Ode à maçã

Manuel Leal Freire - © Capeia Arraiana

Manuel Leal Freire brinda-nos com uma vaga de poemas. Semanalmente, ao domingo, a poesia do bismulense de pena firme e de memória prodigiosa deslumbra-nos com a exortação aos valores maiores deste nosso recanto raiano.

Maçãs

MAÇÃ

Mater mea est burra mala
Não é nem injúria nem louvor
Aquela que no berço nos embala
Conselhos nos dá como um favor

Em língua que hoje se não fala
De que o português é filho júnior
O que é para nós soberba gala
E se espalhou por mundos em redor

Aquele que vida longa queira ter
E que faça para a merecer
Vida longa mas também vida sã

Siga o primeiro verso em latim
Que se pode traduzir mesmo assim
Coma pela manhã uma maçã

:: ::
«Poetando», Manuel Leal Freire

Deixar uma resposta