foto: B.V. Sabugal)

Ao final da noite desta terça-feira a situação no distrito da Guarda é a que envolve mais meios – 273 operacionais e 93 viaturas – e que continua por controlar. Dois incêndios, um em Rochoso e Monte Margarida, outro em Murça estão ainda a ser combatidos ao longo de todo o perímetro.
O incêndio que teve início esta terça-feira à tarde, no Rochoso, no concelho da Guarda, alastrou rapidamente para os concelhos do Sabugal, Almeida e Pinhel.
A agência Lusa e a Rádio F, da Guarda, noticiaram ao final do dia que no combate do Rochoso um veículo da corporação dos bombeiros voluntários do Sabugal ardeu parcialmente e um bombeiro sofreu ferimentos ligeiros, tendo tido alta após receber assistência hospitalar.
O incêndio teve início na zona de Monte Margarida e o fogo chegou a andar na aldeia de Rochoso. O presidente da freguesia, António Simões, diz que se viveram momentos de terror. O fogo alastrou depois para a Cerdeira, Parada e caminhou em direcção à A25, que foi cortada ao trânsito.
Por volta das 23 horas, o secretário de estado da administração interna, Jorge Gomes, esteve no local para se inteirar da situação. Poucos minutos depois, o posto de comando foi transferido da sede da ASTA (junto à Cerdeira) para o campo de futebol da Amoreira ao mesmo tempo que o comandante distrital operacional, António Fonseca, fazia o ponto de situação.
As instalações da ASTA – Associação Sócio-Terapêutica de Almeida, na localidade de Cabreira, concelho de Almeida, foram evacuadas esta noite devido à proximidade do fogo que lavra no concelho, disse à agência Lusa o presidente da autarquia.
António Baptista Ribeiro, presidente da Câmara Municipal de Almeida, adiantou que «às 23:00 a instituição foi evacuada e os 13 utentes e seis funcionários foram transportados para a Casa da Juventude de Almeida onde vão passar a noite».
Segundo o autarca «a decisão foi tomada por precaução, pois como a instituição apoia jovens com deficiência mental, foram retirados do local «para que não assistam a este cenário das chamas que estão nas proximidades da aldeia de Cabreira».
A linha ferroviária da Beira Alta, que estava interrompida desde o final da manhã, já foi entretanto reaberta e não há qualquer constrangimento ao nível da circulação.

Cerca da meia-noite o fogo rural estava a ser combatido por 272 operacionais e 93 viaturas, segundo informação disponibilizada na página da internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil.
jcl (com Rádio F e agência Lusa)

Deixar uma resposta